6ª etapa circuito trilhas e montanhas.

6ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas

Nova Roma do Sul é um pequeno e aconchegante munícipio da Serra Gaúcha, localizado a cerca de 160Km de Porto Alegre. Cercado por paisagens cênicas é o destino ideal para estar em harmonia com a natureza, conhecer o estilo de vida serrano e curtir a gastronomia típica dos imigrantes Italianos, Poloneses e Suecos.

A cidade recebeu pelo terceiro ano consecutivo o Circuito Trilhas & Montanhas. No último sábado (dia 7) ocorreu a 6ª Etapa do CTM – Trilhas de Nova Roma, a prova teve percursos de 7,12 e 22 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas; e reuniu mais de 700 atletas de diversas cidades do Rio Grande do Sul.

Os grandes campeões foram:

DISTÂNCIA LONGA:

Fabrícia Barnart Magalhães – Equipe: Time T & M – Tempo: 02h47min

Sidimar Pimentel Saraiva – Equipe: Time T & M – Tempo: 02h12min

DISTÂNCIA MÉDIA:

Caciane Lucia Zonatto – Equipe: Night Runners Gravataí – Tempo: 01h28min

Evandro Audibert – Equipe: Km Livre – Tempo: 01h07min

DISTÂNCIA CURTA:

Camila Backes – Equipe: Teutorunners – Tempo: 41min

Lucio Alencar – Equipe: Vidativa – Tempo: 35min

Classificação completa disponível no site da 3c Timing Cronometragem.

Tenho um carinho especial por Nova Roma do Sul, minha cidade vizinha e desde meados de 2010 meu “quintal” para treinos, passeios e, é claro muita diversão.

E falando em diversão…foi no início de 2012 que resolvi me aventurar no rafting do Eco Parque Cia Aventura e como guia do meu bote tive o Odair Paravisi, também conhecido por Grilo. Desde então nos tornamos grandes amigos e no final de 2017 no I Trilhas de Nova Roma, tive a honra de vê-lo estrear no CTM e se sagrar o grande campeão da prova na distância longa. Detalhe, era sua estreia no trail running também!

Créditos: Fabiana Borella – I Trilhas de Nova Roma (28/10/2017)

Tenho uma admiração, carinho e respeito, enormes pelo Odair. Ele se doou demais nesta 6ª Etapa do CTM, juntamente com os amigos Evandro Maciak, Samir Piola, Fabiano Borella e demais integrantes da equipe Respire.

“Esse ano está sendo o mais difícil da minha vida no esporte, fora das provas e treinos por lesão desde a 1ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas em Maquiné. Tá sendo bem difícil…essa prova me salvou, não entrei em depressão pois concentrei meu pensamento no firme objetivo de dar a todos um grande percurso, de ver todos felizes na nossa cidade, […]” relata emocionado Odair.

O percurso desta prova começou a ser planejado pelo Odair, Evandro, Samir, Fabiano e cia ainda no final da etapa de Nova Roma do Sul do ano passado. Foi uma ano intenso para eles, afinal um evento deste padrão não se constrói da noite para o dia.

São trilhas para serem abertas (muitas vezes à facão) e mantidas, autorização dos proprietários das terras, segurança nos pontos mais perigosos do percurso, aprovação do Luís (Coordenador Geral do Circuito Trilhas & Montanhas) e mais diversos requisitos!

A prova (em minha opinião) foi a melhor do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, até o momento. Um percurso extremamente técnico; rico em trilhas, montanhas, riachos, cascatas…paisagens exuberantes e pouquíssimas estradas. Uma prova que me conquistou do início ao final, e já explico o por que…

Clima ameno e chuva fraca na largada, poucos metros de corrida e já estavamos adentrando em trilhas. Ultrapassei e fui ultrapassada por alguns atletas logo após a primeira trilha e em seguida formei um trio com a Salete Parise e Márcio Reis. Seguimos juntos “escalando” as montanhas, “esquiando” as trilhas, “comprando” alguns terrenos e principalmente nos divertindo!

Créditos: Mário Reis

Chegando nos paredões de acesso à Cascata Filtro dos Sonhos (trecho mais técnico do percurso), fiquei maravilhada com a beleza do local e pensei comigo mesma ‘Vou guardar esse lugar com muito carinho em minha memória, pois fotográfo não terá aqui’! Engano meu…descendo mais alguns metros de trilha em meio à pedras, galhos e água me deparo com a Ane sentada em uma encosta em meio aos paredões, registrando e eternizando aquele momento de tamanha beleza e superação.

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Alguns metros mais abaixo visualizo um enfermeiro da Equipe Magda Chagas atento a possíveis acidentes e o Odair Paravisi. Que emoção encontra-lo por lá…registramos o momento e segui a trilha dizendo diversas vezes “Que percurso espetacular, Grilo (Odair Paravisi)! Que prova sensacional! Parabéns!”

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Concluimos a trilha da Cascata e iniciamos a temida subida do vale do Rio da Prata, dessa fez o Márcio Reis que puxava o trio. Chegando ao topo da montanha fomos presenteados com mais um lindo visual e o Sérgio Gutheil registrando aquele momento.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Mais alguns quilômetros de trilhas e montanhas, e estávamos no Eco Parque Cia Aventura. Passando por lá, o Júlio (proprietário do Parque) me reconheceu e gritou “Boraaaa Mine…que os teus pedais eram mais difíceis do que isso!”, confesso que na hora até senti saudades dos pedais! (risos)

Mais trilhas, mais riachos, mais “compras” de terreno, mais puladas de cerca e mata-burros e finalmente….cruzei a linha de chegada de uma das melhores corridas que já participei!

Aguardando a premiação eu só ouvia atletas e amigos elogiando o percurso e o evento no geral. Aquele clima gostoso, sabe? De amizade, camaradagem, união e alegria que só o CTM proporciona ao final de cada etapa!

Chegado o momento da minha premiação, o Luis teve a brilhante ideia de chamar o Eduardo (meu namorado) para me entregar o trofeú e já o intimou para um “futuro pedido”! – risos. Impossível finalizar melhor essa corrida!

Parabéns à todos os atletas que se desafiaram na 6ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas, independentemente da distância!

Parabéns também às equipes: L & E Eventos, Magda Chagas Enfermagem, 3C Timing Cronometragem, RP Sonorização, Youmovin, Clic Run, Loja Baú do Esporte; que fazem o CTM acontecer!

Agora é se preparar para as duas últimas etapas que ocorrem no dia 12 de outubro em Tupandi e 09 de novembro em Sério.

5ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas – Trilhas Arcoverde

A comunidade de Arcoverde localizada na cidade de Carlos Barbosa foi sede da 5ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas – TRILHAS ARCOVERDE, que ocorreu no último sábado (dia 10). A prova teve percursos de 5, 18 e 28 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas. E contou com a participação de mais de 800 atletas das mais variadas cidades do Rio Grande do Sul.

“Já ultrapassamos a metade do CTM 2019, e desde o início o evento está com força total, estamos com média de mais de 800 participantes por Etapa. Certamente o maior evento esportivo de Corridas em Trilhas “Trail Run” no RS e Brasil. Hoje o CTM no Rio Grande do Sul se estabeleceu como o evento que mais promove e fomenta as corridas em trilhas. Nossos eventos servem de iniciação, porta de entrada como acontece desde 2012.” comenta Luís Leandro Grassel, Coordenador Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

Trilhas Arcoverde
Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Após um calor atípico (para a época) na 4ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas na cidade de Igrejinha, no final de junho. Os atletas foram presenteados com uma temperatura de pouco mais de 10 graus, sábado em Carlos Barbosa. Cidade essa que pela primeira vez sediou uma etapa do CTM.

Os percursos foram marcados por trilhas, declives e aclives acentuados, diversas travessias de pequenos riachos, estradões com visuais fascinantes do interior de Carlos Barbosa. E a já tradicional infraestrutura e organização da empresa L&E Eventos e equipe CTM.

Trail Running Arcoverde
Créditos: Jon Hesse / Clic Run

Os grandes campeões da 5ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas, foram:

Distância curta:

Camila Backes* – Equipe Teutorunners – 27min

*(Segue liderando o ranking do Circuito Trilhas & Montanhas – Categoria Curta, com 179 pontos).

Marcio Leite de Oliveira – Equipe Km Livre – 22min

Distância média:

Ivania Rambo – Equipe Laufen Auf Beer – 1h49min

Rogério Andretta – Equipe Danivist – 1h32min

Distância longa:

Daiane Dias* – Equipe Born Run – 2h58min

*(Segue liderando o ranking do Circuito Trilhas & Montanhas – Categoria Longa, com 177 pontos).

Sidimar Pimentel Saraiva* – Equipe Time TeM – 2h27min

*(Segue liderando o ranking do Circuito Trilhas & Montanhas -, com 171 pontos na distância longa).

Classificação completa e ranking do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, disponível no site da 3c Timing.

Após estar fora da etapa de Igrejinha por questões de saúde, eu estava praticamente contando os dias para a chegada da 5ª Etapa do CTM em Carlos Barbosa/RS.

As semanas antecedentes à prova foram um tanto quanto conturbadas para mim. Volta às aulas com mais de 6 disciplinas para cursar, trabalho em turno integral (manhã e tarde), escolhas importantes a serem tomadas…e mais todos os “desafios” do dia-a-dia, pelos quais, praticamente todos nós passamos!

Chegando na Comunidade de Arcoverde já encontrei a Silvana Menegon e o Jonas Junkes, amigos de longa data, desde os tempos em que eu participava das corridas de aventura. Ficamos conversando sobre nossas aventuras, provas, planos de vida…até o horário da largada da prova.

Alguns alongamentos e pequeno aquecimento com a Silvana e já era hora de alinhar para a largada. Ela se posicionou lá na frente, pois sabia que tinha preparo para conquistar uma boa colocação (foi vice campeã geral feminina na distância longa). Eu pela primeira vez na vida, resolvi ficar bem no fundo, queria fazer uma prova estilo “curtição”, só não queria fazer companhia para o Saurin (fechador do percurso) – risos.

Alguns metros de calçamento e em seguida já estavamos correndo em estradões e trilhas. O tempo nublado, o vento frio, o barro, as subidas e descidas…o contato com a natureza; tudo isso deslumbrava-me e fazia-me esquecer, mesmo, que só por algumas horas de todos os “problemas”.

Jasmine Benato
Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Ao longo do percurso nas trilhas de Arcoverde encontrei dezenas de amigos, alguns me passaram, outros eu passei e outros eu tive o privilégio de fazer boa parte do trajeto ao lado deles. Angela Nunes e Maria Rosane Leandro de Jesus, percorreram comigo cerca de 70% do percurso, se ajudando, se incentivando, se apoiando…

Faltando pouco mais de um quilômetro para o final da prova, resolvi baixar o ritmo e aguardar a Maria Rosane se aproximar. Foi ela que me fez entender que muito mais imporante do pódio/classificação, são os aprendizados durante o percurso! Tive a honra de cruzar a linha chegada com ela…

Chegada Trilhas e Montanhas
Créditos: Daniela Silva / Clic Run

O que fica após a linha de chegada são os bons momentos, os que nos fazem sentir grandes, enormes perante os desafios. Aqueles que nos fazem sentir altruístas porque ajudamos um atleta em dificuldades, ou os que nos fazem mais humildes porque nos deram a mão quando mais precisávamos. Os melhores momentos são mesmo os mais humanos, os de deslumbramento perante a força da natureza. E essa força, no trail, somos nós!

6ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, ocorre no dia 07 de setembro na cidade de Nova Roma do Sul.

Mais informações e inscrições no site da Youmovin.

Review – Bastões de Caminhada Actos da AZTEQ!

Os bastões de caminhada Actos se bem utilizados, podem ser equipamentos com grande utilidade no Trail Running. No entanto, muita gente tem preconceito e acham que são peças inúteis.

bastões de caminhada Actos
Bastões de caminhada Actos – Azteq/Créditos: Clic Run

Sou adepta ao uso dos bastões de caminhada Actos desde o início do ano passado, quando comprei um par da marca AZTEQ, na Loja Patos do Sul. No entanto eu mesma confesso que antes disso achava uma frescura a utilização dos mesmos, mas comecei a mudar de ideia depois de ter uma experiência na Maratona do Vinho e observar de perto diversos corredores utilizarem este simples, porém revolucionário equipamento.

Amigos corredores me questionam, sobre quais são as vantagens de utilizar os bastões, durante o trail running. São muitas eu diria, mas as principais consistem em:

  • Proporcionar melhor equilíbrio e rendimento durante a corrida;
  • Diminuir (e muito) o esforço nas subidas, transferindo parte dele para os seus ombros, costas e braços. Reduzindo consideravelmente o stress nos joelhos e outras articulações;
  • Verificar a estabilidade do terreno antes de prosseguir e também para averiguar a presença de cobras ou outros animais, dependendo do local onde esteja correndo;
  • Auxiliar na travessia de cursos d’água.

Mas, para isso é preciso saber como usar o bastão! Não adianta em nada ter o equipamento e não saber usá-lo. Vejo muitas vezes as pessoas apenas os conduzindo, sem se apoiar de fato neles. Desta forma, ao invés do bastão melhorar o rendimento, ele apenas gera mais cansaço.

A primeira coisa a se fazer é saber como regular o bastão à sua altura. Ao contrário como pensam alguns, bastões não tem tamanho P, M e G; eles têm tamanho universal e servem para pessoas de todas as estaturas. É necessário, no entanto saber regular ele quanto a sua altura.

Para isso, existem algumas regras:

Primeira – os bastões devem ser da altura do alto da palma da mão, quando o braço está ao lado do corpo, com o antebraço estendido à sua frente e o cotovelo sendo mantido a 90 graus.

Segunda – existe, ainda, uma forma matemática e mais precisa de definir a altura do bastão. Obtenha sua altura em centímetros (cm). Agora, coloque sua altura em centímetros na seguinte fórmula:

ALTURA EM CM x 0,68

Exemplo: 167 cm x 0,68 = 113,56 ou 114 cm, como normalmente as marcações dos bastões são de 5 em 5 cm, deve-se ajustar pra o 5 ou 0 mais próximo, neste caso, 115 cm. O resultado será em centímetros a altura ideal do seu bastão.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Se você tem os bastões, eles deverão servir como pontos de apoio como são suas pernas. Desta forma, você sempre tem mais locais para se apoiar e assim distribuir o peso do corpo. Para usá-los mais eficientemente como pontos de apoio, você deverá usar os bastões antecipando sua movimentação, ou seja, primeiramente mova os bastões e só depois suas pernas.

Agora que vocês já sabem os benefícios de usar os bastões e como usá-los corretamente, apresento os Bastões de caminhada Actos da AZTEQ.

Inovador, o ACTOS é para aqueles que precisam de um bastão de alta durabilidade e de fácil utilização paras as suas aventuras. Ele é leve (320 gramas) e resistente; produzido em duralumínio, com partes e peças em plástico ABS, ponteira em aço e empunhadura de TPR.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Permite ajuste de altura, variando de 1,05 m até 1,35 m com ele montado, desmontado não passa dos 30 cm. Seu grande diferencial é o sistema com cabo de aço interno, que auxilia na rápida montagem.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Formado por 4 estágios, com sistema de trava rápido e marcação em centímetros para regular a altura no quarto estágio. Além disso o modelo é acompanhado por uma pequena cinta de velcro que ajuda no armazenamento e alça para o punho.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

Para os novatos com bastões de caminhada Actos, vale lembrar que a fita de punho é mais importante do que a empunhadura em si. Se você segurar a empunhadura com força, o pulso ficará sobrecarregado “travando” os músculos do braço. Por isso, a força deve ser compensada entre o grip e a fita de punho.

Bastões de caminhada Actos
Créditos: Jasmine Benato

A melhor forma de segurar a fita de punho é encaixando-a no V da mão (por trás do polegar, passando pela costas e palma). É importante também, ajustar a altura da fita de forma a deixar as mãos na mesma direção (altura) da empunhadura.

Devemos ter o entendimento de que os bastões não vão nos tornar mais rápidos, mas sim, mais seguros e equilibrados, além de amenizar os impactos nas articulações e nos grupos musculares envolvidos diretamente na corrida.

Dica extra: apesar do bastão ser vendido de forma unitária, o ideal é o uso do par. Desta forma você fica ” 4 x 4″ e divide o peso de forma adequada.

Tudo sobre os bastões de caminhada

Existem vários estudos que demonstram que o esforço da caminhada usando bastões é mais repartido entre os diversos membros bem como pelo resto do corpo, sendo um fator importante na redução de cargas de força exercida sobre a coluna vertebral, nas costas e sobretudo nos joelhos. É sobretudo nas zonas de maior declive que a sua influência se faz sentir como fator de potencial equilíbrio do corpo e nos movimentos e da distribuição corporal do esforço. Em pisos mais irregulares ou com neve e gelo facilitam o equilíbrio e a progressão. Também contribuem para a manutenção de uma postura mais correta, contribuindo num ciclo respiratório mais intenso e ativação da circulação sanguínea.. Leia mais!

Trilhas de Nova Roma – CGCTM 2018

A pequena cidade de Nova Roma do Sul foi sede da 5ª Etapa do Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas e Montanhas – Trilhas de Nova Roma, que ocorreu no último sábado (dia 15). A prova teve percursos de 7, 12 e 29 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas.

O evento contou com a participação de mais de 600 atletas das mais variadas cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Escolhi (novamente) a distância longa nesta etapa e seus respectivos 29 quilômetros com 1.550 metros de altimetria acumulada.

Na época em que participava das Corridas de Aventura e Mountain Bike, treinei diversas vezes no interior da cidade de Nova Roma do Sul. Já havia passado de bicicleta por alguns pontos do percurso e sabia que o mesmo não seria nada fácil!

Na sexta-feira à noite resolvi postar esta foto nas redes sociais,

Trilhas de Nova Roma - CGCTM 2018

 

revelando alguns dos equipamentos que eu iria utilizar na prova. Dentre diversos comentários de boa prova, fiquei “assustada” quando li o comentário do amigo Odair Paravisi dizendo, “Esses bastões…acho que serão muito utilizados rsrs”. Vale lembrar que ele era um dos responsáveis pelo percurso desta quinta etapa.

Pensei que nada poderia ser pior do que a trilha da Lona Preta, a trilha do Beiço…nos 50 quilômetros do Trilhas do Morro Gaúcho (4ª Etapa do CGCTM). Ingênua eu…

Pontualmente às 13h30min foi dada a largada da distância longa. A previsão do tempo indicava muita chuva, mas o sol e calor era quem estava marcando presença do início ao fim da prova!

Trilhas de Nova Roma - CGCTM 2018
Créditos: Clic Run

 

Os primeiros quilômetros foram de declive, a famosa estrada que liga Nova Roma do Sul à Nova Pádua (via balsa), ali corri alguns metros com as amigas Angela Nunes, Leonice, Rosana…foi por aí também que uma corredora ficou chateada comigo. Pisei em uma poça de lama e respingou barro nela! (risos)

Em seguida, saimos do estradão e adentramos na minha parte favorita, as trilhas e subidas! Dali em diante foi um eterno sobe e desce pelas montanhas e trilhas do interior de Nova Roma do Sul, percurso desafiador até para os atletas mais experientes.

Na infinita subida do Cachoeirão, confesso que senti saudade do Morro Gaúcho – risos! E entendi o porque do Odair, ter comentado que os “bastões seriam muito utlizados”!

Diferente do I Trilhas Nova Roma que ocorreu em outubro do ano passado, e teve muito estradão – em minha opinião. Sabádo o que não faltou foi trilhas, passamos em meio à plantação de cana, pequenos riachos, trechos de single-tracks, além é claro de pontos turísticos da cidade como a Gruta Fiorense.

Trilhas de Nova Roma - CGCTM 2018
Créditos: Clic Run

Unanimidade entre os participantes as belezas naturais de Nova Roma do Sul, como o Mirante Zanella (foto), cascatas, grutas e a rica flora e fauna, foram destaques da 5ª Etapa do CGCTM 2018 – Trilhas de Nova Roma, além da perfeita organização do evento através da L & E Eventos Marketing Esportivo, Circuito Trilhas & Montanhas e Prefeitura de Nova Roma do Sul.

Trilhas de Nova Roma - CGCTM 2018
Créditos: Clic Run

 

Classificação da prova disponível em: 3ctiming

Cobertura fotográfica disponível em: Clicrun

Ainda esse ano mais duas etapas do Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas e Montanhas estão com as inscrições abertas:

6ª Etapa – 20 de outubro – Trilhas Serra Grande – Igrejinha/RS

7ª Etapa – 24 de novembro – Cascatas e Montanhas – Rolante/RS

Maiores informações em: Youmovin

Azteq Mykra avaliação completa

A cerca de dois meses estamos avaliando a barraca Azteq Mykra, já acampamos em inúmeros lugares, onde pudemos avaliar com clareza todos os quesitos deste modelo, neste post falaremos das características, construção, materiais, mostraremos seus pontos positivos, negativos e a nossa real opinião sobre o modelo.

A Barraca Azteq Mykra chegou ao mercado nacional com o intuito de trazer mais uma opção para os aventureiros que aqui viajam, fazem aventuras de um fim de semana ou travessias de trekking.

A Azteq, marca esta que é comercializada aqui no Brasil pela empresa Nautika Lazer trouxe a barraca Mykra para suprir a grande demanda que tínhamos, pois no brasil não tínhamos até então uma barraca leve, compacta e auto-portante.

O sucesso das barracas da Azteq Nepal e MiniPack instigou a nossa vontade de avaliar a Mykra, desde a data de lançamento do modelo no Brasil, a empresa Guenoa Apetrechos para Aventuras nos forneceu a barraca para que pudéssemos avaliar com clareza e imparcialidade todos os quesitos deste modelo.

Azteq Mykra avaliação completa

Características da Barraca Mykra:

Construída de maneira minimalista é uma barraca de três estações para usos no brasil, com capacidade para 1/2 pessoas, sem muita bagagem.

A barraca possui tecidos leves, na parte do sobre-teto é fabricada com tecido de Poliamida Siliconado RIPSTOP 20D/380T PU e no piso o tecido é um pouco mais robusto Poliéster 75D/195T, os dois tornam a barraca totalmente impermeável, com cerca de 6.000 mm de coluna de água.

O sobre-teto da barraca é afixado ao quarto por meio de fivelas iguais aquelas que encontramos nas mochilas cargueiras.

O Quarto/mosquiteiro é bem arejado, o tecido ultra fino garante que nenhum intruso indesejado entre durante a noite, possui uma única porta e se mantem bem esticado quando a barraca está armada.

Além disso o modelo conta com Foot Print (lona extra de piso), este tem duas funções sendo: a primeira tem a função de proteger o piso da barraca contra eventuais objetos pontiagudos que possam furar a barraca, já a segunda função é a opção de armar a barraca sem o uso do quarto/mosquiteiro, transformando a barraca em uma espécie de barraca de campanha. Este modo de utilização pode ser muito útil em travessias de trekking ou exploração de novos lugares, usando-a desde modo é possível ter um abrigo totalmente seguro e estável contra chuvas e ventos podendo ser muito útil na hora de cozinhar seus alimentos em climas desfavoráveis.

Um ponto interessante de mencionar aqui é que o foot print para ser armado da maneira descrita acima, é necessário que contenha ilhós em suas extremidades, nesta barraca apenas contém elásticos para prender nas varetas, isso é um ponto desfavorável do modelo. Seria interessante que o importador Nautika Lazer fizesse um ajuste neste quesito, assim facilitaria muito a vida dos usuários. Vale mencionar ainda que o foot print montado desta maneira não fica esticado, quando montado junto com o quarto/mosquiteiro.

A barraca Azteq Mykra possui uma única vareta com dois “Y”, isso garante maior estabilidade, praticidade e leveza a todo conjunto, além disso é fabricada em duralumínio anodizado conectado com elásticos especiais.

Azteq Mykra avaliação completa

O avanço da barraca Mykra é um pouco pequeno, são menos de 50 cm de espaço, isto é, colocamos apenas alguns pequenos equipamentos, como: uma mochila de ataque com aproximadamente 30 litros, um conjunto de panelas e mais um par de botas.

Azteq Mykra avaliação completa

A barraca conta com as seguintes medidas quando está armada: 2,15m de comprimento, 1,00m x 1,25m de largura e 1,00m de altura, já ela fechada conta com as medidas de 15 x 40 cm. Podemos notar que há duas medidas na largura da barraca quando armada, isto é, vale ressaltar que se optar por isolantes infláveis os dois ocupantes terão que dormir em sentidos contrários, já usando os isolantes de EVA do tipo dobrável é possível dormir os dois ocupantes para o mesmo lado.

Conclusão:

Para validar os testes feitos e poder constatar a real eficacia do modelo em destaque, acampamos diversas vezes, a primeira delas acampei sozinho, no primeiro acampamento já pequei uma chuva leve mas contínua, montar a barraca sozinho requer atenção, pois tem que cuidar a posição da vareta em relação ao quarto, lembrando que possui largura diferente em seus lados, sozinho e com a chuva caindo a tarefa de montar foi um pouco complicada.

Neste dia estava um pouco frio e possuía uma grande umidade relativa do ar, aproximadamente 90%, eu sozinho na barraca com as abas de neve totalmente abaixadas a barraca condensou um pouco, quando acordei pela manhã notei que havia pequenas gotículas de água na parte interna do sobre-teto.

Azteq Mykra avaliação completa

Notei que o foot print não ficava totalmente esticado na parte externa, não fazia sentido ter essa tecnologia aplicada a este modelo, se não ficasse 100% firme.

O avanço da barraca é bem pequeno, e é impossível cozinhar nele se estiver chovendo, o risco de queimar a lona é considerável, na dúvida entre queimar a barraca ou não, resolvi correr para a barraca dos amigos. kkkk

No segundo acampamento resolvi que seria bom acampar com dois ocupantes, o local escolhido foi uma enorme caverna que ficava em fronte a uma bela cachoeira, o dia estava escaldante e o lugar escolhido havia poucas sombras em boa parte do dia, o solo era pedregoso, aqui a barraca Azteq Mykra se saiu bem, não usei o sobre-teto, pois não havia necessidade, o local era totalmente a prova de chuvas e ventos fortes.

Azteq Mykra avaliação completa

O terceiro acampamento foi a alguns dias atrás, uma travessia de trekking pelas bordas dos cânions com aproximadamente 80 km em 4 dias, era o momento perfeito para concluir a nossa avaliação. Acampamos com dois ocupantes o tempo todo, toda a manhã acordávamos antes do sol nascer, sempre com o olhar de avaliador sobre a barraca, notei que condensou todos os dias, não fez frio e nem choveu, levantando as abas de neve a barraca condensa um pouco menos, a janela de ventilação da barraca é um tanto pequena, mesmo o quarto sendo muito arejado ela ainda condensa com qualquer clima.

Azteq Mykra avaliação completa

Na última noite da travessia escolhemos acampar em cima de um morro próximo a borda do Cânion Boa Vista/RS – Brasil, ali era a chance de testar como a barraca se comportava em situações adversas, como rajadas de ventos.

Azteq Mykra avaliação completa

A noite foi realmente difícil de dormir, a barraca em si estava totalmente fixada ao solo, bem armada com seus dois esticadores, neste momento percebi que o sobre-teto se mexia encostando no quarto/mosquiteiro, as rajadas de ventos eram intensas, porem as varetas nem mexiam, notei também que em alguns lados da barraca o sobre-teto fica distante 10 cm ou menos do quarto/mosquiteiro, isso é muito desconfortável para os ocupantes, as abas de neve faziam muito barulho quando se chocavam com o sobre-teto, no local não haviam pedras para colocar em cima das abas.

Azteq Mykra avaliação completa

Todos os testes com a Barraca Azteq Mykra durante estes dois meses fizeram com que mudássemos nossa opinião em relação ao modelo e a marca, chegamos a conclusão que a barraca é muito cara pelo o que ela tem a oferecer, o valor atual é de R$ 849,00 reais, mas é possível encontrar por menos que isso, mesmo assim não recomendamos esta barraca para usar com dois ocupantes em travessias de trekking de inúmeros dias, pois não há onde acondicionar as mochilas cargueiras, cozinhar seus alimentos.

Veja outras imagens da barraca Azteq Mykra

Azteq Mykra avaliação completa

Azteq Mykra avaliação completa

Azteq Mykra avaliação completaAzteq Mykra avaliação completa

Se você gostou da nossa avaliação, concorda ou discorda do nosso texto, deixe um comentário logo abaixo:

Barraca Mykra Azteq Avaliação

A marca brasileira Azteq lançou na primeira semana de Julho aqui no Brasil a barraca técnica super leve conhecida como Barraca MYKRA. No primeiro fim de semana de julho, tivemos a oportunidade de conhecer esse modelo bem de perto, a empresa Extreme Outdoor/PR nos proporcionou uma breve avaliação desse modelo ainda pouco conhecido no mercado nacional.Barraca Mykra

Detalhes da barraca Mykra Azteq:

  • Dimensões:2,15m x 1,25m x 1,00m
  • Material das varetas: Duralumínio
  • Material dos espeques: Alumínio
  • Material do piso:Poliéster 75D/195T
  • Material do teto:Poliamida Siliconado RIPSTOP 20D/380T PU
  • Peso:1,8kg
  • Capacidade:1/2 pessoas
  • Tela mosquiteiro:Sim
  • Coluna d’água: 6.000 mm
  • Incluso Foot Print

Valor de venda: R$ 800,00 aproximadamente.

O que mais chama a atenção na barraca Mykra é o fato de ela ser autoportante, em outras palavras, é que ela fica montada por conta própria, não sendo necessária ser fixada ao solo.

Os dois modelos clássicos da marca brasileira Azteq são as barracas Nepal e MiniPack, as duas são ótimas para usos aqui no Brasil, porem as duas tem uma grande desvantagem de não ser autoportante. Sabemos que na grande maioria dos picos de montanhas nacionais o solo é pedregoso, se não tivermos uma barraca autoportante precisamos improvisar na hora de montar a barraca.

O quarto da barraca/mosquiteiro é ultra fino, superleve e bem construído, em primeira vista podemos notar que a Azteq caprichou nas costuras, notamos também que ela é muito bem arejada, isso ajudará muito para que não condense em situações de climas desfavoráveis.

Barraca Mykra

O sobre teto é de Poliamida Siliconado Ripstop 20D/380T PU, isso garante que o tecido seja leve, compacto e possua uma excelente coluna de água de 6.000 mm, além disso como de praxe, a marca Azteq manteve as clássicas abas para neve, mesmo sabendo que aqui no Brasil elas não são muito usadas para este fim, mas podem ser usadas para impedir que o vento entre por baixo da lona, em algumas situações mais extremas, podemos colocar pedras para firmar toda a estrutura, evitando que a barraca saia voando no meio da noite.Barraca Mykra

Possui apenas uma vareta em Duralumínio, está é composta por 2 junções em formato em “Y”, desta forma é possível manter uma estrutura leve, forte e confiável para suportar climas desfavoráveis.

Barraca Mykra

Detalhes:

A barraca Mykra conta com apenas uma porta de entrada e saída, mas o sobre teto possui ampla abertura, facilitando muito a entrada e saída dos usuários. Além disso conta ainda com dois estabilizadores laterais e uma pequena janela que aumenta a ventilação dentro da barraca.

Uma das grandes novidades deste modelo é que vem com Footprint, isso se refere a um segundo piso que protege o piso do quarto/mosquiteiro, evitando que este venha a furar ou rasgar, fica localizado entre o piso da barraca e o chão.

Nos modelos de barracas vendidos fora do Brasil é possível montar toda a estrutura da barraca (footprint, vareta e sobre teto) sem usar o quarto/mosquiteiro, não montamos ela desta forma, mas acreditamos que seja possível também.

Barraca Mykra

Veja nossa avaliação completa deste modelo clicando aqui.

Isolante Térmico Dobrável da Azteq

Apresento a vocês o lançamento da marca brasileira Azteq, conhecido como Isolante Térmico Dobrável Thor, este é um pouco diferente dos demais produtos vendidos aqui no brasil, ele é dobrável, leve e possui um ótimo custo benefício além de ser muito confortável.

Eu particularmente prefiro muito esse tipo de isolante térmico, quando digo esse tipo, me refiro em relação ao material que é construído, pois geralmente nas trilhas é vantagem levar um desses ao invés de um inflável que na grande maioria das vezes será mais pesado e poderá sofrer danos conforme seu uso. Imagina você fazendo um trekking de quatro dias e na primeira noite o seu isolante térmico inflável fura, se por ventura você esquecer os remendo em casa, certamente passará frio pelas próximas 2 noites. Com os isolantes térmicos de E.V.A você elimina a chance de acontecer imprevistos durante o trekking.

Design e construção:

Este isolante é construído de E.V.A (Espuma Vinílica Acetinada), um material que funciona muito bem, isolando completamente o corpo do usuário contra a umidade e diminui muito a perda de calor durante a noite.

Construído de maneira moldada com textura em alto relevo, lembra as antigas “caixas de ovos”, essa construção faz do isolante térmico Thor ser muito confortável, sem perder a capacidade de isolamento.

Isolante Térmico Dobrável

O isolante térmico Thor da marca brasileira Azteq é dobrável, leve e compacto, pesando 320 gramas é mais leve que os isolantes convencionais, além disso ele possui espessura de 8 mm o que garante ótimo conforto ao usuário.

 

Isolante Térmico Dobrável

Isolante Térmico Dobrável

Isolante Térmico Dobrável

Conta com as seguintes medidas:

Medida aberto – Comprimento: 1,80 m, largura: 50 cm e espessura de 8 mm.

Medida fechado – comprimento: 50 cm, largura 15 cm e altura 10 cm.

Isolante Térmico Dobrável

OBS: Não recomendado usar com temperaturas abaixo de zero graus, para saber mais clique aqui:

Nossa opinião:

Já testamos em dois acampamentos que fizemos e até o presente momento está superando nossas expectativas, com certeza é um ótimo produto, com excelente custo benefício. Seu valor de mercado é de R$ 70,00 reais aproximadamente. A única desvantagem deste modelo é que o transporte do produto é feito no lado externo da mochila cargueira, igual aos isolantes normais que conhecemos, isso poderá ser desvantajoso caso você for usar em trekkings onde passa-se por dentro de mata fechada.

Onde comprar:

Este equipamento você encontra na loja de nossos parceiros Guenoa Bikes e Apetrechos para Aventura, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil.

Avaliação fogareiro Spark – Azteq

Avaliação fogareiro Spark – Azteq

Vamos apresentar neste post o fogareiro Spark em uso à cerca de 3 anos, já enfrentamos muitas variações climáticas então ele não se encontra novo, mas mesmo assim continua bom como se fosse.

Se você é aventureiro e gosta de praticidade na hora de cozinhar seus alimentos e muitas vezes não tem a possibilidade de ascender uma fogueira, ou em alguns lugares fazer fogueira é proibido, então a maneira mais fácil de solucionar este empecilho é utilizar fogareiros adequados para atividades ao ar livre.

A não muito tempo atrás, víamos aventureiros carregando fogareiros enormes de ferro com botijões, carregar um destes não era uma tarefa fácil. Já hoje em dia não é mais assim, com a evolução de materiais e novas tecnologias aplicadas na área de esportes de aventura, os fogareiros diminuíram de tamanho consideravelmente, não perdendo sua eficácia de aquecimento, mas sendo melhorada com o passar dos anos, tornando-se grandes aliados dos viajantes.

Hoje no mercado nacional existem uma infinidade de fogareiros, com formas, aplicações distintas e grande poder calorifico, facilitando o cozimento de alimentos, as vezes até mais rápidos que os fogões que temos em nossas casas.

Vamos apresentar nessa avaliação um dos fogareiros mais compactos e leves do mercado nacional, mostrando todas suas características, pontos positivos e negativos para ajudar você na escolha do equipamento que mais se encaixa em seu perfil aventureiro.

Características:

O fogareiro Spark da marca Brasileira Azteq é construído de maneira inteligente, é um dos poucos equipamentos dessa linha que é dobrável, podendo ser dobrado em duas partes, as imagens a seguir mostram as duas formas, sendo que a primeira possui uma rosca em seu corpo,  onde o queimador vira cerca de 180°, facilitando o armazenamento.

A segunda parte são as hastes de suporte da panela, estas se estendem ou encolhem para assim acomodar outros tamanhos de panelas, garantindo melhor estabilização na hora de cozinhar os alimentos. Segundo o fabricante do fogareiro Spark, acomoda-se panelas com diâmetro máximo de 20 centímetros.

Fogareiro Spark - Azteq

Nas imagens acima podemos ver um dado importante, que é o diâmetro do orifício de entrada de gás, quanto menor for este valor, maior será sua pressão de injeção de gás, isto aumenta a pressão de funcionamento, tornando-o funcional nos ambientes mais extremos.

O fogareiro Spark é compacto, leve e muito resistente, é tão pequeno que cabe na palma da mão, pesa cerca de 87 gramas, mesmo assim possui um grande poder calorífico, podendo ferver 1 litro de água em poucos minutos.

Assista o vídeo:

Um detalhe interessante sobre a chama desse fogareiro é que não se apaga por ocasião de ventos fortes, para analisar este quesito, usamos um ventilador caseiro para gerar vento diretamente na chama, forçando-o a apagar até com a chama mais baixa, em todos os testes que fizemos ele não apagou.

chama

Segundo o fabricante ele consome cerca de 57 g/h de gás, então você pode deixa-lo aceso por 4 horas interruptas, estes valores só são confirmados usando a abertura total da válvula e em condições perfeitas de funcionamento. O consumo de gás pode variar de acordo com as situações climáticas, caso esteja ventando forte ou em climas mais frios ele pode demorar um pouco mais para cozinhar os alimentos e o gás relativamente acabará antes do previsto.

O fogareiro Spark, possui estojo de transporte, construído com materiais de primeira linha, onde podemos acomodar o fogareiro de maneira segura, é feito de tecido neoprene (embora não devemos coloca-lo dentro do estojo ainda quente), o que protege contra possíveis incêndios que possam ocorrer, sua principal função neste caso é isolar o calor gerado pelas hastes metálicas e o queimador do fogareiro.

spark-trs

O estojo de armazenagem foi pensado para ocupar o minimo espaço dentro da mochila, por isso ele se acopla perfeitamente embaixo do cartucho de gás, veja na imagem abaixo:

DSC_3201

DSCN5735

DSCN5742

Note na imagem a cima que em cada extremidade do estojo de transporte há uma alça, estas tem como objetivo fixar na parte externa da mochila cargueira, proporcionando rapidez na hora de cozinhar seus alimentos, caso você esteja em um camping pode usar estas alças para pendurar ele em algum galho de árvore, impedindo assim que você perca o estojo.

Características conforme o fabricante:

  • Peso: 87 g
  • Dimensões (aberto): 8,5 x 8,0 cm
  • Dimensões (fechado): 5,5 x 8,5 cm
  • Diâmetro do Fogareiro (suporte para panela): 10,5 cm
  • Diâmetro do Estojo de Neoprene: 11 cm
  • Consumo de Gás: 57 g/h

Avaliação:

Utilizamos em nossas viagens e aventuras este equipamento a cerca de 3 anos, já utilizamos nas mais variadas condições climáticas e em todas as vezes que ele foi necessário, se manteve igual, como se fosse novo. O único ponto negativo para apontar nesse equipamento que não possui ascendedor automático, temos que levar conosco isqueiro ou fósforos para ascende-lo.

Caso você esteja procurando um fogareiro leve e confiável, com certeza esta opção será uma excelente escolha.

Este fogareiro você encontra no site da marca Azteq no Brasil e nas lojas Guenoa Bikes e Apetrechos para Aventura, Mundo Terra, Makalu Sports, On The Rocks, Lukla.

Fotos: Luís H. Fritsch

 

Barraca Nepal II – Azteq

Barraca Nepal II – Azteq

Vamos apresentar nesse review uma barraca já em uso há mais de 8 meses, mostrando todas as suas características, pontos positivos e negativos.

Marca: Azteq

Desde 2000, a Azteq, empresa Brasileira, vem desenvolvendo equipamentos para atividades ao ar livre, como trekking, ciclismo, escalada, camping, além de utilidades para viagem. Fonte: Azteq

Assista o vídeo:

Características:

A Nova Barraca Nepal da Azteq é uma barraca de 3 estações, não autoportante, do tipo arco, muito leve, fácil de montar e resistente a ventos. Acomoda perfeitamente duas pessoas com bagagem.

Seu sobre-teto é fabricado em poliéster tipo Ripstop com tratamento de poliuretano e costuras seladas, que garante impermeabilização com 6.000mm de coluna de água.

DSCN3288

A grande diferença na construção dessa barraca é que ela utiliza apenas uma vareta de material duralumínio aeronáutico. O maior benefício disso é o baixo peso, fazendo com que a barraca Nepal II da Azteq tenha pouco mais que 2 kg, mesmo sendo uma barraca de bom tamanho, com espaço suficiente para abrigar confortavelmente duas pessoas.

A Nepal II possui duas saídas de ar superiores para permitir ventilação cruzada e minimizar a condensação interna.

Possuí duas portas, facilitando o acesso ao seu interior, juntamente com avanços laterais que possuem espaço suficiente para guardar calçados, roupas e outros equipamentos. Além disso, suas laterais são protegidas com saias para neve, isso é uma tecnologia pouco utilizada aqui no Brasil. É uma barraca boa para usar em todas as situações, desde camping confortável à alta montanha, para acampamento até 4.500 metros de altitude.

portas

Sem Título-1

Seu dormitório é em nylon, com paredes teladas para garantir melhor respiração e o piso em poliéster / poliuretano.

Sem Título-2

Na parte interna, possui bolsos laterais, prateleira para guardar itens e também possui porta lanterna no teto.

DCIM101GOPROGOPR7255.

O design da nova barraca Nepal 2 também foi atualizado, e agora a parte lateral conta também com uma mandala, item já verificado em algumas outras barracas da Azteq. A parte interna conta agora com suporte para lanterna.

DSCN3682

Além disso, a Azteq foi muito feliz em utilizar engates rápidos para os ajustes, o que torna a montagem e desmontagem facilitadas. Aliás, na última versão dessa barraca, foi introduzida uma novidade, a bolsa de transporte. Ao contrário das tradicionais que são difíceis de colocar e tirar o equipamento, o novo modelo vem no estilo “enrolável”, onde permite dobrar a barraca em um tamanho não tão diminuto, porém facilmente guardada e “enrolada” no pack de transporte.

barraca nepal

A barraca Nepal 2 da Azteq é ideal para duas pessoas, desde que guardados os equipamentos nos avances laterais, sendo perfeita para utilização em montanhismo, viagens, travessias, cicloturismo e camping. É uma excelente barraca!

Especificações:

  • Capacidade: 2 pessoas
  • Dimensões (aberta, Comprimento x Largura x Altura): 272 x 256 x 110 cm
  • Dimensões (fechada): 16 x 50 cm
  • Peso: 2.300 g.
  • Piso: Nylon Oxford Ripstop respirável 70D/210T. Suporta coluna d’água de 6.000mm.
  • Costuras: Seladas eletronicamente.
  • Teto: Nylon Taffeta 70D/190T. Suporta coluna d’água de 6.000mm.
  • Vareta: Duraluminio anodizado conectado com elásticos especiais.

Outros:

  • Estrutura da canaleta por onde passa a vareta feita com Power Mesh.
  • Presilhas de engate rápido para fixação lateral do corpo da barraca na vareta.
  • Argola superior interna para fixação de lanterna.
  • Pontos de estresse com reforço extra.
  • Abertura para ventilação para climas mais quentes.
  • Saias para neve.

Conclusão:

Passados oito meses desde a compra desta barraca, já acampei nos mais variados climas do Brasil, em temperaturas negativas no sul do Brasil, lugares de muito calor, praias, campo aberto, com chuva torrencial, ventos fortes e grandes geadas, posso dizer com certeza que essa é uma das barracas com o melhor custo-beneficio vendida no Brasil atualmente.

Ela é de fácil montagem/desmontagem, os ajustes do sobre-teto são muito eficientes, pois garantem que você sempre monte ela no mesmo padrão, garantindo assim melhor sustentabilidade em climas desfavoráveis.

Esta barraca se comportou muito bem sobre grandes quantidades de chuva e ventos, até mesmo sendo montada em solos encharcados, todos os tecidos impermeáveis deram conta do recado, a ventilação dentro da barraca também é um ponto forte, ela ventila muito bem, somente em climas muito frios que ela tende a condensar um pouco, isso se dá pelo calor gerado pelo corpo.

Os espeques/estacas da barraca são relativamente frágeis, em solos muito duros, recomento usar sempre uma pequena marreta de borracha ao prender os espeques, pois somente com os pés e as mão eles entortam muito fáceis.

Pontos positivos: Leve, compacta, boa impermeabilidade, facilidade para montar e excelente custo-beneficio.

Pontos negativos: Condensa relativamente fácil em climas frios, espeques/estacas são frágeis, entortam com facilidade.

Esta barraca e outros equipamentos para suas aventuras você encontra na loja de nossos parceiros:

996056_580973958630913_159691964_n

Contato:

Fone: +55 (54) 3213.5131

vendas@guenoa.com.br

https://www.guenoa.com.br/

Texto e fotos: Luís H. Fitsch

 

Já ouviu falar em carregador solar de bateria?

O Carregador Solar Portátil JUMP, da Azteq, é ideal para viagens e aventura, pois pode ser pendurado em uma mochila, carregando seu celular ou máquina durante a caminhada. Pode ser recarregado pela luz solar ou por uma entrada USB.
O Carregador Solar Portátil JUMP é indicado para produtos com voltagem entre DC 5v+/-0.5v e corrente menor que 500 mAh.
Acompanha ainda um mosquetão plástico incorporado para facilitar fixação na mochila.
CARACTERISTICAS
Peso: 150 g
Dimensões: 5,5 cm x 8,7 cm x 2,3 cm
Bateria: de Lithium com capacidade de 1.100 mAh /3.7v
Painel Solar: de última geração com capacidade de 20 mAh/6v

Carregador solar - Marca Azteq
Carregador solar – Marca Azteq

Fonte:http://www.azteq.com.br/