Campeões do Circuito Trilhas & Montanhas 2019!

Com idades entre 28 e 37 anos os grandes Campeões e Campeãs do Circuito Trilhas & Montanhas 2019 são das mais diversas cidades do Rio Grande do Sul. Tem atleta de Teutônia, Dois Irmãos, Gravataí, Garibaldi, Cachoeira do Sul e Rolante.

Conciliando profissões que vão desde professora, operador em indústria gráfica, técnica em prótese dentária, motorista, educadora física até autônomo no ramo de funilaria. Os atletas confessaram que não foi fácil harmonizar suas profissões com faculdade, cursos, estudos, família…; além é claro de todo o treinamento que o Circuito Trilhas & Montanhas 2019 exigiu ao longo deste ano.

Conheça um pouco mais dos atletas Campeões Gerais do CTM 2019 nas distâncias curta, média e longa; a seguir:

DISTÂNCIA CURTA

Campeões
Créditos: Clic Run

A Campeã Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância curta foi Camila Backes da Equipe Teutorunners. Natural de Brochier/RS e residindo atualmente em Teutônia, a atleta conquistou seis vitórias (1º Lugar Geral) de 8 etapas que participou.

Camila estreou no Circuito Trilhas & Montanhas, na última etapa do Circuito de 2017 na Comunidade de Linha Eulália, na cidade de Bento Gonçalves. Ela foi a Vice Campeã Geral na distância curta.

“Posso dizer que viver aquela experiência de estreia no CTM até o momento, tão desconhecida, causou um sentimento inexplicável de euforia, elação, alegria…que originou a minha paixão por este esporte.” relembra Camila, sobre a sua estreia.

Segundo a atleta o Circuito Trilhas & Montanhas nos proporciona muito mais do que correr em meio às belas paisagens naturais, ele nos transforma em pessoas melhores, mais humanas, mais humildes. “A experiência que vivi na Comunidade de Linha Eulália na final do CTM de 2017 foi incrível, ímpar e recordo cada detalhe até hoje, passados 2 anos e 2 meses daquele dia. Naquele dia conheci várias pessoas, cujos laços de amizade se perpetuam até os dias de hoje!”

Camila nunca imaginou um dia ser a Campeã do Circuito Trilhas & Montanhas, pois quando iniciou no CTM o desafio era apenas conhecer e descobrir o que lá (nas trilhas) existia e acontecia de tão especial e fascinante que as pessoas comentavam. “Eu tinha essa curiosidade, queria saber, precisava sentir e também me desafiar, superar os meus limites. Foi quando, desde lá (2017), participei de todas as seguintes provas/trilhas do CTM, até agora final de 2019.”

A preparação da atleta para esse ano de competições foi simples, entretanto bem organizada e metódica. Camila e seu marido Daltro (7º Colocado Geral – Distância Curta) elaboraram sozinhos seus treinos, com base nas suas formações acadêmicas de Educação Física. “Treinava 2 vezes por semana (corrida) e malhava. E, como a rotina era bem preenchida com compromissos profissionais, nos restavam os horários mais inusitados. Clima, falta de tempo, cansaço…nenhum desses fatores me impediu de treinar, de “pular” um treino, uma vez que o tempo já era muito restrito e eu buscava por objetivos pessoais.” relembra Camila.

Campeões
Créditos: Clic Run

O Campeão Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância curta foi Anderson Boll da Equipe Body&Mind. Natural de Novo Hamburgo e residindo atualmente em Dois Irmãos, o atleta esteve presente nas 8 etapas do circuito.

Anderson estreou no Circuito Trilhas & Montanhas, na primeira etapa do Circuito de 2018 na cidade de Farroupilha, na distância média. “Foi sensacional, minha primeira prova trail e desde então não me vejo mais longe das trilhas!”

Quando questionado sobre ser o Campeão Geral na distância curta, Anderson é rápido em responder, “Nunca me passou pela cabeça algo tão grandioso, até porque foi um Circuito muito disputado, onde grandes atletas do Estado estavam presentes.”

Segundo o atleta, o “segredo” da conquista foram treinos intensos com bastante altimetria e apenas um dia de descanso por semana. “Mas quando se faz o que gosta nada é um sacrifício e sim um prazer de poder evoluir a cada dia.” finaliza Anderson.

DISTÂNCIA MÉDIA

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

A Campeã Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância média foi Caciane Zonatto Paixão da Equipe Night Runners. Natural de Maravilha/SC e residindo atualmente em Gravataí, a atleta conquistou cinco vitórias de 8 etapas que participou.

Caciane estreou no Circuito Trilhas & Montanhas, na última etapa do Circuito de 2018 na cidade de Rolante, onde obteve a classificação de Campeã (Cat.) na distância média. Porém, ela não tem boas lembranças dessa estreia.

“Não gostei da minha estreia! Senti-me mal, não sabia correr nas trilhas, não tinha tênis adequado, não sabia que tinha que levar reservatório de água[…]. Além disso, não me alimentei direito e me senti mal durante o percurso; mas me senti desafiada a melhorar.”

Em 2019 a atleta começou a treinar com assessoria esportiva da Cooperativa do Corpo e com o professor Alberto Dantas que possui um vasto conhecimento sobre atletismo. “Treinei com assessoria esportiva, segui todas as orientações, não faltei um dia de treino. Segui as orientações de uma nutricionista esportiva e contei com o incentivo de muitas pessoas.”

Mesmo com toda essa preparação Caciane, confessa que correu a primeira etapa do Circuito Trilhas & Montanhas 2019 em Maquiné sem expectativas, apenas queria “pontuar” na sua categoria.

“Durante a prova pensei: essa corrida é para mim! Desenvolvi muito bem, mesmo com toda a lama e subidas. Saí num ritmo fraco, bem atrás de todas as mulheres e ao passar dos quilômetros fui melhorando e nas subidas foi meu diferencial!” relembra a atleta, que após essa etapa continuou treinando ainda mais, pois almejava ser a Campeã!

Caciane chega ao final do ano cansada, mas com a sensação de dever cumprido. Mesmo com um ano desafiador, terminando uma graduação, fazendo TCC, trabalhando e treinando muito. Ela dedicou-se e conseguiu alcançar o seu objetivo! “Sou uma pessoa que se dedica muito ao que faz. Sempre contei com a ajuda da Equipe Night Runners que é um grupo sensacional; e principalmente da ajuda do meu esposo que sempre ‘comprou’ as minhas ideias.” finaliza emocionada a Campeã Geral da distância média.

Campeões
Créditos: Clic Run

O Campeão Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância média foi Cleito Maraga da equipe BTR (Bento Trail Runners). Natural de Quilombo/SC e residindo atualmente em Garibaldi, o atleta esteve presente em 6 etapas do Circuito e sempre ficou entre os três primeiros colocados gerais da distância média.

Cleito estreou no Circuito Trilhas & Montanhas, na segunda etapa do Circuito de 2018 na cidade de Tupandi na distância média, foi sua segunda prova, havia feito uma de asfalto anteriormente. “Foi uma prova muito legal para começar no trail! Pois choveu durante todo o percurso, havia muito barro e combinando tudo isso em meio à natureza, foi sensacional!” relembra Cleito.

Nas primeiras provas ainda em 2018, seu único objetivo era concluir. Mas com o passar do ano começou a treinar mais e consequentemente seus resultados melhoraram. Tanto é que conseguiu conquistar pódio geral na edição passada do Circuito Trilhas & Montanhas.

“Após esse feito, percebi que podia ‘brigar’ pelas primeiras colocações no ranking. Quando iniciei no trail run admirava (e ainda admiro) o pessoal das primeiras colocações, e hoje poder estar correndo lado a lado é muito gratificante! Sei que não sou o melhor, mas estou sempre na cola deles, e esse ano ser o campeão geral do ranking, foi muito gratificante!” relembra fascinado o atleta.

Sem assessoria esportiva e sem treinador, Cleito treina por conta própria. “Não sou de treinar muito (mas, nas provas faço sempre o meu melhor), treino de duas a três vezes por semana e faço reforço muscular em academia.”

DISTÂNCIA LONGA

Campeões
Créditos: Clic Run

A Campeã Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância longa foi Daiane Dias da Equipe Born Run – Assessoria Online. Natural de Cachoeira do Sul, a Educadora Física foi campeã geral em cinco das 8 etapas que participou.

Daiane estreou no Circuito Trilhas & Montanhas ainda em 2016, na etapa do Trilhas do Morro Gaúcho em Arroio do Meio na distância média (aproximadamente 16 quilômetros). Na época ela era iniciante no trail running, apesar de já ter corrido anteriormente em trilha, não tinha equipamentos apropriados (tênis, mochila de hidratação, bastão…) e também não possuía muita técnica de corrida específica.

“Encarei naquela época as trilhas do Morro Gaúcho na cara e na coragem, focada em terminar. Como já havia feito provas de rua com mais de 20 quilômetros me senti segura para fazer a distância média, mas confesso que em alguns momentos me arrependi, pois é muito mais extenuante que uma corrida no plano.” relembra a grande Campeã Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

Segundo ela, o fato de a prova ser muito bem marcada e possuir pontos de hidratação lhe ajudou a sentir-se mais segura. E no final, apesar do cansaço Daiane se divertiu muito e adorou a experiência!

O segredo para ela ser a Campeã foi simples, muito (mas, muito) treino e dedicação. “Segui as orientações passadas pelo meu treinador, professor Dionatan Simon da Born Run Assessoria Online. Treinei diferentes volumes e intensidades, que variaram de acordo com o período de cada prova, também focamos bastante em treinos com altimetria e procurei conciliar o reforço muscular com a corrida ao longo do ano.”

Outro ponto muito importante nesse ano para a atleta, foi a preparação mental e felizmente ela possui muitos incentivadores, principalmente as meninas do Time Marias da Trilha / Stoneway, que lhe ajudaram muito e não a deixaram desistir frente ao cansaço e a traçar estratégias viáveis que fizeram a diferença em cada prova.

Campeões
Créditos: Clic Run

O Campeão Geral do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, na distância longa foi Sidimar Pimentel Saraiva, da Equipe Time Trilhas e Montanhas. Natural de Porto Alegre e residindo atualmente em Rolante, o atleta conquistou cinco vitórias de 7 etapas que participou.

Sidi estreou no Circuito Trilhas & Montanhas, na última etapa do Circuito de 2018 na cidade de Rolante, onde foi Vice Campeão Geral na distância longa. “A primeira prova foi só amor, estrutura impecável, premiação linda e um trajeto extremamente demarcado, com suporte e staffs nos pontos certos. Naquele dia decidi que iria fazer o Circuito Trilhas & Montanhas em 2019!” relembra o atleta.

A participação do atleta no CTM 2019 foi de muita dedicação e planejamento, segundo ele foi um misto de euforia e felicidade. Questionado sobre ser o grande Campeão na distância longa, Sidi comenta “Não posso dizer que não imaginava ser campeão. Pois sempre fui competitivo e com o compromisso firmado com meus patrocinadores eu só podia dar o meu melhor a cada prova.”

Além da competição o atleta destaca com muito carinho e humildade as amizades que fez ao longo do Circuito. “Fiz amigos novos em todas as etapas e reforcei as amizades antigas com muita resenha e confraternização. Foram disputas de tirar o fôlego com pessoas incríveis que mesmo sendo adversários, sempre me mostraram um carinho e respeito lindo, o qual sempre retribui como pude.”

Dentre as sete etapas que participou, Sidi tem um carinho especial pela 2ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, que ocorreu na cidade de Farroupilha, mais propriamente dito Linha Muller – Salto Ventoso. Mesmo ficando com a 10ª colocação geral (distância longa), ele destaca que foi ali onde mais sentiu o verdadeiro espírito do trail.

“No Salto Ventoso senti e vi companheirismo, respeito, amizade e muita motivação de quem estava ali para ganhar de mim. Foram 9 atletas que me ultrapassaram e desses, oito queriam saber como eu estava e se precisava de algo. Para mim isto foi incrível, pois era somente a segunda etapa e eu não era ninguém em meio a multidão.” relembra emocionado o campeão geral do CTM 2019, na distância longa.

O amor pelo trail running e pelo Circuito Trilhas & Montanhas é unanimidade entre os seis atletas. Pois o CTM desde sua origem no ano de 2012, proporciona aos seus participantes muito mais do que correr em meio às belas paisagens do Rio Grande do Sul, o CTM “nos transforma em pessoas melhores, mais humanas, mais humildes…” como Camila Backes citou em sua entrevista.

E para 2020 o Circuito Trilhas & Montanhas já possui calendário definido! Confere aí e se programe…

Campeões
Créditos: Clic Run

8ª Etapa e Final do Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

No último sábado (dia 09) pelo sexto ano consecutivo, a cidade de Sério recebeu uma etapa do Circuito Trilhas & Montanhas. A 8ª Etapa do CTM – Trilhas Serra dos Vales teve percursos de 5, 10 e 23 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas; e contou com a participação de mais de 600 atletas de diversas cidades do Rio Grande do Sul.

CAMPEÕES DA 8ª ETAPA DO CTM, FORAM:

DISTÂNCIA LONGA

Daiane Dias – Equipe Born Gym – 02h27min

Gabriel Kretschmer – Equipe TeM – 02h07min

DISTÂNCIA MÉDIA

Daiane Deolinda – Equipe Teutorunners – 01h03min

Rogério Andretta – Equipe Danivist – 47min22seg

DISTÂNCIA CURTA

Manuela Onzi – Equipe Hermelu Runners – 27min33seg

Italo da Silva Sanhudo – Equipe Team Mignot – 22min07seg

*Classificação completa, disponível em: https://www.3ctiming.com.br/28/resultado

Sério é um pequeno e simpático município pertencente ao Vale do Taquari, intitulado como a “Serra do Vale” por situar-se na parte alta do vale. Emancipado da cidade de Lajeado em 1992 e distante cerca de 160 quilômetros de Porto Alegre; o pequeno município é o lugar ideal para quem procura contato mais próximo com a natureza.

Créditos: Prefeitura Municipal de Sério

A pouco mais de 650 metros do nível do mar, o município possui uma geografia montanhosa, diversos arroios, cachoeiras e muitas trilhas; elementos importantes para a prática do Ecoturismo.

TRILHAS SERRA DOS VALES…

Ano passado no final de maio Sério recebeu a 3ª Etapa do CTM, em um final de semana atípico, onde a greve nacional dos caminhoneiros e a consequente falta de combustível em diversos municípios, fez com que diversos atletas não comparecessem ao evento.

Lembro que eu e o Jullyander, “arriscamos” ir na etapa mesmo tendo mais de 300 quilômetros de viagem (ida e volta). Porém…nos perdemos no caminho, fizemos quilômetros à mais, chegamos em Sério faltando poucos minutos para a largada, passamos mal durante a corrida…mas no final “sobrevivemos” e deu tudo certo! rs

Créditos: Clic Run

Esse ano Jullyander, meu parceiro de treinos e algumas provas não fez o Circuito Trilhas & Montanhas e em razão de compromissos profissionais não quis viver novamente todas as emoções de Sério! – risos.

Mas…tem uma pessoa super especial e importante em minha vida, que desde meados de 2016 (meu início no trail running) me acompanha em praticamente todas as competições e tem que me “aturar” pós prova, contando fascinada todos os “melhores momentos” da corrida. E olhem, que sempre tem muitos!

Momentos antes do primeiro treino do Eduardo, aqui nas trilhas e montanhas de Veranópolis!

Com o passar do tempo notei que o Eduardo começou a demonstrar mais interesse pelos meus relatos e consequentemente pelo trail. Então…resolvi convidá-lo (à alguns meses atrás) para correr a distância curta em Sério. E adivinhem? Ele aceitou! Acho que foi por medo de me perder – brincadeira!

Resolvi abrir mão de ser a Campeã do CTM Distância Longa (Categoria 23 – 27 anos) para correr com ele os cinco quilômetros. É muito amor, né?!

A PROVA…

Eu estava mais ansiosa pela estreia do Eduardo no CTM do que ele mesmo. Como alguns amigos falaram, eu não sabia se ia dar “briga ou casamento”! – risos.

No primeiro quilômetro impusemos um ritmo forte e quem puxava era eu. Mas, logo após a primeira longa subida notei que essa ideia não iria dar certo…Resolvi deixar ele ditar o ritmo, e foi a melhor escolha que poderia ter feito.

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Ele foi cauteloso nas descidas, apreciou e curtiu as trilhas e para a minha surpresa AMOU as subidas. Foi emocionante vê-lo escalando os metros finais da prova, com postura e ritmo constante. Alguns corredores que estavam perto de nós diziam “Tá bonito de ver esse ritmo […]”. Ahhh…que orgulho!

Ao cruzar a linha de chegada, toda a emoção e euforia que ele vê em mim desde 2016 ao final de cada prova (trail), eu vi nele! O olho marejado de emoção pela estreia, o sorriso largo pelo desafio cumprido…e a frase “Que máximo! Foi fantástico […]”. Tudo indica que temos um novo corredor adentrando no Circuito Trilhas & Montanhas 2020, né?!

PÓS PROVA…

O Ginásio Municipal de Sério e arredores estavam lotados de corredores(as) e familiares que festejavam suas conquistas em mais um grandioso ano de Circuito Trilhas & Montanhas.

Conquistas essas, muitas vezes sem sentido para alguns, mas que nos enchem de alegria, satisfação e orgulho de nós mesmos, afinal, só quem calçou os nossos tênis sabe os trechos que passamos, as subidas que enfrentamos, apenas quem vestiu nossa camisa, sabe o suor que derramamos e chegar ao final de mais um ano de CTM é algo indescrítivel, por isso muitas vezes me emociono fazendo os relatos das etapas.

Imagino que as vezes os relatos pareçam fantasiados demais, principalmente para quem não corre e assim não entende tais sentimentos, mas se duvida de tudo isso, se desafie a cruzar uma linha de chegada do Circuito Trilhas & Montanhas 2020, superando desafios pessoais e alcançando coisas jamais imaginadas e então me diga qual foi a sensação no final.

CIRCUITO TRILHAS & MONTANHAS 2019…

Após 8 etapas, 8 grandes desafios, que ocorreram (respectivamente) nas cidades de: Maquiné, Farroupilha, Arroio do Meio, Igrejinha, Carlos Barbosa, Nova Roma do Sul, Tupandi e Sério. Chegou ao fim o Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

O evento contou com uma média de 750 inscritos em cada etapa, certamente o maior evento de corrida em trilhas e montanhas do Rio Grande do Sul. Um Campeonato que é focado no fomento e na promoção da modalidade esportiva de corrida em trilhas e montanhas no Rio Grande do Sul.

“Tivemos juntamente com o Circuito Trilhas & Montanhas, o ranking CTM com a soma de pontos através das classificações nas 8 etapas. Foi algo muito importante, que deu estrutura as corridas em trilhas do RS em nível de competição/performance. Foram 275 premiados no ranking CTM 2019, que foram classificados até o 10º na Geral (Distâncias: curta, média e longa) e até o 5º nas faixas etárias (Distâncias: curta, média e longa).” destaca Luis Leandro Grassel, Diretor Geral do Circuito Trilhas & Montanhas.

OS GRANDES CAMPEÕES DO RANKING CTM 2019, FORAM:

DISTÂNCIA LONGA

Daiane Dias – Equipe Born Run – 217 pontos

Sidimar Pimentel Saraiva – Equipe TeM – 207 pontos

DISTÂNCIA MÉDIA

Caciane Lucia Zonatto – Equipe Night Runners Gravatái – 217 pontos

Cleito Maraga – Equipe BTR Trail Runners – 203 pontos

DISTÂNCIA CURTA

Camila Backes – Equipe Teutorunners – 218 pontos

Anderson Boll – Equipe Body e Mind – 211 pontos

AGRADECIMENTOS…

Nesta 8ª edição do CTM, foram diversas as prefeituras, entidades, empresas e pessoas que trabalharam para a promoção e realização das etapas. A todas elas nosso muito obrigada!

Mas não podemos deixar de fazer um agradecimento especial aos nosso “invisíveis e incansáveis trabalhadores” do CTM 2019. São eles:

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Equipe L&E Eventos Marketing Esportivo: Luis Leandro Grassel, Graziela Olszewski, Cristiano Saurin, Dieferson Umbelina, Duda Pires, João Paulo Wildner Medina, Leonardo Berger, Leonardo Wink, Luis Felipe Soder, Patrícia Molz, Sara Dias, Victória Rocha. Grandioso time! Responsável pelos percursos e sinalização; organização e entrega dos kits e premiações; staffs…e muito mais!

Enfermagem: Magda Chagas e equipe. Eles que cuidaram de dezenas de atletas durante todas as etapas, com as suas “poções mágicas” e todo seu conhecimento.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Youmovin: Ivano Vargas e Luciana Coimbra. Foram responsáveis por todo o processo de inscrições do Circuito!

3cTiming Cronometragem Eletronica: Clávison Zapelini e Clésia Mendes Zapelini. Eles vieram lá de Santa Catarina e ficaram responsáveis pela classificação e ranking do CTM.

RP Sonorizações: Raphael e Patrícia. Responsáveis pelas fantásticas trilhas sonoras de cada etapa, que agitaram a galera.

ClicRun: Anelise Leite, Sérgo Gutheil, Alex Viana, Catiucha Rehbein, Daniela Souza, João Pedro Pedroso, Jon Hesse, Jonas Nunes, Lilian Martins, Muriel Plautz e Taís Zanotieli.  Essa galera é o máximo, eles ficaram durante horas e horas no sol, calor, chuva, barro…para registrar os nossos melhores momentos.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Baú do Esporte: Alex Sousa Vaz, Patrícia Zurchimitten Vaz (Casal Baú), Jaqueline Ribeiro e Daiana Nunes. Equipe querida por todos, sempre com os melhores produtos de vestuário, calçados…para os atletas.

100Fôlego: Nédson Ferretto Meira. Quem não conhece ele?! Cara gente finíssima com vídeos cheios de histórias e curiosidades de cada etapa.

Correndo com Andre Assessoria Esportiva: Andre Silva. Sempre filmando as etapas, motivando a galera, voltando pra dar força pros amigos!

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Trekking RS: Jasmine Benato. Essa sou eu (risos) convocada pelo Luis para ser a Editora do CTM lá em 2017. Ao final de cada etapa contei um pouquinho do que passamos pelos percursos. Das superações, conquistas, amizades…

Hoje, com mais de oito anos à frente da L&E Eventos – Esporte e Natureza, Luís Leandro Grassel (Diretor Geral do Circuito Trilhas & Montanhas) destaca a importância de terem sido pioneiro na realização de eventos esportivos de corridas em trilhas e montanhas no Estado e verem nos dias atuais que os vários eventos, grupos de corrida e principalmente o grande número de pessoas que correm Trail Run, vieram de seu fomento e difusão da modalidade esportiva.

Créditos: Clic Run / Taís Zanotieli

“O Circuito 2019, nasceu como Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas & Montanhas – CGCTM 2019 (2ª Edição) e a partir da terceira etapa, modificamos e voltamos ao nome Circuito Trilhas & Montanhas que já era marca e o nome de origem desde 2012.” destaca Luis Leandro Grassel.

Vale ressaltar que essa modificação ocorreu em função do surgimento de um novo Campeonato Gaúcho de trail running , esse homologado pela Federação de Atletismo do Estado do Rio Grande do Sul – FAERGS. Em respeito a formalidade deste novo Campeonato, Luis resolveu fazer a modificação do nome para não ter conflito de nomes e marcas, perante os corredores do RS.

Mountain Series

Projeto Mountain Series não é apenas um evento de trilhas, mas sim uma experiência única, possibilitando aos nossos clientes vivenciar, alcançar e superar desafios.

Entretanto como já diz o nome, vamos trilhar inúmeras montanhas em sequência, caminhos que levam até os cumes mais altos do país, em alguns dias.

Unindo diversas atividades como: trekking, caminhada, escalada, rapel, acampamentos, hospedagem em refúgios de montanha, viagens de carro (road trip), fazem do Mountain Series um projeto grandioso.

Cumes Mountain Series

Cumes Mountain Series

O que mais chama a atenção no Mountain Series é o fato de você poder vir juntamente conosco em todos esses destinos, ou apenas participar de um evento ou outro. A escolha é sua!

Primeiramente faremos uma Road Trip – Viagem de carro, saindo do Rio Grande do Sul até a região sudeste do Brasil, onde se concentram a maioria dos cumes. Alguns deles são isolados, outros fazem parte de travessias de 1 a 4 dias.

Desafio Mountain Series

A nossa primeira travessia começara pela Serra da Mantiqueira, mais precisamente na Serra Fina, depois iremos ao Parque Nacional de Itatiaia, Escalavrado, Pico da Bandeira, Serra dos Órgãos, Pedra do Baú e por fim ao Parque Estadual Turístico Alto da Ribeira – Petar.

Todas esses destinos em um curto período de tempo fazem com que os participantes tenham um ótimo preparo físico e mental, por isso organizamos uma série de treinos específicos de força e resistência, para que você treine seu condicionamento físico. Veja aqui como funciona estes treinos.

Como posso me inscrever no Mountain Series

Há duas maneiras de você se inscrever no Mountain Series, a primeira delas é clicando nos eventos logo abaixo ou entrando em contato direto via Whatsapp 54 99117-9771, falar com Evandro Clunc.

A travessia mais difícil do Brasil
Serra Fina
31/ago à 7/set de 2019

A travessia mais difícil do Brasil

É aventura de verdade! Serão 4 dias de trekking com um nível de dificuldade que não é para iniciantes. São 3 pernoites na Montanha (selvagem mesmo) e 2 outros pernoites em um Hostel de Montanhistas… As grandes dificuldades, de fato, são a navegação, o terreno extremamente acidentado e a escassez de água ao longo do caminho, o que obriga os trekkers a levar peso extra na mochila depois de cada ponto de abastecimento.

Vem com a gente
O primeiro Parque Nacional do Brasil
Travessia Itatiaia
09 à 13/SET/2019

O primeiro Parque Nacional do Brasil

Vamos fazer a Travessia da Parte Alta do Itatiaia e mais uma descida de Serra chamada de: Travessia Ruy Braga como também é conhecida! O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) é o Primeiro Parque Nacional do Brasil, criado em 14 de junho de 1937 (82 anos). O nome Itatiaia é de origem Tupi e significa: penhasco cheio de pontas, pedra pontuda. No interior do Parque encontram-se alguns dos picos mais altos do Brasil, beirando os 2800 metros de altitude.

Vem com a gente
Parque Nacional do Itatiaia
Travessia Ruy Braga
14/SET/2019

Parque Nacional do Itatiaia

Vamos fazer a Travessia da Parte Alta do Itatiaia e mais uma descida de Serra chamada de: Travessia Ruy Braga como também é conhecida! O Parque Nacional do Itatiaia (PNI) é o Primeiro Parque Nacional do Brasil, criado em 14 de junho de 1937 (82 anos). O nome Itatiaia é de origem Tupi e significa: penhasco cheio de pontas, pedra pontuda. No interior do Parque encontram-se alguns dos picos mais altos do Brasil, beirando os 2800 metros de altitude.

Vem com a gente
Parque Nacional da Serra dos Órgãos
Escalavrado
15/set/2019

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Está localizada no PARNASO (Parque Nacional da Serra dos Órgãos). O Parnaso é o terceiro Parque Nacional mais antigo do País, criado em 30 de novembro de 1939 (79 anos). O Escalavrado é considerado uma caminhada semipesada com duração que pode variar de 2,5 a 3,5 horas. O cuidado neste local deve ser redobrado, pois grande parte da trilha é exposta. Um caminho na Rocha, onde vamos utilizar equipamentos de vertical por segurança e basicamente é só subida! Porém com uma distância de aproximadamente 4000 metros entre Ida e Volta.

Vem com a gente
Terceiro mais alto do Brasil
Pico da Bandeira
17/set à 18/set/2019

Terceiro mais alto do Brasil

Localizado na Serra do Caparaó, na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, o Parque Nacional do Caparaó é um dos ícones do montanhismo no Brasil e abriga o terceiro ponto mais alto do País. O Pico da Bandeira, que tem 2.891 metros de altitude, mas vem seguido de perto do Pico 2 ou Pico do Cruzeiro, com 2.852 metros, o Pico do Calçado com 2.849 metros e o Pico do Calçado Mirim com 2.818 metros. Logo mais abaixo fica o Pico do Cristal, com 2.770 metros que fica exclusivamente em território mineiro. Serão 3 dias de trekking com um nível de dificuldade que não é para iniciantes.

Vem com a gente
Parque Nacional Serra dos Órgãos
Travessia Petro x Tere
20 à 22/set/2019

Parque Nacional Serra dos Órgãos

A Travessia Petrópolis Teresópolis ou Petro x Tere como também é conhecida! É considerada a travessia mais bonita do Brasil. Está localizada no PARNASO (Parque Nacional da Serra dos Órgãos) em meio a exuberância da Mata Atlântica entre as cidades serranas de Petrópolis, Guapimirim e Teresópolis. Com muitas subidas e descidas íngremes é considerada uma caminhada difícil e possui cerca de 30 km ligando os municípios de Petrópolis e Teresópolis. Geralmente é realizada em três dias.

Vem com a Gente
Bauzinho, baú e Ana Chata
Travessia Pedra do Baú
23 e 24/set/2019

Bauzinho, baú e Ana Chata

O Roteiro foi chamado carinhosamente por nós de Volta da Pedra do Baú, passa em meio de Trilhas pela mata, subindo e descendo Vias Ferratas fixadas na Rocha Gnaissicas da Serra da Mantiqueira exatamente por: Bauzinho, Pedra do Baú e Ana Chata. Localiza-se no município de São Bento do Sapucaí, estado de São Paulo, Brasil. O ponto culminante é a Pedra do Baú (altitude de 1964 metros), conhecido por abrigar algumas rotas de escalada esportiva.

Vem com a gente
Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira
Petar
25 e 26/set/2019

Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é considerado uma das Unidades de Conservação mais importantes do mundo. É considerado hoje um patrimônio da humanidade, reconhecido pela UNESCO. Vamos explorar o Núcleo Santana! Lá vamos conhecer: – A Caverna de Santana, -A Trilha do Betari (Caverna Água Suja, Caverna do Cafezal e cachoeiras das Andorinhas e do Beija-flor) – E a trilha do Morro-Preto Couto (Caverna do Morro-Preto, cachoeira do Couto e Caverna do Couto).

Vem com a Gente

Investimento

 Aqui vai uma dica muito interessante! Como estaremos organizando os eventos em sequência isto é, um após o outro, vale muito a pena você se inscrever em mais de um evento, pois isso diminui gastos de deslocamento, fazendo você poupar um bom dinheiro e conhecer mais destinos.

Por participar do Mountain Series, você ganha descontos especiais na compra de qualquer equipamento outdoor na loja Patos do Sul/RS – Entregas para todo o país.

Curtlo BR

Nossa equipe

Nosso time é formado por 4 (quatro) pessoas, sendo 2 (dois) guias de montanha, 1 (um) fotógrafo e 1 (um) especialista em Marketing Digital/Suporte.

Faremos uma cobertura online do Mountain Series aqui no site, comunicando também nas mídias sociais onde somos atuantes;

Teremos uma equipe profissional de fotografia e filmagem com drone, com edições diárias no evento e publicações ao vivo nas  mídias sociais;

Postagens semanais aqui no site e na Sol de Indiada, com o intuito de relatar a experiência obtida pelos participantes durante cada evento.

Se você gostou do nosso projeto, então comente aqui embaixo, compartilhe com seus amigos e venha encarar esse desafio com a gente!

Mochila All Trail

Equipamentos outdoor

Se você está começando no mundo das aventuras e não entende muito sobre equipamentos outdoor, acha caro e as vezes desnecessário a compra de algum produto técnico, neste texto vou tentar explicar através da minha experiência e vivências de mais 19 anos praticando atividades de aventuras.

Quando comecei a percorrer as trilhas no Rio Grande do Sul eu tinha apenas 11 anos de idade, não conhecia muito sobre equipamentos outdoor, mas tinha comigo um sentimento forte de querer explorar, conhecer lugares intactos que a maioria das pessoas não conhecia.

Naquela época não havia muitos equipamentos para aventuras disponíveis, Fiz minhas aventura usando materiais simples, como mochila de escola, lonas, redes e barracas estilo canadenses.

Equipamento Outdoor
Barraca estilo Canadense

Eu estava inserido dentro do movimento escoteiro, onde sou grato até hoje por me proporcionar experiencias únicas, incontáveis perrengues e muita técnica de acampamento e orientação.

Conforme o tempo foi passando e depois de já ter feito muitos caminhos, acampamentos e jornadas de maneira “Roots”, comecei a procurar equipamentos outdoor para acampamento que me possibilitassem maior proteção e segurança nas trilhas.

As vezes o equipamento outdoor barato pode sair caro

Comecei adquirindo equipamentos básicos, de custo baixo que na minha ótica iriam ser melhores dos que usava desde então. Minha primeira bota foi uma Mac Boot, durou aproximadamente uns 6 meses.

Adquiri também um saco de dormir da marca Hummer e mais alguns equipamentos que não me recordo muito.

Assim como melhoramos nossa técnica ao percorrer trilhas, fazendo acampamentos ou jornadas, comprei inúmeros equipamentos outdoor ao longo desses 19 anos de aventuras, que me proporcionaram um certo intendimento sobre a qualidade de materiais e valores dos mesmos.

Quando digo que as vezes o barato pode sair caro, posso dizer com clareza que é um fato, sempre pensando em valores dos produtos, gastei muito dinheiro com equipamentos de baixa qualidade onde tive que comprar outro novamente depois de algum tempo. Vou citar aqui três exemplos de equipamentos.

Calçados: Minha primeira bota foi uma Mac Boot, depois uma Bull Terrier, Timberland, Nomade (Vento) e por último uma Salomon que uso desde então. Minha primeira bota Salomon tem cerca de 6 anos e está ainda boa para uso.

Equipamentos Outdoor
Bota Salomon X Ultra Trek GTX

Mochilas: Mochila de escola, Trilhas e Rumos, Kailash e por e por último uma Thule, que uso desde então a mais de 3 anos.

Barracas: Barraca estilo Canadense, Mor vendida no supermercado, Trilhas e Rumos – Bivak, Azteq – Nepal, Star River – Naturehike e por último uma Mongar 2 Ultralight da Naturehike.

equipamentos outdoor
Barraca Mongar 2 Ultralight – Naturehike

Exemplifiquei todos estes produtos para você que está lendo esse texto entenda, que na grande maioria das vezes comprar produtos baratos faram você gastar mais dinheiro do que guardar os valores e comprar algo bom logo de cara.

Conforto x Valores

Uma coisa você pode ter certeza sobre atividades ao ar livre, quanto mais conforto você quiser ter nas suas aventuras, mais dinheiro você terá que desembolsar para que isso seja possível.

Hoje faço minhas aventuras usando equipamentos de primeira linha, isso me proporciona grande conforto e satisfação ao percorrer longas travessias de trekking, por inúmeros dias.

Minha mochila atualmente é uma Thule Versant de 50 litros, ali condiciono todos meus equipamentos para minhas aventuras, mais meus equipamentos fotográficos, todo esse conjunto pesa aproximadamente 13 kg sem contar a alimentação.

Comparativos equipamentos outdoor

Um comparativo que fiz ao longo dos anos usando tudo que é tipo de equipamento outdoor disponível no mercado, descobri que:

Se você quiser abaixar cerca de 1kg de peso em equipamentos dentro da sua mochila, você gastará aproximadamente R$ 2.000,00.

Então quando você for escolher seu primeiro equipamento ou o próximo produto, escolha que este seja leve, altamente tecnológico e que lhe proporcione o máximo de conforto na sua aventura.

Os equipamentos que uso atualmente me proporcionam aproveitar todo o contexto de uma aventura, chegando em casa sempre com experiências incríveis e o melhor de tudo isso é não estar dolorido ou com bolhas nos pés por causa de algum equipamento ruim.

Mochila All Trail

Se você gostou desse artigo, deixe um comentário logo abaixo, veja também avaliações de equipamentos outdoor em nosso site. Acesse!

Cascata do Paraíso

Cascata do Paraíso

Cascata do Paraíso está localizada na linha Forromeco, pertencente a cidade de Carlos Barbosa, distante aproximadamente 16 km da cidade de Farroupilha e 11 km do município de São Vendelino/RS.

A Cascata do Paraíso está dentro de uma propriedade particular, por isso é muito bem cuidada e preservada pelo proprietário, Sr. Eduardo, um porto alegrense muito gente boa que tivemos o privilégio de conhecer.

Para manter a estrutura intacta e as trilhas organizadas, o proprietário cobra uma taxa de R$ 10,00 por pessoa para passar o dia no local.

O que fazer na Cascata do Paraíso

Dentro da propriedade há cerca de três quedas de água, onde em cada uma delas forma-se um grande poço para banhos, a profundidade entre eles variam de 3 a 8 metros, caso você não saiba nadar não é recomendado entrar na água.

Para quem gosta de nadar ou se refrescar nas águas da cascata, esse lugar é propício para isso.

Para quem gosta de capturar belas imagens assim como eu, o local é propício para isso, os caminhos e trilhas são bem sinalizados e de fácil acesso para a maioria das pessoas.

Cascata do Paraíso
Crédito: Luís H. Fritsch
Cascata do Paraíso
Crédito: Luís H. Fritsch
Cascata do Paraíso
Crédito: Luís H. Fritsch
Cascata do Paraíso
Crédito: Luís H. Fritsch
Cascata do Paraíso
Crédito: Luís H. Fritsch

Dentro da sua propriedade ele não aceita que entre com bebidas alcoólicas, mas é possível fazer um churrasco com os amigos e/ou família, as churrasqueiras são feitas de maneira natural, usando pedras do próprio rio.

Horários de visitação

Para aproveitar melhor a paisagem, recomendamos ir durante a semana, mas caso você não consiga ir nestes dias, ir aos finais de semana também pode ser legal.

Em dias de muito calor e finais de semana principalmente a Cascata do Paraíso costuma ficar lotada, se você é o tipo de pessoa que gosta de paz e tranquilidade, ir nos sábados e domingos talvez não seja a melhor opção.

A propriedade está aberta para todos que quiserem visita-lá, das 9:00 horas até às 18:00, todos os dias da semana.

Como chegar na Cascata do Paraíso

Cascata do Paraíso

Link do Google Maps

Outros destinos nas proximidades

A região da Serra Gaúcha possui muitos atrativos naturais, pois possui uma geografia interessante, rodeada de grandes vales, matas e cascatas.

Se você tem vontade de conhecer outros lugares de belezas naturais exuberantes, recomendamos conhecer também a Cascata do Salto Ventoso na cidade de Farroupilha, distante aproximadamente 10 km da Cascata do Paraíso.

Cascata do Paraíso
Salto Ventoso – Crédito: Luís H. Fritsch

Caso você goste de locais altos e com uma vista esplendida da cidade de São Vendelino, recomendamos conhecer o Morro do Diabo, localizado aproximadamente 9 km da Cascata do Paraíso.

Cascata do Paraíso
Morro do Diabo – Crédito: Marcio Basso

O local é propício para esportes de Voo livre como paraglider e parapente ou também um ótimo local para se curtir o pôr do sol, concluindo assim o passeio pelo interior da Serra Gaúcha

SPOT Gen3

A SPOT é uma empresa que fornece dispositivos de localização, estes permitem o rastreamento do usuário, é possível enviar pedido de socorro e mensagens de controle em áreas remotas. Sua cobertura é feita 100% por rede de satélites o que proporciona tranquilidade aos usuários em casos extremos.

Entre os modelos existe o SPOT Gen3, este que utilizamos na nossa última expedição para a Argentina, na subida ao Cerro Plata. Lá vimos diversas pessoas utilizando o equipamento, que está se tornando comum no meio do montanhismo.

Basicamente o SPOT Gen3 possui 5 botões que permitem utilizar suas função de maneira simples porém deve ser pré-configurado. Após a compra do SPOT deve-se ativar o aparelho adquirindo um plano de serviço. Hoje, 31/01/19, no site da SPOT Brasil o aparelho está a venda por R$ 619,00 e o plano de serviços básico custa R$ 59,90 mensal com contrato mínimo de 12 meses.

Após adquirido o plano mensal pode-se definir as mensagens que serão encaminhadas e os contatos (celular e e-mail). Para visualizarmos melhor o aparelho segue imagem com a informação sucinta da função de cada botão.

Spot
Fonte: Spot Brasil

Vale falar que os botões de Ajuda e de S.O.S não são de fácil acesso, ou seja, não é possível apertar acidentalmente pois existe uma proteção sobre eles. O rastreamento do SPOT pode ser configurado em diferentes intervalos (2:30, 5, 10, 30 ou 60 minutos).

Abaixo podemos ver como ficam gravados os pontos, mostrando coordenadas, altitude e hora da coleta dos dados. É importante perceber que o ponto 46 está bem deslocado da rota o que mostra que pode haver alguns erros na localização.

Spot
Fonte: Spot Brasil

É possível verificar, em um contator no topo do site da SPOT Brasil, que até hoje foram realizados 6255 resgates. Além disso, existem relatos sobre alguns desses resgates que mostram que o aparelho fez a diferença.

Além de simples e muito útil ele tem dimensões reduzida e é super leve, 114g com as pilhas, o que é ótimo para quem faz trekking e quer o menor peso possível na cargueira. Ele também é resiste a água e a duração da bateria é alta. Segue alguns dados retirados do site da SPOT Brasil:

Spot
Fonte: Spot Brasil

De um modo geral nós gostamos muito do SPOT Gen3, além de ser um dispositivo que nos dá mais segurança ajuda a deixar a nossas famílias mais tranquilas, tanto por poder acompanhar nossa localização em tempo real como pelas mensagens que podemos mandar. O investimento no aparelho não é tão elevado se pesar nos benefícios, o único ponto a ser avaliado é a mensalidade do serviço, pois se é para uso esporádico pode não compensar.

Se você gostou desse artigo, deixe um comentário logo abaixo. Caso queira ver outras avaliações de equipamentos, acesse aqui!

Onde Comprar

Onde Comprar

O Localizador Pessoal com tecnologia 100% via satélite que te mantém conectado com o mundo nos lugares mais remotos! Envie mensagens, compartilhe sua localização e peça ajuda sempre que necessário.

Consulte

Inauguração do espaço CURTLO BR na Loja Patos do Sul!

Quem acompanha meus textos aqui pelo site, sabe que na maioria deles cito a Patos do Sul e a CURTLO BR, como referências de lojas de artigos e vestuário para a prática de esportes outdoor.

Curtlo BR

A CURTLO BR atualmente é detentora de um portfólio de, aproximadamente, 230 itens, sem contar as variações de cores e tamanhos. São produtos que variam de bolsa de selim, até mochila cargueira, passando pelo desenvolvimento de peças técnicas de vestuário que privilegiam bikers, montanhistas e amantes das atividades ao ar livre. Se a CURTLO é hoje uma das principais marcas do mercado outdoor no Brasil, foi graças ao espírito empreendedor e a insistência de Fernando, aliado ao apoio e dedicação incondicional de Verônica, sua parceira nos negócios e na vida. Como o próprio fundador da CURTLO disse, nós não viemos para o mercado outdoor, nós sempre estivemos nele!

Acesse o site da marca e conheça seus inúmeros produtos.

Curtlo BR

A PATOS DO SUL, está no mercado à cerca de 9 anos e surgiu através de uma viagem que o casal Helen e Darci (in memoriam) fizeram para a Patagônia (seria um mês de viagem). Para economizar com ligações, o casal teve a ideia de criar um blog, na hora de escolher o nome, veio à tona uma brincadeira que faziam, quando entravam na Land Rover, na sexta à tardinha. O Darci pedia à Helen “Pra onde os patos vão voar?”, numa referência aos Duck Tales – Caçadores de Aventuras. Era uma brincadeira entre o casal, aí o blog virou Patos do Sul! 

Após algum tempo, já com a lojinha de aventura acabando de nascer, Helen e Darci foram num evento de Mountain Bike e levaram um gazebo e alguns produtos para vender. Como etiquetas, usaram uns cartões bem artesanais do blog.”Depois quando chegávamos a outros eventos, o pessoal dizia: ‘Os Patos do Sul estão ali!’ ou ‘Tem lojinha dos Patos do Sul!’ e, por uma inercia ou simpatia – pelo nome, acabou pegando!” relembra a proprietária Helen Hertzog.

Os primeiros produtos comercializados na loja Patos do Sul foram roupas de ciclismo e segundas pele da Curtlo.

No último sábado (dia 08) a Patos do Sul, inaugurou o espaço Curtlo em suas dependências. O ambiente conta com diversas peças de vestuário para ciclistas, corredores e aventureiros no geral; itens de lançamento como a calça-bermuda trail EC50+; além de dezenas de mochilas de hidratação, mochilas cargueiras e a clássica bolsa de selim – primeiro produto criado pela Curtlo à cerca de 25 anos atrás.

Curtlo BR
Créditos: Lucas Ferreira (Da esquerda para a direita: Helen Hertzog – Proprietária da Patos do Sul, Eu, Daycce Gonsalves, e equipe de vendas da Patos do Sul).

Vale lembrar que desde o início, Funcionalidade, Ergonomia e Durabilidade formam o tripé que move a marca. Sempre incentivando as pessoas a experimentarem algo diferente, utilizando um equipamento de qualidade.

O evento reuniu diversos aventureiros de Caxias do Sul e região, além do pessoal do Trekking RS e galera da Sol de Indiada – que presenteou os participantes com um belíssima caminhada (Trilha dos Dinossauros), no interior de Caxias do Sul.

Curtlo BR
Créditos: Elio Abe
Curtlo BR
Créditos: Luís Henrique Fritsch
Curtlo BR
Créditos: Luís Henrique Fritsch

Veja todas as fotos desse belíssimo evento acessando o álbum do Flickr.

Finalizando deixo o meu grande agradecimento à:

CURTLO BR por ter me dado a honra de representá-los aqui no Rio Grande do Sul, e por poder fazer parte do #TeamCurtlo ao lado de grandes atletas/amigos.

PATOS DO SUL por todo o apoio desde o tempo em que começei a competir nas corridas de aventura até os dias atuais. Darci e a querida Helen sempre me incentivaram a ser exatamente quem eu sou, fazer o que me faz feliz e não ter medo de sonhar.

“Nossa inspiração define aquilo que temos de mais nuclear. Ela emerge das crenças e dos propósitos essenciais, que norteiam as tomadas de decisões e proporcionam uma atitude diferente em relação à vida! Nossa inspiração traduz nossa visão de mundo, define nosso jeito de ser e influência a forma como construímos e cultivamos nossos relacionamentos.” – CURTLO BR

Bermuda ou Bretelle

Bermuda ou Bretelle?


Bermuda ou Bretelle? Em algum momento da sua vida de ciclista você fará esta pergunta! Independentemente do seu nível, amador, competitivo ou recreativo, esta questão será levantada. Ao discutir com seus amigos, várias opiniões surgirão.

Bermuda ou Bretelle
Bermuda 3D Compress TD Fem. 2018 – Créditos: CURTLO BR
Bermuda ou Bretelle
Bretelle 3D Compress Fem. 2018 – Créditos: CURTLO BR

Para produzir esta matéria contei com a ajuda da empresa CURTLO BR que me cedeu dois modelos dos melhores vestuários nacionais: Bermuda 3D Compress Fem. e Bretelle 3D Compress Fem. O objetivo desta ação foi ter disponível os dois tipos de vestimentas em questão, ambas com excelente qualidade, e testá-las nas mais exigentes condições para verificar os prós e contras de cada uma.

Atualmente, a CURTLO é detentora de um portfólio de,aproximadamente, 230 itens, sem contar as variações de cores e tamanhos. São produtos que variam de bolsa de selim, até mochila cargueira, passando pelo desenvolvimento de peças técnicas de vestuário que privilegiam amantes das atividades ao ar livre, montanhistas e bikers. Além de ser uma das principais marcas do mercado outdoor no Brasil.

Inicialmente é muito importante saber escolher o produto certo. Infelizmente é impossível ter bermudas ou bretelles de qualidade com preços baixos. Mas, pode confiar…estes itens são muito duráveis e o investimento em marcas de qualidade vale à pena.

As duas características principais que devem ser levadas em consideração na hora que escolher seu modelo são as tecnologias empregadas no tecido e no forro, e a modelagem da peça…sim, a modelagem! Ou você acha que um atleta do Brasil Rideou do Tour de France, usam qualquer lycra com forro?

O Bretelle 3D Compress da Curtlo BR, por exemplo, é produzido com tecido Compress®, construção que permite elasticidade de 360º para acompanhar os movimentos dos músculos. E possui costuras planas (flat) que evitam o incômodo no contato com a pele.

Bermuda ou Bretelle
Créditos: CURTLO BR

Eu testei este modelo justamente por esta característica e o que chamou a atenção foi em que momento algum fica tecido “sobrando”. O que acontece é que de acordo com os movimentos, as áreas onde há maior exigência da elasticidade (por exemplo, a região das costas numa posição race) compensam e esticam a parte frontal, que numa bermuda comum apresentaria dobras.

A textura e sistema de entrelaçamento das fibras que compõem o tecido garantem esta característica, além de uma perfeita compressão e passagem de ar. Tudo isso é proporcionado pela modelagem, que acompanha exatamente o formato do corpo do ciclista. Diferente de bermudas comuns que são retilíneas desconsiderando as curvas.

MULHERES! Este fator merece atenção especial…assim como não é possível utilizar um jeans masculino, também não é aconselhável vestir equipamentos que não sejam produzidos exclusivamente para nós. A Curtlo produz modelos específicos para o “body” feminino.

Além disso, os bretelles femininos possuem forro especial para nós e um sistema de “feiche” na parte traseira, o que facilita sua retirada mesmo com a camisa.

Bermuda Ou Bretelle
Créditos: CURTLO BR

A tecnologia mais importante na hora de escolher bermuda ou o bretelle é a empregada no forro. Afinal é ele que suportará toda a pressão que o corpo fará sobre o selim.

Um modelo adequado de forro deve, além de cobrir com folga todas as áreas de contato, possuir variações de densidades de acordo com as partes de maior atrito. Numa pedalada de 1 ou 1 hora e meia este fator pode passar despercebido. Mas experimente passar 3, 4 horas em cima da bike com uma bermuda “baratinha”! Você vai se arrepender.

Forros muito duros ou grossos sem variações de densidades podem interferir na vascularização, ou seja, na circulação sanguínea. Além de, em casos extremos, provocar dormência nos membros inferiores e região do quadril, a má circulação irá dificultar o transporte de oxigênio para as pernas afetando drasticamente no seu desempenho.

Fiz diversos treinos entre estradas e trilhas da região de Veranópolis na Serra Gaúcha e dei muita atenção para a forração do meu bretelle.

Este forro foi projetado para pedaladas de longa duração, tanto para ciclismo quanto MTB. Revestido em tecido poliamida que proporciona conforto, durabilidade e liberdade de movimento; além de ótima respirabilidade e gerenciamento da umidade. Sua construção ergonômica em tridensidade permite amortecimento nas áreas de maior pressão e conforto anatômico nas demais partes.

Bermuda ou Bretelle
Créditos: CURTLO BR

Por exemplo, na região das nádegas a espessura do forro é maior (região onde ficamos mais tempo em contato) e entre as pernas é menor (região onde há mais atrito devido ao movimento das pedaladas). Isto reduz a fadiga e dores na parte traseira e impede assaduras entre as pernas, fundamental para o desempenho em condições extremas.

Independente de usar bermuda ou bretelle, duas coisas irão maximizar ainda mais seus benefícios:não utilizar roupas de baixo para evitar atritos, e utilizar algum produto contra assaduras. Uso e recomendo os produtos da empresa Solifes!

Agora que detalhei as duas características mais importantes na escolha da bermuda e/ou bretelle, vou falar sobre as diferenças entre um e outro.

BERMUDAS:

As bermudas são sim mais baratas e é muito bom ter alguma disponível. Afinal nem todo pedal é treinamento ou competição! Você não precisa usar bretelle quando for dar um giro recreativo com amigos por exemplo. Por serem mais baratas, possuir algumas garante economias já que você não precisará utilizar bretelles (bem mais caros) em todos os treinos. Você poderá deixar para usar eles somente em treinos mais duros ou competições.

BRETELLES:

Quem usa um bretelle não quer usar outra coisa! Apesar de um pouco mais caros que as bermudas, as boas marcações tão duráveis que o investimento acaba compensando. O ajuste deles ao corpo e a sensação de conforto justificam.

As alças garantem que o equipamento ficará ajustado ao corpo e não se movimentará, ou seja, o forro ficará sempre no lugar certo.

Bermuda ou Bretelle
Crédito: Device Filmes

Além disso, vale lembrar que…

A construção helicoidal (formato de uma mola) do tecido envolve a perna do ciclista e garante uma compressão confortável,flexível e preventiva; pois o sangue flui mais rápido aumentando sua circulação. Atenuando assim, as dores musculares provenientes dos microtrauma se reduzindo a fadiga muscular durante e após o uso.

Realmente a resistência às fadigas melhora bastante. Testei esta tecnologia em diversos treinos, onde também percebi que a compressão e estabilização muscular proporcionada por ela mantem a energia por mais tempo.

Em provas e treinos longos, não é possível repor o protetor solar de 2 em 2 horas conforme orientação. Portanto escolher equipamentos com proteção UV é fundamental. Tecidos anti-bactericidas e repelentes de umidade inibem a formação de fungos e consequentes lesões.

Pensando nisso a Curtlo produz bermudas e bretelles que propiciam a troca térmica; e a textura interna do tecido favorece o microclima interno estável e a redução do efeito úmido colante em contato com a pele.

Portanto, qual usar?

Não há uma opinião formada sobre só este ou aquele. Eu mesma possuo diversas bermudas e bretelles. Quando busco máxima performance utilizo bretelles sem dúvida. Quando vou fazer uma pedalada mais recreativa, realizar um treinamento curto…utilizo as bermudas que são mais práticas.

Mantenho uma linha premium de bretelles da Curtlo que só utilizo em treinos longos e técnicos (e futuramente em competições). Bermudas possuo algumas do modelo 3D Compress mais avançadas e várias outras mais simples para “bater no dia a dia”.

A principal dica, portanto não é sobre usar bretelles ou bermudas, e sim saber escolher a marca e modelo que lhe proporcionará maior conforto e principalmente desempenho.

Lembrando que a bermuda ou o bretelle não são o único fator que deve ser avaliado para evitar as dores, que também podem estar relacionadas com altura, formato e posição do selim. Mas mesmo com o selim mais apropriado para seu corpo, uma bermuda ou bretelle ruim pode colocar tudo a perder.

Racing World Series in China

Recently, windsurfing is increasingly catching the fancy of all and hence the demand for windsurfing lesson is rapidly increasing. However, before one take up the first surfing lesson, some kind of preparation is essential to help one get the most out of the surf lesson. Surfing requires very strong legs which can come from swimming lessons.

Read more “Racing World Series in China”

The Living Landscapes of Colorado

Windsurfing About Content Windsurfing as an adventurous sport and recreational pastime first peaked in 1980s only to fall. However, with all sorts of advancement, the sport has suddenly caught the fancy of all those looking for unique adventure and fun. If you want to revel in the thrill and the tornado of gliding over waves at over 20-30 miles per hour, look no further than Adrenaline. The Adrenaline windsurfing center is situated in the sandy paradise of the Dominic Republic.

Read more “The Living Landscapes of Colorado”