ao vivo

Cobertura Online – Mountain Series

Quilômetros Rodados

2.500/Km

Trilhas Percorridas

110 km

Cumes concluídos

9 cumes

Imagens Capturadas

615 fotos

Parque Nacional do Itatiaia/RJ

Foto: Luís H. Fritsch

Chegamos ao Parque Nacional Itatiaia/RJ – (PNI) no dia 09 de Setembro/2019, depois de realizar todos os tramites sobre a hospedagem no parque, começamos a caminhada até o Morro do Couto, 8º cume mais alto do Brasil, com 2.680 metros de altitude.

De sua base até o cume, passamos por inúmeras pedras gigantescas, até chegar ao topo, não é necessário o uso de cordas ou equipamentos de uso vertical. No topo, podemos visualizar boa parte da Serra da Mantiqueira e a imponente Serra Fina, uma travessia que realizamos no dia 02 a 05 de Setembro de 2019.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Depois de alguns minutos de contemplação e descanso, começamos a caminhada até o Abrigo Rebouças, onde ali ficamos hospedados por 04 (quatro) dias.

Com sua construção já concluída na primeira metade dos anos 50 do século passado, na gestão de Wanderbilt Duarte de Barros, o Abrigo Rebouças é atualmente o mais alto do Brasil (altitude de 2350 metros), sendo um típico abrigo de montanha.

Foto: Luís H. Fritsch

Batizado como Rebouças desde a sua inauguração, homenageia o engenheiro civil, botânico e geólogo André Pinto Rebouças (1838-1898), pioneiro em vários temas, destacando-se como um combativo abolicionista e, à sua época, um dos maiores incentivadores para a criação de parques nacionais.

O Abrigo está localizado em meio ao Parque Nacional do Itatiaia, estar ali em meio a natureza intacta e preservada é algo incrível, deste ponto é possível avistar o grandioso Pico das Agulhas Negras com 2.790 metros de altitude.

Foto: Luís H. Fritsch

Na Terça feira, dia 10 de Setembro o dia amanheceu ensolarado, não havia nenhuma nuvem se quer no céu, o dia estava perfeito para encararmos os desafios de uma trilha até a base do Maciço Prateleiras e uma “escalaminhada” até o cume, considerado o 23º pico mais alto do Brasil, com 2.548 metros de altitude.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Na Quarta Feira dia 11 de Setembro, amanheceu novamente perfeito o clima, não estava calor e nem frio, o céu estava azul, neste dia subiríamos o Pico das Agulhas Negras, distante aproximadamente 3,5 km do Abrigo Rebouças.

Foto: Luís H. Fritsch

A caminhada começou por volta de 8:00 horas da manhã, a primeira parte desse trajeto é composta por uma caminhada leve, sem obstáculos, passamos por uma linda “pinguela” (ponte pênsil), depois de mais ou menos 1h de caminhada começamos a subir as rampas de granito do Agulhas Negras, conforme íamos subindo, precisávamos de mais cuidado e atenção, em alguns pontos era necessário usar equipamentos de segurança vertical, em algumas partes chegamos a sentir vertigem, mas com bastante cuidado e ajuda dos profissionais da Sol de Indiada, conseguimos ultrapassar os desafios, aos poucos fomos progredindo até chegar no cume Cruzeiro.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Vale mencionar que o Agulhas Negras possuem aproximadamente 18 cumes, nós optamos por fazer o cume Cruzeiro primeiramente e depois fazer uso de técnicas verticais  até cume Açu, este é o local onde se encontra o livro cume, sendo o ponto mais alto do Agulhas Negras.

Chegar ao cume mais alto do Agulhas Negras com 2.790 metros é recompensador, do alto temos uma vista de 360°, podendo ver o Maciço Prateleiras, Morro do Couto, Pedra do Sino (Itatiaia), Pedra do Altar, o Abrigo Rebouças e as cidades aos arredores.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

A descida foi tranquila, sempre com muita atenção e cuidado nos locais expostos, sendo necessário usar equipamentos de vertical, ao chegar na trilha novamente, partimos então para a Asa de Hermes, um monumento localizado na parte esquerda do Agulhas Negras, a cerca de 2.548 metros de altitude, no caminho até o cume passamos por pedras gigantescas, paredes íngremes e vertiginosas.

Foto: Luís H. Fritsch

Depois de algumas horas assinamos o livro cume do monumento da Asa de Hermes que fica em sua base, a vista desse ponto é muito legal, pois conseguimos ver as enormes paredes verticais do Agulhas Negras e também a Pedra do Altar e boa parte do Circuito dos Cinco Lagos, atrativos estes que compõem a parte alta do PNI.

Ainda na Asa de Hermes, os mais aventureiros do grupo, escalaram até o cume da Asa de Hermes e fizeram um rapel, podendo ser considerado um dos rapeis mais altos do país.

Foto: Luís H. Fritsch

A volta foi tranquila até o Abrigo Rebouças, chegamos próximos ao entardecer.

Na Quinta feira dia 12 de Setembro, tiramos o dia de folga para organizar equipamentos e descansar um pouco, pois no dia 13 (sexta feira) faríamos a Travessia Ruy Braga com 25 km aproximadamente, conhecida como a estrada federal mais alta do Brasil, para um melhor aproveitamento da travessia, faríamos o percurso em 2 dias, e pernoitando no Abrigo água Branca.

Travessia Ruy Braga

Sexta Feira dia 13 de Setembro, o dia amanheceu com céu azul e algumas nuvens, mas nada a se preocupar, acordamos cedo, arrumamos todos os equipamentos, tomamos um café da manhã reforçado e começamos a travessia.

O trajeto da Ruy Braga é cercada de belas paisagens conforme caminhávamos, fomos nos despedindo da parte alta do Itatiaia e aos poucos nos familiarizando com a vegetação úmida da Parte Baixa do parque, é muito legal caminhar em uma trilha olhando no horizonte a mudança de vegetação, ao olharmos para cima, víamos os campos de altitude e para baixo a vegetação verde da mata atlântica.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Em alguns pontos da travessia, avistamos um “mar de nuvens”, lembrando muito a região dos cânions do sul do Brasil, lá por volta das 14:30 horas da tarde chegamos ao Abrigo Água Branca. O local antigamente servia apenas como abrigo para pesquisadores, no entanto hoje em dia o abrigo pode ser usado por todos os visitantes que fazem a travessia Ruy Braga com as devidas autorizações do ICMBio.

O abrigo fica em um espigão (crista de serra), em dias ensolarados é possível ver o sol nascendo e o entardecer. Nós no entanto, não tivemos essa sorte, pois havia uma densa neblina que pairava no ar.

No sábado dia 14 de Setembro, saímos cedo do abrigo em direção a Sede do Parque Nacional do Itatiaia, localizada na parte baixa junto ao Município de Itatiaia/RJ.

Foto: Luís H. Fritsch

Chegamos por volta de 12:00 horas na Sede, lá conseguimos conhecer ainda a Cachoeira do Maromba, uma pequena queda com águas cristalinas, ótimo lugar para desfrutar dos dias de calor. Fiz algumas imagens e seguimos nossa viagem de carro em direção ao nosso 4° (quarto) desafio, subir o Escalavrado.

Foto: Luís H. Fritsch

Domingo dia 15 de Setembro/2019 acordamos cedo, tomamos um café reforçado, organizamos os equipamentos de vertical e nos deslocamos de carro até o começo da trilha que dá acesso ao Escalavrado (1.406 metros de altitude), conhecida como a primeira formação rochosa da Serra dos Órgãos, localizada na cidade de Teresópolis/RJ.

Foto: Luís H. Fritsch

Logo nos primeiros metros da trilha já vimos que seria um grande desafio, o começo é íngreme e escorregadio, na maior parte do trajeto tivemos que nos agarrar em raízes e caules das árvores que crescem em meio às rochas de granito. Em outros momentos tivemos que usar os equipamentos de vertical para progredir na trilha com segurança, ao chegarmos na metade do percurso o tempo começou a nublar, logo surgiu uma neblina densa. Priorizando sempre a segurança de todos resolvemos descer a formação.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

O local conta com grande aclive, em algumas parte dessa trilha o ângulo ultrapassa a marca dos 45° de inclinação, o granito que compõem o Escalavrado pode ser muito aderente em situações de tempo seco, mas é só começar a ficar um pouco úmido que a aderência se vai.  Para evitar algum acidente por causa da umidade ou alguma chuva repentina que pudesse vir a ocorrer, decidimos em conjunto com todo o grupo em voltar até sua base e cancelar a ida até o cume.

Foto: Luís H. Fritsch

Na próxima segunda feira dia 16 de Setembro nos deslocamos para o Alto do Caparaó na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo para conquistar os cumes do Pico da Bandeira – Terceiro mais alto do Brasil com 2.891 metros de altitude, Pico do Calçado e Pico do Cristal.

Além de conferir as novidades dessa aventura aqui na cobertura online, você também pode acompanhar pelo Instagram, via Trekking RS e Sol de Indiada ou pelas hashtags oficial do evento – #MontainSeries, #TrekkingRS #SoldeIndiada .

Travessia concluída

Começamos a Travessia da Serra Fina no dia 02 de Setembro/2019, estávamos em 09 (nove) pessoas no total, essa aventura pode ser considerada uma das mais desafiadoras do Brasil, e para nós o trekking na Serra Fina foi um misto de muitas experiências, algumas delas foram extremas, outras encantadoras e surreais.

Foram quatro dias de muitas trilhas, acampamentos selvagens, teve chuva, granizo, ventos de mais de 80 km/h, fomos desafiados, testados pela montanha e retornamos à Passa Quatro/MG com o sentimento de dever cumprido.

Separamos algumas imagens dessa travessia para você se inspirar!

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Aurélio
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

O nosso próximo objetivo está próximo, vamos nos deslocar segunda feira dia 09 de Setembro/2019 para o Parque Nacional do Itatiaia, conhecido por ter alguns dos cumes mais altos do Brasil.

Foto: Luís H. Fritsch

Ficaremos hospedados no refúgio Rebouças durante 04 (quatro) dias, dentro do Parque Nacional do Itatiaia, vamos percorrer as trilhas que levam aos cumes do Agúlhas Negras (2.791 m), Morro do Couto (2.680 m), Pedra do Sino (2.670 m), Maciço Prateleiras (2.548 m) e também faremos o Circuito dos Cinco Lagos. Estes caminhos e cumes cobrem a parte alta do Itatiaia.

Nos dias 13 e 14 de Setembro/2019 faremos a travessia Ruy Braga, conhecida como a estrada federal mais alta do Brasil.

Preparativos para a Serra Fina – 01/09/2019

Foto: Luís H. Fritsch

O dia começou ensolarado, embora estivesse quente, soprava uma leve brisa de ar, a equipe do Mountain Series acordou um pouco mais tarde, por volta de 8:30 da manhã, o café estava servido no Hostel Harpia, preparado sempre com muito carinho pela dona Doca.

Depois do café, cada um foi fazer suas atividades diárias, uns foram caminhar e outros estavam arrumando as mochilas para amanhã (02 de Setembro- Início da travessia).

1° de Setembro é uma data muito especial em Passa Quatro/MG, comemora-se o aniversário da cidade, e por esse motivo rolou muita diversão para as famílias e os turistas na Praça dos Leões, que está localizada quase na frente do Hostel Harpia

Ainda durante a manhã, fomos à estação ferroviária de Passa Quatro para ver a bela “Maria Fumaça” começar a sua viagem pela Serra da Mantiqueira.

A “Maria Fumaça” é uma locomotiva da marca Baldwin de 1925 e de número 332 que era utilizada rotineiramente nas viagens ferroviárias do século passado. Atualmente conduz uma composição num passeio turístico cujo roteiro inicia na histórica estação de Passa Quatro, com uma parada para compras na Estação do Manacá, seguindo até à Estação Cel. Fulgêncio, no alto da Serra da Mantiqueira, junto à entrada do túnel na divisa de MG/SP. O trecho percorrido pertence a antiga The Minas and Rio Railway Company que foi inaugurada em 1884 e na inauguração contou com a visita oficial de D. Pedro II.

Foto: Luís H. Fritsch

Antes do almoço, chegaram os últimos participantes que faltavam para completar a lista das pessoas que irá se desafiar na Travessia Serra Fina.

No meio da tarde aconteceu o Briefing, uma conversa entre os participantes e a equipe, afim de tirar dúvidas pertinentes sobre à travessia e também apresentar o funcionamento do “Shit Tube” (tubo onde se acondiciona fezes, de forma higiênica).

Como o ditado já diz, “Não deixe nada além de pegadas”

Foto: Lucas Ferreira / Sol de Indiada

Temos todos este mesmo pensamento, por isso o uso do “Shit Tube” é essencial durante todas as travessias em ambientes naturais por onde o Mountain Series irá passar!

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Treino Serra Fina

Hoje (29 de Agosto/20019) foi dia de treino no Mountain Series, a equipe toda se reuniu para trilhar os caminhos da Serra Fina/MG, saímos do Hostel Harpia às 8:00 da manhã, ao chegar na base da serra, deixamos o carro próximo a Toca do Lobo.

A Toca do Lobo com 1.515 metros de altitude é o ponto inicial para os caminhantes que desejam percorrer as trilhas da Serra Fina, dali até o Capim Amarelo – 2.491 metros de altitude, caminha-se aproximadamente 4,5 km, com altimetria de mais de 1.000 metros de aclive acumulado.

Todo esse caminho foi realizado em algumas horas pela equipe do Mountain Series, que além de chegar ao topo do Capim Amarelo ainda seguiu até o acampamento avançado “Maracanã”.

 Agora estamos aguardando a chegada dos clientes que irão percorrer conosco essas trilhas, já está tudo programado e acertado.

Amanhã dia 31 de Agosto teremos um dia livre para descansar e no dia 1 de Setembro haverá um Briefing com todos os participantes dessa aventura.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Capim Amarelo – 2.491 metros / Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Passa Quatro/MG – Mountain Series

Olá galera, já é 27 de Agosto/2019, estamos na cidade de Passa Quatro/MG à alguns dias, essa cidadezinha é um lugar tranquilo com boa receptividade, povo tranquilo e alegre, localizada abaixo da Serra da Mantiqueira.

Estamos hospedados no Hostel Harpia, um tradicional casarão de mais de 150 anos, com amplos espaços internos e externos, que acomodam tranquilamente cerca de 44 pessoas.

Foto: Luís H. Fritsch

O casarão possui quartos compartilhados com beliche, ampla cozinha compartilhada, banheiros divididos por sexo, com chuveiros de água quente à gás. Na parte externa possui área para exercícios, jardim e uma enorme sacada com vista para as montanhas da serra da Mantiqueira e da parte central da cidade.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

O proprietário Sr. Alessandro, é uma pessoa muito tranquila e gente boa, administra o hostel juntamente com a única loja de equipamentos outdoor da cidade, chamada de Harpia Adventure.

Foto: Luís H. Fritsch

A loja atua nos ramos de Montanhismo, Trekking, Trail Running e Ciclismo, atividades que compõem os atrativos turísticos da cidade. Em seu estoque oferece marcas como: Salomon, Deuter, Azteq, The North Face, Naturehike e outras.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Itinerário em Passa Quatro/MG – Mountain Series

Chegamos na cidade no dia 26 de agosto, segunda feira por volta das 19:30, descarregamos todas bagagens e saímos para jantar. O local escolhido sugerido foi o Empadas La Motta, um restaurante típico da cidade, servindo como prato principal empadas, mas conta também com pizzas para até duas pessoas.

Foto: Empadas La Motta

Depois do jantar, voltamos para o hostel para descansar e dormir.

No dia 27 de Agosto- terça feira, acordamos e começamos a organizar os equipamentos e alimentação que seriam usados nos porteio para à travessia da Serra Fina no dia seguinte.

Alimentação e água, barracas, sacos de dormir e algumas roupas técnicas foram separados para serem levados até os dois últimos acampamentos da travessia.

Foto: Luís H. Fritsch

Neste mesmo dia, aproveitamos o dia ensolarado para conhecer o Hostel Inti Rayme – Casa de Pedra, um lugar muito tranquilo em meio as montanhas da Serra da Mantiqueira, clique no link para saber mais!

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

No dia 28 de Agosto, quarta feira a equipe de carregadores do Mountain Series, levantou cedo, por volta de 6:00 da manhã, tomaram um café bem reforçado e saíram para fazer os devidos porteios.

Com as mochilas pesando aproximadamente 30 kg cada, os três carregadores chegaram por volta de 12:30 no Cume da Pedra da Mina (2.798 m), depois às 13:00  da tarde no Vale do Ruah e por volta das 16:00 no pico Cupim de Boi (aprox. 2.500 m).

Foto: Gregório Tedesco
Foto: Gregório Tedesco
Foto: Gregório Tedesco

Nesse dia de caminhada foram percorridos 22 km de trilhas ida e volta, com 2.101 metros de aclive acumulado.

Vale ressaltar que a equipe do Mountain Series levou consigo os novos livros cumes da Pedra da Mina e do Pico dos Três Estados para serem trocados, a pedido do Guto, montanhista e guia na Serra da Mantiqueira.

Foto: Evandro Clunc

Enquanto uma parte da equipe estavam trilhando nas montanhas, o restante estava explorando as belezas naturais de Passa Quatro, como a Floresta Nacional e a Cachoeira Iporã. A Floresta Nacional de Passa Quatro conta com uma área que abrange 3,5 milhões de m², inseridos no Domínio da Mata Atlântica, integrando o Corredor Ecológico da Serra da Mantiqueira e o Mosaico de Unidades de Conservação da Serra da Mantiqueira.

Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch
Foto: Luís H. Fritsch

Começou o Mountain Series

A partir de hoje (22 de Agosto/2019) começamos a nossa cobertura online do Mountain Series, uma aventura muito divertida que levará inúmeras pessoas a alcançar os cumes mais altos do país. Quer saber mais sobre o Mountain Series, então clique aqui!

Faltam exatos 3 dias para começar esse evento, no dia 25 de Agosto/2019 às 21:00 hs será dada a partida, os organizadores: Luís (Trekking RS),  Evandro/ Lucas (Sol de Indiada) e mais alguns clientes, saíram de suas casas na cidade de Caxias do Sul/RS com destino à Passa Quatro, uma cidadezinha no interior de Minas Gerais que é uma das portas de entrada para a Serra da Mantiqueira. Eles estarão cortando o país em uma clássica Road Trip (viagem de carro) de 1228 km.

A previsão de chegada está marcada para o dia 26/08 em Passa Quatro/MG.

Do dia 27 à 30/08 os organizadores farão alguns porteios na Serra Fina, deixando assim tudo bem alinhado para receber os primeiros clientes no dia 01/09, neste dia haverá o Briefing com todos os participantes da primeira travessia de trekking no Mountain Series.

Linha do tempo

Criamos uma linha do tempo com os principais destinos para que você acompanhe essa aventura aqui na cobertura online Mountain Series.

cobertura-online-mountain-series

A imagem acima é ilustrada para melhor entendimento do evento, a equipe organizadora irá rodar o país de carro, facilitando assim os custos de deslocamento entre uma travessia de trekking e outra.

Principais cumes

O Mountain Series terá em sua lista de cumes mais altos do país, os principais cumes: Pico da Bandeira, Pico do Calçado, Pedra da Mina, Pico Agulhas Negras, Pico do Cristal, Morro do Couto, Pedra do Sino (Itatiaia), Pico dos Três Estados, Pedra do Altar, Maciço Prateleiras, Asa de Hermes, Capim Amarelo, Pedra do Sino (PARNASO), Pedra do Baú e Escalavrado.

cobertura-online-mountain-series

Além de conferir as novidades dessa aventura aqui na cobertura online, você também pode acompanhar pelo Instagram, via Trekking RS e Sol de Indiada ou pelas hashtags oficial do evento – #MontainSeries, #TrekkingRS #SoldeIndiada .