Laranjeiras x Funil

Travessia Laranjeiras x Funil

A travessia Laranjeiras x Funil é uma aventura pela bordas dos cânions do estado de Santa Catarina, mais precisamente na cidade de Bom jardim da Serra.

A travessia de trekking foi realizada pela empresa Sol de Indiada, uma grande parceira a anos do Trekking RS, nessa edição fomos convidados a fotografar e relatar a experiencia.

A Sol de indiada tem como objetivo proporcionar a aventura para todos, pensando nisso cria travessia de trekking para todos os níveis, desde iniciantes nas aventuras como atletas de alto rendimento.

A travessia era composta por três pacotes diferentes:

  • Opção 1 – Estava incluso nesse pacote: apoio 4×4, alimentação (almoço/jantar), traslado, 2 guias, fotos do evento e a opção de você poder levar a sua mochila cargueira se quiser. (Ideal para iniciantes).
  • Opção 2 – Estava incluso no pacote: 2 guias, almoço e jantar, fotos do evento e traslado.
  • Opção 3 – Estava incluso no pacote: 2 guias e fotos do evento.
Laranjeiras x Funil

Já realizamos inúmeras travessia pelas bordas dos cânions entre os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, quem acompanha o nosso site sabe, mas essa travessia posso dizer que é uma das mais belas que já percorri pelos campos de altitude.

Primeiro dia

O primeiro dia da travessia Laranjeiras x Funil começou com o dia ensolarado, não havia uma nuvem se quer no céu, caminhar em dias ensolarados nos permite tirar fotos belas, mas o calor nos castigava durante o caminho.

A primeira impressão que temos sobre os campos de altitude é que ao olhar de longe, parece muito com um “campo de golfe”kkk. A vegetação presente nos dá uma falsa sensação que será fácil trilhar esses caminhos.

Na prática não é bem isso que acontece, pois em grande parte desses campos existe uma espécie de musgo conhecida como Turfas (a turfa é um material de origem vegetal, parcialmente decomposto, encontrado em camadas, geralmente em regiões pantanosas e também sob montanhas (turfa de altitude). É formada principalmente por Sphagnum (esfagno, grupo de musgos) e Hypnum, mas também de juncos, árvores etc).

Nesses casos vale muito a pena ter calçados impermeáveis e respiráveis e pré amaciados para que seus pés não sofram tanto ao passar por estes obstáculos. Veja os modelos que recomendamos!

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Esse primeiro dia de travessia Laranjeiras x Funil tinha aproximadamente 15 km, não foi algo tão complicado de se fazer, pois as vistas que tínhamos recompensava a cada passo dado.

O grupo formado para a travessia Laranjeiras x Funil era uma mistura de atletas, apreciadores da natureza e iniciantes, todos formavam uma grande família aventureira, pessoas com muitas histórias interessantes, trocávamos experiencias incríveis, como se já nos conhecêssemos a anos, nem parecia que estávamos no primeiro dia de trekking apenas.

Depois de muito caminhar e contemplar belezas incríveis, chegamos no nosso primeiro acampamento, uma fazenda no meio do nada, mas que tinha o necessário para que pudéssemos acampar com segurança.

A Parte da Organização responsável pelo Apoio na Cozinha e no Traslado de equipamentos que precisa seguir em veículos 4×4… já estava com a base montada e já preparando a comida para quem preferiu ter isso incluso. O local de acampamento, tinha opção de chuveiro quente, água potável e um galpão para apoio.

Para os aventureiros que não tinham contratado a opção mais completa, chegaram no acampamento, armaram as barracas e já começaram a fazer o jantar. Eu estava em meio à esse grupo, assim eu aproveitei em testar algumas receitas novas de comida, equipamentos no acampamento!

Depois de todos jantados era hora de curtir uma fogueira com a galera, estar em uma roda de amigos, junto ao local tão especial assim, faz a gente pensar o que realmente é uma “rede social”. Ficamos alí conversando e rindo, entre piadas e histórias, parávamos para observar o céu estrelado, de onde estávamos conseguíamos ver boa parte da Via Láctea. Aos poucos cada um foi se recolhendo para sua barracas e assim fomos todos dormir.

Segundo dia

O segundo dia da travessia Laranjeiras x Funil amanheceu tímido, a neblina ia desaparecendo conforme o sol ia subindo pelo horizonte, as barracas estavam tão molhadas que parecia que tinha chovido durante a noite. A manhãzinha estava um tanto fria por ainda estarmos no verão.

A galera levantou cheio de energias, era hora do café da manhã, desmontar acampamento e voltar a andar mais alguns quilômetros.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

O trekking desse segundo dia iria nos levar para o Cânion do Funil, um lugar de uma beleza natural intocada, o percurso não era difícil, mas tinha muitas “turfas pelo caminho, cruzadas de córregos e caminhadas por dentro de matas nebulares. O céu continuava azul, mas dessa vez com umas nuvens, eu prefiro particularmente prefiro dias assim, pois dão mais profundidade para as fotografias.

Lembro-me de caminhar pelas bordas e ver constantemente o nosso próximo acampamento, a cada passo dado as montanhas pareciam que ficavam maiores e mais verticais.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Próximo do meio dia paramos para almoçar junto a um pequeno córrego de água, onde continha um pequeno poço para banho. Para os mais destemidos, arriscaram um banho naquela água gelada, enquanto outros faziam seus lanches de trilha, enquanto conversavam entre si.

Nessa hora já estávamos bem perto no vértice do Cânion do Funil, aproximadamente trinta minutos de caminhada até chegar no local do acampamento.

O Cânion do Funil possui uma formação incrivelmente linda e diferente do que estamos acostumados. Com protuberantes picos em formato de funil invertido, que rompem o chão e atingem imponentes alturas, cobertos pela floresta densa. Lembra as montanhas de Tianzi, da China, cenário do filme Avatar.

Chegamos ao acampamento por volta de 15:00 da tarde, o dia estava belo, as nuvens começavam a se aglomerar, já mostrando que teríamos chuva no fim de tarde ou a noite.

Logo que cheguei já comecei a montar a barraca, e como de costume sempre procuro o lugar mais incrível para acomodar a minha casa de montanha (barraca), o local escolhido por mim era nada mais, nada menos do que uns 5 metros da borda.

Dois motivos me levaram a escolher esse local para montar a barraca, o primeiro deles era pela vista incrível que iria ter na manhã do dia seguinte, pois o sol iria nascer e dar de frente na porta da barraca, poder abrir a porta e ver aquela imensidão de montanhas. O segundo motivo era que eu precisa testar a nova barraca Naturehike Mongar 2 Ultralight.

Não recomendo que pessoas sem experiencia e sem uma barraca técnica apropriada monte a barraca na beirada de cânions, pois a noite o vento geralmente muda de direção e se você não estiver bem preparado, a sua noite pode ser catastrófica.

Depois de ter montado a casa de montanha era hora de se sentar naquele novo quintal e apenas apreciar à vista, aproveitei para fazer aquele café especial para assim curtir o visual com um pouco mais de conforto.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Aos poucos a neblina ia chegando de mansinho, ia impedindo aquela visão deslumbrante, era hora então de começar a cozinhar o jantar. A refeição escolhida era: Arroz, feijão e salame, logo que comecei a cozinhar já começou a pingar, logo percebi que a chuva iria ser longa e demorada, continuei cozinhando.

Como a barraca Mongar não tem muito espaço para cozinhar em seu avanço usei a barraca do guia da aventura, uma MSR Hubba Hubba NX com avanço que estava ao lado da minha, ali pude cozinhar de maneira tranquila, sem correr riscos de queimar a barraca e ainda abrigado da chuva.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Depois de jantar, recolhi todos objetos, guardei dentro do avanço da minha barraca e fui até onde estavam a galera toda reunida. A chuva não dava trégua, foi uma ótima oportunidade também para testar a nova Jaqueta Columbia Ex Eco Down Outdry Extreme, confeccionada em penas /plumas de pato e membrana impermeável. A jaqueta foi incrivelmente eficiente naquela situação, não passou uma gota de água para o interior e o suor gerado foi dissipado, deixando apenas uma sensação de conforto e calor.

Choveu por cerca de 4 à 5 horas interruptamente, a organização do evento montou um grande toldo perto dos carros 4×4, onde alí estavam todos os participantes, conversando, rindo e compartilhando experiencias.

Nessas horas vale muito ter equipamentos de qualidade, alumas pessoas do grupo com equipamentos mais simples, tiveram que se adaptar para conseguir dormir, mas com a ajuda da organização, não tiveram problemas maiores !

Lá por volta de 22:30 minutos a galera começou a se dissipar, cada um foi indo para a sua barraca e eu e o guia também começamos a ir para nossas barracas, pois estavam lá na borda do cânion.

Cheguei na barraca, verifiquei para ver se estava tudo tranquilo, e estava tudo em ordem! Nada de água no interior da barraca. Era hora de descansar para o dia seguinte.

Terceiro dia

Na manhã do terceiro dia da travessia Laranjeiras x Funil , acordei por volta de 5:45 da manhã, abri a porta da barraca e olhei para fora, havia uma grande camada de neblina e não enxergava nada. Voltei a dormir! Aproximadamente uns 40 min depois, abri a porta da barraca novamente e lá estava o sol subindo no horizonte e mandando embora aquela neblina espessa. Logo me aprontei, saí da barraca e comecei a fotografar, momento muito belo, o sol refletia nas rochas do cânion do Funil, quanto mais o sol brilhava, mais mudava as cores no horizonte, as montanhas começaram a ganhar um tom alaranjado, nem parecia que na noite passada havia chovido tanto.

Laranjeiras x Funil

Mas tem um ditado que diz “depois da tempestade, sempre virá um sol maravilhoso”. Estar ali e poder contemplar aquela beleza é algo que vale cada passo dado para se chegar até ali, sempre digo que precisamos enfrentar o frio, para desfrutar do calor, precisamos também ficar cerca de 5 horas na chuva, para assim poder olhar o amanhecer, o sol e aquela beleza toda com um olhar de “gratidão”. Sempre agradeço ao universo por me dar a oportunidade de ver e viver momento como aquele. Pois são estes momentos que vamos lembrar lá no final da nossa vida e não os dias que passamos atrás de uma mesa trabalhando no escritório.

Depois de capturar imagens de tudo que foi ângulo possível, tava na hora de fazer o café da manhã, desmontar a barraca, colocar tudo dentro da mochila e seguir em frente.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Nesse último dia da travessia Laranjeiras x Funil, estávamos todos muito animados para concluir a travessia, o dia estava belo, ventava um pouco, nossa caminhada seria de aproximadamente 3 horas até chegar ao ponto final que seria a Serra do Rio do Rastro, uma das estradas mais belas e desafiadoras do mundo.

A paisagem continuava linda, a cada passo dado fortalecíamos ainda mais nossos laços de amizades, afinal estávamos no terceiro dia juntos e todos tinham muita experiencia para compartilhar.

Assim são os amigos trilheiros, sempre com muitas histórias engraçadas, lições de vida que nos ensina a sermos pessoas melhores a cada dia que passa.

O terceiro dia, foi muito parecido com um passeio no parque, o terreno era fácil de caminhar, sem grandes subidas ou descidas.

Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil
Laranjeiras x Funil

Ao chegarmos na rodovia SC- 390 a sensação era de dever cumprido, todos estavam muito motivados, teve gente que de tão motivado que estava, começou a correr sem parar, com as mochilas cargueiras nas costas até chegar no restaurante Mensageiro da Montanha, localizado junto ao Mirante da Serra do Rio do Rastro.

Esse restaurante é maravilhoso, conta com uma infinidade de alimentos, para todos os tipos de gostos e paladares, recomendo ir nesse local, pois é possível se servir quantas vezes quiser e o valor é atrativo!

Depois de todos terem almoçado era hora de entrar na van e retornar para Caxias do Sul/RS. Durante o trajeto de retorno, conversamos muito sobre os pontos altos da travessia, o que cada um colheu de novas experiencias e os novos aprendizados obtidos.

Uma travessia de trekking sempre irá nos proporcionar muitas amizades legais, alguns eu já conhecia, mas outros se tornaram grandes amigos. Nada como uma boa viagem para conhecer as pessoas que estão com a gente. Estou aguardando a próxima para que todos possamos nos reencontrar!

Caminho dos Vales e das Águas

Nós do Trekking RS estamos sempre em busca de novos destinos e dessa vez apresentamos a nova rota turística conhecida como o Caminho dos Vales e das Águas, localizado dentro de nove municípios que compõem o Litoral Norte gaúcho: Torres, Arroio do Sal, Itati, Terra de Areia, Mampituba, Dom Pedro de Alcântara, Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras e Três Forquilhas.

Fomos convidados pelo presidente da Rota Turística Caminho dos Vales e das Águas, o Sr. Carlos Cechin, para relatar a experiência de percorrer os caminhos da cidade de Três Forquilhas/RS.

A cidade de Três Forquilhas localiza-se distante cerca de 150 km da capital Porto Alegre, o nome do município decorre da confluência de três braços de rios a que se denominou Três Forquilhas.

O município de Três Forquilhas está inserido na área de Mata Atlântica com belezas naturais reservadas, como as Cascatas da Pedra Branca e do Barreiro; paisagens belíssimas, vistas da Chapada dos Valim; rios de água límpidas; Cânion do Josafá e engenhos de cachaça. Entre belos conjuntos emoldurados por rica e densa vegetação com flores e ramagens silvestres, encontra-se a rodovia municipal da Serra do Retiro ao alto Rio da Terra.

Na última terça feira dia 04 – Dezembro/2018 nos deslocamos da nossa amada Serra Gaúcha com destino ao litoral norte, mas precisamente para a cidade de Torres/RS, lá o presidente da Rota Turística nos aguardava juntamente com algumas agências de viagens, convidados e membros do projeto com o transporte que nos levaria para o 1º passeio pelo Caminho dos Vales e das Águas.

O deslocamento durou cerca de 1 hora até a nossa primeira parada, Sítio Café da Roça, o local é simples e aconchegante, os próprios proprietários nos levaram a percorrer o primeiro caminho do dia, à Trilha da Grota Escondida, caminho este de 731 metros de extensão, a trilha é bela e sem grandes desafios, é indicado para todas as idades, no meio da caminhada chegamos a um bosque repleto de Palmeiras Reais, o local proporciona uma ótima conexão com a natureza, perfeito para um piquenique ao ar livre.

Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas

Os proprietários serviram café passado, sucos de açaí, bolos, cucas e rosquinhas totalmente produzidas por eles. Os produtos coloniais são muito bons, foi difícil parar de experimentar tantas delícias.

Depois de estar de barriga cheia, retornamos para o ônibus e seguimos o Caminho dos Vales e das Águas seguindo o rio Três Forquilhas pelo seu lado direito. Este caminho é repleto por enormes montanhas, olhávamos para todos os lados e víamos morros e mais morros, andando pela estrada de terra temos a sensação de não estar mais no litoral, pois a geografia local é incrivelmente bela, intacta e montanhosa.

A nossa segunda parada foi em uma ponte pênsil, conhecida por alguns como pinguela, essa é uma ponte de madeira e cabos de aço suspensa, que atravessa o rio Três Forquilhas e leva até o outro lado do rio na cidade de Itati/RS. A ponte tem cerca de 25 metros de extensão e balança bastante se tiver muitas pessoas caminhando ao mesmo tempo, a ponte é totalmente segura para passagens a pé ou de bicicleta.

Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas

A terceira parada aconteceu na AMADECON – Associação das Mulheres Agricultoras para o Desenvolvimento de Três Forquilhas, estas mulheres realizam trabalhos voluntários para a comunidade, dentre os inúmeros trabalhos realizados, destaca-se uma pequena farmácia que contem inúmeros medicamentos medicinais obtidos através de folhas de árvores e plantas encontradas no interior do município de Três Forquilhas, vale muito a pena conhecer. Neste mesmo local foi servido um ótimo almoço, muito bom por sinal.

Depois de todos bem alimentados era hora de entrar no transporte e seguir para um dos destinos mais belos do estado do Rio Grande do Sul, a Cascata da Pedra Branca, com sua incrível altura de mais de 140 metros.

Para chegar na base da Cascata percorre-se um caminho de estrada de chão por aproximadamente 1,5 km a pé, pois nos pés da cascata não tem como manobrar os veículos. O caminho é belo, o ar é puro e as árvores são gigantes, nos dois lados da estrada de terra a mata atlântica predomina, trazendo assim uma sensação de paz de espírito para os caminhantes.

Caminho dos Vales e das Águas

Na base da Cascata da Pedra Branca a visão é de tirar o fôlego, a aguá que caí é totalmente cristalina, arriscamos até tomar uns goles de água e nos molhar um pouco para nos refrescar.

Caminho dos Vales e das Águas

Depois de contemplar essa que é uma das cascatas mais belas do nosso estado, retornamos pela mesma estrada, mais ou menos no meio do caminho à esquerda, encontra-se uma pequena trilha que leva a uma segunda queda de água, o local é intacto e de beleza surpreendente, vale a pena visitar.

Caminho dos Vales e das Águas

Depois de muitas fotos e vídeos feitos retornamos para o transporte, saímos do Vale das Pedras Brancas e seguimos para o Borralho’s Café, da Bete, na comunidade de São Sebastião, local maravilhoso para apreciar um excelente café colonial muito parecido ou melhor que os que conhecemos da cidade de Gramado/RS.

Caminho dos Vales e das Águas
Caminho dos Vales e das Águas

Depois de conversarmos e nos alimentarmos bem, provando quase todas as delícias, era hora de retornar para a cidade de Torres/RS.

O Caminho dos Vales e das Águas é com certeza uma Rota Turística incrivelmente linda, com atrativos que contemplam o turismo rural, ecológico e claro o de aventura para todas as idades.

Veja todas as fotos dessa incrível experiencia que foi o 1º passeio pelo Caminho dos Vales e das Águas, acesse o nosso álbum no Flickr.

Ficou com vontade de conhecer estes caminhos? Já estão disponíveis nas agências de turismo de Torres e região, passeios turísticos ao município de Três Forquilhas e de outros município da região. 

Caso você seja da região da Serra Gaúcha e queira conhecer os encantos desse roteiro a empresa Sol de Indiada está credenciada para levar você até estes atrativos, clique aqui para ver as próximas trilhas.

Trip Montanha – Sul do Brasil

O Trip Montanha nasceu em 2011, quando o fundador, Cristian Stassun, iniciou uma rede de contatos no Facebook com o objetivo de desbravar Santa Catarina. Segundo ele, o grupo cresceu e muitos interessados em trilhar Santa Catarina eram de fora do estado. Criou-se uma rede muito forte, maior do que as associações e federações do estado, agregando pessoas e destinos do Rio Grande do Sul e do Paraná.

Trip Montanha - Sul do Brasil
Foto: Cristian Stassun

Trip Montanha - Sul do Brasil
Foto: Cristian Stassun

Esse grande grupo chamado Trip Montanha reúne os melhores homens e mulheres das atividades de trekking, hiking, bike, corrida, escalada, canoagem, espeleologia, canionismo e guias de turismo de aventura,  juntos descobrem técnicas, segredos de lugares, promoções de produtos, convites de eventos, novidades em tecnologia de fotografia e montanhismo e, principalmente, fortalecem a amizade entre essa galera toda.

Tenho a honra e o privilégio de fazer parte desse grupo de mais de 700 membros, com grandes feras, alguns engajados inclusive na diretoria das principais entidades de montanhismo do Sul do Brasil: FEMESC, ACEM, AJM, ASGEM e CPM.

Trip Montanha - Sul do Brasil
2° Encontrão Trip Montanha – Alfredo Wagner/SC – Foto: Luís H. Fritsch

O Encontrão Trip Montanha acontece todos os anos e reúne os membros do maior grupo de montanhistas do Sul do Brasil para trocar experiências, compartilhar o amor pela montanha, pelos trekkings e pelos esportes de aventura. São dois dias com atividades, palestras, cursos, acampamento, música ao vivo, boa comida e muita amizade.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Trip Montanha – Sul Brasil (@tripmontanha) em

Realizado esse ano no Cânion Espraiado – Urubici/SC, contou com atividades de rapel com Carlos Eduardo Madona, o Kadu, grande fera do canionismo, da empresa EcoXperiences na incrível Cachoeira do Adão com 90 metros de altura, trilhas pelos cânions, cavalgada, pêndulo com a Natural Extremo  e quadriciclos do Rancho Montanha Urubici. Esse ano o Trekking RS esteve presente no evento, comigo, com o Luis H. Fritsch e o Marcio Masso. Foi simplesmente sensacional!

Os quadriciclos garantiram ainda mais diversão no Encontrão 2018

Trip Montanha - Sul do Brasil

O salto no pêndulo de maior altitude do Brasil, foi realizado pela primeira vez pela empresa Natural Extremo durante o Terceiro Encontrão Trip Montanha realizado nos dias 7 e 8 de julho desse ano.

Veja o vídeo do rapel na Cachoeira do Adão 

O Encontrão Trip Montanha já tem inclusive local e data para a sua 4.ª edição. Será nos dias 6 e 7 de julho de 2019, nos cânions Boa Vista e Amola Faca em São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul.

Trip Montanha - Sul do Brasil
Cânion Boa Vista/RS – Foto: Luís H. Fritsch

Estância Pé da Serra

Apresento a vocês um dos lugares mais belos do Sul do Brasil, localizado ao Pé da Serra do Rio do Rastro, essa que é uma das mais lindas estradas do mundo.

A Estância Pé da Serra está localizada na cidade de Lauro Miller/SC, conta com uma ampla infraestrutura para atender os mais diversos públicos, desde atividade com escolas, escoteiros, viajantes, aventureiros, montanhistas e claro com a família toda.

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

Estrutura:

O local possui diversos tipos de acomodações, dentre eles estão, camping estruturado e casas rusticas feitas de madeira nobre que acomodam inúmeras pessoas.

A estância conta ainda com banheiros masculino e feminino divididos, chuveiros quentes, cozinha completa e geladeira em todas as acomodações.

Esportes e Lazer:

Na estância Pé da Serra a inúmeras opções de lazer, podendo o turista fazer diversas trilhas em meio a mata atlântica, uma delas leva à uma cachoeira escondida de aproximadamente 100 metros de altura, as trilhas são bem marcadas, caso você não se sinta seguro de percorre-las sozinho, a funcionários que podem lhe acompanhar.

No lugar também é possível fazer turismo rural, passeios de quadriciclo e pesca esportiva.

Para quem gosta de andar de bike, o local é perfeito para aventurar-se pelas estradas coloniais sempre com vista das cristas e montanhas da Serra Geral.

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

Estância Pé da Serra
Crédito: Luís H. Fritsch

O que mais chama a atenção na estância Pé da Serra é o visual que se tem principalmente no amanhecer e fins de tarde, a fazenda está a cerca de 750 metros de altitude, de onde é possível ver grande parte da Serra Geral e a famosa Serra do Rio do Rastro.

Se você é uma pessoa que procura um bom lugar para passar os fins de semana, recomendamos conhecer e se encantar com a estância Pé da Serra!

Informações de contato:

Para mais informações você confere no site Estância Pé da Serra, converse com o proprietário Mercilo João Rigor.- pelo contato via e-mail: contato@estanciapedaserra.com.

Telefone: (48) 9-9166-9223

Fotografia outdoor

Hoje começo uma nova sessão de postagens, mostrando algumas imagens de fotografia outdoor que registrei com o passar dos anos, juntamente com algumas dicas importantes que me ajudaram nesse processo de aprendizagem neste ramo da fotografia.

Para você que está começando no mundo da fotografia outdoor, vou mostrar algumas dicas importantes, para ajudar você a melhorar o seu olhar fotográfico, não importando o seu estilo fotográfico, mas sim o processo de captação de uma imagem.

Dica 1 – Busque o máximo de informações

Caso você queira saber, nunca estudei de maneira formal a fotografia outdoor, sempre busquei informações sobre funcionamento do equipamento, procurei aprender técnicas de fotografias usando a internet, as ferramenta do Google, Youtube e conversando com fotógrafos experientes. Alias estou neste meio a cerca de 2 anos apenas.

Se você está começando na área da fotografia, recomendo estudar  usando a internet e conversando com pessoas deste meio, deixe para investir em estudos aprofundados quando tiver certeza do nicho de mercado que quer trabalhar.

Lembra-se, para capturar uma boa imagem você não precisa ter um equipamento caro, mas sim um olhar apurado. 

Dica 2 – Pratique incansavelmente

Treine o seu olhar fotográfico por inúmeras vezes, em variados cenários, com muita luz ou baixa luminosidade, treine o quanto conseguir, quando você alcançar o seu objetivo com a fotografia tente melhora-lá ainda mais.

Crie fotografias outdoor que sejam magníficas a ponto de cativar não apenas o seu olhar, mas sim de inúmeras pessoas.

Dica 3 – Crie sua própria obra de arte

Seja original com suas fotos, não copie imagens ou representações, use a sua criatividade, o seu olhar apurado, a sua técnica fotográfica para compor uma imagem que lhe represente.

Não seja uma cópia de um fotógrafo, faça algo diferente e crie suas próprias obras de arte!

Com o passar dos anos venho acumulando fotografias de viagens em minha coleção pessoal, e por muito tempo guardei elas apenas para mim. Mas já passou da hora de trazer essas imagens para vocês, querido público leitor. Abaixo seguem algumas fotografias capturadas pelas minhas andanças por este mundão:

Fotografia outdoor
Mirante Gelain – Flores da Cunha/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Parque das 8 Cachoeiras – São Francisco de Paula/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Ushuaia – Argentina

Fotografia outdoor
Cânion Espraiado – Urubici/SC – Brasil

Fotografia outdoor
Pôr do sol em Farroupilha/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Machupicchu – Cusco – Peru

Fotografia outdoor
Cascata das Andorinhas/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Cânion Boa Vista – São José dos Ausentes/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Ferrovia do Trigo – Vespasiano Corrêa/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Morro Moreno – Vila Venha/ES – Brasil

Fotografia outdoor
Cascata Salto Ventoso – Farroupilha/RS – Brasil

Fotografia outdoor
Pôr do sol em El Calafete – Argentina

Essas são apenas algumas das imagens que captei nos últimos tempos, nos próximos posts, falarei sobre equipamentos fotográficos, acessórios e como você pode registrar fotos incríveis investindo pouco dinheiro, mostrarei uma galeria especial de cada lugar que visitei. Aguardem por essa nova série de postagens interessantes!

Drone de mão

Seu sonho sempre foi ter um Drone, mas até então isso nunca tinha sido possível, então conheça o Drone 7S, um pequeno aparelho voador de mão que chegou no mercado e está assustando grandes empresas e fabricantes desse segmento.

É fabricado com copolímero ABS, por isso ele é mais leve e durável que qualquer outro drone do mercado.

Para manuseá-lo é tão fácil que até uma criança de 7 anos de idade consegue opera-lo perfeitamente, além disso ele é controlável pelo celular, o fabricante desenvolveu um aplicativo tanto para Android quanto para IOS.

Drone

Conecte o Wi-fi do drone em seu celular, parecido como você faria para conectar a rede da sua casa! Ele está pronto para fazer selfi´s incríveis e vídeos em alta resolução.

Você deve estar se perguntando sobre o valor?

O valor desse brinquedinho seria de mais ou menos R$ 1.100 reais, mas a empresa está vendendo por aproximadamente R$ 650 reais. Compre pelo site oficial.

Características:

  • Resolução de 720p;
  • Voa por 8 minutos;
  • Bateria e Carregador inclusos no pacote;
  • Voa até 70 metros;
  • Pesa apenas 85 gramas.

Veja em ação:

Gostou dessa novidade, então compartilhe com seus amigos!

Câmera Nikon KeyMission 360°

Quando a primeira câmera fotográfica foi inventada pela primeira vez em 1839, revolucionou o mundo não só por ter simplificado o ato de captura de uma cena, mas também porque se fez isso de uma maneira mecânica com incrível precisão e detalhe. Hoje, somos capazes de não apenas capturar um quadro isolado a partir de uma cena, mas na verdade todo o ambiente 360°. Isto significa que, como um espectador, você já não esta apenas assistindo passivamente o conteúdo, mas sim se envolvendo na cena como nunca antes.

A câmera KeyMission 360 é a primeira de uma família de câmaras de ação da marca Nikon que captura imagens estáticas e vídeos de alta resolução tais como: 4K Ultra HD. Casualmente conhecido por estas bandas como “a câmera de ação” ou “360”, a KeyMission 360 é impermeável a 30 metros e construída para lidar com as imperfeições dos terrenos acidentado, com os ambientes empoeirados e as extremas temperaturas climáticas.

Câmera Nikon KeyMission 360°

Tudo isso só é possível graças ao seu par de lentes frente e trás, seus sensores duplos construídos com um poder de captação incrível. O processo junta as duas imagens transformando em uma vista de 360 graus.

Assista o vídeo:

Detalhes:

A Nikon KeyMission 360 captura imagens em 4K UHD vídeo, com resolução de 3.840 x 2.160 pixels é à prova d’água com profundidades de até 30 metros sem uma caixa separada, à prova de choque de alturas de até 2 metros, e tem estabilização de imagem eletrônica, segundo a Nikon. A lista de produtos inclui algumas especificações adicionais, incluindo suporte para cartões micro-SDHC/SDXC de mídia, Wi-Fi, NFC, Bluetooth, um microfone integrado, bateria não removível de Li-Ion e USB 2.0.

Os preços ainda não foram divulgados pela empresa, mas já encontramos este modelo de câmera em um site Alemão, com o valor de 1.399 euros.

Câmera Nikon KeyMission 360°

Fonte: Nikon Europa

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista

A região dos Cânions já é linda por si só, com seus penhascos estonteantes com cerca de 750 a 1.200 metros de altura. Em cada cânion a vista é diferente proporcionando grande paz de espírito e imensa sensação de gratidão. Gratidão por poder conhecer e explorar lugares, onde as matas, rios, plantas e animais são preservadas e a vida selvagem continua com o mínimo impacto do homem.

Já fomos à região dos cânions dezenas de vezes,  seja para fazer trilha ou apenas para fotografar. Nessas idas, nem sempre encontramos o céu majestosamente azul, já pegamos chuva na cara, horas do fenômeno viração, por isso, uma coisa que sempre procuramos em cada lugar que vamos ou retornamos é, fotografar sob outros pontos de vistas.
Há algumas pessoas que dizem que ir ao Cânion Fortaleza ou no Malacara sempre verá a mesma vista, o que eu, de certa forma descordo, pois sempre que se vai a um lugar que já estivemos ou inédito sempre veremos de outra forma ou outros pontos de vista e isso, é uma boa dose de motivação para nós ser humanos.
Neste artigo mostraremos um pouco da fauna e da flora capturadas por nossas lentes em visitas à região dos cânions. As fotos possuem grande diversidade de estilos fotográficos, sendo fotos macros de animais e plantas  e lindas paisagens que podem virar quadros de parede.

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Marcio Basso

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Marcio Basso

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Marcio Basso

DSCN5391
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

A região dos Cânions vista sob outros pontos de vista
Foto: Luís H. Fritsch

Time-Lapse do Nascer do sol

Veja também:

Texto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas!

Colecione momentos e não coisas!

Todos nós, de uma maneira ou de outra, adoramos fotografar de maneira convencional ou com os “paus de selfie”, tão populares hoje em dia, que possibilitam  maiores angulações em  fotografias, podendo mostrar de uma maneira diferente o mesmo lugar.

Não precisamos ser fotógrafos profissionais com câmeras e lentes que custam um valor relativamente elevado, podemos ser amadores e fotografar com qualquer equipamento fotográfico, o que vai importar de fato em uma fotografia é a maneira que você vê a imagem e não a maneira que os outros vão olhar e opinar sobre a imagem fotografada. Afinal, todos nós somos seres únicos, com pensamentos e ideias diferentes, então não se chateie se olharem para sua foto e não gostarem.

Vou apresentar a vocês caros leitores a minha maneira de ver o mundo, através das lentes das minhas câmeras. Nas viagens que faço sempre busco maneiras diferentes para obtenção das imagens, colocando meu próprio estilo fotográfico em foco, sempre em busca da perfeição, nem sempre dá certo, mas continuo sempre tentando, a cada foto um aprendizado novo, e é assim que vamos evoluindo cada vez mais, tentativas e erros sempre levam ao sucesso.

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Arroio do Sal/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

G0147922
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Parque Estadual da Guarita, Torres/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

Colecione momentos e não coisas
Arroio do Sal/RS – Brasil – Foto: Luís H. Fritsch

A fotografia para mim é a maneira mais legal de guardar um momento especial, seja de uma pessoa ou de uma paisagem. Com o passar dos anos a gente esquece dos lugares, dos detalhes das coisas, assim, as fotografias guardadas me fazem retornar ao momento e ao lugar revivendo aquele instante.

Por isso, se tiver que optar por algo na vida, escolha sempre colecionar momentos.  Alguns guardam na memória, outros em fotografias, pois afinal, as coisas que conquistamos ou temos, são meramente dadas como “status sociais”. Repito: “Colecione Momentos e Não Coisas”.

Veja também:

Conheça o Parque Estadual da Guarita – Torres/RS 

Texto: Luís H. Fritsch

Fotos criativas com bolinhas de gude!

Fotos criativas com bolinhas de gude!

Os trabalhos fotográficos do jovem Caleb Tenenbaum, um talentoso garoto de 16 anos de New Jersey, trazem fotos criativas com temas dentro de bolinhas de gude. Sua série, intitulada “Vida através de uma bolinha de gude”, ainda que num tom inocente, traz maturidade na execução e essência dos trabalhos.

Segundo Caleb, as fotos foram tiradas com uma Canon XS DSLR com uma lente 50 mm f/1.8 e um tubo de 13 mm Opteka, que permite aproximar as lentes sem perder o foco, resultando na nítida reprodução da paisagem dentro da bolinha de gude. O único tratamento digital é para afinação da imagem e em alguns casos a inversão da posição em 180 graus, pelo fato da imagem reproduzida dentro da bolinha estar na realidade de cabeça para baixo.

Seus trabalhos são realmente muito bonitos, e o jovem revela que o “segredo mágico é simplesmente tentar coisas novas”.

Vida através de uma bolinha de gude

Fotos criativas

Fotos criativas

Fotos criativas

Fotos criativas

Fotos criativas

Fotos criativas

Fotos criativas

Veja mais acessando Caleb Tenenbaum