Cuidados e dicas na prática esportiva

Sabemos que a prática esportiva não é simplesmente acordar um dia e resolver ser um atleta. Praticar esportes necessita de um preparo antes, para conseguir aguentar toda a intensidade que um esforço físico proporciona. Muitas pessoas não possuem um físico adequado e nem um organismo preparado para a realização de alguns exercícios e acabam sofrendo lesões e contusões sérias. Outros acabam passando mal, tendo o conhecido mal súbito, que leva muitos atletas a morte.

“Tanto no verão quanto no inverno devemos fazer uma avaliação médica e física, não são obrigatórias, mas é interessante realizar essas avaliações, para identificar se existe algum problema físico ou de saúde que pode ser desencadeado durante a prática esportiva.” ressalta a enfermeira Magda Chagas, que desde 2012 trabalha na área da saúde esportiva.

prática esportiva
Créditos: Luis Leandro Grassel

Magda é também é coordenadora do setor da saúde do Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas e Montanhas 2018. Após as duas primeiras etapas do campeonato que ocorreram em Farroupilha e Tupandi, e foram marcadas pelo calor excessivo e chuva torrencial – respectivamente. Conversamos sobre os principais problemas (referentes à saúde), que os atletas enfrentaram.

Segundo Magda, a quantidade excessiva de intercorrências gástricas, ocorridas na primeira etapa do campeonato em Farroupilha, estavam diretamente relacionadas ao calor excessivo. O corredor toma mais água, devido ao medo de desidratação e também para refrescar o corpo.

“Esse excesso de água e a postura dos corredores em aclives gerou náuseas, vômitos e dores gástricas, iniciando o processo de hiponatremia, condição metabólica caracterizada pela redução de sódio no sangue a níveis tão baixos que pode começar a aparecer letargia, náusea, dores abdominais, mudanças de humor…” explica Magda. Já outros corredores, tomaram cápsulas de sal e não respeitaram as 2/3 horas de exercício exaustivo e nem a correta reposição hídrica.

Já na segunda etapa do campeonato ocorrida na cidade de Tupandi, houve intercorrências devido a dores musculares, cãibras e fadigas e alguns casos piorando a questão clínica. “Devemos sempre lembrar que o glicogênio é uma reserva de glicose, que está no sangue e precisa ser quebrada. Portanto, para o corpo funcionar corretamente, é preciso ter energia, comer durante a prova. Os corredores devem sempre manter a reserva de glicogênio, buscando sempre o bom funcionamento do organismo durante e após as provas.” ressalta a enfermeira que estará presente em todas as etapas do CGCTM 2018.

E atenção… em todo e qualquer evento esportivo – ciclismo, corrida, futebol…entre outros; é imprescindível  que haja paramédicos no local, caso não houver é preciso ter alguém que saiba os primeiros socorros, para que em qualquer caso de emergência, possa agir e ajudar alguém que passe mal por causa da prática esportiva.

Vale ressaltar que o tempo é fator preponderante no salvamento efetivo de vidas. Em razão de que a grande maioria da população não detém conhecimento técnico na área de atendimento de emergência, costumeiramente nada é realizado entre o momento do ocorrido até a chegada das equipes de socorro. Tal lapso de tempo pode significar a diferença entre a vida ou a morte da pessoa.

TrekkingRS:

Comentários

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *