3 maneiras de amarrar a sua bota

Neste post vou ensinar alguns nós úteis para amarrar suas botas, para que não solte durante suas caminhadas na natureza.

Este texto é uma continuação da postagem “dicas para evitar torção no tornozelo”, caso você ainda não tenha lido, veja em primeira mão!

Os nós que irei mostrar a seguir, podem servir para uma infinidade de usos, desde uma simples amarração até diminuir os inchaços referentes as caminhadas de longo curso.

Tipos de nós para amarrar sua bota

  • Nó do Cirurgião – Simples e versátil, pode evitar que o seu calcanhar escorregue.
  • Nó da Janela – Alivia os pontos de pressão no meio/topo do seu pé.
  • Volta de Alívio – Alivia a pressão na caixa do dedo do pé, podendo ser muito útil para você voltar para a trilha

O Nó do cirurgião é muito usado por quase todos os praticantes de atividades outdoor no mundo, pois é muito fácil de fazer e eficaz no que diz respeito a afirmar o seu pé dentro do calçado.

amarrar a bota de trekking
  1. Puxe qualquer folga nos cadarços, apertando a bota por cima do seu pé.
  2. Localize os dois pares de passadores mais próximos do ponto em que a parte superior do pé começa a flexionar-se para a frente; você estará amarrando o nó do cirurgião em cada um desses pares.
  3. Enrole os laços ao redor um do outro duas vezes, depois puxe-os com força; certifique-se de passar o laço diretamente até o próximo passador para “travar” a tensão do nó.
  4. Repita o passo “3” no próximo conjunto nos restantes dos passadores.
  5. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

O Nó da Janela é muito usado quando suas botas bem amarradas começarem a criar um ponto de pressão no topo do seu pé, o nó da janela (também conhecido como “laço de caixa”) pode ajudar a aliviar o problema.

amarrar a bota
  1. Retire o cadarço até os passadores que estão logo abaixo do ponto de pressão.
  2. Repasse indo direto até o próximo passador e depois cruzando os cadarços.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

A Volta de Alívio é usada quando os dedos dos pés estiverem muito doloridos/machucados, essa medida temporária poderá ajudá-lo a voltar ao início da trilha. Esse truque funciona aliviando a pressão na caixa do dedo do pé.

amarrar a bota
  1. Retire todo o cadarço da sua bota.
  2. Amarre-o de volta – mas pule o primeiro conjunto de passadores; isso abre a caixa do dedo do pé e tira alguma pressão da parte frontal da bota.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

Abaixo o vídeo completo, mostrando como se faz cada nó descrito acima:

Considerações finais

  • A maioria das botas vem com cadarços longos para permitir diferentes técnicas, então você deve ser capaz de fazer qualquer um desses truques de amarração usando seus cadarços atuais.
  • Se os seus cadarços estiverem desgastados, certifique-se de substituí-los por outros que correspondam tanto à forma (redonda, oval ou plana) quanto ao comprimento do par anterior, neste caso opte pelos cordeletes Paracord

A Paracord (também conhecida como cordame de paraquedas) ganhou este nome por ter sido desenvolvida para o uso em paraquedas, como linhas de suspensão (para = paraquedas / cord = corda). De forma simples, é um cordame feito de Nylon, extremamente resistente e com bom potencial elástico. Em termos de comparação entre peso, volume  e resistência, é um equipamento fantástico.

amarrar a bota com paracord

Vale ressaltar que as técnicas de amarração de cadarço descritas aqui não são um substituto para obter o encaixe certo, ao comprar botas novas. Para isso, você precisa consultar um especialista em calçados ou o vendedor da loja.

Se você gostou deste post, deixe um comentário aqui embaixo, compartilhe com seus amigos e não esqueça de nos seguir nas mídias sociais: Instagram e Facebook, nos vemos no próximo post!

Mountain Series

Projeto Mountain Series não é apenas um evento de trilhas, mas sim uma experiência única, possibilitando aos nossos clientes vivenciar, alcançar e superar desafios.

Entretanto como já diz o nome, vamos trilhar inúmeras montanhas em sequência, caminhos que levam até os cumes mais altos do país, em alguns dias.

Unindo diversas atividades como: trekking, caminhada, escalada, rapel, acampamentos, hospedagem em refúgios de montanha, viagens de carro (road trip), fazem do Mountain Series um projeto grandioso.

Cumes Mountain Series

Cumes Mountain Series

O que mais chama a atenção no Mountain Series é o fato de você poder vir juntamente conosco em todos esses destinos, ou apenas participar de um evento ou outro. A escolha é sua!

Primeiramente faremos uma Road Trip – Viagem de carro, saindo do Rio Grande do Sul até a região sudeste do Brasil, onde se concentram a maioria dos cumes. Alguns deles são isolados, outros fazem parte de travessias de 1 a 4 dias.

Desafio Mountain Series

A nossa primeira travessia começara pela Serra da Mantiqueira, mais precisamente na Serra Fina, depois iremos ao Parque Nacional de Itatiaia, Escalavrado, Pico da Bandeira, Serra dos Órgãos, Pedra do Baú e por fim ao Parque Estadual Turístico Alto da Ribeira – Petar.

Todas esses destinos em um curto período de tempo fazem com que os participantes tenham um ótimo preparo físico e mental, por isso organizamos uma série de treinos específicos de força e resistência, para que você treine seu condicionamento físico. Veja aqui como funciona estes treinos.

Como posso me inscrever no Mountain Series

Há duas maneiras de você se inscrever no Mountain Series, a primeira delas é clicando nos eventos logo abaixo ou entrando em contato direto via Whatsapp 54 99117-9771, falar com Evandro Clunc.

A travessia mais difícil do Brasil
Serra Fina
31/ago à 7/set de 2019

A travessia mais difícil do Brasil

É aventura de verdade! Serão 4 dias de trekking com um nível de dificuldade que não é para iniciantes. São 3 pernoites na Montanha (selvagem mesmo) e 2 outros pernoites em um Hostel de Montanhistas… As grandes dificuldades, de fato, são a navegação, o terreno extremamente acidentado e a escassez de água ao longo do caminho, o que obriga os trekkers a levar peso extra na mochila depois de cada ponto de abastecimento.

Vem com a gente
O primeiro Parque Nacional do Brasil
Travessia Itatiaia
09 à 13/SET/2019

O primeiro Parque Nacional do Brasil

Vamos fazer a Travessia da Parte Alta do Itatiaia e mais uma descida de Serra chamada de: Travessia Ruy Braga como também é conhecida! O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) é o Primeiro Parque Nacional do Brasil, criado em 14 de junho de 1937 (82 anos). O nome Itatiaia é de origem Tupi e significa: penhasco cheio de pontas, pedra pontuda. No interior do Parque encontram-se alguns dos picos mais altos do Brasil, beirando os 2800 metros de altitude.

Vem com a gente
Parque Nacional do Itatiaia
Travessia Ruy Braga
14/SET/2019

Parque Nacional do Itatiaia

Vamos fazer a Travessia da Parte Alta do Itatiaia e mais uma descida de Serra chamada de: Travessia Ruy Braga como também é conhecida! O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) é o Primeiro Parque Nacional do Brasil, criado em 14 de junho de 1937 (82 anos). O nome Itatiaia é de origem Tupi e significa: penhasco cheio de pontas, pedra pontuda. No interior do Parque encontram-se alguns dos picos mais altos do Brasil, beirando os 2800 metros de altitude.

Vem com a gente
Parque Nacional da Serra dos Órgãos
Escalavrado
15/set/2019

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Está localizada no PARNASO (Parque Nacional da Serra dos Órgãos). O Parnaso é o terceiro Parque Nacional mais antigo do País, criado em 30 de novembro de 1939 (79 anos). O Escalavrado é considerado uma caminhada semipesada com duração que pode variar de 2,5 a 3,5 horas. O cuidado neste local deve ser redobrado, pois grande parte da trilha é exposta. Um caminho na Rocha, onde vamos utilizar equipamentos de vertical por segurança e basicamente é só subida! Porém com uma distância de aproximadamente 4000 metros entre Ida e Volta.

Vem com a gente
Terceiro mais alto do Brasil
Pico da Bandeira
17/set à 18/set/2019

Terceiro mais alto do Brasil

Localizado na Serra do Caparaó, na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, o Parque Nacional do Caparaó é um dos ícones do montanhismo no Brasil e abriga o terceiro ponto mais alto do País. O Pico da Bandeira, que tem 2.891 metros de altitude, mas vem seguido de perto do Pico 2 ou Pico do Cruzeiro, com 2.852 metros, o Pico do Calçado com 2.849 metros e o Pico do Calçado Mirim com 2.818 metros. Logo mais abaixo fica o Pico do Cristal, com 2.770 metros que fica exclusivamente em território mineiro. Serão 3 dias de trekking com um nível de dificuldade que não é para iniciantes.

Vem com a gente
Parque Nacional Serra dos Órgãos
Travessia Petro x Tere
20 à 22/set/2019

Parque Nacional Serra dos Órgãos

A Travessia Petrópolis Teresópolis ou Petro x Tere como também é conhecida! É considerada a travessia mais bonita do Brasil. Está localizada no PARNASO (Parque Nacional da Serra dos Órgãos) em meio a exuberância da Mata Atlântica entre as cidades serranas de Petrópolis, Guapimirim e Teresópolis. Com muitas subidas e descidas íngremes é considerada uma caminhada difícil e possui cerca de 30 km ligando os municípios de Petrópolis e Teresópolis. Geralmente é realizada em três dias.

Vem com a Gente
Bauzinho, baú e Ana Chata
Travessia Pedra do Baú
23 e 24/set/2019

Bauzinho, baú e Ana Chata

O Roteiro foi chamado carinhosamente por nós de Volta da Pedra do Baú, passa em meio de Trilhas pela mata, subindo e descendo Vias Ferratas fixadas na Rocha Gnaissicas da Serra da Mantiqueira exatamente por: Bauzinho, Pedra do Baú e Ana Chata. Localiza-se no município de São Bento do Sapucaí, estado de São Paulo, Brasil. O ponto culminante é a Pedra do Baú (altitude de 1964 metros), conhecido por abrigar algumas rotas de escalada esportiva.

Vem com a gente
Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira
Petar
25 e 26/set/2019

Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é considerado uma das Unidades de Conservação mais importantes do mundo. É considerado hoje um patrimônio da humanidade, reconhecido pela UNESCO. Vamos explorar o Núcleo Santana! Lá vamos conhecer: – A Caverna de Santana, -A Trilha do Betari (Caverna Água Suja, Caverna do Cafezal e cachoeiras das Andorinhas e do Beija-flor) – E a trilha do Morro-Preto Couto (Caverna do Morro-Preto, cachoeira do Couto e Caverna do Couto).

Vem com a Gente

Investimento

 Aqui vai uma dica muito interessante! Como estaremos organizando os eventos em sequência isto é, um após o outro, vale muito a pena você se inscrever em mais de um evento, pois isso diminui gastos de deslocamento, fazendo você poupar um bom dinheiro e conhecer mais destinos.

Por participar do Mountain Series, você ganha descontos especiais na compra de qualquer equipamento outdoor na loja Patos do Sul/RS – Entregas para todo o país.

Curtlo BR

Nossa equipe

Nosso time é formado por 4 (quatro) pessoas, sendo 2 (dois) guias de montanha, 1 (um) fotógrafo e 1 (um) especialista em Marketing Digital/Suporte.

Faremos uma cobertura online do Mountain Series aqui no site, comunicando também nas mídias sociais onde somos atuantes;

Teremos uma equipe profissional de fotografia e filmagem com drone, com edições diárias no evento e publicações ao vivo nas  mídias sociais;

Postagens semanais aqui no site e na Sol de Indiada, com o intuito de relatar a experiência obtida pelos participantes durante cada evento.

Se você gostou do nosso projeto, então comente aqui embaixo, compartilhe com seus amigos e venha encarar esse desafio com a gente!

mochila Osprey Talon

Mochila Osprey Talon 44 L

Hoje apresento a vocês a avaliação completa da mochila Osprey Talon 44L, vou mostrar aqui todos os detalhes desse produto que é uma das mochilas mais leves do mundo em sua categoria.

A mochila Osprey Talon 44L é destinada para uma série de atividades como: trekking, hiking, escalada e montanhismo em geral.

Características da mochila

  • Medidas: S/M – 62 x 30 x 33 cm | Peso: 1,02 kg | 42L
  • Medidas: M/G – 67 x  30 x 33 | Peso: 1,105 kg | 44L
  • Material: Naylon mini shadow + 70D x 100D e Nylon 420HD
  • Barrigueira BioStrech
  • Estrutura LightWire ™, leve, confortável e resistente
  • Alças BioStrech, com ajuste de altura
  • Sistema para hidratação externa no painel traseiro
  • Bolso frontal em tecido elástico com fechamento para transporte de equipamentos extras
  • Stow-on-the-Go™ – sistema que permite retirada do bastão de caminhada sem tirar a mochila das costas
  • Bolsos para celular e pequenos objetos na barrigueira
  • Garantia vitalícia da Osprey para as mochilas

Site do fabricante: Osprey Brasil

A mochila Osprey Talon 44L foi pensada para pessoas que gostam de carregar pouco peso, é muito leve em comparação com outras mochilas, pesa um puco mais de 1kg apenas, sendo construída de maneira minimalista, ela é leve, robusta e muito confortável.

mochila Osprey Talon

Possui um ótimo espaço interno, nela conseguimos colocar todos os equipamentos para uma travessia de trekking de 1 dia, incluindo água, comida e maquina fotográfica DSLR.

Compartimentos e aberturas

A mochila conta com duas aberturas, sendo uma superior com grande abertura e uma inferior, que acomoda tranquilamente o saco de dormir.

Nas laterais a mochila Osprey Talon 44L apresenta uma fita de compressão em formato ziguezague, além disso conta com um grande bolso de cada lado, fabricado em tecido Mesh garantindo boa elasticidade para acomodar garrafas de água com capacidade de até 1 litro, vale mencionar também que estes bolsos contam com duas aberturas, uma na vertical e outra em um angulo de 45°, isso facilita muito na hora de pegar ou colocar a garrafa de água durante as trilhas.

Na parte dianteira da mochila conta com um grande bolso de tecido Mesh, ideal para colocar capa de chuva, anoraque ou qualquer outro equipamento que precise estar de fácil acesso.

mochila Osprey Talon

Também podemos ver na parte frontal da mochila presilhas e luppings (argola) para prender tanto os bastões de caminhada como piolet (piquetas de gelo). Além do mais a mochila também oferece fitas para prender algum acessório como isolante térmico ou barraca. Essas fital estão localizadas acima da abertura inferior (compartimento do saco de dormir).

mochila Osprey Talon

O capuz da mochila é telescópio isso possibilita carregar mais carga na mochila, pois podemos levantar ou abaixar o capuz conforme for a necessidade do usuário. o capuz conta com dois bolsos apenas, um grande na parte externa e um bolso telado um pouco menor na parte interna.

Estrutura e capacidade de carga

Seu sistema de suspensão, extremamente leve, possui uma estrutura periférica em alumínio que a torna muito confortável, mesmo com carga pesada.

Construído com espuma com ranhuras cortadas em malha, e área da lombar sem costuras, a mochila Osprey Talon 44L promove um melhor conforto e ventilação na região da barrigueira.

mochila Osprey Talon

E falando em carga, a estrutura da mochila Talon 44 litros da Osprey é otimizada para carregar até 18 quilos.

Barrigueira, alças e ajustes

A barrigueira também possui o sistema BioStrech molda-se de forma precisa a sua cintura, diferenciando homens de mulheres.

Na parte da barrigueira conta com dois amplos bolsos com fechamento em zíperes, onde podemos guardar alguns objetos como GPS, celular ou até barras de cereais.

As alças são construídas em espuma, anatômicas, curvadas e com regulagem de altura, inclui fita peitoral ajustável com apito embutido na presilha de fechamento, todo esse conjunto proporciona um ajuste ainda mais preciso aos usuários.

Ela possuí o sistema Stow-on-the-Go, que consiste em presilhas especiais que garantem a facilidade de acesso e de guarda dos bastões de caminhada, mesmo durante a caminhada, e sem a necessidade de retirar a mochila das costas.

mochila Osprey Talon

Acessórios da mochila

A mochila Osprey Talon 44L conta também com bolso específico para acomodar o reservatório de hidratação de até 3L (vendido separadamente), este fica localizado atrás do costado e pode ser preso através de uma pequena presilha na parte superior.

A mochila não possui capa de chuva (vendido separadamente) e nem compartimento específico para guarda-la.

Avaliação completa Osprey Talon 44 L

Já estamos avaliando esse modelo de mochila a cerca de 1 mês, usamos em atividades de trekking, hiking (caminhada) e escalada em diversos locais aqui no Rio Grande do Sul – Brasil.

O que podemos dizer sobre essa mochila é que nos agradou bastante, não apenas por ser uma das mochilas mais leves do mundo, mas por ser muito confortável, prática e resistente.

A mochila confere bastante espaço interno para acomodar os equipamentos, mesmo carregada com seus 18kg de carga conforme diz o fabricante, ela ainda continua proporcionando conforto, equilíbrio e muita praticidade ao usuário.

Acreditamos que essa mochila possui um excelente custo benefício, pois seu valor de venda gira em média a R$ 900,00 vendida aqui no Brasil, em relação aos seus concorrentes o valor está muito bom.

mochila Osprey Talon

Recomendamos você sempre investir em equipamentos de qualidade, quanto mais leves for seus equipamentos, melhor será seu desempenho na trilha!

Mas como nem tudo são flores nessa vida, encontrei um único ponto que pode ser melhorado pela marca: o que mais chama a atenção é o fato de não ter capa de chuva. Geralmente em boa parte das travessias de trekking pelo Brasil sempre nos deparamos com situações/climas adversos, não ter a capa de chuva pode ser um problema para quem está fazendo uma travessia ou qualquer outra atividade.

Tirando esse ponto, não encontramos mais detalhes na mochila, mas ainda faremos alguns testes com ela na Serra Fina, Serra dos Órgãos, Itatiaia e outras travessias no Brasil que vierem à surgir. Para assim poder passar um feedback melhor sobre a mochila Osprey Talon 44L.

Se você procura mochilas com capacidade maior, recomendamos ler nossa avaliação completa da mochila Atmos 50L AG.

Já avaliamos inúmeros produtos de aventuras, se quiser ler mais sobre eles, clique aqui!

Laranjeiras x Funil

Travessia Laranjeiras x Funil

A travessia Laranjeiras x Funil é uma aventura pela bordas dos cânions do estado de Santa Catarina, mais precisamente na cidade de Bom jardim da Serra.

A travessia de trekking foi realizada pela empresa Sol de Indiada, uma grande parceira a anos do Trekking RS, nessa edição fomos convidados a fotografar e relatar a experiencia.

A Sol de indiada tem como objetivo proporcionar a aventura para todos, pensando nisso cria travessia de trekking para todos os níveis, desde iniciantes nas aventuras como atletas de alto rendimento.

A travessia era composta por três pacotes diferentes:

  • Opção 1 – Estava incluso nesse pacote: apoio 4×4, alimentação (almoço/jantar), traslado, 2 guias, fotos do evento e a opção de você poder levar a sua mochila cargueira se quiser. (Ideal para iniciantes).
  • Opção 2 – Estava incluso no pacote: 2 guias, almoço e jantar, fotos do evento e traslado.
  • Opção 3 – Estava incluso no pacote: 2 guias e fotos do evento.
Laranjeiras x Funil

Já realizamos inúmeras travessia pelas bordas dos cânions entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, quem acompanha o nosso site sabe, mas essa travessia posso dizer que é uma das mais belas que já percorri pelos campos de altitude.

Primeiro dia

O primeiro dia da travessia Laranjeiras x Funil começou com o dia ensolarado, não havia uma nuvem se quer no céu, caminhar em dias ensolarados nos permite tirar fotos belas, mas o calor nos castigava durante o caminho.

A primeira impressão que temos sobre os campos de altitude é que ao olhar de longe, parece muito com um “campo de golfe”kkk. A vegetação presente nos dá uma falsa sensação que será fácil trilhar esses caminhos.

Na prática não é bem isso que acontece, pois em grande parte desses campos existe uma espécie de musgo conhecida como Turfas (a turfa é um material de origem vegetal, parcialmente decomposto, encontrado em camadas, geralmente em regiões pantanosas e também sob montanhas (turfa de altitude). É formada principalmente por Sphagnum (esfagno, grupo de musgos) e Hypnum, mas também de juncos, árvores etc).

Nesses casos vale muito a pena ter calçados impermeáveis e respiráveis e pré amaciados para que seus pés não sofram tanto ao passar por estes obstáculos. Veja os modelos que recomendamos!

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Esse primeiro dia de travessia Laranjeiras x Funil tinha aproximadamente 15 km, não foi algo tão complicado de se fazer, pois as vistas que tínhamos recompensava a cada passo dado.

O grupo formado para a travessia Laranjeiras x Funil era uma mistura de atletas, apreciadores da natureza e iniciantes, todos formavam uma grande família aventureira, pessoas com muitas histórias interessantes, trocávamos experiencias incríveis, como se já nos conhecêssemos a anos, nem parecia que estávamos no primeiro dia de trekking apenas.

Depois de muito caminhar e contemplar belezas incríveis, chegamos no nosso primeiro acampamento, uma fazenda no meio do nada, mas que tinha o necessário para que pudéssemos acampar com segurança.

A Parte da Organização responsável pelo Apoio na Cozinha e no Traslado de equipamentos que precisa seguir em veículos 4×4… já estava com a base montada e já preparando a comida para quem preferiu ter isso incluso. O local de acampamento, tinha opção de chuveiro quente, água potável e um galpão para apoio.

Para os aventureiros que não tinham contratado a opção mais completa, chegaram no acampamento, armaram as barracas e já começaram a fazer o jantar. Eu estava em meio à esse grupo, assim eu aproveitei em testar algumas receitas novas de comida, equipamentos no acampamento!

Depois de todos jantados era hora de curtir uma fogueira com a galera, estar em uma roda de amigos, junto ao local tão especial assim, faz a gente pensar o que realmente é uma “rede social”. Ficamos alí conversando e rindo, entre piadas e histórias, parávamos para observar o céu estrelado, de onde estávamos conseguíamos ver boa parte da Via Láctea. Aos poucos cada um foi se recolhendo para sua barracas e assim fomos todos dormir.

Segundo dia

O segundo dia da travessia Laranjeiras x Funil amanheceu tímido, a neblina ia desaparecendo conforme o sol ia subindo pelo horizonte, as barracas estavam tão molhadas que parecia que tinha chovido durante a noite. A manhãzinha estava um tanto fria por ainda estarmos no verão.

A galera levantou cheio de energias, era hora do café da manhã, desmontar acampamento e voltar a andar mais alguns quilômetros.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

O trekking desse segundo dia iria nos levar para o Cânion do Funil, um lugar de uma beleza natural intocada, o percurso não era difícil, mas tinha muitas “turfas pelo caminho, cruzadas de córregos e caminhadas por dentro de matas nebulares. O céu continuava azul, mas dessa vez com umas nuvens, eu prefiro particularmente prefiro dias assim, pois dão mais profundidade para as fotografias.

Lembro-me de caminhar pelas bordas e ver constantemente o nosso próximo acampamento, a cada passo dado as montanhas pareciam que ficavam maiores e mais verticais.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Próximo do meio dia paramos para almoçar junto a um pequeno córrego de água, onde continha um pequeno poço para banho. Para os mais destemidos, arriscaram um banho naquela água gelada, enquanto outros faziam seus lanches de trilha, enquanto conversavam entre si.

Nessa hora já estávamos bem perto no vértice do Cânion do Funil, aproximadamente trinta minutos de caminhada até chegar no local do acampamento.

O Cânion do Funil possui uma formação incrivelmente linda e diferente do que estamos acostumados. Com protuberantes picos em formato de funil invertido, que rompem o chão e atingem imponentes alturas, cobertos pela floresta densa. Lembra as montanhas de Tianzi, da China, cenário do filme Avatar.

Chegamos ao acampamento por volta de 15:00 da tarde, o dia estava belo, as nuvens começavam a se aglomerar, já mostrando que teríamos chuva no fim de tarde ou a noite.

Logo que cheguei já comecei a montar a barraca, e como de costume sempre procuro o lugar mais incrível para acomodar a minha casa de montanha (barraca), o local escolhido por mim era nada mais, nada menos do que uns 5 metros da borda.

Dois motivos me levaram a escolher esse local para montar a barraca, o primeiro deles era pela vista incrível que iria ter na manhã do dia seguinte, pois o sol iria nascer e dar de frente na porta da barraca, poder abrir a porta e ver aquela imensidão de montanhas. O segundo motivo era que eu precisa testar a nova barraca Naturehike Mongar 2 Ultralight.

Não recomendo que pessoas sem experiencia e sem uma barraca técnica apropriada monte a barraca na beirada de cânions, pois a noite o vento geralmente muda de direção e se você não estiver bem preparado, a sua noite pode ser catastrófica.

Depois de ter montado a casa de montanha era hora de se sentar naquele novo quintal e apenas apreciar à vista, aproveitei para fazer aquele café especial para assim curtir o visual com um pouco mais de conforto.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Aos poucos a neblina ia chegando de mansinho, ia impedindo aquela visão deslumbrante, era hora então de começar a cozinhar o jantar. A refeição escolhida era: Arroz, feijão e salame, logo que comecei a cozinhar já começou a pingar, logo percebi que a chuva iria ser longa e demorada, continuei cozinhando.

Como a barraca Mongar não tem muito espaço para cozinhar em seu avanço usei a barraca do guia da aventura, uma MSR Hubba Hubba NX com avanço que estava ao lado da minha, ali pude cozinhar de maneira tranquila, sem correr riscos de queimar a barraca e ainda abrigado da chuva.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Depois de jantar, recolhi todos objetos, guardei dentro do avanço da minha barraca e fui até onde estavam a galera toda reunida. A chuva não dava trégua, foi uma ótima oportunidade também para testar a nova Jaqueta Columbia Ex Eco Down Outdry Extreme, confeccionada em penas /plumas de pato e membrana impermeável. A jaqueta foi incrivelmente eficiente naquela situação, não passou uma gota de água para o interior e o suor gerado foi dissipado, deixando apenas uma sensação de conforto e calor.

Choveu por cerca de 4 à 5 horas interruptamente, a organização do evento montou um grande toldo perto dos carros 4×4, onde alí estavam todos os participantes, conversando, rindo e compartilhando experiencias.

Nessas horas vale muito ter equipamentos de qualidade, alumas pessoas do grupo com equipamentos mais simples, tiveram que se adaptar para conseguir dormir, mas com a ajuda da organização, não tiveram problemas maiores !

Lá por volta de 22:30 minutos a galera começou a se dissipar, cada um foi indo para a sua barraca e eu e o guia também começamos a ir para nossas barracas, pois estavam lá na borda do cânion.

Cheguei na barraca, verifiquei para ver se estava tudo tranquilo, e estava tudo em ordem! Nada de água no interior da barraca. Era hora de descansar para o dia seguinte.

Terceiro dia

Na manhã do terceiro dia da travessia Laranjeiras x Funil , acordei por volta de 5:45 da manhã, abri a porta da barraca e olhei para fora, havia uma grande camada de neblina e não enxergava nada. Voltei a dormir! Aproximadamente uns 40 min depois, abri a porta da barraca novamente e lá estava o sol subindo no horizonte e mandando embora aquela neblina espessa. Logo me aprontei, saí da barraca e comecei a fotografar, momento muito belo, o sol refletia nas rochas do cânion do Funil, quanto mais o sol brilhava, mais mudava as cores no horizonte, as montanhas começaram a ganhar um tom alaranjado, nem parecia que na noite passada havia chovido tanto.

Laranjeiras x Funil

Mas tem um ditado que diz “depois da tempestade, sempre virá um sol maravilhoso”. Estar ali e poder contemplar aquela beleza é algo que vale cada passo dado para se chegar até ali, sempre digo que precisamos enfrentar o frio, para desfrutar do calor, precisamos também ficar cerca de 5 horas na chuva, para assim poder olhar o amanhecer, o sol e aquela beleza toda com um olhar de “gratidão”. Sempre agradeço ao universo por me dar a oportunidade de ver e viver momento como aquele. Pois são estes momentos que vamos lembrar lá no final da nossa vida e não os dias que passamos atrás de uma mesa trabalhando no escritório.

Depois de capturar imagens de tudo que foi ângulo possível, tava na hora de fazer o café da manhã, desmontar a barraca, colocar tudo dentro da mochila e seguir em frente.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Nesse último dia da travessia Laranjeiras x Funil, estávamos todos muito animados para concluir a travessia, o dia estava belo, ventava um pouco, nossa caminhada seria de aproximadamente 3 horas até chegar ao ponto final que seria a Serra do Rio do Rastro, uma das estradas mais belas e desafiadoras do mundo.

A paisagem continuava linda, a cada passo dado fortalecíamos ainda mais nossos laços de amizades, afinal estávamos no terceiro dia juntos e todos tinham muita experiencia para compartilhar.

Assim são os amigos trilheiros, sempre com muitas histórias engraçadas, lições de vida que nos ensina a sermos pessoas melhores a cada dia que passa.

O terceiro dia, foi muito parecido com um passeio no parque, o terreno era fácil de caminhar, sem grandes subidas ou descidas.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Ao chegarmos na rodovia SC- 390 a sensação era de dever cumprido, todos estavam muito motivados, teve gente que de tão motivado que estava, começou a correr sem parar, com as mochilas cargueiras nas costas até chegar no restaurante Mensageiro da Montanha, localizado junto ao Mirante da Serra do Rio do Rastro.

Esse restaurante é maravilhoso, conta com uma infinidade de alimentos, para todos os tipos de gostos e paladares, recomendo ir nesse local, pois é possível se servir quantas vezes quiser e o valor é atrativo!

Depois de todos terem almoçado era hora de entrar na van e retornar para Caxias do Sul/RS. Durante o trajeto de retorno, conversamos muito sobre os pontos altos da travessia, o que cada um colheu de novas experiencias e os novos aprendizados obtidos.

Uma travessia de trekking sempre irá nos proporcionar muitas amizades legais, alguns eu já conhecia, mas outros se tornaram grandes amigos. Nada como uma boa viagem para conhecer as pessoas que estão com a gente. Estou aguardando a próxima para que todos possamos nos reencontrar!

Bota X Chase

Bota X Chase MID GTX Salomon

Hoje viemos através deste post falar um pouco sobre as primeiras impressão da Bota X Chase MID GTX da marca francesa Salomon.

A Bota X Chase MID GTX é destinada para travessias de trekking, hiking, corridas em trilhas e para usos no dia a dia, o modelo que estamos avaliando é masculino, é um calçado leve, com tecidos que garantem impermeabilidade e respirabilidade. É indicada para qualquer tipo de tereno ou condição climática.

Bota X Chase

Essa bota foi fabricada para garantir melhor conforto ao usuário, sua modelagem evita a entrada de folhas e barro em diversos tipos de terrenos.

Bota X Chase

Tecnologias

Quicklace : é um sistema de cadarço, construído inteiramente em kevlar de alta resistência. Ao puxar o sistema de fixação do cadarço, o ajuste acontece de forma uniforme e segura.

Bota X Chase

Ortholite:  Essa palmilha está presente na maioria dos calçados da marca Salamon, essa palmilha além de proporcionar conforto incrível, é composta de uma espuma específica e também EVA.

Contagrip: O solado é antiderrapante produzido pela Michelin (uma das maiores empresas de pneus do mundo), está presente na maioria dos calçados da Salamon.

Esse mesmo solado foi projetado com muitos compostos de borracha, pensando sempre na dureza, aderência e durabilidade, desenvolvido para os esportistas mais exigentes.

Bota X Chase

Chassi ACS Skeleton:  Essa tecnologia tem como principal função maximizar o controle de movimento, fazer a gestão de energia e impulso, tendo como resposta a segurança e estabilidade em todo seu percurso da atividade. O chassi esta localizado na parte interna da bota entre a sola e a entre sola.

Membrana Goretex: A Bota X Chase MID GTX conta com uma membrana impermeável e respirável na sua fabricação, trazendo um conforto ainda maior ao seu pé, possibilitando a circulação do ar, e mantendo seus pés secos ao fazer uma travessia de rio ou qualquer lugar que precise ser usada. Vale ressaltar que existe uma margem de impermeabilidade em centímetros medida da Sola da bota até a parte presa da língua.

Detalhes

Biqueira:  A Bota X Chase MID GTX contém uma biqueira com construção reforçada, pensada em proteger seus dedos. Caso aconteça algum acidente de você vir a chutar uma pedra ou até mesmo bater a ponta da bota sem querer, a biqueira possui uma boa estrutura que impede que seus dedos venham a se machucar.

Bota X Chase

Língua: A língua dessa bota é construída de maneira diferente do que geralmente conhecemos isto é, ela é costurada internamente, dessa forma protege seus pés contra impactos gerados em caminhadas em mata fechada, também impede a entrada de barro, areia ou alguma sujeira que venha por ventura entrar durante suas caminhadas ou corridas.

Vale mencionar também que na parte superior da língua, há um pequeno bolso para acomodar a sobra do cadarço.

Curiosidades

Um cuidado muito importante que você deve tomar na hora de comprar o seu primeiro Salomon, é adquirir um número maior que o seu habitual.

Pois quando estamos caminhando na natureza por inúmeros quilômetros, subindo e descendo morros, os pés tendem a inchar, caso você tenha comprado um tênis/bota do mesmo tamanho do seu usual você poderá ter problemas com bolhas e em casos mais graves vir a perder as unhas dos pés.

A Bota X Chase MID GTX masculina na numeração 45 pesa aproximadamente 860 gramas o par, isso a torna uma das botas mais leves do mundo.

Valor: R$1.100,00 – Este valor pode variar de acordo com a variação do Dólar.

Onde Comprar

Esse modelo de bota pode ser encontrada na loja parceira Patos do Sul, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil. Por você ser nosso leitor, você tem descontos especial falando diretamente com a proprietária Helen pelo contato (54) 9 9976-2073.

Curtlo BR

Conclusão

Ainda estamos realizando alguns testes com a Bota X Chase MID GTX, mas já nos primeiros dias usando o modelo já nos agradou imensamente.

Dentro de alguns meses iremos finalizar a avaliação colocando em foco todos pontos positivos e negativos, para maior confiabilidade nos testes, realizaremos uma travessia de trekking pelas bordas dos Cânions Laranjeiras e Funil em Santa Catarina.

Se você gostou das nossas primeiras impressões da Bota X Chase MID GTX, deixe um comentário logo abaixo.

Caso você queira ver qualquer outro produto já avaliado por nossa equipe, clique aqui!

Comparativo de Barracas Naturehike

Hoje venho apresentar um comparativo detalhado entre as barracas Star River 2 X Mongar Ultralight 2 da marca Naturehike.

Aqui no nosso site já escrevemos sobre os dois modelos em destaque, caso você tenha alguma dúvida na hora de escolher entre um modelo ou outro, esse comparativo irá lhe ajudar.

Barraca Star River Ultralight 2

  • Dimensões:
  • Externa: 2,15 x 2,61 metros
  • Interna (quarto): 1,31 x 1,10 x 2,15 metros
  • Embalagem: 45 x 15 cm
  • Avanço: 65 cm
  • Janela: 1
  • Varetas: Alumínio 7001
  • Sobre teto e quarto: Nylon 210 T
  • Piso: Polyester oxford 150 D
  • Capacidade Coluna D’água: 3000 mm
  • Impressão de Pé – 120 g
  • Cordeletes e Varetas – 200 g
  • Máximo (Barraca, sobreteto, Varetas, Espeques, Cordeletes e FootPrint) – aprox. 2.373 kg

Barraca Mongar Ultralight 2

  • Capacidade: 2 pessoas
  • Peso aproximado com footprint: 2.020 g
  • Barraca: 1.700 g
  • Espeques e cordeletes: 200 g
  • Footprint: 120 g
  • Dimensões: 210 x 135 x 100 C x L x A
  • Avance: 60 cm x 2
  • Janelas: 2
  • Pack: 50 x 15 cm
  • Coluna d’água piso: 4.000mm
  • Coluna d´água teto: 4.000mm
  • Varetas: Alumínio 7001
  • Sobreteto e quarto: Nylon 20D

Opinião

Nossa

Barraca Star River Ultralight 2

Pontos positivos

  • Tecido Nylon 210 T
  • Coluna de água 3.000 mm
  • Costuras seladas eletronicamente
  • Engates de rápido ajuste
  • Estabilizadores laterais
  • Amplo espaço interno para duas pessoas
  • Duas portas grandes com abertura em “U”
  • É possível sentar na barraca sem encostar a cabeça no teto
  • Suporte para lanterna
  • Varetas em alumínio 7001
  • Espeques em alumínio
  • independente
  • Possui footprint (piso extra)
  • É possível comprar no Brasil
  • Amplo avanços laterais

Barraca Mongar Ultralight 2

Pontos positivos

  • Tecido Nylon 20 D
  • Coluna de água 4.000 mm
  • Costuras seladas eletronicamente
  • Presilhas em alumínio para maior durabilidade
  • Estabilizadores laterais
  • Possui presilha/ilhós para prender nas pontas da vareta central
  • Amplo espaço interno para duas pessoas
  • É possível sentar na barraca sem encostar a cabeça no teto
  • Suporte para lanterna
  • 3 porta objetos amplos
  • Varetas em alumínio 7001
  • Espeques em alumínio
  • independente
  • Possui footprint (piso extra)
  • É possível adicionar avanço extra (vendido separadamente)

Pontos Negativos

  • Não possui presilha/ilhós para prender nas pontas da vareta central
  • As pontas das varetas não são roscadas nas varetas
  • Não é possível adicionar avanços extras
  • Bolsos internos pequenos
  • Peso 2.373 kg (completa)
  • Valor R$ 1.379,00

 

Pontos Negativos

  • As pontas da vareta não são roscadas nas varetas
  • Não pode ser comprada no Brasil (importação oficial)
  • Portas pequenas com abertura em “D”
  • Peso 2.020 kg (completa)
  • Valor R$ 1.499,00

Diferenças na montagem

A barraca Star River Ultralight 2 pode ser montada de duas formas apenas, sendo a primeira com sobre teto e footprint (piso extra – vendido separadamente) e a segunda de maneira completa.

A barraca Mongar Ultralight 2 pode ser montada de três formas, sendo a primeira apenas com o sobre teto, a segunda com sobre teto e footprint  (piso extra – vendido separadamente) e a terceira de maneira completa.

Assista o vídeo completo de montagem dos dois modelos de barraca

Abaixo você pode conferir uma galeria com as melhores fotos capturadas por nossas lentes, mostrando alguns detalhes interessantes de cada modelo em diferentes locais.

Conclusão

O comparativo tem como principal função ajudar você na escolha da sua próxima casa de montanha, mas isso dependerá de você escolher qual dessas duas barracas é melhor para a atividade que você vai realizar.

A Mongar tem 373 gramas a menos, mas nem por isso o modelo Star River pode ser considerada ruim, pois a uma grande diferença de materiais entre elas e medidas.

O que podemos dizer sobre os dois modelos comparados é que a barraca Star River Ultralight 2 é mais adequada para climas frios e a Mongar Ultralight 2 para climas quentes.

Ainda estamos avaliando os dois modelos, no feriado de carnaval levaremos as duas barracas para uma travessia de trekking de três dias pela borda dos cânions Laranjeiras e Funil no estado de Santa Catarina/Brasil, lá poderemos analisar e comprovar todas as suas características de aerodinâmica, impermeabilidade, qualidade dos materiais e muitos outros aspectos.

Se você gostou desse comparativo, deixe um comentário logo abaixo! Caso você queira ver outros comparativos iguais a estes, compartilhe com a gente os produtos que você gostaria de ver aqui no site.

Panela Alpha Pot Sea To Summit

Hoje venho apresentar a panela Alpha Pot da marca Australiana Sea to Summit, uma das mais leves e duráveis do mercado nacional.

A linha Alpha Pot é composta por quatro tamanhos diferentes sendo: 1.2 L, 1.9 L, 2.7 L, 3.7 L. o modelo tem tudo que uma boa panela de camping tem que ter, ela é robusta e ao mesmo tempo leve, muito fácil de usar e de lavar.

Fonte: Sea To Summit

Conta com escala graduada na parte interna e externa, cabo giratório com trava de segurança e tampa com orifícios para escorrer macarrão.

Panela Alpha Pot Sea To Summit
Panela Alpha Pot Sea To Summit

Nós estamos avaliando o modelo Apha Pot 1.9 L há cerca de 5 meses, desde o começo dos nossos testes a panela Sea To Summit, mostrou-se muito boa em todos os aspectos.

Cozinhamos com ela macarrão, fritamos ovos, bifes e ainda fizemos muitas vezes strogonoff, é uma panela que atendeu as nossas expectativas. Recomendamos!

A capacidade de 1.9 L é ideal para cozinhar para 2/3 pessoas, acima disso recomendamos uma maior.

Detalhes dos modelos Alpha Pot

A panela Alpha Pot possui cabo de silicone que garante melhor acabamento e segurança ao manusear a panela enquanto você cozinha. Vale mencionar que essa panela conta ainda com um sistema de segurança no cabo chamado de Pivot-Lock ™ , essa inovadora tecnologia permite que o usuário possa cozinhar sem medo de por ventura o cabo se soltar da panela ou dobrar durante o cozimento dos alimentos. Veja no vídeo abaixo:


Panela Alpha Pot pode ser integrada a outros Kit’s da Sea to Summit, como o Delta Light CampSet 4.4 ou Alpha Set 2.1, otimizando ainda mais seu jogo de cozinha, possibilitando o uso por mais números de pessoas, sendo ideal para expedições.

Todos os produtos Sea to Summit você encontra na loja parceira Patos do Sul, localizada em Caxias do Sul/RS.

Por você ser nosso leitor, garantimos um desconto especial em todos os produtos de camping que forem adquiridos na loja Patos do Sul.

Confira outras avaliações de equipamentos outdoor aqui em nosso site, já avaliamos inúmeros produtos, como: barracas, sacos de dormir, fogareiros, roupas, mochilas e outros.

Review – Bastões de Caminhada Actos da AZTEQ!

Os bastões de caminhada Actos se bem utilizados, podem ser equipamentos com grande utilidade no Trail Running. No entanto, muita gente tem preconceito e acham que são peças inúteis.

bastões de caminhada Actos
Bastões de caminhada Actos – Azteq/Créditos: Clic Run

Sou adepta ao uso dos bastões de caminhada Actos desde o início do ano passado, quando comprei um par da marca AZTEQ, na Loja Patos do Sul. No entanto eu mesma confesso que antes disso achava uma frescura a utilização dos mesmos, mas comecei a mudar de ideia depois de ter uma experiência na Maratona do Vinho e observar de perto diversos corredores utilizarem este simples, porém revolucionário equipamento.

Amigos corredores me questionam, sobre quais são as vantagens de utilizar os bastões, durante o trail running. São muitas eu diria, mas as principais consistem em:

  • Proporcionar melhor equilíbrio e rendimento durante a corrida;
  • Diminuir (e muito) o esforço nas subidas, transferindo parte dele para os seus ombros, costas e braços. Reduzindo consideravelmente o stress nos joelhos e outras articulações;
  • Verificar a estabilidade do terreno antes de prosseguir e também para averiguar a presença de cobras ou outros animais, dependendo do local onde esteja correndo;
  • Auxiliar na travessia de cursos d’água.

Mas, para isso é preciso saber como usar o bastão! Não adianta em nada ter o equipamento e não saber usá-lo. Vejo muitas vezes as pessoas apenas os conduzindo, sem se apoiar de fato neles. Desta forma, ao invés do bastão melhorar o rendimento, ele apenas gera mais cansaço.

A primeira coisa a se fazer é saber como regular o bastão à sua altura. Ao contrário como pensam alguns, bastões não tem tamanho P, M e G; eles têm tamanho universal e servem para pessoas de todas as estaturas. É necessário, no entanto saber regular ele quanto a sua altura.

Para isso, existem algumas regras:

Primeira – os bastões devem ser da altura do alto da palma da mão, quando o braço está ao lado do corpo, com o antebraço estendido à sua frente e o cotovelo sendo mantido a 90 graus.

Segunda – existe, ainda, uma forma matemática e mais precisa de definir a altura do bastão. Obtenha sua altura em centímetros (cm). Agora, coloque sua altura em centímetros na seguinte fórmula:

ALTURA EM CM x 0,68

Exemplo: 167 cm x 0,68 = 113,56 ou 114 cm, como normalmente as marcações dos bastões são de 5 em 5 cm, deve-se ajustar pra o 5 ou 0 mais próximo, neste caso, 115 cm. O resultado será em centímetros a altura ideal do seu bastão.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Se você tem os bastões, eles deverão servir como pontos de apoio como são suas pernas. Desta forma, você sempre tem mais locais para se apoiar e assim distribuir o peso do corpo. Para usá-los mais eficientemente como pontos de apoio, você deverá usar os bastões antecipando sua movimentação, ou seja, primeiramente mova os bastões e só depois suas pernas.

Agora que vocês já sabem os benefícios de usar os bastões e como usá-los corretamente, apresento os Bastões de caminhada Actos da AZTEQ.

Inovador, o ACTOS é para aqueles que precisam de um bastão de alta durabilidade e de fácil utilização paras as suas aventuras. Ele é leve (320 gramas) e resistente; produzido em duralumínio, com partes e peças em plástico ABS, ponteira em aço e empunhadura de TPR.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Permite ajuste de altura, variando de 1,05 m até 1,35 m com ele montado, desmontado não passa dos 30 cm. Seu grande diferencial é o sistema com cabo de aço interno, que auxilia na rápida montagem.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Formado por 4 estágios, com sistema de trava rápido e marcação em centímetros para regular a altura no quarto estágio. Além disso o modelo é acompanhado por uma pequena cinta de velcro que ajuda no armazenamento e alça para o punho.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Para os novatos com bastões de caminhada Actos, vale lembrar que a fita de punho é mais importante do que a empunhadura em si. Se você segurar a empunhadura com força, o pulso ficará sobrecarregado “travando” os músculos do braço. Por isso, a força deve ser compensada entre o grip e a fita de punho.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

A melhor forma de segurar a fita de punho é encaixando-a no V da mão (por trás do polegar, passando pela costas e palma). É importante também, ajustar a altura da fita de forma a deixar as mãos na mesma direção (altura) da empunhadura.

Devemos ter o entendimento de que os bastões não vão nos tornar mais rápidos, mas sim, mais seguros e equilibrados, além de amenizar os impactos nas articulações e nos grupos musculares envolvidos diretamente na corrida.

Dica extra: apesar do bastão ser vendido de forma unitária, o ideal é o uso do par. Desta forma você fica ” 4 x 4″ e divide o peso de forma adequada.

Tudo sobre os bastões de caminhada

Existem vários estudos que demonstram que o esforço da caminhada usando bastões é mais repartido entre os diversos membros bem como pelo resto do corpo, sendo um fator importante na redução de cargas de força exercida sobre a coluna vertebral, nas costas e sobretudo nos joelhos. É sobretudo nas zonas de maior declive que a sua influência se faz sentir como fator de potencial equilíbrio do corpo e nos movimentos e da distribuição corporal do esforço. Em pisos mais irregulares ou com neve e gelo facilitam o equilíbrio e a progressão. Também contribuem para a manutenção de uma postura mais correta, contribuindo num ciclo respiratório mais intenso e ativação da circulação sanguínea.. Leia mais!

Barraca Naturehike Star River 2

Barraca Naturehike Star River 2

Hoje vamos apresentar as primeiras impressões sobre a barraca Star River 2 da marca chinesa Naturehike, a barraca é desenvolvida para atender diversos públicos do mundo outdoor como praticantes de montanhismo, escalada, trekking e cicloturismo.

Obtivemos a barraca Star River 2 através da loja parceira Patos do Sul, vale ressaltar que todos os produtos da Naturehike são importados oficialmente pela loja Alta Montanha diretamente da China.

Primeiras impressões

A barraca possuí um design diferente das conhecidas aqui no Brasil, por outro lado, são muito parecidas com as barracas das marcas MSR e Big Agnes fabricadas nos Estados Unidos.

A Star River 2 acomoda tranquilamente 2 pessoas mais duas mochilas cargueiras de tamanho médio em seu quarto, possui duas portas com formato em “U” e um avanço de aproximadamente 65 cm para cada lado. Em situações de emergência é possível dormir em até 3 pessoas dentro da barraca.

Barraca Naturehike Star River 2

A vareta é construída de maneira inteligente e interligadas em três partes, confeccionada em alumínio 7001, dessa maneira garante maior agilidade na hora de montar ou desmontar a barraca.

Barraca Naturehike Star River 2

Um detalhe interessante sobre esse modelo de barraca é que acompanha o Foot Print, este nada mais é que um segundo piso para a barraca, pode ser usado para proteger o chão da barraca em solo pedregoso.

Características conforme fabricante

  • Dimensões:
    • Externa: 2,15 x 2,61 metros
    • Interna (quarto): 1,31 x 1,10 x 2,15 metros
    • Pacote: 45 x 15 cm
    • Avanço: 65 cm
  • Varetas: Alumínio 7001
  • Sobreteto e quarto: Nylon 210T
  • Piso: Polyester oxford 150D
  • Capacidade Coluna D’água: 3000mm
  • Peso: 
    • Foot Print – 0.120 kg
    • Cordeletes e Varetas – 0.200 kg
    • Máximo (Barraca, Sobreteto, Varetas, Espeques, Cordeletes e FootPrint) – aprox. 2.373 kg
  • Capacidade: 2 pessoas
  • Valor aproximado: R$ 1.349,90

Acima você notou que a barraca Star River 2 não é uma das barracas mais leves do mercado nacional, pesando mais de 2kg não pode ser considerada ultralight, no entanto ela tem esse peso para poder aguentar mais em situações adversas como rajadas de vento ou grandes volumes de chuva.

Barraca Naturehike Star River 2

Como montar a barraca

A grande maioria das barracas vendidas nacionalmente são montadas por completas, sendo armadas com dormitório e sobre teto, no entanto a Star River 2 tem um diferencial importante, à duas maneiras para se montar a barraca, conforme for a necessidade do usuário.

O modelo conta com clipes e fivelas nos quatro lados da barraca, isso garante maior agilidade na hora de montar e desmontar.

Montagem 1

Caso a sua necessidade seja ter apenas um abrigo para chuvas ou uma tenda de verão, essa primeira maneira irá lhe encantar.

Barraca Naturehike Star River 2

Montagem 2

Nessa tipo de montagem você irá monta-lá por completa, isto é, usando o Footprint (piso extra) + Dormitório e Sobre-teto.

Barraca Naturehike Star River 2

Para facilitar ainda mais a montagem da barraca, a marca Naturehike preocupou-se de identificar a vareta com duas cores específicas, sendo azul para o lado onde fica a cabeça do usuário e cinza onde fica os pés.

Barraca Naturehike Star River 2
Barraca Naturehike Star River 2

Um dos pontos negativos que observamos durante a montagem, é o fato de o sobre teto não possuir local especifico para acomodar as pontas da vareta central isto é, as pontas da vareta ficam totalmente encostadas no sobre teto (quando montado somente com footprint e sobre teto). Notamos também que a Naturehike reforçou o local onde as pontas da vareta ficam apoiadas, sugerimos para que nos próximos modelos a marca repense melhor a construção dessa barraca.

Detalhes

Para facilitar a montagem do quarto, a Star River conta com presilhas de acrílico que prendem na vareta da barraca, tornando mais rápida e fácil a montagem/desmontagem, possui 3 porta objetos sendo um em cada lado e outro na parte superior. O quarto também conta com gancho para prender a lanterna, localizado no centro da barraca.

Possui zíperes duplos nas duas portas, isso facilita a abertura tanto internamente como externamente, Vale mencionar também que os zíperes possuem lapelas isto é, facilitam o manuseio com luvas.

A barraca conta com uma ampla janela, que possibilita a circulação do ar no interior do dormitório. Ainda estamos realizando testes para comprovar a circulação do ar dentro do quarto, aconselhamos a marca desenvolver para a próxima geração do modelo Star River 2 uma segunda janela de ar, pois acreditamos que em situações adversas de clima o modelo atual pode vir há condensar.

Em breve faremos a avaliação completa da barraca, explicando e mostrando todos os detalhes desse modelo, siga-nos no Youtube para acompanhar todas as novidades sobre equipamentos outdoor.

Se você gostou das nossas primeiras impressões da barraca Star River 2, deixe um comentário logo abaixo. Veja também outras avaliações da marca Naturehike clicando aqui.

Caso você tenha interesse em adquirir esse modelo de barraca, podemos lhe ajudar! A loja Patos do Sul é nossa parceira e sempre nos atendem muito bem, para você que é nosso leitor, tem descontos especiais na compra dessa barraca, entre em contato diretamente com a proprietária da loja, pelo conato (54) 99976-2073, falar com Helen.

Inauguração do espaço CURTLO BR na Loja Patos do Sul!

Quem acompanha meus textos aqui pelo site, sabe que na maioria deles cito a Patos do Sul e a CURTLO BR, como referências de lojas de artigos e vestuário para a prática de esportes outdoor.

Curtlo BR

A CURTLO BR atualmente é detentora de um portfólio de, aproximadamente, 230 itens, sem contar as variações de cores e tamanhos. São produtos que variam de bolsa de selim, até mochila cargueira, passando pelo desenvolvimento de peças técnicas de vestuário que privilegiam bikers, montanhistas e amantes das atividades ao ar livre. Se a CURTLO é hoje uma das principais marcas do mercado outdoor no Brasil, foi graças ao espírito empreendedor e a insistência de Fernando, aliado ao apoio e dedicação incondicional de Verônica, sua parceira nos negócios e na vida. Como o próprio fundador da CURTLO disse, nós não viemos para o mercado outdoor, nós sempre estivemos nele!

Acesse o site da marca e conheça seus inúmeros produtos.

Curtlo BR

A PATOS DO SUL, está no mercado à cerca de 9 anos e surgiu através de uma viagem que o casal Helen e Darci (in memoriam) fizeram para a Patagônia (seria um mês de viagem). Para economizar com ligações, o casal teve a ideia de criar um blog, na hora de escolher o nome, veio à tona uma brincadeira que faziam, quando entravam na Land Rover, na sexta à tardinha. O Darci pedia à Helen “Pra onde os patos vão voar?”, numa referência aos Duck Tales – Caçadores de Aventuras. Era uma brincadeira entre o casal, aí o blog virou Patos do Sul! 

Após algum tempo, já com a lojinha de aventura acabando de nascer, Helen e Darci foram num evento de Mountain Bike e levaram um gazebo e alguns produtos para vender. Como etiquetas, usaram uns cartões bem artesanais do blog.”Depois quando chegávamos a outros eventos, o pessoal dizia: ‘Os Patos do Sul estão ali!’ ou ‘Tem lojinha dos Patos do Sul!’ e, por uma inercia ou simpatia – pelo nome, acabou pegando!” relembra a proprietária Helen Hertzog.

Os primeiros produtos comercializados na loja Patos do Sul foram roupas de ciclismo e segundas pele da Curtlo.

No último sábado (dia 08) a Patos do Sul, inaugurou o espaço Curtlo em suas dependências. O ambiente conta com diversas peças de vestuário para ciclistas, corredores e aventureiros no geral; itens de lançamento como a calça-bermuda trail EC50+; além de dezenas de mochilas de hidratação, mochilas cargueiras e a clássica bolsa de selim – primeiro produto criado pela Curtlo à cerca de 25 anos atrás.

Curtlo BR
Créditos: Lucas Ferreira (Da esquerda para a direita: Helen Hertzog – Proprietária da Patos do Sul, Eu, Daycce Gonsalves, e equipe de vendas da Patos do Sul).

Vale lembrar que desde o início, Funcionalidade, Ergonomia e Durabilidade formam o tripé que move a marca. Sempre incentivando as pessoas a experimentarem algo diferente, utilizando um equipamento de qualidade.

O evento reuniu diversos aventureiros de Caxias do Sul e região, além do pessoal do Trekking RS e galera da Sol de Indiada – que presenteou os participantes com um belíssima caminhada (Trilha dos Dinossauros), no interior de Caxias do Sul.

Curtlo BR
Créditos: Elio Abe
Curtlo BR
Créditos: Luís Henrique Fritsch
Curtlo BR
Créditos: Luís Henrique Fritsch

Veja todas as fotos desse belíssimo evento acessando o álbum do Flickr.

Finalizando deixo o meu grande agradecimento à:

CURTLO BR por ter me dado a honra de representá-los aqui no Rio Grande do Sul, e por poder fazer parte do #TeamCurtlo ao lado de grandes atletas/amigos.

PATOS DO SUL por todo o apoio desde o tempo em que começei a competir nas corridas de aventura até os dias atuais. Darci e a querida Helen sempre me incentivaram a ser exatamente quem eu sou, fazer o que me faz feliz e não ter medo de sonhar.

“Nossa inspiração define aquilo que temos de mais nuclear. Ela emerge das crenças e dos propósitos essenciais, que norteiam as tomadas de decisões e proporcionam uma atitude diferente em relação à vida! Nossa inspiração traduz nossa visão de mundo, define nosso jeito de ser e influência a forma como construímos e cultivamos nossos relacionamentos.” – CURTLO BR