A cicloviagem será feita de maneira “solo” e autossuficiente! O objetivo é percorrer o cone Sul da América do Sul em uma viagem dividida em três etapas. A primeira delas tem início no litoral do Rio Grande do Sul (cidade de Chuí ou Cassino, em Rio Grande), passa por toda a extensão do litoral uruguaio até chegar na cidade de Buenos Aires, onde seguirá de ônibus até Bariloche.

A segunda etapa da viagem intenta explorar alguns dos principais pontos de aventura na Patagônia Chilena e Argentina, tendo como ponto mais extremo da expedição a Isla Navarino, no Chile.

Após cruzar por lancha o Canal de Beagle e chegar em Ushuaia, inicia-se o terceiro trecho da viagem, que tem o Norte como rumo, percorrendo assim o desértico trecho da costa litorânea da Patagônia Argentina e posteriormente o retorno ao Brasil.

Além da cicloviagem em si, várias atividades de trekking e hiking nos principais parques nacionais  serão feitas durante a jornada, tanto no Chile como na Argentina.

Essa expedição conta com a parceria do portal de aventuras Trekking RS e o apoio da plataforma colaborativa de aventuras outdoor AventureBox.

Perfil

Edson Maia tem 49 anos e é natural da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Trabalha com suporte técnico em Tecnologia da Informação, tendo experiência de 20 anos na área. Já foi bancário, microempresário no ramo de laboratório ótico e também no segmento de comércio de informática.

Nos últimos anos buscou melhor qualidade de vida, escolhendo uma rotina que priorizasse uma vida mais saudável e em sintonia com o sonho de viver de maneira mais simples. Então, mudou-se de cidade, saindo da capital gaúcha e estabelecendo residência em Garopaba, litoral do estado de Santa Catarina, onde vive atualmente e coloca em prática o estilo de vida minimalista e frugal.

Amante da natureza e entusiasta das práticas ao ar livre, é colunista deste portal e influencer da rede colaborativa AventureBox, onde periodicamente gera conteúdos de mídia relacionados com atividades outdoors tais como: Montanhismo, trekking, hiking, acampamentos e ciclismo. Respeita e acredita no poder transformador da natureza, atendendo sempre às regras do Mínimo Impacto em ambientes naturais, em qualquer que seja a atividade.

Currículo de aventuras

Trekking e hiking

Realizando estas atividades de maneira solo ou guiando pequenos grupos não comerciais, concluiu com sucesso alguns dos principais circuitos de trekking e montanhismo no Brasil, tais como:

  • Travessia da Serra Fina e Travessia Lapinha-Tabuleiro, ambas em Minas Gerais; 
  • Travessia Petrópolis-Teresópolis, na região serrana do estado do Rio Janeiro;
  • Ascensão do Pico Paraná, a montanha mais alta da região sul do país;
  • Circuito O em 8 dias, no Parque Nacional Torres del Paine, na Patagônia Chilena.

Cicloturismo

  • Percorreu em três ocasiões o litoral do Uruguai (anos 2015, 2016 e 2018).
  • Em 2015 realizou uma cicloviagem em que percorreu a região das cavernas do PETAR e da Chapada dos Veadeiros, em Goiás.
  • Recentemente, em janeiro de 2018, realizou a travessia da maior praia em extensão do mundo, a Praia do Cassino, no Rio Grande do Sul.
  • No inverno de 2018 completou o Circuito de Cicloturismo do Vale Europeu, em Santa Catarina.

Redes Sociais

Viagem

Primeira parte

A viagem inicia-se no litoral sul do Rio Grande do Sul e ultrapassa a fronteira com o Uruguai na região da cidade de Chuí. Já em terras vizinhas, serão escolhidas sempre as “rutas” mais próximas ao litoral. Na região litorânea serão feitas paradas para pernoite e descanso em campings pagos ou selvagens, bem como para conhecer e visitar pequenas cidades e povoados. O trajeto chega até a capital, Montevidéu e a pequena Colonia del Sacramento, cidade em que será feita a travessia do Rio da Plata para desembarque em Buenos Aires.

Em Buenos Aires tem fim a primeira parte do trajeto, e por recomendações de outros cicloviajantes e visando otimizar custos, desgaste da bicicleta e tempo de estrada, será percorrido de ônibus o trecho entre Buenos Aires e Bariloche. Uma viagem que dura em média 26 horas.

Principais pontos de interesse na primeira parte:

  • Reserva Ecológica do Taim
  • Barra do Chui
  • Laguna Negra
  • Forte Santa Tereza
  • Punta del Diablo
  • Valizas
  • Cabo Polônio
  • La Pedreira
  • La  Paloma
  • Laguna de Rocha
  • Laguna Garzon
  • Punta del Este
  • Piriápolis
  • Montevidéu
  • Colonia del Sacramento
  • Buenos Aires

Estimativa de tempo para conclusão da primeira etapa: entre 15 e 20 dias.

Estimativa de custos de alimentação, hospedagem e transporte: US$ 500,00

Distância estimada: 900 quilômetros

Segunda parte

Ao chegar em Bariloche, região rica de parques e atrativos naturais, além de retomar a viagem de bicicleta, iniciam-se as atividades de trekking e hiking na região por um período entre uma semana e dez dias. Ao deixar Bariloche para trás, o caminho segue um pouco ao norte, onde o objetivo é percorrer a “Ruta dos Sete Lagos”, que tem início na Villa La Angostura e vai até San Martín de Los Andes. Finalizada esta rota, a cicloviagem segue para o Chile.

Cruzando para terra chilenas na região do Paso Cardenal Antonio Samoré, toma-se a direção de Puerto Montt, passando próximo aos vulcões Osorno e Calbuco. Na Isla Chiloé, mantem-se por alguns dias em hospedagem gratuita cedida por um amigo a fim de conhecer a região, descansar, reparar e revisar o equipamento para dar início ao trecho Carretera Austral (Ruta 7).

Retomado o fôlego, intenta-se percorrer na totalidade a famosa Carretera Austral (Ruta 7), rodovia localizada no sul do Chile, conhecendo seu traçado atual de 1.240 quilômetros que une Puerto Montt à Villa O’Higgins em aproximadamente 30 dias. Concomitantemente a isto, como não poderia deixar de ser, conhecer a recentemente criada “Ruta de Los Parques”, que abrange a “Ruta 7” e a “Ruta 9” ainda mais ao sul.

Da Villa O’Higgins segue-se para o duríssimo e inóspito Paso Mayer, local onde se cruza novamente para terras argentinas, e então toma-se a direção da “Ruta 40”, tendo como destino principal a cidade de El Chaltén, conhecida como “A meca” do montanhismo sul americano e o paraíso do trekking, cujo principal expoente é o  Monte Fitz Roy.

De El Chaltén, chega-se a El Calafate (onde há o Glaciar Perino Moreno), segue-se em direção Sul até o Paso Río Don Guillermo, e agora, adentrando novamente terras chilenas, o caminho vai em direção ao Parque Nacional Torres del Paine. Apesar de ser sido percorrido em sua totalidade em 2014, a nova visita tem por objetivo avistar as famosas “Torres”, que estavam cobertas na ocasião anterior devido ao tempo fechado.

A nova parada se faz necessária na cidade de Punta Arenas, onde alguns dias serão necessários para revisar e ajustar os equipamentos, além de adquirir provisões para a etapa final desta segunda parte da viagem: Isla Navarino.  Para chegar até lá está programado o embarque no Ferry Boat que faz o itinerário de Puerto Natales até Porto Willians, uma viagem espetacular de 32h através do Canal Beagle.

É na Isla Navarino que está a grande meta: realizar de maneira solo, o cobiçado “trekking do fim do mundo”, mais conhecido como Circuito Dientes de Navarino. Após a realização do circuito a ideia é explorar de bicicleta o máximo possível desta que é considerada a cidade mais austral do planeta. É nesta cidade que se encerra a segunda parte da expedição, após contratar uma lancha para a travessia do Canal de Beagle e chegada em Ushuaia.

Principais pontos de interesse na segunda parte:

  • Bariloche
  • Villa la Angostura
  • San Martín de Los Andes
  • Paso Cardenal Antonio Samoré
  • Volcán Osorno
  • Volcán Calbuco
  • Puerto Varas
  • Isla Chiloé
  • Puerto Montt
  • Carretera Austral (Ruta 7)
  • Vila O’Higgins
  • Paso Mayer
  • Tamel Aike (2.698 km)
  • El Chaltén
  • El Calafate
  • Paso Río Don Guillermo
  • Torres Del Paine
  • Puerto Natales
  • Punta Arena (1.184 km)
  • Isla Navarino

Trekkings da segunda parte

Região de Bairolche:

Região da Carretera Austral e Ruta de Los Parques

Região de El Calafate e El Chaltén

Região de Punta Arenas e Isla Navarino

Circuito Dientes de Navarino, trekking 5 dias

Estimativa de tempo para conclusão desta segunda etapa: entre 60 e 70 dias

Estimativa de custos de alimentação, hospedagem e transporte: US$ 1500,00

Distância estimada: 3500 quilômetros

Terceira etapa

Encerrada a segunda etapa em Ushuaia, o momento é de tomar o rumo norte, percorrendo a “Ruta 3”, ou estradas mais próximas da faixa litorânea, passando por cidades maiores como Rio Grande, Comodoro Rivadavia e chegar até a Península Valdés. Com status de patrimônio mundial, a cidade é um dos pontos altos desta etapa, um verdadeiro santuário da fauna da região.

Após explorar a região da Península Valdés, segue-se ainda rumo norte. Esse trecho da viagem ainda está em fase de pesquisa e elaboração, no entanto, a tônica da terceira etapa é conhecer com calma o caminho, os povoados, as pessoas, as praias e parques, evitando tantos planos, e aceitando as decisões que podem ser feitas ao sabor do acaso: grande marca das mais intensas viagens sobre duas rodas.

Aqui, a única meta é regressar à capital argentina e de lá, dependendo do tempo, seguir em frente pelo Uruguai, porém desta vez explorando as rotas do interior, até chegar ao Brasil e encerrar assim a viagem.

Trekkings da terceira etapa:

Estimativa de tempo para conclusão desta terceira etapa: entre 60 e 70 dias

Estimativa de custos de alimentação, hospedagem e transporte: US$ 1500,00

Distância estimada: 3800 kms

“Pior que não terminar uma viagem é nunca partir”

Amyr Klink

Pontos de interesse

Estimativa de custos

  • Diárias de viagem: U$ 15,00*
  • Manutenção da bicicleta para cada 1500 kms: U$ 40,00**

* Este valor corresponde aos custos médios de despesas com alimentação e hospedagem para um cicloviajante de larga distância, segundo pesquisa em grupos, relatos e fóruns de viagens de bicicletas.

** Este valor corresponde aos custos médios de revisões completas e pequenos reparos programados, em oficinas de bicicletas.

  • Translado de ônibus Garopaba x Rio Grande: RS 250,00
  • Translado de ferry boat Colonia del Sacramento x Buenos Aires: U$ 60,00
  • Translado de ônibus de Buenos Aires x Bariloche: U$ 100,00
  • Translado de ferry boat de Punta Arenas x Isla Navarino: U$ 220,00
  • Translado internacional  de barco de Isla Navarino x Ushuaia: U$ 150,00
  • Translado de ônibus de Buenos Aires x Porto Alegre: R$ 450,00

Equipamentos e serviços desejáveis

Relação de roupas técnicas desejáveis da marca Solo – Apoiado por Solo Outdoor e Travel

  • Um conjunto segunda pele térmica Essential Merino Crew, blusa e calça. Tamanho P;
  • Dois pares de meias Essential Merino Solo, tamanho M;
  • Dois pares de meias Insulate Solo, tamanho M;
  • Um par de luvas Touch Screen, tamanho P;
  • Uma balaclava térmica X-Power;
  • Duas Camisetas manga longas Ion UV, com proteção solar, tamanho P;
  • Um Chapéu Explorer Australiano;
  • Um Gorro Térmico Microfleece, tamanho M;
  • Uma Calça Corta Vento Versatile, tamanho P;
  • Uma Calça Bermuda Explorer, tamanho P.

 

Demais peças de vestuário, como por exemplo: fleeces, jaqueta de Pluma, Anorak, jaqueta softshell, conjunto de roupas de ciclismo e underwear, já foram adquiridos, no entanto, se for conveniente e viável, para o patrocinador, posso substituir os mesmos pelos da marca Solo, enfatizando nas postagens e matérias, a exclusividade da marca e do fornecedor.

Colabore

Quer dar uma força em nossa aventura austral?

Se você leu tudo até aqui, simpatizou com a ideia toda e quer dar uma força para essa grande aventura, basta acessar o link abaixo da vaquinha online e contribuir com qualquer valor a partir de R$ 25,00.

Vaquinha Online

Sua empresa quer apoiar ou patrocinar?

support

Nossos apoiadores

Como sua empresa pode apoiar esse projeto

A empresa que tiver interesse na aventura Ciclotrekking poderá apoiar o projeto fornecendo algum dos equipamentos ou serviços que estão listados na relação de itens desejáveis. Ou ainda, por sugestão própria, fornecer algum outro tipo de produto ou serviço que possa ser útil para o sucesso da aventura.

Onde a marca/empresa apoiadora aparecerá dentro do projeto

  • Citação em todos os textos postados do site e mídias sociais;
  • Logo marca aparente no final de cada vídeo sobre o Ciclotrekking;
  • Faremos avaliações/review de cada equipamento usado, salientando sempre a marca/empresa apoiadora.

sponsor

Nossos patrocinadores

Como sua empresa pode patrocinar esse projeto

 

A empresa que tiver interesse em patrocinar a aventura Ciclotrekking poderá custear os valores de alimentação, hospedagem, traslados e manutenção da bicicleta durante a viagem, através da aquisição de cotas de patrocínio por etapa da viagem.

Onde a marca/empresa patrocinadora aparecerá dentro do projeto

  • Citação em todos os textos postados do site e mídias sociais;
  • Logo marca aparente nas imagens, videos e podcasts sobre o Ciclotrekking.

Imagens e vídeos – Ciclotrekking

Podcast – Ciclotrekking

Abaixo estão as cotas de patrocínio por etapa da viagem:

Primeira etapa Ciclotrekking (Patrocinada por FilipeFlop)

 

Segunda etapa Ciclotrekking

Estimativa de custos de alimentação, hospedagem e transporte: US$ 1500,00

Terceira etapa Ciclotrekking

Estimativa de custos de alimentação, hospedagem e transporte: US$ 1500,00