Morro do Campestre

Para quem aprecia subir morros, uma ótima opção em Urubici é o Morro do Campestre, também conhecido pelos residentes locais como Morro da Cruz. Fica distante 8 quilômetros do centro da cidade, percorrendo-se a maior parte do trajeto por estrada de terra.

O Morro do Campestre fica em propriedade particular, com cobrança do valor de R$5,00 por pessoa. É permitida a entrada com o veículo, porém a estrada de acesso ao morro é íngreme e com pedras soltas, mais indicada para veículos 4×4, porém nosso Palio subiu sem problemas.

A subida tem 1200 metros, dos quais percorremos grande parte de carro até determinado ponto, onde há local para estacionar o veículo. Dali em diante a estrada   torna-se mais esburacada, motivo pelo qual seguimos a pé, mas a subida não é difícil, e ao chegar no topo o visual recompensa, pois é encantador.

O Morro do Campestre situa-se a 1380 metros de altura, onde se encontra uma formação rochosa de arenito, de rara beleza. Há uma pedra furada, porém não se trata da mesma do cartão-postal da cidade, a qual se localiza no Morro da Igreja.

Morro do Campestre

No topo do morro pode-se percorrer pelo local, o que proporciona ao visitante uma bela vista do Vale do Rio Canoas, com suas belezas naturais, desde os campos verdes até o traçado do rio. Tem-se aqui uma vista panorâmica.

Aperte o play e confira as belas imagens aéreas:

Ainda, é possível subir até o topo da formação rochosa, escalando pelas pedras por cerca de 1,5 metros, o que deve ser feito com cuidado, pois um escorregão poderá causar algum acidente. No entanto, isso não é indicado para pessoas que tenham fobia a altura, pois se percorre por um trecho estreito na parte mais alta das pedras.

Por ser um dos pontos mais altos da cidade, o local foi indicado para se apreciar o pôr do sol, o que no dia da nossa visita não foi possível por estar tempo nublado, mas nem por isso a vista deixou de ser espetacular.

Morro do Campestre

Morro do Campestre

Morro do Campestre

Quem resolver visitar o local em dias frios deve ir bem agasalhado, com roupas corta-vento, gorro e luvas, pois venta muito no lugar, o que diminui a sensação térmica.

Se você gosta de lugares altos, com vista incrível, não poderá deixar de conhecer o Morro do Campestre, que, com certeza, é um lugar de beleza singular.

A cidade de Urubici/SC – Brasil, possui inúmeros outros atrativos naturais, alguns deles você encontra aqui em nosso site. Acesse!

Nos caminhos da Cachoeira da Neve

No dia 21 de novembro fomos conhecer a Cachoeira da Neve e a Cachoeira das Araucárias, que ficam distantes cerca de 4 quilômetros do centro da cidade de Urubici/SC. As Cachoeiras ficam no Sítio do Arroio do Engenho, propriedade do Sr. Hélio. O acesso é por estrada de terra e não tem sinalização indicando o nome das Cachoeiras.

Ao chegar no sítio fomos recebidos pelo proprietário que nos explicou sobre as trilhas e nos ofereceu água da fonte para enchermos nossas garrafas. A propriedade é administrada pelo Sr. Hélio e seu filho, que atualmente contam com a ajuda de um funcionário.

Para ter acesso às trilhas é cobrado o valor de R$10,00 por pessoa. No local há estrutura de camping, com banheiros e chuveiros. Caso queira acampar dentro do sítio é cobrado o valor de R$30,00 por pessoa. Também há uma cabana disponível para locação.

Na parte superior do camping inicia a Trilha do Bugio que leva até a Cachoeira da Neve, com extensão de cerca de 700 metros. A trilha é de nível fácil, bem demarcada e de beleza exuberante. Em dias de chuva será necessário um pouco de cuidado, pois as pedras podem ficar escorregadias.

Cachoeira da Neve
Trilha da Cachoeira da Neve
Cachoeira da Neve
Belezas naturais na trilha da Cachoeira da Neve
Cachoeira da Neve
Belezas naturais na trilha da Cachoeira da Neve

A preservação ambiental do local é visível em todos os aspectos. Durante todo o trajeto é possível apreciar uma flora diversificada, principalmente xaxins. Existem xaxins gigantescos que devem ter várias décadas, destacando-se um xaxim centenário.

Cachoeira da Neve
Belezas naturais na trilha da Cachoeira da Neve
Cachoeira da Neve
Xaxim centenário

Em alguns pontos da trilha é necessário fazer travessias por pontes feitas de madeira, o que nos permite apreciar o local de outro ângulo.

Cachoeira da Neve
Belezas naturais na trilha da Cachoeira da Neve

Após algum tempo de caminhada pela trilha, apreciando o belo local, chegamos à Cachoeira da Neve, que no dia estava com pouca água por ter chovido pouco nos últimos dias. O fato de não ter água em abundância não tira a beleza deste local.

A Cachoeira da Neve tem 85 metros de altura e recebeu esse nome porque enquanto a água cai e é dispersada pelo vento, ela desse como gotículas de água, que em baixas temperaturas, congelam e caem como neve. Como as temperaturas em novembro são altas, infelizmente, não foi possível apreciar esse fenômeno.

Cachoeira da Neve
Na base da Cachoeira da Neve
Cachoeira da Neve
Cachoeira da Neve por outros ângulos

Quem optar por seguir o passeio pode fazer a Trilha do Quati, esta segue adiante da Cachoeira da Neve e leva até a Cascata das Araucárias. Essa trilha não é tão demarcada, havendo necessidade de se passar por pedras, mas nada muito difícil. São só 135 metros até se chegar à Cachoeira das Araucárias, que faz jus ao nome, pois no seu topo existem duas lindas araucárias.

Cachoeira da Neve
Cachoeira das Araucárias

Urubici é uma cidade serrana do estado de Santa Catarina, possui inúmeras cascatas e cachoeiras, porém nem todas são acessíveis ao público, porque estão localizadas dentro de propriedades particulares.

Quem visitar Urubici, e que goste de fazer trilhas e apreciar a natureza, não se arrependerá de incluir no seu roteiro a visita ao Sítio do Arroio do Engenho.

Lagoinha do Leste

Os turistas a consideram a mais bonita da Ilha, os moradores do Sul da Ilha garantem que ela é a mais misteriosa de Florianópolis, os ecologistas a defendem como se fosse a última praia do mundo, descubra a Lagoinha do Leste.

Seja qual for a opinião sobre a Lagoinha do Leste, ela é única. A praia ainda preserva as características de quando os primeiros imigrantes aportaram nestas terras. A Lagoinha, como é carinhosamente chamada pelos ilhéus, impressiona seus visitantes com sua beleza, seu ar selvagem e seus mistérios.

Lagoinha do Leste

Praia de mar aberto e águas cristalinas localizada no Sul da Ilha, a Lagoinha fica espremida entre dois costões que entram no oceano, formando quase uma pequena enseada de pouco mais que um quilômetro. Atrás, uma vasta Mata Atlântica garante a sensação de se estar voltando no tempo. A praia tem a companhia de uma lagoa, que dá nome ao lugar, próxima ao costão esquerdo. De águas quentes e escuras, a lagoa se esconde atrás da restinga, tendo origem num rio que nasce no morro.

Lagoinha do Leste

Mesmo isolada – só se chega a pé ou de barco -, a Lagoinha recebe muitos visitantes no verão. Eles percorrem a trilha secular e usam a praia para nadar, mergulhar e surfar. Como os grandes balneários da Ilha, a Lagoinha do Leste já sente os primeiros efeitos da exploração.

A praia é perfeita para acampar, já que, além da beleza, ainda conta com uma boa infraestrutura. Ou seja, tem bastante sombra e água potável, junto ao costão direito. O único problema, diz a lenda, são as bruxas que volta e meia a utilizam para seus rituais.

Lagoinha do Leste

Lagoinha do Leste

Lagoinha do Leste

Conheça a trilha que leva para a Lagoinha do Leste

A melhor maneira de se chegar à Lagoinha do Leste é pela Praia do Matadeiro, voltando pelo Pântano do Sul. Assim, enfrenta-se o trecho mais pesado primeiro, deixando para a volta, quando se está inevitavelmente mais cansado, o Morro do Pântano do Sul. Como em toda trilha extensa, é bom começar a caminhada na parte da manhã, pois sobra mais tempo para aproveitar a paisagem e a praia.

Lagoinha do Leste

A partir do costão direito da Praia do Matadeiro acaba a areia e surge a trilha. Os primeiros 30 minutos de caminhada são os mais difíceis e cansativos. É preciso fazer subidas íngremes e, em alguns pontos, o mato é um pouco fechado. No meio do caminho há água, um córrego corta a trilha e oferece água fresca e sombra. Depois deste trecho, o caminho é tranqüilo, sem subidas e de uma beleza incrível, revelando a cada momento uma nova e fascinante paisagem. Durante uma hora e meia a trilha margeia os costões, passando pela Ponta do Quebra-Remo, Ponta do Facão e Ponta da Lagoinha.

Na Ponta do Facão, um rochedo de mais de 15 metros guarda uma pequena caverna banhada pelas águas. Para chegar até lá é preciso um pouco de coragem, já que você terá que descer pela encosta até o mar. Ultrapassando a Ponta da Lagoinha, chega-se à praia.

Lagoinha do Leste

A volta se dá pelo costão direito, subindo a trilha que sai no Pântano do Sul. Ela é mais fácil e mais rápida que a do Matadeiro, porém não é tão atraente. São cerca de 50 minutos de caminhada para subir e descer o morro que separa a praia do Pântano do Sul. A subida é íngreme, mas a trilha é aberta e não oferece nenhum obstáculo. Na maior parte do tempo as árvores oferecem uma boa sombra.

O momento mais bonito é quando se avista a praia do alto do morro.

Lagoinha do Leste

Mapa das trilhas que levam a lagoinha do leste

Lagoinha do Leste

Informações importantes:

  • Nível de dificuldade: moderado;
  • Atrativos: lagoa, vista panorâmica, praia, fonte d’água, Mata Atlântica;
  • Tempo: 2 ele 50 min;
  • Início: Costão direito da Praia do Matadeiro;
  • Fim: Pântano do Sul, na rua Manoel Pedro de Oliveira;
  • Principal dificuldade: Extensa, subida íngreme;
  • Como chegar: Seguir em frente, a partir do costão direito da Praia do Matadeiro.