3 maneiras de amarrar a sua bota

Neste post vou ensinar alguns nós úteis para amarrar suas botas, para que não solte durante suas caminhadas na natureza.

Este texto é uma continuação da postagem “dicas para evitar torção no tornozelo”, caso você ainda não tenha lido, veja em primeira mão!

Os nós que irei mostrar a seguir, podem servir para uma infinidade de usos, desde uma simples amarração até diminuir os inchaços referentes as caminhadas de longo curso.

Tipos de nós para amarrar sua bota

  • Nó do Cirurgião – Simples e versátil, pode evitar que o seu calcanhar escorregue.
  • Nó da Janela – Alivia os pontos de pressão no meio/topo do seu pé.
  • Volta de Alívio – Alivia a pressão na caixa do dedo do pé, podendo ser muito útil para você voltar para a trilha

O Nó do cirurgião é muito usado por quase todos os praticantes de atividades outdoor no mundo, pois é muito fácil de fazer e eficaz no que diz respeito a afirmar o seu pé dentro do calçado.

amarrar a bota de trekking
  1. Puxe qualquer folga nos cadarços, apertando a bota por cima do seu pé.
  2. Localize os dois pares de passadores mais próximos do ponto em que a parte superior do pé começa a flexionar-se para a frente; você estará amarrando o nó do cirurgião em cada um desses pares.
  3. Enrole os laços ao redor um do outro duas vezes, depois puxe-os com força; certifique-se de passar o laço diretamente até o próximo passador para “travar” a tensão do nó.
  4. Repita o passo “3” no próximo conjunto nos restantes dos passadores.
  5. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

O Nó da Janela é muito usado quando suas botas bem amarradas começarem a criar um ponto de pressão no topo do seu pé, o nó da janela (também conhecido como “laço de caixa”) pode ajudar a aliviar o problema.

amarrar a bota
  1. Retire o cadarço até os passadores que estão logo abaixo do ponto de pressão.
  2. Repasse indo direto até o próximo passador e depois cruzando os cadarços.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

A Volta de Alívio é usada quando os dedos dos pés estiverem muito doloridos/machucados, essa medida temporária poderá ajudá-lo a voltar ao início da trilha. Esse truque funciona aliviando a pressão na caixa do dedo do pé.

amarrar a bota
  1. Retire todo o cadarço da sua bota.
  2. Amarre-o de volta – mas pule o primeiro conjunto de passadores; isso abre a caixa do dedo do pé e tira alguma pressão da parte frontal da bota.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

Abaixo o vídeo completo, mostrando como se faz cada nó descrito acima:

Considerações finais

  • A maioria das botas vem com cadarços longos para permitir diferentes técnicas, então você deve ser capaz de fazer qualquer um desses truques de amarração usando seus cadarços atuais.
  • Se os seus cadarços estiverem desgastados, certifique-se de substituí-los por outros que correspondam tanto à forma (redonda, oval ou plana) quanto ao comprimento do par anterior, neste caso opte pelos cordeletes Paracord

A Paracord (também conhecida como cordame de paraquedas) ganhou este nome por ter sido desenvolvida para o uso em paraquedas, como linhas de suspensão (para = paraquedas / cord = corda). De forma simples, é um cordame feito de Nylon, extremamente resistente e com bom potencial elástico. Em termos de comparação entre peso, volume  e resistência, é um equipamento fantástico.

amarrar a bota com paracord

Vale ressaltar que as técnicas de amarração de cadarço descritas aqui não são um substituto para obter o encaixe certo, ao comprar botas novas. Para isso, você precisa consultar um especialista em calçados ou o vendedor da loja.

Se você gostou deste post, deixe um comentário aqui embaixo, compartilhe com seus amigos e não esqueça de nos seguir nas mídias sociais: Instagram e Facebook, nos vemos no próximo post!

Trekking no Vale da Utopia

Nossas aventuras pelo Vale da Utopia no estado de Santa Catarina – Brasil, foi uma aventura planejada de um ano para o outro, não por ser uma trilha difícil, nada disso, mas por precisar ter um tempo vago para fazer a travessia e poder aproveita-la ao máximo.

Trilhas Vale da Utopia

Existem duas trilhas para se chegar na Praia do Maço (Vale da Utopia), a mais rápida é pela praia da Pinheira e a outra um pouco mais extensa, começa pela Guarda do Embaú.

Como somos aventureiros e gostamos de desafios, resolvemos fazer a trilha mais extensa, uma aventura cercada por belas paisagens e um pouco menos visitada pela maioria das pessoas.

A travessia

Nossa caminhada começou por volta das 9:00 da manhã, quando deixamos nosso carro estacionado na Praia da Guarda do Embaú, saímos dali com nossas mochilas cargueiras nas costas e com vestimentas adequadas para o trekking, isto é, estávamos de bota, calça comprida, manga longa e bandana/chapéu.

Era feriadão de páscoa e todas as pessoas naquela praia estavam aproveitando o dia lindo de sol, lembro-me de as pessoas olharem para nós como se fossemos de outro mundo.

Guarda do Embaú
Trilha Vale da Utopia

De certa forma nós somos de outro mundo mesmo, onde não nos contentamos com a segurança, trabalhar o ano todo só para ter 30 dias de férias, somos de outro mundo, pois queremos ter o máximo de experiências em nossas vidas e chegar na velhice com mais sonhos realizados do que dinheiro no bolso.

Depois de tirar algumas fotos alí na Guarda do Embaú, seguimos a trilha a esquerda da praia até chegar em uma bifurcação, está leva para a Pedra do Urubu, trilha fácil, sem maiores dificuldades para nós, no entanto para pessoas sem preparo físico a trilha pode ser um tanto difícil e exaustiva, lembro de encontrar pessoas pelo caminho reclamando da trilha, que era difícil e íngreme.

Seguimos até o cume da Pedra do Urubu, ao chegarmos na base da pedra, tinha umas 15 pessoas em fila, esperando para capturar uma foto. Fiquei um pouco chateado por este fato, esperamos a nossa vez, tiramos umas 3 fotos e retornamos para a bifurcação no início da trilha.

Pedra do Urubu SC
Guarda do Embaú

Dali em diante tínhamos dois caminhos à seguir, um deles seria pela beira do mar e outro seria em meio mata, um caminho muito bem marcado e bonito e o mais legal, não havia ninguém indo naquela direção. Optamos por esse!

Tínhamos uma dúvida em relação a esse caminho, pois como não havia pessoas transitando por ali, pensamos por um momento que a trilha não iria nos levar a lugar nenhum, podia ser muito bem uma trilha que acabasse logo à frente. Mesmo com a dúvida seguimos por ele. depois de uns 10 minutos de caminhada, encontramos uma bifurcação, seguimos para à esquerda e essa trilha nos levou para a Prainha – Guarda do Embaú.

Seguindo pela esquerda na Prainha chegasse ao Vale da Utopia, e se seguir para a direita, chegasse nas piscinas naturais da Guarda do Embaú.

Estávamos perto das 11:00 quando chegamos nas piscinas naturais, o local ali é lindo, sentamos ao lado de uma pedra grande, que proporcionava um pouco de sombra, retirei as botas, a parte de baixo da calça bermuda e me sentei na piscina.

Vale da Utopia
piscinas Vale da Utopia

Essa piscina nada mais é que algumas pedras na beira do mar, onde as ondas quebram em uma parede rochosa, a água respinga pelas pedras e as vezes essa água toda invade a costa, transformando em um grande piscina natural. É preciso ficar atento no local, pois algumas vezes as ondas batem tão forte na parede rochosa que escutamos um grande estrondo, a onda então avança sobre os paredões rochosos e inunda as piscinas, levando tudo que encontra pela frente.

Depois de curtir por cerca de umas 2 horas o local, tirarmos inúmeras fotos, vestimos nossos trajes de “trilheiros”colocamos a mochila nas costas e seguimos pela Prainha em direção ao Vale da Utopia.

Esse trecho entre a Prainha e a Praia Solita se chama trilha Costa de Pedras, como seu próprio nome diz, são muitas pedras gigantes na beira do mar, é necessário cruzar por cima destas pedras por aproximadamente 300 metros.

Ao se chegar em terra firme já estamos praticamente no começo da Trilha do Vale da Utopia. A visão desse ponto, podemos ver ao longe o costão de pedras que cruzamos e também o local das piscinas naturais.

Trilha Vale da Utopia

Trilha do Vale da Utopia

A trilha do Vale da Utopia começa exatamente neste ponto, começamos a subir um morro gramado em uma estrada bem demarcada que atravessa alguns potreiros, onde podemos ver muitas vacas e bois.

Ao começar a descer já temos a visão da Praia do Maço, conforme vamos nos aproximando já encontramos muitas pessoas com barracas armadas e curtindo o dia ali.

Era hora de escolher um local legal para acampar, olhamos alguns locais e encontramos um onde não havia ninguém ao nosso redor. Isso possibilitaria maior tranquilidade para nós, pois sabíamos que, o Vale da Utopia em si tinha deixado de ser um local de contemplação e tinha se tornado uma grande área de festas para as pessoas.

backpacker Vale da Utopia
Vale da Utopia

Depois de montar a barraca, organizar os equipamentos dentro, resolvemos descer até a beira da Praia do Maço. Ao chegar encontramos um barzinho que oferecia lanches, pasteis, café, refrigerante, cervejas e caipirinhas.

Pedimos uma caipira e ficamos ali curtindo o pôr do sol sem nenhuma pressa, o fim de tarde estava maravilhosamente perfeito, o clima estava agradável, capturei algumas imagens e voltamos para o nosso local de acampamento.

Bar Vale da Utopia
Vale da Utopia
Sunset Vale da Utopia

Estava quase escurecendo quando começamos a fazer o jantar, eu era o cozinheiro da rodada..kkk. O cardápio era massa com molho vermelho e calabresa, depois de algum tempo o jantar estava pronto, jantamos sob um céu limpo e cheio de estrelas brilhantes. Características estas de um hotel 1 bilhão de estrelas que só quem acampa entenderá.

Logo descemos até o barzinho novamente, dessa vez apenas para lavar a louça em uma pia improvisada ao lado do bar.

A noite estava realmente especial, pois além das estrelas brilhantes, podíamos ver a lua cheia, que clareava todo o Vale da Utopia, nem precisávamos usar as lanternas para encontrar nossa barraca na volta.

barraca Vale da Utopia

Ficamos um bom tempo ali olhando as estrelas e conversando, fiz algumas imagens noturnas e fomos dormir, afinal queríamos acordar cedo para ver o nascer do sol.

Nascer do sol no Vale da Utopia

Pulei do Saco de dormir as 5:30 da manhã, abri a barraca e olhei para fora, o dia estava limpo, ainda estava um pouco escuro, estava um pouco frio, mas nada com o que se preocupar.

Conforme foi passando o tempo o céu começou a ficar muito colorido, com cores amareladas, alaranjadas e avermelhadas muito vibrantes. É difícil descrever momentos assim, mas posso dizer que foi um dos mais lindos nascer do sol que já presenciei na vida.

Sunrise Vale da Utopia
Vale da Utopia

Quando o sol realmente apareceu no horizonte estávamos felizes e agradecidos ao mesmo tempo, consegui captar algumas imagens interessantes desse nascer do sol incrível.

Vale da Utopia

Conforme o sol ia subindo, nós arrumávamos os equipamentos dentro das mochilas, desmontamos a barraca, colocamos a mochila nas costas e seguimos a trilha que leva até a Praia da Pinheira.

Vale da Utopia

No meio do caminho existe um pequeno mirante, onde podemos ver a praia de cima e boa parte da orla da pinheira, lugar muito legal, com uma bela vista.

Vale da Utopia

Dali em diante seguimos o caminho marcado e chegamos até a beira da praia da Pinheira, colocamos as mochilas na areia e ficamos ali só curtindo um pouco.

A praia da Pinheira é um local belo, mas bem movimentado, para quem gosta de nadar ou se refrescar nas águas do mar pode ser uma boa alternativa, pois não há ondas nessa praia.

Praia da Pinheira

Depois de aproximadamente umas 2 horas, colocamos a mochila nas costas e seguimos para a Guarda do Embaú, dessa vez seguindo o caminho pela estrada, basicamente caminha-se 5 km, neste caminho podemos ver inúmeras pousadas, hostels em meio a natureza.

Ao chegar no nosso carro, ficamos felizes por completar mais essa aventura, pois a melhor coisa de todas as aventuras que fazemos é poder ir e voltar em segurança.

Se curtiu esse relato, deixe um comentário, curta nossa página no Instagram e Facebook e não deixe de compartilhar essa aventura com seus amigos.

Trilhas Morro Gaúcho

Trilhas Morro Gaúcho!

A cidade de Arroio do Meio, foi sede da 3ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas – Trilhas Morro Gaúcho, que ocorreu no último sábado, 4, com percursos de 5, 15, 25 e 54 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas. O evento contou com a participação de mais de 800 atletas.

Os grandes campeões foram do Trilhas do Morro Gaúcho:

Distância Curta (5 quilômetros) –

Camila Backes – Equipe Teutorunner – 39min29seg

Anderson Boll – Equipe Body e Mind – 32 min55seg

Distância Média (15 quilômetros) –

Zezilda Aparecida da Silva Simão – Equipe Inspirerun – 2h17min

Evandro Audibert – 1h38min

Distância Longa (25 quilômetros) –

Daiane Dias – Equipe Born Run – 3h23min

Sidimar Pimentel Saraiva – Equipe Time T e M – 3h02min

Distância Ultramaratona (54 quilômetros) –

Jasieli Tagliari Dalla Rosa – Equipe Team Ultra Chico – 8h02min *(3ª Colocada Geral)

(+41) Geovanna Boppre de Mendonca – Equipe Admovere/Faccat – 10h10min

Gabriel Kretschmer – Equipe Time T e M – 7h46min *(Bicampeão do Trilhas do Morro Gaúcho)

(+41) Rogério Andretta – Equipe Danivist Running – 7h56min

Classificação completa do Trilhas Morro Gaúcho disponível no site da 3C Timing.

Pelo segundo ano consecutivo tive a honra de participar da Ultramaratona. Não desmerecendo nenhuma das outras etapas do CTM, mas o Trilhas Morro Gaúcho é um dos melhores percursos do Campeonato, em minha opinião.

Trajeto este preparado com muito carinho e dedicação pelo seu Pedro Jung (Brutus do Gaúcho). Evento impecável em todos os sentidos (kits, sinalização, premiação…), graças ao profissionalismo e competência do Luis Leandro Grassel, João Paulo Wildner Medina e demais integrantes da empresa L & E Eventos e equipe CTM.

Trilhas Morro Gaúcho
Créditos: Clic Run

6:50 da manhã , minutos antes da largada chovia forte no local da prova. Acredito que os 100 atletas que enfrentariam os 54 quilômetros, ficaram tão felizes quanto eu com a chuva e o clima mais ameno do início do dia.

Pontualmente às 7 horas foi dada a largada da ultramaratona. Ao meu redor atletas da elite do trail running gaúcho, grandes amigos, alguns conhecidos de outras provas e outros enfrentando pela primeira vez as trilhas Morro Gaúcho. Mas, todos com a mesma meta: concluir a prova!

Muitas trilhas, diversos riachos, alguns estradões e nove picos/montanhas imponentes compuseram o percurso da prova.

A chuva de alguns minutos antes da largada, logo cessou e deu lugar ao sol e um forte calor já nos quilômetros iniciais! Percorri trechos sozinha e outros com alguns atletas. Fui incentivada e incentivei…Fiz amigos que levarei para o resto da vida!

Trilhas Morro Gaúcho
Créditos: Clic Run – Alex Viana

No quilômetro 39 faltando cerca de 15 minutos para o corte (quilômetro 40), encontrei o atleta Ismael sentado em uma valeta e extremamente cansado. Tínhamos mais cerca de 1 quilômetro até chegar no ponto de corte…não pensei duas vezes e incentivei ele à seguir comigo.

Na entrada de uma trilha (ponto de corte) estava o staff Leonardo Wink e mais uns 3 ou 4 atletas, literalmente atirados, tentando recuperar a energia. Pensei em descansar um pouco também, mas resolvi iniciar a trilha e aproveitar o tempo.

Deste ponto em diante seguimos juntos somente eu e Ismael, subindo e descendo as trilhas e montanhas…em certo ponto ele comentou que era a sua estreia nas ultramaratonas. Veja aqui como foi a minha estreia em uma Ultramaratona.A partir dali resolvi que não iria “abandoná-lo” pelo percurso. Resolvi abrir mão da minha prova e ajuda-lo a concluir este grande desafio!

Nos últimos 5 ou 6 quilômetros a noite já se aproximava. Na última trilha a luz da lanterna (item obrigatório) nos guiou.

Estávamos muito cansados. Na última trilha, Ismael caminhava alguns metros e parava, eu incentivava ele à seguir, falei dezenas de vezes “Não fizemos tudo isso para desistir agora!”.

Assim que terminamos a subida dessa trilha, saímos em um estradão e encontramos 2 moradores locais de moto e quadriciclo que estavam trabalhando na prova. Os mesmos nos informaram que não faltavam mais muitos quilômetros para a chegada e que diversos atletas haviam levado o corte.

Estávamos dentro do tempo da prova. Iniciei um trote para ganhar algum tempo, mas o Ismael não conseguia acompanhar. Parei e lhe acompanhei caminhando.

Faltando pouco mais de 1 quilômetros para a chegada encontramos o Pedro Jung de quadriciclo. Para quem não sabe, é ele que monta o percurso da prova!

“Desistir jamais…Sigam, que eu vou de batedor! […]”

Vocês não fazem ideia da emoção que foi seguir esses quilômetros com seu Pedro, nos incentivando, contando histórias do percurso…

Seguimos entre exaustão, dores e lágrimas eu, Ismael e Pedro até a linha de chegada!

Hoje quase uma semana após os 54 quilômetros com 3.100m de altimetria acumulada do Trilhas do Morro Gaúcho, relembro ainda emocionada o que enfrentei durante as 12 horas de prova.

Trilhas Morro Gaúcho
Créditos: Clic Run – Max

Me sinto altruísta porque ajudei atletas em dificuldades, mas também me sinto humilde porque me deram a mão quando precisei. Os melhores momentos foram os mais humanos, os de deslumbramento perante a força da natureza.

Vida longa ao CTM…

CTM 2019 – Nota de esclarecimento:

Trilhas Morro Gaúcho

Deixamos de ser CGCTM 2019 e voltamos a ser CTM 2019.

Estamos dando um passo à frente para voltar a nossas origens, resgatando e valorizando o verdadeiro sentido do nosso trabalho desde 2012, que é correr nas trilhas e montanhas do Rio Grande do Sul.

A partir de agora, esta é a marca de nossos desafios, que traduz a essência e a tradição de se superar nas melhores trilhas, nas montanhas mais desafiadoras.

Tudo isto porque queremos estar cada vez mais alinhados com o que fazemos e com o espírito aventureiro de cada apaixonado por esta modalidade.


Circuito Trilhas & Montanhas 2019

Speedcross 5

Salomon Speedcross 5

Salomon lança a nova geração do Speedcross 5, o lendário tênis de Trail Running (corrida em trilhas).

Nesta quinta geração podemos notar uma grande inovação em design. O tênis Speedcross 5 está mais bonito, mais confortável, muito mais estável e com maior proteção para os pés do usuário.

Principais mudanças em design estre os tênis Speedcross 4 e 5:

Na parte do design, notamos que o tênis Speedcross 5 está muito mais clean do que a sua versão anterior.

O solado mudou consideravelmente em relação ao seu antecessor, agora o novo solado possui garras maiores e mais bem distribuídas, fazendo com que tenhamos maior estabilidade e aderência em terrenos macios e lamacentos.

Características

  • Usos: Treinos e competições de corrida
  • Terrenos: Macio e lamacento
  • Solado: Borracha Contagrip
  • Palmilha: Ortholite
  • Cadarço: Quicklace
  • Abraço do pé: Sensefit
  • Peso: 320 gramas

No site Francês da marca Salomon conseguimos um gráfico que mostra as principais diferenças de estabilidade, leveza, amortecimento, respirabilidade e proteção ao usuário para essa nova geração do Speedcross 5, aproveitamos também para mostrar aqui a diferença entre essa versão atualizada e a anterior.

O novo tênis Speedcross 5 – Salomon será vendido nas versões masculina e feminina, abaixo as cores disponíveis:

Tênis Speedcross 5


Tênis Speedcross 5 W

Ainda não há uma previsão exata de quando esse modelo desembarcará aqui no Brasil, também não sabemos quanto essa versão irá custar, mas já estamos empolgados para ver de perto e fazer uma avaliação completa desse modelo.

Caso você queira adquirir qualquer produto Salomon, entre em contato com a nossa loja parceira Patos do Sul, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil. Nosso querido público leitor tem descontos especiais na loja, para ganhar este desconto, você só precisa nos encaminhar um e-mail, que enviamos nosso cupom de descontos!

Curtlo BR
Mochila All Trail

Equipamentos outdoor

Se você está começando no mundo das aventuras e não entende muito sobre equipamentos outdoor, acha caro e as vezes desnecessário a compra de algum produto técnico, neste texto vou tentar explicar através da minha experiência e vivências de mais 19 anos praticando atividades de aventuras.

Quando comecei a percorrer as trilhas no Rio Grande do Sul eu tinha apenas 11 anos de idade, não conhecia muito sobre equipamentos outdoor, mas tinha comigo um sentimento forte de querer explorar, conhecer lugares intactos que a maioria das pessoas não conhecia.

Naquela época não havia muitos equipamentos para aventuras disponíveis, Fiz minhas aventura usando materiais simples, como mochila de escola, lonas, redes e barracas estilo canadenses.

Equipamento Outdoor
Barraca estilo Canadense

Eu estava inserido dentro do movimento escoteiro, onde sou grato até hoje por me proporcionar experiencias únicas, incontáveis perrengues e muita técnica de acampamento e orientação.

Conforme o tempo foi passando e depois de já ter feito muitos caminhos, acampamentos e jornadas de maneira “Roots”, comecei a procurar equipamentos outdoor para acampamento que me possibilitassem maior proteção e segurança nas trilhas.

As vezes o equipamento outdoor barato pode sair caro

Comecei adquirindo equipamentos básicos, de custo baixo que na minha ótica iriam ser melhores dos que usava desde então. Minha primeira bota foi uma Mac Boot, durou aproximadamente uns 6 meses.

Adquiri também um saco de dormir da marca Hummer e mais alguns equipamentos que não me recordo muito.

Assim como melhoramos nossa técnica ao percorrer trilhas, fazendo acampamentos ou jornadas, comprei inúmeros equipamentos outdoor ao longo desses 19 anos de aventuras, que me proporcionaram um certo intendimento sobre a qualidade de materiais e valores dos mesmos.

Quando digo que as vezes o barato pode sair caro, posso dizer com clareza que é um fato, sempre pensando em valores dos produtos, gastei muito dinheiro com equipamentos de baixa qualidade onde tive que comprar outro novamente depois de algum tempo. Vou citar aqui três exemplos de equipamentos.

Calçados: Minha primeira bota foi uma Mac Boot, depois uma Bull Terrier, Timberland, Nomade (Vento) e por último uma Salomon que uso desde então. Minha primeira bota Salomon tem cerca de 6 anos e está ainda boa para uso.

Equipamentos Outdoor
Bota Salomon X Ultra Trek GTX

Mochilas: Mochila de escola, Trilhas e Rumos, Kailash e por e por último uma Thule, que uso desde então a mais de 3 anos.

Barracas: Barraca estilo Canadense, Mor vendida no supermercado, Trilhas e Rumos – Bivak, Azteq – Nepal, Star River – Naturehike e por último uma Mongar 2 Ultralight da Naturehike.

equipamentos outdoor
Barraca Mongar 2 Ultralight – Naturehike

Exemplifiquei todos estes produtos para você que está lendo esse texto entenda, que na grande maioria das vezes comprar produtos baratos faram você gastar mais dinheiro do que guardar os valores e comprar algo bom logo de cara.

Conforto x Valores

Uma coisa você pode ter certeza sobre atividades ao ar livre, quanto mais conforto você quiser ter nas suas aventuras, mais dinheiro você terá que desembolsar para que isso seja possível.

Hoje faço minhas aventuras usando equipamentos de primeira linha, isso me proporciona grande conforto e satisfação ao percorrer longas travessias de trekking, por inúmeros dias.

Minha mochila atualmente é uma Thule Versant de 50 litros, ali condiciono todos meus equipamentos para minhas aventuras, mais meus equipamentos fotográficos, todo esse conjunto pesa aproximadamente 13 kg sem contar a alimentação.

Comparativos equipamentos outdoor

Um comparativo que fiz ao longo dos anos usando tudo que é tipo de equipamento outdoor disponível no mercado, descobri que:

Se você quiser abaixar cerca de 1kg de peso em equipamentos dentro da sua mochila, você gastará aproximadamente R$ 2.000,00.

Então quando você for escolher seu primeiro equipamento ou o próximo produto, escolha que este seja leve, altamente tecnológico e que lhe proporcione o máximo de conforto na sua aventura.

Os equipamentos que uso atualmente me proporcionam aproveitar todo o contexto de uma aventura, chegando em casa sempre com experiências incríveis e o melhor de tudo isso é não estar dolorido ou com bolhas nos pés por causa de algum equipamento ruim.

Mochila All Trail

Se você gostou desse artigo, deixe um comentário logo abaixo, veja também avaliações de equipamentos outdoor em nosso site. Acesse!

Bota X Chase

Bota X Chase MID GTX Salomon

Hoje viemos através deste post falar um pouco sobre as primeiras impressão da Bota X Chase MID GTX da marca francesa Salomon.

A Bota X Chase MID GTX é destinada para travessias de trekking, hiking, corridas em trilhas e para usos no dia a dia, o modelo que estamos avaliando é masculino, é um calçado leve, com tecidos que garantem impermeabilidade e respirabilidade. É indicada para qualquer tipo de tereno ou condição climática.

Bota X Chase

Essa bota foi fabricada para garantir melhor conforto ao usuário, sua modelagem evita a entrada de folhas e barro em diversos tipos de terrenos.

Bota X Chase

Tecnologias

Quicklace : é um sistema de cadarço, construído inteiramente em kevlar de alta resistência. Ao puxar o sistema de fixação do cadarço, o ajuste acontece de forma uniforme e segura.

Bota X Chase

Ortholite:  Essa palmilha está presente na maioria dos calçados da marca Salamon, essa palmilha além de proporcionar conforto incrível, é composta de uma espuma específica e também EVA.

Contagrip: O solado é antiderrapante produzido pela Michelin (uma das maiores empresas de pneus do mundo), está presente na maioria dos calçados da Salamon.

Esse mesmo solado foi projetado com muitos compostos de borracha, pensando sempre na dureza, aderência e durabilidade, desenvolvido para os esportistas mais exigentes.

Bota X Chase

Chassi ACS Skeleton:  Essa tecnologia tem como principal função maximizar o controle de movimento, fazer a gestão de energia e impulso, tendo como resposta a segurança e estabilidade em todo seu percurso da atividade. O chassi esta localizado na parte interna da bota entre a sola e a entre sola.

Membrana Goretex: A Bota X Chase MID GTX conta com uma membrana impermeável e respirável na sua fabricação, trazendo um conforto ainda maior ao seu pé, possibilitando a circulação do ar, e mantendo seus pés secos ao fazer uma travessia de rio ou qualquer lugar que precise ser usada. Vale ressaltar que existe uma margem de impermeabilidade em centímetros medida da Sola da bota até a parte presa da língua.

Detalhes

Biqueira:  A Bota X Chase MID GTX contém uma biqueira com construção reforçada, pensada em proteger seus dedos. Caso aconteça algum acidente de você vir a chutar uma pedra ou até mesmo bater a ponta da bota sem querer, a biqueira possui uma boa estrutura que impede que seus dedos venham a se machucar.

Bota X Chase

Língua: A língua dessa bota é construída de maneira diferente do que geralmente conhecemos isto é, ela é costurada internamente, dessa forma protege seus pés contra impactos gerados em caminhadas em mata fechada, também impede a entrada de barro, areia ou alguma sujeira que venha por ventura entrar durante suas caminhadas ou corridas.

Vale mencionar também que na parte superior da língua, há um pequeno bolso para acomodar a sobra do cadarço.

Curiosidades

Um cuidado muito importante que você deve tomar na hora de comprar o seu primeiro Salomon, é adquirir um número maior que o seu habitual.

Pois quando estamos caminhando na natureza por inúmeros quilômetros, subindo e descendo morros, os pés tendem a inchar, caso você tenha comprado um tênis/bota do mesmo tamanho do seu usual você poderá ter problemas com bolhas e em casos mais graves vir a perder as unhas dos pés.

A Bota X Chase MID GTX masculina na numeração 45 pesa aproximadamente 860 gramas o par, isso a torna uma das botas mais leves do mundo.

Valor: R$1.100,00 – Este valor pode variar de acordo com a variação do Dólar.

Onde Comprar

Esse modelo de bota pode ser encontrada na loja parceira Patos do Sul, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil. Por você ser nosso leitor, você tem descontos especial falando diretamente com a proprietária Helen pelo contato (54) 9 9976-2073.

Curtlo BR

Conclusão

Ainda estamos realizando alguns testes com a Bota X Chase MID GTX, mas já nos primeiros dias usando o modelo já nos agradou imensamente.

Dentro de alguns meses iremos finalizar a avaliação colocando em foco todos pontos positivos e negativos, para maior confiabilidade nos testes, realizaremos uma travessia de trekking pelas bordas dos Cânions Laranjeiras e Funil em Santa Catarina.

Se você gostou das nossas primeiras impressões da Bota X Chase MID GTX, deixe um comentário logo abaixo.

Caso você queira ver qualquer outro produto já avaliado por nossa equipe, clique aqui!

Salomon S-LAB SENSE 6 SG

Dentro da vasta linha de calçados da marca utilizo o SpeedCross 3, SpeedCross 4 e atualmente o Salomon S-Lab Sense 6 SG nos meus treinos e provas de trail running pelo Rio Grande do Sul.

Adquiri todos eles com a Helen Hertzog proprietária da loja Patos do Sul em Caxias do Sul.

A Salomon tem sido uma marca dominante no mundo do trail running há anos. Da próxima vez que você estiver em uma trilha ou corrida de montanha, olhe para baixo – é muito provável que você veja a maioria das pessoas usando Salomons como seu calçado favorito.

Segundo a Salomon o calçado é “Desenhado por atletas e para atletas. Calçado profissional de alta performance. Confie nos seus sentidos e corra livremente com o S-LAB SENSE 6! Versão softground para terrenos mais macios.”

Meu S-LAB SENSE 6 SG, já percorreu diversos quilômetros de trilhas, desde os terrenos úmidos e lamacentos da região de Veranópolis, até os declives e aclives acentuados das provas do Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas e Montanhas.

Ele foi criado para estar assim…

Salomon S-LAB SENSE 6 SG

Trajado de marcas de batalha! Lama, folhas, riscos…cobrindo o preto e vermelho distintivo.

O S-LAB SENSE 6 SG é:

  • leve, pesa apenas 225 gramas;
  • altamente respirável; e
  • drena a água de forma eficaz – em terenos molhados.

Possui malha superior anti-detritos que se estende dos lados da língua e se fixa à sola do calçado. A malha funciona muito bem, impedindo a entrada de detritos e lama; e evita que a sujeira fique presa entre o pé e a palmilha.

Salomon S-LAB SENSE 6 SG

Enquanto a combinação das tecnologias EndoFit ™ (construção parecida com uma meia, encontrada na parte superior do calçado) e SensiFit ™ (camadas finas de tecido encontradas nas laterais do calçado); envolvem seus pés com segurança e conforto para uma melhor estabilidade e ajuste geral.

A parte superior também possui a tecnologia Quicklace System, que fornece um laço rápido e preciso.

Salomon S-LAB SENSE 6 SG

Já a sola do calçado é fabricada com a tecnologia tração úmida premium Contagrip para uma excelente aderência. A designação soft-ground (SG) no nome do calçado significa que ele é mais adequado para trilhas enlameadas.

Salomon S-LAB SENSE 6 SG

Sua entressola é composta de:

  • Enchimento EnergyCell+, esse tipo de amortecimento proporciona excelente retorno energético e é super durável;
  • Espuma EVA Compacta de dupla densidade. EVA é frequentemente usada em tênis de corrida em função das suas propriedades úteis: flexibilidade, durabilidade e amortecimento; e
  • Filme Profeel que aumenta a estabilidade. E permite que os corredores sintam o movimento do calçado ao mesmo tempo em que proporciona proteção, contra os obstáculos das técnicas trilhas.

Daniel Gohl é empresário, founder da Raiz Trail e corredor. Ele também utiliza o S-LAB em diversos treinos e provas de trail running, e comenta:

“Além de leve e transpirável o S-LAB tem ótima vasão de água em treinos molhados. O sistema Endofit utilizado no modelo é perfeito para manter o tênis leve mesmo em dias com muita chuva ou treinos com muita travessia de córregos e rios.”

Salomon S-LAB SENSE 6 SG
Créditos: Arquivo Pessoal

“A malha anti-detritos é muito funcional! Mantém o pé sempre sem a presença de pedrinhas e não atrapalha em nada o conforto para calçá-lo.

Além disso, possui uma biqueira resistente, o contagrip (solado) é seguro em qualquer tipo de terreno e o calcanhar reforçado na medida certa.

Para quem tem velocidade, consciência corporal e gosta de tênis que respeita a sua pisada, o S-LAB é o modelo ideal para encarar as trilhas e montanhas em todos os locais.” completa Gohl.

Resumindo…o S-LAB SENSE 6 SG é ultra leve, ágil e surpreendentemente confortável. É um tênis que garante velocidade, um calçado que reage melhor quando sua cabeça está baixa e sua frequência cardíaca é alta!

Salomon Speedcross 4

Para correr em trilhas e montanhas é necessário treino, dedicação e coragem, mas estar preparado com roupas e principalmente calçados certos faz toda a diferença, pensando nisso, a marca Salomon desenvolveu o tênis Speedcross. Ele é o parceiro ideal para você encarar os seus desafios com maior conforto e segurança.

Sobre a marca:

A Salomon nasceu em 1947 na pequena cidade de Annecy, fruto do trabalho de Francois Salomon e seu filho George. Durante seus mais de 60 anos de existência, o empenho da Salomon em criar design’s inovadores e sua paixão pelos esportes de montanha criaram uma vasta gama de novos e revolucionários conceitos em calçados, vestuário, equipamentos para snowboard, corridas de aventura, alpinismo…Atualmente os produtos da Salomon são vendidos em mais de 160 países e a marca se tornou ícone mundial em esportes de montanha.

Avaliação:

Já faz alguns anos que utilizo os modelos Speedcross 3 e 4 em diversos treinos e provas, além de conforto e segurança os modelos tem uma qualidade que todo corredor procura: durabilidade!

Speedcross

Diversos amigos me perguntam: “Mine, qual a melhor versão do Speedcross?”

Difícil responder essa pergunta – risos. Os dois possuem diversas qualidades e – ao meu ver – algumas pequenas falhas. Visualmente são muito parecidos, mas após diversos quilômetros rodados com os mesmos, escolho a versão 4 como a melhor!

Speedcross 3/4
Comparativo tênis Salomon Speedcross 3 x Speedcross 4

O Speedcross 4 é leve, altamente amortecido e com uma aderência totalmente agressiva. Composto de diversas tecnologias e algumas mudanças em relação ao seu antecessor, são elas:

Contagrip (solado): na última versão do modelo as travas são mais grossas. Uma combinação de borrachas que resultam na adaptação do solado às irregularidades que as diferentes superfícies de uma única trilha podem apresentar. Eu diria que o solado do Speedcross 4 beira a perfeição, pois oferece, segurança, tração e fantástica aderência nas trilhas;

Speedcross

– Endofit: membrana em neoprene que abraça o pé separando-o do cabedal interno. Essa tecnologia aumenta a sensibilidade ao terreno e melhora o ajuste do calçado juntamente com o sistema Sensifit que envolve o pé e proporciona um ajuste preciso e seguro.

Speedcross

– Quicklace: cadarço em kvelar altamente resistente. Ao puxar o sistema de fixação do cadarço, o ajuste acontece de forma uniforme e segura.

Ortholite: a palminha combina uma espuma Ortholite específica com um contraforte de EVA criando um entorno mais fresco, seco e acolchoado debaixo dos pés;

– Reforços: os desafios de uma trilha resultam em um desgaste acelerado do calçado. Mas pensando nisso, a fabricante incluiu reforços quase imperceptíveis que, além de compor o design do modelo, protege as extremidades do tênis: na biqueira e no contraforte do calcanhar podemos notar uma porção extra de borracha que protege e reforça estas peças.

Speedcross

Speedcross

Speedcross

Após muitas tecnologias e qualidades – ao meu ver – o uso de uma trama de malhas muito fechadas no modelo 4, traz pouca ventilação ao calçado e dificulta a eliminação do suor nos pés durante a trilha. Correr com os pés encharcados morro acima ou morro abaixo, pode dificultar o desempenho, gerar insegurança e no meu caso as temidas bolhas.

Caso você queira encomendar o seu Salomon, só entrar em contato com a loja Patos do Sul ou fale diretamente com a Helen Hertog, proprietária da loja pelo telefone (54)3228.1100 e/ou whatsapp (54)99976.2073

Roupas de trekking em Ushuaia

Caso você esteja procurando lojas específicas para comprar roupas de trekking, esqui ou qualquer outra modalidade de esportes ao ar livre, na cidade do Fim do mundo é possível encontrar.

Todas as lojas estão localizadas na Rua San Martin, esta é a mais famosa e conhecida rua da cidade de Ushuaia.

É possível encontrar as seguintes lojas: Scandinavian, Cape Horn, Popper Store, Popper Outlet, Campamento Base, Fitz Roy Sud, DTT Ushuaia, Makalu Store e entre outras.

Vou citar aqui algumas das lojas que mais me chamaram a atenção. Começando pela Scandinavian, nesta você encontra marcas mundialmente conhecidas como Mountain Hardwear, Columbia e Nexxt Performance.

Na loja Scandinavian comprei uma mochila 100% impermeável da marca Mountain Hardwear com capacidade de 30 L, por apenas US$ 198,00 Dólares americanos. Assim que analisar e testar todas as suas funcionalidade disponibilizarei um super review do produto.

Roupas de trekking

A loja Campamento Base é uma loja completa, nela você encontra uma infinidade de marcas renomadas: Salomon, Vasque, Asolo, Victorinox, Gregory, Lowe Alpine, Doite e Sherpa.

Roupas de trekking

Uma boa opção também é passar na Popper Outlet, está também trabalha com marcas conceituadas, tais como: Salomon, The North Face, Oakley e Hi-Tec, aqui os produtos possuem valores bem abaixo do mercado brasileiro, vale a pena passar nessa loja e conferir!

Roupas de trekking

Nas outras lojas citadas acima os valores não são muito abaixo dos preços aqui no Brasil, a maioria dos produtos que encontrei os valores podiam varear de R$100,00 a R$250,00 reais abaixo que os produtos vendidos aqui no Brasil, não são tão baratos, a dica aqui é você procurar por produtos que não existam no Brasil.

Para produtos de alto valor monetário como por exemplo as jaquetas de plumas de ganso impermeáveis, estavam com bons preços, cerca de R$1.600,00 reais, estes produtos quando encontrados aqui no Brasil chegam a custar mais de R$2000,00 reais.

Outra dica interessante é fazer suas compras usando o dólar americano, assim é possível negociar melhor os preços.

Se você gostou deste texto, deixe um comentário logo abaixo!

Tênis Techamphibian 3 Salomon Avaliação

Apresento o Tênis Techamphibian 3 é um dos tênis mais leves fabricado pela marca francesa Salomon. Este calçado é destinado para fazer travessias de cânions, rios ou qualquer outro caminho que seja acidentado.

Este modelo de tênis é um modelo muito versátil, construído para acomodar seu pé de maneira segura e estável, nesta avaliação iremos mostrar todos os detalhes, características técnicas e algumas curiosidades, para que você conheça o produto sem ter que ir na loja.

Características construtivas:

O Tênis Techamphibian 3 apresenta uma construção diferenciada da maioria dos calçados que conhecemos, pode ser usado como uma sandália em dias de calor ou como um tênis técnico em situações onde é exigido o máximo desempenho.

Entre seus detalhes o que mais chama a atenção é o seu ajuste do torso do pé, este mantém o pé completamente firme, tornando-o fácil de calçar e descalçar, este sistema de ajuste oferece maior segurança na pisada.

A Salomon é diferente, além da venda, constrói seus calçados de maneira que tenha o melhor ajuste possível para seus pés.

Tênis Techamphibian 3

Tênis Techamphibian 3

O sistema de ajuste do cadarço é chamado de Quicklace, este tipo de amarração permite que você ajuste o cadarço de maneira rápida e segura evitando assim que o tênis se desamarre. Este tipo de amarração já é muito usado em boa parte dos calçados da marca, é altamente confiável. Além disso a Salomon preocupa-se ainda em oferecer um pequeno bolso em cima da língua para assim acomodar o restante do cadarço que sobrou.

Tênis Techamphibian 3

Na parte externa do calçado, podemos notar alguns detalhes interessantes, construído com telas de Nylon que permitem que a água saia por completa de dentro do tênis, mantendo o seu pé sempre seco, um detalhe que vale a pena mostrar aqui é as telas com design de colmeia, na parte onde o tênis é dobrado repetidas vezes durante uma caminhada em leito de rios a marca Salomon se preocupou em colocar duas telas uma em cima da outra, garantindo que o tênis não rasgue facilmente com o passar do tempo. Veja a imagem abaixo:

Tênis Techamphibian 3

Na parte da frente do tênis Techamphibian 3 podemos notar uma certa rigidez nos materiais, foi construído desta maneira para evitar machucar os dedos durante um escorregão ou algum impacto maior.

Tênis Techamphibian 3

O solado é construído de maneira que não permite a entrada de água por baixo, isso possibilita maior segurança e tração em terrenos escorregadios e acidentados, sendo muito bom até mesmo em baixo da água. O solado Non-marking – ContaGrip como é conhecido  foi pensado para ser muito aderente em inúmeras situações, podemos notar que as garras do Tênis Techamphibian 3 possuem porosidade diferente na parte da frente, meio e atrás, isso faz com que tenhamos maior firmeza, tração e aderência, independentemente da maneira que tocarmos no terreno.

Tênis Techamphibian 3

O Tênis Techamphibian 3 calça muito bem, é confortável, leve e seguro, na parte interna podemos ver que o fabricante caprichou para deixar o tênis o mais confortável possível, na parte de trás a uma camada de espuma relativamente espessa, isso gera uma sensação muito boa ao caminhar. A palmilha é leve e muito respirável, o que garante isso são os pequenos orifícios em toda sua estrutura.

Tênis Techamphibian 3

Com certeza é um calçado fabricado para durar, os materiais são de primeira linha.

Analisamos e testamos o Tênis Techamphibian 3 nas regiões da serra gaúcha e em algumas caminhadas leves na região dos Cânions, mais precisamente em Cambará do Sul/RS e também no litoral.

Utilização:

Este calçado pode ser utilizado em trilhas curtas (hiking), na cidade e nas praias, não recomendamos o seu uso para trekking em mata fechada, pois como o calçado é um tanto aberto em sua estrutura, isso pode ser um problema se por ventura na trilha tiver algum animal peçonhento.

Veja outras imagens capturas enquanto fazíamos os testes abaixo:

Tênis Techamphibian 3

Tênis Techamphibian 3

Tênis Techamphibian 3

Avaliação final – Tênis Techamphibian 3 Salomon:

Os primeiros testes que realizamos foram em trilhas normais aqui na serra gaúcha, com terreno pouco acidentado e solo seco, o tênis Techamphibian 3 se comportou muito bem, possui boa tração e resistência.

Nas caminhadas na região dos Cânions também foram satisfatórias, no dia desses testes estava bastante úmido, não chegando a estar completamente molhado.

O terceiro teste fizemos no litoral, caminhamos bastante na beira mar, mesmo com o calor a respirabilidade do tênis é boa.

O último teste que fizemos foi na travessia de alguns pequenos riachos na cidade de Nova Roma do Sul/RS, afinal queríamos constatar verdadeiramente a aderência do calçado para a atividade para que foi fabricado. Neste quesito deixou um tanto a desejar, ele é sim um pouco mais aderente que a maioria dos tênis da marca, mas não é um calçado que podemos confiar cegamente ao passar por pedras lisas, com limos e musgos.

A biqueira é muito resistente, inume-as vezes chutei pedras sem querer e não machuquei os dedos. Lembrando que quando comprar um tênis da marca Salomon, você deverá sempre usar um número a mais que o seu usual.

Em relação a entrada e saída de água isso funcionou bem, um dos pontos positivos desse calçado de fato é o seu peso e a secagem rápida.

Onde comprar: Guenoa Bikes e Apetrechos para Aventuras

Valor: R$ 499,00

Peso: 350g

Tênis Techamphibian 3

Em nosso site você encontra também a avaliação completa da Bota Salomon Explorer GTX e o Tênis XA PRO 3D ULTRA 2 GTX.