Morro da Coroa

Chegar até a orla da Lagoinha do Leste já concretiza o objetivo de muitos, porém, subir até o Morro da Coroa proporciona uma vista panorâmica dessa praia selvagem, isolada e de beleza singular.

A subida até o Morro da Coroa é íngreme e um tanto cansativa, mas nada que exija demasiado esforço. A trilha é bem marcada, com algumas pedras que facilmente são ultrapassadas. O uso de bastão de caminhada auxilia no trajeto.

Quando se chega no ponto em que se consegue avistar toda a orla e a lagoa que fica atrás da restinga, surge a certeza que valeu muito a pena chegar até ali. Impossível ir embora sem tirar belas fotos. Os registros fotográficos falam por si, demonstram o quão bela é a imagem vista do lugar.

Morro da Coroa

Morro da Coroa

Ainda, é possível subir um pouco mais, até o topo do morro, e a visão fica mais ampla. Sentar um pouco para descansar e vislumbrar-se com a paisagem proporciona uma sensação de paz, felicidade, conquista.

Morro da Coroa

Morro da Coroa

Quem for a Lagoinha do Leste não pode deixar de subir a trilha até o topo do morro. A vista lá de cima é espetacular. Deu vontade de ficar no lugar por mais tempo, no entanto, tínhamos todo o caminho de volta pelas praias do Matadeiro e Armação para chegar até o carro e estava prestes a anoitecer. A descida é tranquila, mas como existem pedrinhas soltas, aconselha-se certo cuidado para não escorregar e cair.

Acesse o link e descubra os caminhos que levam a uma das praia mais belas de Florianópolis, a Lagoinha do Leste.

Como adoramos visualizar a natureza e o mar de lugares altos, em outro dia de nossa estadia em Florianópolis, partimos rumo ao Morro do Lampião, na praia de Campeche.

O acesso se dá pela rua Pau de Canela, que em determinado ponto tem uma estrada de chão que mais adiante sobe para o morro. Trata-se de uma via estreita, com várias pedras pontiagudas, o que impossibilita a subida com veículo. Caso restem dúvidas sobre o local de entrada para o morro, basta perguntar para algum morador, pois quase todos sabem orientar e indicar a direção a ser seguida, ou acesse este link.

O aclive é leve, sem obstáculos no meio do caminho. Claro que um bastão de caminhada sempre ajuda. Segue-se por essa estrada até chegar em um pequeno espaço aberto onde tem uma antena.

A partir dali, deve-se seguir por uma trilha pela mata, que leva até uma pedra que propicia uma vista das praias de Campeche e da Joaquina, e das lagoas da Conceição e Pequena.

O destino almejado era a Pedra do Urubu, que proporciona uma visão panorâmica em 360 graus. A pedra gigante tem em média 2,5 metros e inclinação de uns 60 graus. Foi possível subir sem corda, mas é preciso um pouco de coragem. O ideal seria estar munido de corda para maior segurança.

Do topo da pedra do urubu tem-se uma vista privilegiada das praias ao leste, dos bairros e via expressa sul, das lagoas ao leste e norte, do aeroporto ao oeste. Mesmo que exija um pouco de esforço para subir, o cenário impressiona e recompensa.

Morro do Lampião

Alguns nativos falaram que o pôr-do-sol visto da pedra do urubu surpreende por sua beleza, porém, como o tempo estava instável, com grande probabilidade de chuva, decidimos descer antes do anoitecer.

Morro do Lampião

Morro do Lampião

Somos apaixonados pelos morros e montanhas que nos oportunizam  uma visibilidade maior das belezas naturais, o que nos inspira a chegar no topo, afinal, “cada um terá a vista da montanha que subir”.

Lagoinha do Leste

Os turistas a consideram a mais bonita da Ilha, os moradores do Sul da Ilha garantem que ela é a mais misteriosa de Florianópolis, os ecologistas a defendem como se fosse a última praia do mundo, descubra a Lagoinha do Leste.

Seja qual for a opinião sobre a Lagoinha do Leste, ela é única. A praia ainda preserva as características de quando os primeiros imigrantes aportaram nestas terras. A Lagoinha, como é carinhosamente chamada pelos ilhéus, impressiona seus visitantes com sua beleza, seu ar selvagem e seus mistérios.

Lagoinha do Leste

Praia de mar aberto e águas cristalinas localizada no Sul da Ilha, a Lagoinha fica espremida entre dois costões que entram no oceano, formando quase uma pequena enseada de pouco mais que um quilômetro. Atrás, uma vasta Mata Atlântica garante a sensação de se estar voltando no tempo. A praia tem a companhia de uma lagoa, que dá nome ao lugar, próxima ao costão esquerdo. De águas quentes e escuras, a lagoa se esconde atrás da restinga, tendo origem num rio que nasce no morro.

Lagoinha do Leste

Mesmo isolada – só se chega a pé ou de barco -, a Lagoinha recebe muitos visitantes no verão. Eles percorrem a trilha secular e usam a praia para nadar, mergulhar e surfar. Como os grandes balneários da Ilha, a Lagoinha do Leste já sente os primeiros efeitos da exploração.

A praia é perfeita para acampar, já que, além da beleza, ainda conta com uma boa infraestrutura. Ou seja, tem bastante sombra e água potável, junto ao costão direito. O único problema, diz a lenda, são as bruxas que volta e meia a utilizam para seus rituais.

Lagoinha do Leste

Lagoinha do Leste

Lagoinha do Leste

Conheça a trilha que leva para a Lagoinha do Leste

A melhor maneira de se chegar à Lagoinha do Leste é pela Praia do Matadeiro, voltando pelo Pântano do Sul. Assim, enfrenta-se o trecho mais pesado primeiro, deixando para a volta, quando se está inevitavelmente mais cansado, o Morro do Pântano do Sul. Como em toda trilha extensa, é bom começar a caminhada na parte da manhã, pois sobra mais tempo para aproveitar a paisagem e a praia.

Lagoinha do Leste

A partir do costão direito da Praia do Matadeiro acaba a areia e surge a trilha. Os primeiros 30 minutos de caminhada são os mais difíceis e cansativos. É preciso fazer subidas íngremes e, em alguns pontos, o mato é um pouco fechado. No meio do caminho há água, um córrego corta a trilha e oferece água fresca e sombra. Depois deste trecho, o caminho é tranqüilo, sem subidas e de uma beleza incrível, revelando a cada momento uma nova e fascinante paisagem. Durante uma hora e meia a trilha margeia os costões, passando pela Ponta do Quebra-Remo, Ponta do Facão e Ponta da Lagoinha.

Na Ponta do Facão, um rochedo de mais de 15 metros guarda uma pequena caverna banhada pelas águas. Para chegar até lá é preciso um pouco de coragem, já que você terá que descer pela encosta até o mar. Ultrapassando a Ponta da Lagoinha, chega-se à praia.

Lagoinha do Leste

A volta se dá pelo costão direito, subindo a trilha que sai no Pântano do Sul. Ela é mais fácil e mais rápida que a do Matadeiro, porém não é tão atraente. São cerca de 50 minutos de caminhada para subir e descer o morro que separa a praia do Pântano do Sul. A subida é íngreme, mas a trilha é aberta e não oferece nenhum obstáculo. Na maior parte do tempo as árvores oferecem uma boa sombra.

O momento mais bonito é quando se avista a praia do alto do morro.

Lagoinha do Leste

Mapa das trilhas que levam a lagoinha do leste

Lagoinha do Leste

Informações importantes:

  • Nível de dificuldade: moderado;
  • Atrativos: lagoa, vista panorâmica, praia, fonte d’água, Mata Atlântica;
  • Tempo: 2 ele 50 min;
  • Início: Costão direito da Praia do Matadeiro;
  • Fim: Pântano do Sul, na rua Manoel Pedro de Oliveira;
  • Principal dificuldade: Extensa, subida íngreme;
  • Como chegar: Seguir em frente, a partir do costão direito da Praia do Matadeiro.