Riozinho um pequeno paraíso natural

Riozinho é uma cidade localizada a 133 quilômetros da capital Porto Alegre, Rio Grande do Sul – Brasil. Colonizada no ano de 1875 por cerca de 200 famílias de imigrantes húngaros, poloneses, prussianos e suecos, as quais acolheram, mais tarde, a vinda de famílias de origem alemã e italiana. O nome do lugar se deu por existir um pequeno rio que divide a cidade em duas partes.

A cidade de Riozinho também é conhecida pelas suas lindas paisagens naturais, na qual a Cascata do Chuvisqueiro tem o maior destaque turístico da cidade, neste local as principais empresas de turismo e agencias de viagem, trazem aventureiros de todas as partes do Brasil, para desfrutar dessas belezas e também para praticar o esporte de aventura conhecido como Rapel. A queda da cascata tem aproximadamente 80 metros de altura, isso garante muitas emoções para os aventureiros que se desafiam a descer pela parede de pedra ou mesmo junto a queda de água. Com certeza é uma aventura inesquecível.

Além dessa incrível cascata a outra queda de água para conhecer e se divertir nos dias de verão, é conhecida como Cascata das Três Quedas, aqui é possível refrescar-se junto as três piscinas naturais providas de cada queda de água. Estas cascatas você não vai encontrar nos mapas turísticos da cidade de Riozinho/RS, mas vale a pena ir conhecer e desbravar as trilhas que a compõe, para chegar a este local é fácil e rápido, a trilha que leva até a base da terceira queda é tranquila sem grandes esforços, qualquer pessoa pode faze-la. O começo dessa trilha se dá no Camping Cascata do Chuvisqueiro, para acessa-lá converse com a direção do camping.

Riozinho um pequeno paraíso natural

Caso você queira explorar as quedas da parte de cima, suba pela estrada de terra e encontrará uma trilha que leva as quedas superiores. A trilha não é longa, mas é de certa forma um pouco complicada e íngreme, possui inúmeras pedras soltas e algumas árvores caídas pelo caminho.

Coordenadas Geográficas da Cascata das Três Quedas: 29°35’23.4″S+50°25’32.6″W

Na parte de cima a queda de água tem aproximadamente 5 metros de altura, para quem gosta de apreciar um salto dentro do rio, ali é uma ótima local para isso. Estando ali ainda tem a possibilidade de subir mais uma trilha que leva a algumas piscinas naturais um pouco mais rasas, caso decida ir com sua família, ali com certeza é um belo lugar para passar a tarde.

Riozinho um pequeno paraíso natural

Riozinho um pequeno paraíso natural

Sempre que for a um local novo, explore ele por completo, as vezes os lugares menos turísticos são aqueles mais incríveis, pois são menos impactados pelo homem e garantem uma beleza surpreendente!

Caso queira percorrer essas trilhas esteja munido de água e calçado fechado.

Para saber outras informações sobre a cidade, acesse o site da Prefeitura de Riozinho/RS – Brasil, clicando aqui!

Cascata das Andorinhas um lugar mágico!

Visitar a Cascata das Andorinhas era um sonho guardado há muito tempo dentro da minha cabeça, cada imagem que eu via nas redes sociais e fotografias tiradas por fotógrafos profissionais faziam meu coração vibrar de tal forma, que isso aos poucos foi instigando o desejo de estar lá.

Demorei algum tempo para conhecer essa cascata, pois acredito que existe sempre um momento certo para conhecermos certos lugares, às vezes o que nos impede não é apenas o dinheiro ou a falta de coragem. Penso que um dos pontos fortes que influenciam uma viagem é estar de mente tranquila e espiritualizada, fazendo assim você chegar a determinado lugar e vivenciar todos os sentidos e as imensas sensações que um novo destino pode proporcionar.

A Cascata das Andorinhas leva este nome em razão da grande quantidade desta espécie de aves que habitam o local. O ambiente natural é cercado por rochas onde pode ser praticado o esporte Rapel.

Para chegar a Cascata das Andorinhas é muito fácil, está localizada a 20 Km do Centro. Existem inúmeras placas que indicam o caminho a ser percorrido para se chegar até ela. Seguimos o caminho por estrada de terra e conforme íamos avançando pela estrada de carro, notamos que a estrada sofre estreitamento  aumentando a dificuldade no percurso. Assim, resolvemos parar, deixar o carro ao lado da estrada e seguir a pé.

Coordenadas geográficas: 29°34’14.2″S+50°28’53.4″W

Colocamos a mochila nas costas e seguimos pela trilha anteriormente demarcada. A dúvida gerada nesse caminho é que ao andar pequena distância depara-se com uma bifurcação na trilha com dois sentidos, para a direita e para a esquerda. Do lado direito, parece direcionar para cima do morro, e do lado esquerdo acompanha o rio. Decidimos ir pela qual acompanha o rio, pois levamos em consideração que geralmente as cascatas ficam junto aos rios!

Cascata das Andorinhas

A trilha em si não tem grandes desafios, todas as pessoas podem percorre-la desde que, munidos de água e com calçados adequados, tem cerca de 1,5 quilômetros de extensão medido do local de estacionamento até a entrada da “caverna”, onde se descortina a Cascata das Andorinhas. O terreno é úmido e um pouco escorregadio, possui muitas raízes de árvores, onde as vezes precisávamos agarra-las para não sofrer nenhum tombo. Durante a trilha é preciso cruzar duas vezes sobre o pequeno rio até chegar a cascata.

Ao chegar, a vista é de tirar o fôlego! Fiquei estasiado com tanta beleza, as paredes ao lado da Cascata das Andorinhas pareciam ter sido esculpidas por alguém, permaneci ali olhando aquelas marcas, riscos sobre a pedra e imaginando que foram feitas pelo tempo ou pela água. Certamente  tudo isso era inundado antigamente. O desenho estampado nas paredes lembram as antigas cavernas ocupadas pelos primatas.

Cascata das Andorinhas

Cascata das Andorinhas

O local é tão magnífico que parece que estamos em um cenário de filme, uma beleza quase indescritível de retratar. Naquele local,  a sensação de paz, tranquilidade e liberdade é  inexplicável. Quanto mais eu permanecia ali, mais queria ficar apenas admirando cada detalhe de suas paredes, não queria ir embora. Chegamos por volta de 11:00 horas da manhã e permanecemos admirando até as 14:00 horas da tarde. Geralmente, quando estamos em um lugar onde nos sentimos bem as horas passam muito rápido. Ao nos darmos conta, já era hora de voltar para o carro. o horário de almoço já estava atrasado, precisávamos almoçar e ir até o próximo destino que seria a Cascata do Chuvisqueiro na cidade de Riozinho/RS – Brasil. Visita essa que contarei a vocês no próximo post.

Você pode combater seu medo de altura, saiba como!

Um dia lindo de sol pede que você aventure-se, que você observe o mundo de todos os ângulos possíveis.

Você observa, mas as vezes, parece que falta alguma coisa. Que você poderia ver mais, aproveitar mais. Ver o dia, a paisagem, sob um ângulo diferente.

Você visita lugares, vê pessoas praticarem esportes que te causam arrepios, não por ser um esporte inseguro, não é isso, mas por você não conhecer a segurança que envolve a prática dele.

Falo tudo isso para contextualizar o que muitas pessoas sentem na prática do esportes conhecido como rapel, deixam de praticar por medo de que ocorra algum acidente, não se sentem seguros. Assim eu me sentia, nunca havia tido a coragem de praticar rapel, pois tenho muito medo de altura, de ficar em pânico e travar na hora H.  Eu não conseguia subir em uma escadinha de 5 degraus em casa, para terem ideia.

Sendo assim, defini um objetivo: Enfrentar o medo de altura praticando esse esporte. O que para mim, requer conhecer os equipamentos e os itens de segurança que envolvem a prática do rapel.

Decidi fazer um curso de rapel oferecido pela Outdoor Equipamentos, aprendi sobre a segurança do esporte, cordas, nós, ancoragem, freios, cadeirinhas e primeiros socorros. Pratiquei ascensão. E depois de toda esta teoria a tão esperada descida.

Você pode combater seu medo de altura, saiba como!

Eu tremi, podem ter certeza, mesmo sabendo a teoria, a certeza de que tudo daria certo e de que era somente questão de me concentrar no que fazia e curtir, demorou a chegar. Na primeira descida, com toda a orientação dos instrutores, desci apavorada, quando pus os pés no chão, pulei, saltitei, gritei: Consegui!!!

Você pode combater seu medo de altura, saiba como!

Você pode combater seu medo de altura, saiba como!

Você pode combater seu medo de altura, saiba como!

Para uma pessoa que teme tanto a altura quanto eu, foi uma vitória muito importante.

A primeira vez para tudo é sempre a mais difícil, ainda mais quando se tem medo. A segunda já achei mais fácil e desci mais tranquila.

Se você teme alguma coisa, busque uma forma segura de enfrentar este medo. No meu caso o curso foi muito importante para enfraquecer o medo. O medo, muitas vezes, se mostra além do que realmente é, porque potencializamos, damos força a algo que é pequeno dentro de nós.

Se você se prepara para algo, o medo dá lugar a coragem, você faz o que quer e supera.

Você pode praticar qualquer esporte, o importante é praticar com segurança. Curso para prática de esporte não é ‘dinheiro posto fora’, como muitos dizem. É adquirir conhecimento para que você possa utilizar em outros momentos da sua vida.

Não faça de um simples monte de areia, um Everest. Vença seus medos, um pouquinho por dia. Sinta-se livre!

Viajar sozinho loucura ou aprendizado?

Viajar sozinho loucura ou aprendizado?

O que caracterizamos ser um viajante solitário, podemos definir de muitas maneiras esse sentimento de solidão, podemos dizer que um viajante solitário é aquele que vai viajar sozinho, carregando consigo apenas a vontade de explorar novos lugares e ver o mundo de uma maneira grandiosa.

Até mesmo aquele viajante que viaja com outras pessoas, de certa forma está sozinho também, pois seus pensamentos não estão voltados para as pessoas em si, mas sim com as lições que ele aprende ao longo do caminho, juntamente com elas.

De todo o jeito, um viajante viaja simplesmente sozinho, e viajar sozinho não é estar exatamente “sozinho”. Como assim?

A grandeza do mundo que nos cerca, as matas, os rios e todos os seres ali presentes, já são as melhores companhias que um viajante pode ter, em todo o lugar que formos caminhar, vamos encontrar pessoas novas, que vão fazer vivenciarmos situações diferentes. Podemos sentir alegria, medo, curiosidade, liberdade, paz e muitos outros sentimentos que todo mundo já deve ter vivenciado através de suas viagens.

Viajar sozinho é uma arte, de tal forma que podemos conhecer e explorar lugares, levando em conta a opinião de outras pessoas para assim poder formar a nossa opinião sobre uma determinada situação. Afinal todas as decisões que tomamos em nossas vidas, não é definida por um conselho de um amigo, mas sim por uma quantidade enorme de experiências, conversar e conselhos alheios.

Você pode achar que viajar assim seja mesmo uma maneira de se isolar do mundo, mas se pararmos para analisarmos alguns pontos de vista é possível intender essa louca e estranha maneira de viajar. Este modo de pensar é tão estranho como a frase que Christopher McCandless escreveu em seu diário de bordo, mas que fazem todo o sentido.

Viajar sozinho

Nesta frase que Chris escreveu em seu diário, ele estava sozinho em meio a uma natureza selvagem, longe de tudo que conhecemos como civilização, vejo que estar nesta situação onde ele se encontrara dá pra entender o sentido dessa frase tão marcante e que ecoa na cabeça de muitos viajantes espalhados por esse mundo. Se estamos procurando realmente a felicidade em nossas viagens, precisamos antes de mais nada experimentar um pouco da solidão, pois só entendemos tais situações depois de vivencia-las.

Fazer uma viagem apenas levando consigo o peso de uma mochila, pode fazer você se conhecer melhor, saber seus limites, conviver diariamente com seus pensamentos e aceitar você mesmo da maneira que é realmente.

“Conectar-se com outras pessoas é algo que normalmente traz alegria: as risadas, as provocações, as piadas, as memórias… Essas são algumas das coisas mais maravilhosas da vida”, escreve Kyle Pennell, americano radicado no México. “Às vezes, elas acontecem quando você está viajando sozinho”.
Nos momentos mais solitários, ele recomenda simplesmente “estar pronto para a solidão, aceitá-la e deixá-la passar”.

Viajar sozinho não é passar vários dias isolado do mundo que nos cerca, mas poder desfrutar de toda a viagem com o coração aberto, sem medo do desconhecido, vivenciando cada sentimento e emoção intensamente.

Show de cores, um presente da natureza

Dias frios, principalmente os que amanhecem com geada, merecem a nossa atenção, a natureza nos presenteia com um show de cores.

Estava na Serra Gaúcha, junto a cidade de Farroupilha/RS – Brasil quando estava amanhecendo, a geada que se formou durante a noite cobrindo tudo, deixando a vegetação toda branca. Era bonito de ver os campos onde o sol ainda não havia tocado, um contraste interessante com o verde, judiado do frio.

Seguimos rumo a Nova Roma do Sul uma cidadezinha do interior da Serra Gaúcha/RS – Brasil, com um pouco mais de 3.000 habitantes, muito conhecida pelos adeptos das atividades de aventura. A bela cidade  fica a 160 quilômetros da Capital Porto Alegre, o povo é bem hospitaleiro e de maioria italiana pelo que percebi.

A tarde realizamos um pequeno passeio para contemplar as paisagens desta modesta cidade. O contraste da estrada de chão batido, com os plátanos secos e o brilho do sol, fizeram nosso caminho ser muito mais bonito, a natureza mostrou toda a sua simplicidade e grandeza.

Observar, ao vivo, faz com que as sensações sejam sublimes, os sinais que podemos perceber através da poeira da estrada, das cores e do reflexo do sol nos plátanos, como se a mãe natureza estivesse nos dando um presente.

Show de cores
Foto: Marcio Basso

No caminho que percorremos, conheci a barragem do Rio das Antas, conhecida também como Usina Hidrelétrica Castro Alves, localizada na estrada que liga Nova Roma do Sul a Nova Pádua/RS – Brasil,  com uma área alagada de 5 km².

Quando me deparei com aquela obra, que é enorme em relação ao lugar onde localiza-se, comecei a pensar o que aconteceu com toda a fauna e a flora que estava ali antes dessa construção e agora se encontra toda inundada.

Show de cores
Foto: Marcio Basso

As plantas que não tem como se manifestarem, creio que adormeceram no fundo das águas e ali permaneceram até que sua missão estivesse cumprida no meio em que viviam. Já os animais, será que todos conseguiram ir para novas casas e se adaptaram com facilidade?

Eu tenho consciência de que obras como essa são necessárias para suprir nossas necessidades de crescimento e evolução nesse mundo de matéria que vivemos, mas penso no lado deles também, como eu me sentiria se tivesse que deixar o meu lar.

E vendo tudo isto, o homem se “apropriando” de espaços que já eram ocupados por seres vivos, percebe-se o quanto a natureza é humilde. Apesar de sua  grandeza, a natureza permite que o homem altere suas paisagens e com isso ela se adapta as nossas necessidades.

Que possamos compreender o quanto este imenso Universo Natural é permissivo, aceita a chegada do homem sem contestar e nos permite usufruir de todos os recursos disponíveis no meio em que estamos.

Que possamos apreciar todos os momentos junto a natureza, sejam paisagens alteradas ou não, nos permitindo perceber o real sentido de cada  folha que cai, o movimento dos ventos, os raios do sol que tocam nosso rosto e do grande mundo maravilhoso que nos presenteia com coisas simples.

Quando você tiver a oportunidade,  observe as  manifestações da natureza. Essas acontecem todo o tempo, somente precisamos prestar atenção.

Que possamos sempre agradecer por estes momentos. Agradecer a mãe natureza por permitir a nossa “invasão ” e nos proporcionar espetáculos únicos.

Barraca flutuante Kahuna

Você já imaginou acampar em uma barraca flutuante ou algo semelhante? Durante 14 anos de movimento escoteiro eu realizei esse desejo construindo uma jangada e colocando a barraca em cima. Assim, dormi 2 noites sobre essa estrutura maluca. E esse, sem sombra de dúvida, um dos inesquecíveis acampamentos que fiz na minha vida.

Na perspectiva de realizar esse desejo para os aventureiros e construir um tipo de barraca flutuante, os inventores Mario Weiss e Damian Fankhauser, inventaram  um caiaque – barraca, dando o nome de Kahuna.

img_kahuna_11

Kahuna é um novo barco de turismo, inspirado por antigas canoas polinésias. Ele foi desenvolvido para uso recreativo em vários ambientes ao redor do mundo e criado principalmente para agências de aluguel e para os entusiastas ao ar livre.

A combinação de equipamentos esportivos e equipamentos de camping permitem uma mobilidade eficiente e uma boa noite de sono.

img_kahuna_10

 

A principal unidade da Kahuna é o Mirage Drive®, um mecanismo de pedal/manivela. Este é um sistema rígido muito eficiente e de fácil manuseio. Uma pá comum ajuda a manobrar o barco. Mesmo os usuários inexperientes se adaptam muito rapidamente.

Barraca flutuante Kahuna

Para acampar, uma espécie de tecido telado é montado, entre os estabilizadores, para servir como base para a barraca e como cama de acampamento. Isso garante conforto mesmo em terrenos acidentados que normalmente seriam inadequados para acampar.

O barco é feito de materiais compostos por fibras naturais, que são mais leves e menor custo do que a fibra de vidro, bem como com a resina certa tornando-se biodegradável quando reduzido a pedaços pequenos.

Barraca flutuante Kahuna

Além disso, conta ainda com um assento dobrável, de encosto alto, para um melhor conforto e para a resistência contra o movimento das pernas  que é necessário pelo mecanismo Mirage Drive®.

O assento é removível e utilizável em terra. Construido em tecido têxtil 3D com diferentes densidades e tubagem integrada, sendo montado sobre a armação de alumínio do assento. O assento em si, é muito leve e tem a função de impedir que grandes quantidades de água se mantenham junto ao assento.

Barraca flutuante Kahuna

Veja todas as fotos aqui:

[FinalTilesGallery id=’27’]

Como você pôde ver nesse post, agora é possível acampar de forma totalmente diferenciada do convencional com conforto e tornando a aventura ainda mais emocionante.

Lutz Eichholz o aventureiro monociclista

Você já deve ter ouvido falar de Lutz Eichholz, nascido na cidade de Kaiserslautern na Alemanha, este aventureiro é conhecido por ser campeão mundial por quatro vezes, usando um monociclo.

Lutz gosta de praticar o seu esporte em terreno alpino, sempre à procura de novos obstáculos e desafios. Já percorreu inúmeros lugares ao redor do mundo, dentre todos estes lugares, destaca-se principalmente as montanhas da Malásia, Suíça, Itália, Marrocos, Alemanha, Nova Zelândia, Islândia e Irã onde aqui, realizou um feito inédito. Bateu o recorde mundial descendo a montanha Monte Damavand de 5.671 metros.

Apesar dos enormes problemas com a atitude, lesões e a instabilidade da equipe e do tempo entre 40° e -7° célsius, Lutz Eichholz foi incrível, batendo o recorde de descida da montanha. Nunca antes alguém com um monociclo tentou descer uma montanha tão alta.

“Em alguns pontos eu me senti tão ruim que eu pensei que teria que desistir. No entanto, este projeto é tão importante para mim que eu consegui superar meus limites ainda mais do que o esperado “. Lutz Eichholz

Lutz Eichholz

Sua última aventura aconteceu no deserto mais seco do mundo, o Atacama, no Chile. Juntamente com o montanhista Tobias Kleckl e sua namorada Giulia Tessari o objetivo era escalar uma montanha de 6000 metros em Passo San Fransisco e depois descer usando seu monociclo.

Eles tentaram 4 vezes, mas cada vez falhava algum de seus equipamentos, devido à natureza áspera da região. Depois de tantas tentativas Lutz e seus amigos entenderam que não era o momento certo.

Enquanto estava ali a mais de 4000 metros, Lutz encontrou a inspiração para um novo objetivo: encontrar a linha perfeita no deserto de Atacama. subiu então no seu monociclo e começou a decida, enquanto ele descia, Giulia capturava as belas imagens e vídeos com sua câmera e o resultado é um filme impressionante chamado de”La Linea Perfecta”(A linha Perfeita).

Para saber mais sobre as aventuras de Lutz Eichholz, acesse sua pagina na internet, através deste link.

Hydro Hammock, rede de hidromassagem

Hydro Hammock, rede de hidromassagem

Todos nós amamos redes, são equipamento relativamente leves que proporcionam muito conforto e praticidade nas atividades ao ar livre. Com elas, podemos relaxar depois de uma trilha exaustiva. Você já imaginou ter uma rede de hidromassagem portátil? Sim isso já é possível, pois o gênio Benjamin Frederick criou a Hidro Hammock uma rede de hidromassagem destinada ao uso em atividades ao ar livre.
Hydro Hammock
A Hidro Hammock é como um sonho tornado-se realidade
A banheira de hidromassagem/rede suporta até 50 litros de água e 2 adultos, podendo ser usada em qualquer lugar. Ela vem com um compartimento do tamanho de uma mala portátil, possui um aquecedor de propano, uma bomba, uma bateria, e as duas mangueiras para circular a água. É verdadeiramente um luxo, sendo possível deitar dentro dela com a água na temperatura desejada.
Hydro Hammock
Você pode levar a rede para perto do ponto de água e bombeá-la para o interior da banheira de hidromassagem, ou também pode transportar a água (cerca de 55 litros). Dessa forma, você pode se sentar dentro da banheira de água quente em lugares que você nunca imaginou!  Pense em quantas viagens de acampamento que você desejou ter uma banheira de hidromassagem para relaxar? Imagine você vendo o pôr do sol em uma rede assim. Com certeza será maravilhoso.
“Uma vez que você entrar, você vê o mundo de uma forma totalmente nova.”

Características:

Construída com tecido acrílico marinho Sunbrella, selada com um sistema especial siliconado. Este silicone é excelente, pois é de baixa viscosidade e realmente veda o tecido tornando-o  mais resistente à água, também possui resistência aos raios UV.

Com os devidos cuidados, o  Hydro Hammock continuará a ser o centro do seu relaxamento ao ar livre para os próximos anos!

A bateria é uma bateria de 19AH de 12 volts. Com uma carga completa da bateria a bomba de água  permanece ligada cerca 3,2 horas de uso contínuo. O equipamento pode ser recarregado durante a sua utilização, podendo ser por corrente AC ou DC, conforme preferência ou disponibilidade.
O sistema é muito modificável. Há espaço para adicionar outros filtros ou armazenar uma pequena lata de propano, ou mesmo  os dois. O ideal é usar garrafas de propano recarregáveis, especialmente se usado em grandes altitudes ou na neve.
 O sistema aquece a água instantaneamente, independente da temperatura inicial da água.
Durante a utilização, o aquecedor de água funciona apenas com a água que flui através dele e auto-inflama-se por duas pilhas D, localizadas na parte inferior do componente. A bomba pode ser desligada por qualquer acionamento, podendo ser na válvula de água na rede, ou no interruptor na mala portátil.
Para o armazenamento, é recomendável desligar manualmente o tanque de propano desligando-o do sistema de aquecimento.
Tamanhos, modelos e valores da Hydro Hammock?

Original Hidro Hammock

Hydro Hammock

Peso: 3,76 kg

Valor: $ 360,00

Hydro Hammock – Aquecedor de água é vendido separadamente

Deluxe Hydro Hammock

Hydro Hammock

Peso: 6,12 kg

Valor: $ 555,00

Hydro Hammock – Aquecedor de água é vendido separadamente

Para saber mais acesse o site – Hydro Hammock

Viajante apaixonado pela vida!

Viajante apaixonado pela vida!

Você sabe a diferença entre um viajante normal e um viajante apaixonado pela vida? Numa primeira impressão, podemos dizer que de fato é a mesma coisa. Entretanto, numa analise mais profunda, perceberemos que não é bem assim.

Os viajantes mais comuns que conhecemos são aqueles que viajam uma vez por ano, apenas para sair da rotina, e normalmente, vão para alguma praia bonita no país ou fora dele. Já os viajantes do trabalho, são mais ativos,  dependem das viagens para desenvolver seu trabalhar, estão sempre de um lado para outro, em busca de novas oportunidades de negócios, reuniões e assuntos de trabalho. Aparentemente, parece ser o emprego perfeito, porém  se perguntar para tais pessoas o que elas gostariam de fazer, certamente responderiam que sonham com o oposto, e possivelmente  suas férias seriam ao lado de suas família e amigos, sem sair de casa, apenas ficar ali, contemplando a vida familiar. Não entendam isso como julgamento, cada um faz aquilo que gosta para relaxar, não é essa a questão que estou analisando neste texto, estou apenas citando os tipos de viajantes que conheço.

Existem também os apaixonados por viagens, aquelas pessoas que falam o tempo inteiro sobre cada experiencia vivida, de lugares, das pessoas que conheceram ao longo do caminho. Uma pessoa tão vidrada em viajar, que se perguntar o que irá fazer no próximo feriado, certamente ira te responder que vai pegar a estrada rumo a uma cidadezinha pacata no interior do estado, apenas para poder apreciar a beleza de uma linda cachoeira, ou fazer uma trilha bem remota.

Viajante apaixonado
Foto: Nicholas Roemmelt

Um viajante apaixonado sabe, que quando coloca o pé na estrada,  poderá integralmente ser ele mesmo, ou seja, sem necessitar o uso de máscaras sociais. Você deve estar se perguntando, como assim máscaras sociais? O que quero dizer com isso, é que em nosso cotidiano, dependendo do trabalho ou atividade que exercemos, somos forçados inconscientemente, a ter uma postura que geralmente não representa o que somos, ou o que queremos ser. Certamente, ao colocarmos o pé na estrada, ou decidirmos decolar para um lugar que nos fascina, as mascaras do nosso dia a dia caem e a partir daí, podemos ser realmente quem somos, fazer aquilo que queremos, sem ter uma pessoa do nosso lado dizendo se isso é certo ou errado, ou obedecendo convenções ditadas pela sociedade.

Pessoas assim, possuem um estilo de vida livre em relação a outras pessoas, ou seja vivem de modo diferente. Buscando em cada viagem conhecer novos lugares,  novas pessoas, outras culturas, línguas, gastronomia, em fim, a diversidade que uma viagem pode proporcionar.

Essas pessoas fazem de suas viagens uma prioridade na vida, antes de comprar qualquer coisa, analisarão se realmente necessitam daquilo, caso contrário, comprarão itens mais simples e assim podem guardar mais do seu ‘suado’ dinheiro, para investir no próximo destino.

Viajante apaixonado
“Viajar é um investimento pessoal”

Um viajante apaixonado é diferente de tudo aquilo que você conhece, essa pessoa está sempre de bom humor, encara a vida de forma simples, sempre alegre, até mesmo em plena segunda-feira de manhã. Isso pode até soar estranho, mas viver assim, de certa forma, é muito recompensador. Não existe tempo ruim para essa pessoa. Mesmo a segunda feira, é um dia feliz para ela, pois é mais uma semana que se inicia, hora de começar a rascunhar o destino do fim de semana com a memória do fim de semana vindo a tona em “flaches”, relembra daquele acampamento maravilhoso que passou com seus amigos, conversando e cantando ao lado da fogueira, contemplando um lindo céu estrelado. Esse viajante apaixonado nunca espera a sexta feira chegar, pois sabe que cada dia vivido é incrível, que cada dia tem a chance de conhecer pessoas, fazer coisas que realmente fazem sentido e que enchem de alegrias. Essa pessoa sabe, que deve viver cada momento intensamente, e que o passado e o futuro não deve nortear  a vida, o que realmente importa é o agora, o presente que é “um presente’ para ser vivido intensamente.

Para uma pessoa desse tipo, a paixão por viajar é tão grande que com certeza, sempre tem uma lista de lugares e coisas para fazer antes de morrer, e certamente, também já sabe o que irá fazer no próximo fim de semana e noutro também, e assim sucessivamente.

A casa de um viajante apaixonado, normalmente é uma casa simples, mas confortável e sobretudo, funcional. O lugar parecerá muito com aqueles ‘hostels’ que vemos por aí. Cada objeto, quadro ou fotografia, possuem significados incríveis e por mais simples que possam parecer, haverá uma história de amizade, que  fez durante suas viagens mundo a fora.

Viajante apaixonado

Certamente,  vai oferecer sua casa para você se hospedar, caso esteja de passagem! Pois, em muitas vezes, durante as suas viagens também foi acolhido por inúmeras pessoas, até mesmo desconhecidas dele.

Caso um dia você cruze com um viajante desse tipo, converse com ele, sempre existem coisas valiosas para aprender e ensinar também.

Muitas das perguntas inquietantes que tenho dentro da minha cabeça, as respostas vieram através de uma simples conversa de quinze minutos, com uma pessoa desconhecida na parada esperando o  ônibus chegar.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a paixão de um viajante, coloque a mochila nas costas, não espere a melhor oportunidade, não espere juntar dinheiro, não dê bola para as dúvidas alheias, simplesmente vá e descubra você mesmo a paixão por viajar que muito fascina os  viajante apaixonados.

Mochila Futura Vário 45+10 SL – Avaliação

Mochila Futura Vário 45+10 SL – Avaliação

Vamos apresentar neste post uma avaliação completa da mochila  Deuter – Futura Vário, equipamento versátil, destinado para pessoas que buscam melhor conforto, praticidade e baixo peso em suas aventuras.

Normalmente, os aventureiros quando desejam comprar a primeira mochila, o questionamento feito é qual o tipo e o tamanho ideal a ser comprado. Neste caso, minha recomendação é para  comprar a mochila conforme as atividades que o aventureiro pretende desenvolver. Caso seja fazer trekking ou uma viagem pelo mundo, o ideal é optar por um equipamento que seja confortável, leve, compacto e possível de carregar, é claro.

Podemos notar que algumas pessoas, na maioria das vezes por falta de informações e conhecimento no assunto, compram mochilas realmente enormes, pois seguem a lógica, que quanto maior for a mochila mais coisas pode-se levar dentro, entretanto esquecem que elas terão que carregar este peso todo nas costas, muitas vezes por inúmeros dias.

Para que isso não aconteça, vamos apresentar todas as características sobre a mochila Futura Vário, bem como curiosidades, pontos positivos e negativos possibilitando a você conhecer este modelo antes mesmo de ir à loja comprar.

Construção e tecnologias:

A mochila Deuter Futura Vário apresenta em sua construção materiais leves e duráveis como os tecidos Deuter – Ripstop 210 / Deuter – Super-Polytex apresentados na parte externa, e na parte interna, é revestida com material Poliuretano (PU) atribuindo maior resistência à água.

Futura Vário

O equipamento conta ainda com inúmeras tecnologias que aumentam o conforto de seus usuários.

Veja abaixo o que cada uma delas proporciona:

tecnologia
Fonte: Deuter

Curiosidades:

SL Womens Fit System
O sistema SL (SLim Fit) foi desenvolvido para que mulheres e pessoas de até 1,70 m possam usar a mochila da forma adequada, uma vez que todas as regulagens se ajustarão de forma adequada e eficiente. Fonte: Deuter

Características:

Diferentemente de outras mochilas encontradas no mercado nacional, esta possui dois compartimentos para colocação do reservatório de água, estando um no compartimento interno, com capacidade de 3 litros, e o outro, na parte externa no lado direito da mochila, com capacidade para 2 litros. Assim, possibilita em caso de travessias muito longas, levar até 5 litros de água ou optar pelo uso de um o outro compartimento, conforme a necessidade.

Futura Vário

O ajuste das alças é de fácil manuseio, atrás no painel telado no costado da mochila, contém informações de ajustes dado pelas letras L, M, S e XS, sendo que a letra L é para usuários mais altos e as letras XS, para pessoas de estatura mais baixas, deste modo pode-se regular a mochila da melhor forma possível em torno do nosso corpo. Esta nomenclatura é dada pelo padrão da marca Deuter e o sistema Vari-Quick de ajuste da altura das alças.

Futura Vário

Para fazer o ajuste é muito simples, afrouxe a tira vermelha atrás do costado da mochila, subindo ou descendo as alças até encontrar a letra desejada, depois certifique-se que a tira vermelha esteja apertada.

Vídeo explicativo de como ajustar a mochila cargueira

As alças e a barrigueira dessa mochila são completamente anatômicas. As alças são construídas com material conhecido como 3D AirMesh que facilita a eliminação do suor gerado pelo nosso corpo.

Futura Vário

A barrigueira móvel acompanha todos os movimentos do corpo dando mais estabilidade à mochila. Duas hastes centrais de alumínio são o coração do sistema, e transferem todo o peso para a barrigueira fazendo com que a mochila seja extremamente confortável, mesmo com muito peso.

Futura Vário

Além disso, o ajuste da barrigueira é feito para frente, facilitando seu uso.

Junto à barrigueira possui um bolso fechado por zíper em cada lado, isso facilita bastante em uma viagem ou até mesmo em um trekking de fim de semana, pois ali é possível guardar pequenos objetos, tais como: celular, documentos, dinheiro e até mesmo barras de cereais.

Futura Vário

Também conta com fitas de compressão nas duas laterais para possibilitar maior estabilidade da carga dentro da mochila, assim tornando-a muito mais segura ao transpassar obstáculos.

Futura Vário

Olhando para a imagem acima, podemos ver que possui também um local para colocar objetos pequenos, como lanterna, bússola ou até mesmo um cantil reserva de água. Tais itens, ficam muito bem presos pela fita de compressão impedindo assim a perda de objetos.

A mochila é dividida em 2 compartimentos:

O primeiro, é onde colocamos a maior parte de nossas roupas e equipamentos, com abertura normal pela parte de cima da mochila. Para aumentar ainda mais este espaço a mochila conta com um avanço, chamado de tampa telescópica, bastante útil e com ajuste fácil  e rápido.

Futura Vário

O segundo compartimento, fica localizado na base da mochila, local que é indicado para colocar itens pesados, como saco de dormir, panelas e alimentos. No teste, colocamos o Saco de dormir Trek Lite +3 Deuter e ainda sobrou  um bom espaço, podendo colocar mais alguns itens dentro.

Futura Vário

Os dois compartimentos são separados por uma tampa que pode ser fechada por zíper. A vantagem de usar sempre dois compartimentos, ao invés de  apenas um é que podemos organizar melhor os itens que colocamos dentro da mochila facilitando a localização de determinado item em caso de urgência.

Futura Vário

O que torna a linha de Mochilas Futura Vário especial é, que além de contar com todos os itens de uma mochila tradicional, ela ainda contém uma segunda abertura na parte externa, pois caso você guarde algum item no fundo da mochila, com este sistema de abertura, é só abrir a tampa frontal e pegar o item que precisa sem que seja necessário retirar todos os seus equipamentos de dentro dela.

Futura Vário
Foto: Internet

A mochila Futura Vario 45+10 L, possui mais dois bolsos localizados no capuz da mochila, um do lado de fora, que serve para guardar pequenos objetos de fácil acesso. Já o outro bolso, fica na parte interna do capuz, os dois são fechados por zíperes.

No capuz também possui uma etiqueta SOS, a marca Deuter, segue esse padrão em suas mochilas, todas elas contém essa especificação para situações de emergência, veja nas fotos a seguir:

Futura Vário Futura Vário

Futura Vário

Características:

Peso: 2030 g
Capacidade: 45 litros
Material: Deuter-Ripstop 210 / Deuter-Super-Polytex
Dimensões: 74 / 34 / 28 cm

Onde comprar:

Com certeza essa mochila é perfeita para quem busca praticidade, conforto, tecnologia e baixo peso. Todavia, tudo isso também tem um custo, neste caso essa mochila se encontra com preço na faixa média de R$ 1.000 reais. É possível encontrá-la nas principais lojas de aventura espalhadas pelo Brasil, sugerimos antes de comprar qualquer modelo de mochila cargueira, ir a uma loja e experimentar.