Valor R em isolantes térmicos de camping

Você sabia que os isolantes térmicos possuem uma nomenclatura conhecida como valor R, onde este norteia a sua resistência térmica, assim mostrando a faixa ideal de temperatura que deverá ser usada.

Neste post vamos falar especificamente sobre o Valor R, mostrando uma tabela que ajudará você na hora de escolher o isolante térmico ideal. 

A tabela abaixo mostra a faixa de temperatura, o Valor R e algumas dicas de locais onde podem ser usados:

TEMPERATURA VALOR RLOCAIS
-23°C 7Elevadas altitudes
-18°C 6Elevadas altitudes
-12°C 5Patagônia (Inverno)
-7°C 4Mantiqueira (Inverno)
-4°C 3,5Mantiqueira/Região dos Cânions (Inverno)
-1°C 3Patagônia (Verão)
2°C 2,5Região dos Cânions (Verão)
4°C 2Mantiqueira (Verão)
10°C 1Mantiqueira (Verão)

Olhando a tabela acima, podemos nos perguntar, como fazer em locais muito frios como Cerro Aconcágua e Everest, onde as temperaturas podem chegar à -40°C ou mais. Neste caso é necessário usar não apenas um isolante térmico, mas 2 a 3, pois o valor R dos isolantes térmicos podem ser somados.

Qual é a norma usada para medir a resistência térmica?

Até o ano de 2018 não existia uma padronização do método de teste de resistência térmica, apenas o cálculo do Valor R era definido, conforme cálculo abaixo.

cálculo Valor R

Para resolver esta questão, a indústria outdoor vai passar a usar, a partir de 2020, a norma ASTM F3340-18 (Standard Test Method for Thermal Resistance of Camping Mattresses Using a Guarded Hot Plate Apparatus), o que vai facilitar nossa vida, pois vamos poder comparar os isolantes térmicos de diferentes marcas.

Valor R - Therma-Rest
Fonte: Therma – Rest
Valor R - Therma-Rest
Fonte: Therma – Rest

Já falamos aqui sobre os tipos de isolantes térmicos usados no mundo das aventuras e como escolher o melhor, saiba mais. Caso queira ver nossos reviews de produto, acesse esse link

Agora que você conhece um pouco mais sobre o valor R, poderá escolher seu isolante térmico com muito mais facilidade, sem medo de errar na compra.

Essa foi a dica do especialista.  Nos vemos no próximo post!

X Ultra 3 Prime

Review Salomon X Ultra 3 Prime

Hoje venho apresentar a você o Tênis X Ultra 3 Prime da Salomon, destinado a inúmeras atividades ao ar livre, mais especificamente usado para hiking e pequenos trekkings.

X Ultra 3 Prime
X Ultra 3 Prime

Esse modelo de tênis conta com tecnologias inovadoras, sua construção é muito semelhante à Bota X Ultra Trek GTX, que avaliamos a alguns meses atrás, confira!

Para que você conheça melhor esse modelo de calçado, começo apresentando as suas principais características e tecnologias empregadas.

Características:

  • Entressola: EVA injetado e estrutura moldada
  • Altura da entressola no calcanhar: 19mm
  • Altura da entressola nos dedos dos pés: 8mm
  • Solado: Contagrip 
  • Proteção: Protetor de bico e calcanhar
  • Palmilha: Ortholite
  • Material: Resistentes à abrasão, leve e respiráveis. Proteção de couro sintético revestido com PU.
  • Peso aprox: 360g
  • Valor do produto: R$ 649,90

O Tênis X Ultra 3 Prime conta com tecnologias já conhecidas, como o Sensifit®, Advanced Chassis®, Contagrip® e Ortholite®.

O Sensifit está presente na lateral do tênis X Ultra 3 Prime, com a principal função de abraçar e protege o pé evitando assim ele se mova dentro do tênis durante as atividades física. Em outras palavras podemos dizer que essa tecnologia auxilia muito durante as nossas caminhadas na natureza, trazendo mais segurança na pisada e conforto ao usuário.

X Ultra 3 Prime

O Advance Chassis está presente entre a sola e a palmilha do tênis X Ultra 3 Prime, tem como principal função maximizar o controle de movimentos e ajudar na tomada de impulsos durante as trilhas, além disso ainda aumenta a estabilidade e eficiência em cada pisada em terrenos difíceis. Em outras palavras este chassis faz com que seu pé se comporte de maneira correta e evita que você pise de maneira errada, aumentando a vida útil do solado e fazendo com que o desgaste seja de forma padrão.

X Ultra 3 Prime
X Ultra 3 Prime

Neste tênis também é possível vermos uma estrutura moldada em TPU, que aumenta a proteção do calcanhar, maximizando o conforto em qualquer terreno.

O Solado Contagrip é produzido em conjunto com a Michelin, é um dos mais duráveis disponíveis hoje no mercado. Com no mínimo 800km de vida útil, o Contagrip foi projetado à partir de várias combinações diferentes de dureza, oferecendo a perfeita aderência e durabilidade para cobrir terrenos mistos. Projetado especificamente para terrenos desnivelados, os solados são testados em campo e os resultados satisfazem até o mais exigente dos aventureiros.

X Ultra 3 Prime

Palmilhas Ortholite do Tênis X Ultra 3 Prime são feitas de uma espuma específica e EVA que tem a função de proporcionar aos pés um ambiente mais fresco, seco e saudável, oferecendo o máximo de conforto ao calcanhar. Essa palmilha ajuda no desempenho de amortecimento e mantém sua eficácia mesmo após anos de uso, além disso, por conter em sua composição fragmentos de pneus reciclados, de quebra ajuda a proteger o meio ambiente.

Avaliação Tênis X Ultra 3 Prime – Salomon

Estamos usando o Tênis X Ultra 3 Prime a um mês aproximadamente e desde o começo do uso temos notado que o calçado se comporta bem em terrenos pedregosos e lamacentos. Testamos também nas pedras lisas na beira de rios e neste caso ele até adere um pouco, mas não o suficiente (todos os calçados que usei até hoje não aderem em pedras lisas com limos).

X Ultra 3 Prime

O Tênis X Ultra 3 Prime possui uma boa ventilação, mantém o pé arejado durante as trilhas, não tendo aquela sensação que o pé está “cozinhando” dentro do tênis. Por haver essa ventilação o tênis seca muito rápido quando encharcado.

X Ultra 3 Prime

Na parte frontal do tênis a biqueira é construída de couro sintético revestido com Poliuretano, sendo assim proporciona maior proteção aos pés ao topar pedras e raízes que estiverem no caminho.

X Ultra 3 Prime
X Ultra 3 Prime

Esse tênis possui cadarço normal, isto é você tem que amarrar e desamarrar toda a vez que usar, durante o uso percebi que o cadarço vai afrouxando e a cada pouco tenho que amarrar novamente. Deixo como sugestão para a marca Salomon oferecer a opção de cadarço com sistema Quicklace (já conhecido e usado em boa parte dos calçados de alta performance usado pela marca dentro e fora do Brasil), este é muito mais robusto, pois trata-se de um cadarço de Kevlar, sendo duradouro, fácil de amarrar e não solta facilmente durante o uso.

X Ultra 3 Prime

Review Tênis X Ultra 3 Prime – Salomon

Em breve faremos um vídeo mostrando como instalar o cadarço Quicklace em seus tênis Salomon, fique de olho no nosso canal no Youtube!

Ainda é muito cedo para concluirmos nossa avaliação, por isso faremos mais alguns testes com o Tênis X Ultra 3 Prime, antes de escrever a nossa avaliação completa.

Gostaríamos de agradecer a Salomon Brasil e a loja Patos do Sul por acreditar em nosso trabalho e em nossa opinião sincera, juntos somos fortes!

Caso você queira adquirir este modelo de Tênis, entre em contato com a nossa loja parceira Patos do Sul, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil. 

X Ultra 3 Prime

Nosso querido público leitor tem descontos especiais na loja, para ganhar este desconto, você só precisa nos encaminhar um e-mail.

Créditos: Clic Run

8ª Etapa e Final do Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

No último sábado (dia 09) pelo sexto ano consecutivo, a cidade de Sério recebeu uma etapa do Circuito Trilhas & Montanhas. A 8ª Etapa do CTM – Trilhas Serra dos Vales teve percursos de 5, 10 e 23 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas; e contou com a participação de mais de 600 atletas de diversas cidades do Rio Grande do Sul.

CAMPEÕES DA 8ª ETAPA DO CTM, FORAM:

DISTÂNCIA LONGA

Daiane Dias – Equipe Born Gym – 02h27min

Gabriel Kretschmer – Equipe TeM – 02h07min

DISTÂNCIA MÉDIA

Daiane Deolinda – Equipe Teutorunners – 01h03min

Rogério Andretta – Equipe Danivist – 47min22seg

DISTÂNCIA CURTA

Manuela Onzi – Equipe Hermelu Runners – 27min33seg

Italo da Silva Sanhudo – Equipe Team Mignot – 22min07seg

*Classificação completa, disponível em: https://www.3ctiming.com.br/28/resultado

Sério é um pequeno e simpático município pertencente ao Vale do Taquari, intitulado como a “Serra do Vale” por situar-se na parte alta do vale. Emancipado da cidade de Lajeado em 1992 e distante cerca de 160 quilômetros de Porto Alegre; o pequeno município é o lugar ideal para quem procura contato mais próximo com a natureza.

Créditos: Prefeitura Municipal de Sério

A pouco mais de 650 metros do nível do mar, o município possui uma geografia montanhosa, diversos arroios, cachoeiras e muitas trilhas; elementos importantes para a prática do Ecoturismo.

TRILHAS SERRA DOS VALES…

Ano passado no final de maio Sério recebeu a 3ª Etapa do CTM, em um final de semana atípico, onde a greve nacional dos caminhoneiros e a consequente falta de combustível em diversos municípios, fez com que diversos atletas não comparecessem ao evento.

Lembro que eu e o Jullyander, “arriscamos” ir na etapa mesmo tendo mais de 300 quilômetros de viagem (ida e volta). Porém…nos perdemos no caminho, fizemos quilômetros à mais, chegamos em Sério faltando poucos minutos para a largada, passamos mal durante a corrida…mas no final “sobrevivemos” e deu tudo certo! rs

Créditos: Clic Run

Esse ano Jullyander, meu parceiro de treinos e algumas provas não fez o Circuito Trilhas & Montanhas e em razão de compromissos profissionais não quis viver novamente todas as emoções de Sério! – risos.

Mas…tem uma pessoa super especial e importante em minha vida, que desde meados de 2016 (meu início no trail running) me acompanha em praticamente todas as competições e tem que me “aturar” pós prova, contando fascinada todos os “melhores momentos” da corrida. E olhem, que sempre tem muitos!

Momentos antes do primeiro treino do Eduardo, aqui nas trilhas e montanhas de Veranópolis!

Com o passar do tempo notei que o Eduardo começou a demonstrar mais interesse pelos meus relatos e consequentemente pelo trail. Então…resolvi convidá-lo (à alguns meses atrás) para correr a distância curta em Sério. E adivinhem? Ele aceitou! Acho que foi por medo de me perder – brincadeira!

Resolvi abrir mão de ser a Campeã do CTM Distância Longa (Categoria 23 – 27 anos) para correr com ele os cinco quilômetros. É muito amor, né?!

A PROVA…

Eu estava mais ansiosa pela estreia do Eduardo no CTM do que ele mesmo. Como alguns amigos falaram, eu não sabia se ia dar “briga ou casamento”! – risos.

No primeiro quilômetro impusemos um ritmo forte e quem puxava era eu. Mas, logo após a primeira longa subida notei que essa ideia não iria dar certo…Resolvi deixar ele ditar o ritmo, e foi a melhor escolha que poderia ter feito.

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Ele foi cauteloso nas descidas, apreciou e curtiu as trilhas e para a minha surpresa AMOU as subidas. Foi emocionante vê-lo escalando os metros finais da prova, com postura e ritmo constante. Alguns corredores que estavam perto de nós diziam “Tá bonito de ver esse ritmo […]”. Ahhh…que orgulho!

Ao cruzar a linha de chegada, toda a emoção e euforia que ele vê em mim desde 2016 ao final de cada prova (trail), eu vi nele! O olho marejado de emoção pela estreia, o sorriso largo pelo desafio cumprido…e a frase “Que máximo! Foi fantástico […]”. Tudo indica que temos um novo corredor adentrando no Circuito Trilhas & Montanhas 2020, né?!

PÓS PROVA…

O Ginásio Municipal de Sério e arredores estavam lotados de corredores(as) e familiares que festejavam suas conquistas em mais um grandioso ano de Circuito Trilhas & Montanhas.

Conquistas essas, muitas vezes sem sentido para alguns, mas que nos enchem de alegria, satisfação e orgulho de nós mesmos, afinal, só quem calçou os nossos tênis sabe os trechos que passamos, as subidas que enfrentamos, apenas quem vestiu nossa camisa, sabe o suor que derramamos e chegar ao final de mais um ano de CTM é algo indescrítivel, por isso muitas vezes me emociono fazendo os relatos das etapas.

Imagino que as vezes os relatos pareçam fantasiados demais, principalmente para quem não corre e assim não entende tais sentimentos, mas se duvida de tudo isso, se desafie a cruzar uma linha de chegada do Circuito Trilhas & Montanhas 2020, superando desafios pessoais e alcançando coisas jamais imaginadas e então me diga qual foi a sensação no final.

CIRCUITO TRILHAS & MONTANHAS 2019…

Após 8 etapas, 8 grandes desafios, que ocorreram (respectivamente) nas cidades de: Maquiné, Farroupilha, Arroio do Meio, Igrejinha, Carlos Barbosa, Nova Roma do Sul, Tupandi e Sério. Chegou ao fim o Circuito Trilhas & Montanhas 2019.

O evento contou com uma média de 750 inscritos em cada etapa, certamente o maior evento de corrida em trilhas e montanhas do Rio Grande do Sul. Um Campeonato que é focado no fomento e na promoção da modalidade esportiva de corrida em trilhas e montanhas no Rio Grande do Sul.

“Tivemos juntamente com o Circuito Trilhas & Montanhas, o ranking CTM com a soma de pontos através das classificações nas 8 etapas. Foi algo muito importante, que deu estrutura as corridas em trilhas do RS em nível de competição/performance. Foram 275 premiados no ranking CTM 2019, que foram classificados até o 10º na Geral (Distâncias: curta, média e longa) e até o 5º nas faixas etárias (Distâncias: curta, média e longa).” destaca Luis Leandro Grassel, Diretor Geral do Circuito Trilhas & Montanhas.

OS GRANDES CAMPEÕES DO RANKING CTM 2019, FORAM:

DISTÂNCIA LONGA

Daiane Dias – Equipe Born Run – 217 pontos

Sidimar Pimentel Saraiva – Equipe TeM – 207 pontos

DISTÂNCIA MÉDIA

Caciane Lucia Zonatto – Equipe Night Runners Gravatái – 217 pontos

Cleito Maraga – Equipe BTR Trail Runners – 203 pontos

DISTÂNCIA CURTA

Camila Backes – Equipe Teutorunners – 218 pontos

Anderson Boll – Equipe Body e Mind – 211 pontos

AGRADECIMENTOS…

Nesta 8ª edição do CTM, foram diversas as prefeituras, entidades, empresas e pessoas que trabalharam para a promoção e realização das etapas. A todas elas nosso muito obrigada!

Mas não podemos deixar de fazer um agradecimento especial aos nosso “invisíveis e incansáveis trabalhadores” do CTM 2019. São eles:

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Equipe L&E Eventos Marketing Esportivo: Luis Leandro Grassel, Graziela Olszewski, Cristiano Saurin, Dieferson Umbelina, Duda Pires, João Paulo Wildner Medina, Leonardo Berger, Leonardo Wink, Luis Felipe Soder, Patrícia Molz, Sara Dias, Victória Rocha. Grandioso time! Responsável pelos percursos e sinalização; organização e entrega dos kits e premiações; staffs…e muito mais!

Enfermagem: Magda Chagas e equipe. Eles que cuidaram de dezenas de atletas durante todas as etapas, com as suas “poções mágicas” e todo seu conhecimento.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Youmovin: Ivano Vargas e Luciana Coimbra. Foram responsáveis por todo o processo de inscrições do Circuito!

3cTiming Cronometragem Eletronica: Clávison Zapelini e Clésia Mendes Zapelini. Eles vieram lá de Santa Catarina e ficaram responsáveis pela classificação e ranking do CTM.

RP Sonorizações: Raphael e Patrícia. Responsáveis pelas fantásticas trilhas sonoras de cada etapa, que agitaram a galera.

ClicRun: Anelise Leite, Sérgo Gutheil, Alex Viana, Catiucha Rehbein, Daniela Souza, João Pedro Pedroso, Jon Hesse, Jonas Nunes, Lilian Martins, Muriel Plautz e Taís Zanotieli.  Essa galera é o máximo, eles ficaram durante horas e horas no sol, calor, chuva, barro…para registrar os nossos melhores momentos.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Baú do Esporte: Alex Sousa Vaz, Patrícia Zurchimitten Vaz (Casal Baú), Jaqueline Ribeiro e Daiana Nunes. Equipe querida por todos, sempre com os melhores produtos de vestuário, calçados…para os atletas.

100Fôlego: Nédson Ferretto Meira. Quem não conhece ele?! Cara gente finíssima com vídeos cheios de histórias e curiosidades de cada etapa.

Correndo com Andre Assessoria Esportiva: Andre Silva. Sempre filmando as etapas, motivando a galera, voltando pra dar força pros amigos!

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Trekking RS: Jasmine Benato. Essa sou eu (risos) convocada pelo Luis para ser a Editora do CTM lá em 2017. Ao final de cada etapa contei um pouquinho do que passamos pelos percursos. Das superações, conquistas, amizades…

Hoje, com mais de oito anos à frente da L&E Eventos – Esporte e Natureza, Luís Leandro Grassel (Diretor Geral do Circuito Trilhas & Montanhas) destaca a importância de terem sido pioneiro na realização de eventos esportivos de corridas em trilhas e montanhas no Estado e verem nos dias atuais que os vários eventos, grupos de corrida e principalmente o grande número de pessoas que correm Trail Run, vieram de seu fomento e difusão da modalidade esportiva.

Créditos: Clic Run / Taís Zanotieli

“O Circuito 2019, nasceu como Campeonato Gaúcho Corrida Trilhas & Montanhas – CGCTM 2019 (2ª Edição) e a partir da terceira etapa, modificamos e voltamos ao nome Circuito Trilhas & Montanhas que já era marca e o nome de origem desde 2012.” destaca Luis Leandro Grassel.

Vale ressaltar que essa modificação ocorreu em função do surgimento de um novo Campeonato Gaúcho de trail running , esse homologado pela Federação de Atletismo do Estado do Rio Grande do Sul – FAERGS. Em respeito a formalidade deste novo Campeonato, Luis resolveu fazer a modificação do nome para não ter conflito de nomes e marcas, perante os corredores do RS.

Review - Camiseta Solo Ion UV

Review – Camiseta Solo Ion UV

Fala galera, aqui quem fala é Edson Maia, estou a alguns dias já na estrada, percorri muitos quilômetros, cruzei o Uruguai com minha bike, andei de barco e cheguei na capital Argentina, Buenos Aires. Se você quer saber tudo que está acontecendo em minha viagem, então confira a Cobertura Online Ciclotrekking. No dia de hoje, dia 07 de Novembro/2019 estou me deslocando de ônibus para a cidade de Bariloche. Venho através desta postagem fazer o primeiro review de produto dessa viagem, apresento a vocês à Camiseta Solo Ion UV.

Review – Camiseta Solo Ion UV

A Camiseta Solo Ion UV de manga longa se tornou a queridinha da Expedição Ciclotrekking. Desde o primeiro dia ela já vem sendo utilizada!

Review - Camiseta Solo Ion UV
Crédito: Edson Maia

É uma peça de vestuário técnica muito versátil, que pode ser usada de diversas maneiras, ela é extremamente confortável, muito boa para usar em dias de sol e calor. 

Com uma proteção que conforta e que permite ficar longas horas debaixo do sol forte, seja pedalando ou caminhando pela cidade, sendo ideal para pessoas que estão viajando, pois resiste facilmente a inúmeros dias sem a necessidade de lavagem, isto é, não retém nenhum tipo de odor.

A Camiseta Solo Ion UV é realmente um produto muito versátil e inteligente, além disso ela tem um design muito bacana e minimalista, podendo ser usada tanto para passear na cidade, quanto para quem tá viajando de bicicleta assim como eu, e não pode dispor de muitas peças de roupas em função do espaço.

Review - Camiseta Solo Ion UV
Crédito: Edson Maia

Eu tenho feito uso diário dessas camisetas, no caso a Solo disponibilizou duas unidades para mim, uma na cor cereja e outra na cor preta. 

Tenho optado por usar a vermelha quando estou pedalando porque ela chama atenção em relação aos motoristas que estão na rodovia, ideal para me visualizarem, e a de cor preta, tenho usado muito dentro da cidade pelo fato de ser discreta e bonita, tenho feito passeios, ido a cafés e shoppings.

Review - Camiseta Solo Ion UV
Crédito : @aleoxi16

Posso dizer que a Camiseta Solo Ion UV tem sido uma peça “coringa”, pois posso usar para dormir, usar em dias frios como uma segunda pele, combinada com um fleece e uma terceira camada.

Vale mencionar que é muito prático fazer a lavagem dessas camisetas, costumo usar sabão neutro ou sabão de coco, pois não agride o material e mantém o vestuário com cara de novo. Aliás ela seca muito rapidamente!

Review - Camiseta Solo Ion UV
Crédito : @aleoxi16

Especificações técnicas:

  • Peso médio: 80 gramas
  • Tecnologias: proteção solar | secagem rápida | antiodor
  • Composição do tecido: 100% poliamida

O tecido tem proteção contra raios nocivos do sol (UPF 50+), bloqueia até 98% dos raios UVA e UVB e é certificado de acordo com a Norma Australiana AS/NZS 4399:1996 da Arpansa (órgão Australiano de proteção à radiação e segurança nuclear).

Não achei nenhum ponto negativo até o presente momento, para mim as camisetas da marca Solo são muito boas até agora. Vou usar ela todos dias de forma massiva para obter uma conclusão mais concreta. 

Se você está procurando um produto leve, confortável e prático para fazer suas viagens de trabalho, mochilão, ir para as trilhas ou pedalar por aí, então esse é a camiseta certa para você!

Abraço e até o próximo post! Edson Maia – Ciclotrekking

Agradecimento Especial

Não podemos deixar de agradecer as nossos patrocinadores e apoiadores: Filipe FlopPoli Marcas e PatentesTrekking RSAventureBoxSolo Outdoor e Travel e Patos do Sul, sem eles não seria possível realizar esse sonho.

A história da Root Rider TV!

Quem é do mundo do Mountain Bike e já participou de alguma edição do Desafio dos Rochas, certamente já ficou ansioso aguardando o Release Oficial do evento da produtora Root Rider TV.

Release Oficial Desafio dos Rochas 2017 / Créditos: Root Rider TV

Foi ali no Desafio dos Rochas de alguns anos atrás que conheci o videomaker Daniel Rischbieter, proprietário da Root Rider TV. Ele é natural de Floripa e atualmente mora em Blumenau, com mais de 14 anos de experiência profissional na área audiovisual, já realizou trabalhos para a ESPN Brasil, Boulder Creek (UK), Bike Channel (IT); além das marcas: Oakley, Explore Canada, Quebec Original, Shimano, Soul Cycles, Cannondale, Specialized, Audax, Niner Bikes, ASW, Free Force…entre outras.

INÍCIO DA CARREIRA

O áudio visual sempre teve uma grande importância na vida de Daniel. Seja buscando descobrir novas bandas, novos estilos musicais ou esperando um novo vídeo de bike sair na internet durante a sua adolescência.

Root Rider TV
Créditos: Rogério Ximiti

“Basicamente começei minha carreira em 2005 com a vinda da World Cup de Mountain Bike para o Brasil. A etapa aconteceu em Balneário Camboriú, fui com amigos para assistir a prova e levei minha máquina fotográfica que também fazia vídeos. Ao final do evento editei um vídeo de melhores momentos, teve uma repercussão muito boa e até consegui vender umas cópias!” brinca Daniel, que a partir desse evento nunca mais parou de investir em novos equipamentos e consequentemente se inseriu no mercado do mountain bike.

CRESCIMENTO PROFISSIONAL

Nesses 14 anos de experiência profissional na Root Rider TV, Daniel já cobriu World Cup e Mundiais de MTB. Viajando para diversos países como África do Sul, Andorra, Escócia, Espanha, Itália…, Portugal e Canadá. Inclusive foi na produção da web série Brazilians Across Quebec em 2016, no Canadá que ele viveu uma de suas melhores experiências profissionais.

“Gravei a Brazilians ao lado dos meus amigos Jonatha Junge e Nataniel Giacomozzi. Foi uma grande oportunidade que ganhamos, desenvolver um trabalho de promoção do turismo de inverno no Quebec usando a bike como tema principal.”

Teaser Brazilians Across Quebec 2016 / Créditos: Root Rider TV

Usando Fat Bikes, que basicamente são bicicletas com pneus especiais para andar na neve, exploraram vários roteiros de aventura, incluindo a travessia de um lago congelado de 32 quilômetros e as emoções do primeiro Campeonato de Dual Slamom para bike na neve.

“Também tivemos uma experiência muito marcante com lobos selvagens. Uma vivência conduzida com guias claro, mas em que podíamos ficar cara a cara com esses lobos e até tocá-los, inesquecível! Acho que poder viver coisas que nunca imaginamos, pela primeira vez aliados com a hipnotizante imensidão branca do Quebec, com certeza foi algo muito marcante!” relembra Daniel.

Atualmente, Daniel trabalha produzindo conteúdo para empresas do ramo do ciclismo. Ele faz cobertura de provas e eventos de Mountain Bike, mas também já captou eventos de corrida como, Mizuno UpHill Marathon e Ultra Trail Run.

Root Rider TV
Créditos: Rodrigo Philipps

CONSUMO DE CONTEÚDO

Hoje em dia a forma como as pessoas consomem conteúdo se modificou. E a popularização dos vídeos, juntamente com o surgimento de plataformas que facilitam a sua distribuição, só contribuiu para isso.

Segundo Daniel, a internet teve um papel fundamental, principalmente na velocidade que a informação é propagada hoje em dia. Não esquecendo a democratização do acesso aos equipamentos de foto e vídeo!

“Com certeza o surgimento de linhas de consumidores profissionais no mercado de câmeras de vídeo teve um papel importante, encorajando pessoas que não necessariamente estivessem no ramo a se aventurar e desenvolver seu próprio caminho.

Qualquer negócio independente do seu tamanho passou a ter acesso a grandes plataformas de mídia digital e atingir milhares de pessoas. Isso gerou uma grande demanda de conteúdo, porém muitas vezes vemos ações desconexas e isoladas, justamente por não haverem profissionais preparados.” explica o vídeomaker.

MAS AFINAL, O QUE FAZ UM VÍDEOMAKER?

O trabalho desse profissional faz parte de todas as etapas do processo de criação de um vídeo, e não somente das filmagens. De forma resumida e precisa, as principais etapas deste processo consistem basicamente em:

Pré-produçãoTem como finalidade o planejamento de todo o projeto.
ProduçãoÉ a parte prática de se criar um vídeo.
Pós-produçãoEdição e finalização do vídeo.

Atualmente, o vídeo tem sido o formato mais usado pelas empresas para divulgar seus produtos; compartilhar conteúdos. E, principalmente, interagir com seus consumidores.

Na maioria dos casos Daniel realiza todas as etapas de um determinado projeto, isso significa uma carga de trabalho imensa. “Muitas vezes pode ser frustrante e cansativo, porém é extremamente desafiador e positivo saber desenvolver cada etapa do processo. Sinto que isso me puxa a pensar em várias esferas diferentes e me torna um profissional mais completo!”

Vale destacar, que independentemente de sua área de atuação, buscar aprofundar cada vez mais os seus conhecimentos específicos é fundamental para que você se torne mais competente e seguro das suas habilidades.

Como o vídeomaker Daniel finaliza, “hoje em dia não importa mais que câmera você tem e sim que ideias você possui!”

Root Rider TV

Conteúdo Outdoor

Atualmente, Root Rider TV trabalha produzindo conteúdo para empresas do ramo do ciclismo. Ele faz cobertura de provas e eventos de Mountain Bike, mas também já captou eventos de corrida como, Mizuno UpHill Marathon e Ultra Trail Run.

6ª etapa circuito trilhas e montanhas.

6ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas

Nova Roma do Sul é um pequeno e aconchegante munícipio da Serra Gaúcha, localizado a cerca de 160Km de Porto Alegre. Cercado por paisagens cênicas é o destino ideal para estar em harmonia com a natureza, conhecer o estilo de vida serrano e curtir a gastronomia típica dos imigrantes Italianos, Poloneses e Suecos.

A cidade recebeu pelo terceiro ano consecutivo o Circuito Trilhas & Montanhas. No último sábado (dia 7) ocorreu a 6ª Etapa do CTM – Trilhas de Nova Roma, a prova teve percursos de 7,12 e 22 quilômetros de corrida em trilhas e montanhas; e reuniu mais de 700 atletas de diversas cidades do Rio Grande do Sul.

Os grandes campeões foram:

DISTÂNCIA LONGA:

Fabrícia Barnart Magalhães – Equipe: Time T & M – Tempo: 02h47min

Sidimar Pimentel Saraiva – Equipe: Time T & M – Tempo: 02h12min

DISTÂNCIA MÉDIA:

Caciane Lucia Zonatto – Equipe: Night Runners Gravataí – Tempo: 01h28min

Evandro Audibert – Equipe: Km Livre – Tempo: 01h07min

DISTÂNCIA CURTA:

Camila Backes – Equipe: Teutorunners – Tempo: 41min

Lucio Alencar – Equipe: Vidativa – Tempo: 35min

Classificação completa disponível no site da 3c Timing Cronometragem.

Tenho um carinho especial por Nova Roma do Sul, minha cidade vizinha e desde meados de 2010 meu “quintal” para treinos, passeios e, é claro muita diversão.

E falando em diversão…foi no início de 2012 que resolvi me aventurar no rafting do Eco Parque Cia Aventura e como guia do meu bote tive o Odair Paravisi, também conhecido por Grilo. Desde então nos tornamos grandes amigos e no final de 2017 no I Trilhas de Nova Roma, tive a honra de vê-lo estrear no CTM e se sagrar o grande campeão da prova na distância longa. Detalhe, era sua estreia no trail running também!

Créditos: Fabiana Borella – I Trilhas de Nova Roma (28/10/2017)

Tenho uma admiração, carinho e respeito, enormes pelo Odair. Ele se doou demais nesta 6ª Etapa do CTM, juntamente com os amigos Evandro Maciak, Samir Piola, Fabiano Borella e demais integrantes da equipe Respire.

“Esse ano está sendo o mais difícil da minha vida no esporte, fora das provas e treinos por lesão desde a 1ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas em Maquiné. Tá sendo bem difícil…essa prova me salvou, não entrei em depressão pois concentrei meu pensamento no firme objetivo de dar a todos um grande percurso, de ver todos felizes na nossa cidade, […]” relata emocionado Odair.

O percurso desta prova começou a ser planejado pelo Odair, Evandro, Samir, Fabiano e cia ainda no final da etapa de Nova Roma do Sul do ano passado. Foi uma ano intenso para eles, afinal um evento deste padrão não se constrói da noite para o dia.

São trilhas para serem abertas (muitas vezes à facão) e mantidas, autorização dos proprietários das terras, segurança nos pontos mais perigosos do percurso, aprovação do Luís (Coordenador Geral do Circuito Trilhas & Montanhas) e mais diversos requisitos!

A prova (em minha opinião) foi a melhor do Circuito Trilhas & Montanhas 2019, até o momento. Um percurso extremamente técnico; rico em trilhas, montanhas, riachos, cascatas…paisagens exuberantes e pouquíssimas estradas. Uma prova que me conquistou do início ao final, e já explico o por que…

Clima ameno e chuva fraca na largada, poucos metros de corrida e já estavamos adentrando em trilhas. Ultrapassei e fui ultrapassada por alguns atletas logo após a primeira trilha e em seguida formei um trio com a Salete Parise e Márcio Reis. Seguimos juntos “escalando” as montanhas, “esquiando” as trilhas, “comprando” alguns terrenos e principalmente nos divertindo!

Créditos: Mário Reis

Chegando nos paredões de acesso à Cascata Filtro dos Sonhos (trecho mais técnico do percurso), fiquei maravilhada com a beleza do local e pensei comigo mesma ‘Vou guardar esse lugar com muito carinho em minha memória, pois fotográfo não terá aqui’! Engano meu…descendo mais alguns metros de trilha em meio à pedras, galhos e água me deparo com a Ane sentada em uma encosta em meio aos paredões, registrando e eternizando aquele momento de tamanha beleza e superação.

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Alguns metros mais abaixo visualizo um enfermeiro da Equipe Magda Chagas atento a possíveis acidentes e o Odair Paravisi. Que emoção encontra-lo por lá…registramos o momento e segui a trilha dizendo diversas vezes “Que percurso espetacular, Grilo (Odair Paravisi)! Que prova sensacional! Parabéns!”

Créditos: Anelise Leite / Clic Run

Concluimos a trilha da Cascata e iniciamos a temida subida do vale do Rio da Prata, dessa fez o Márcio Reis que puxava o trio. Chegando ao topo da montanha fomos presenteados com mais um lindo visual e o Sérgio Gutheil registrando aquele momento.

Créditos: Sérgio Gutheil / Clic Run

Mais alguns quilômetros de trilhas e montanhas, e estávamos no Eco Parque Cia Aventura. Passando por lá, o Júlio (proprietário do Parque) me reconheceu e gritou “Boraaaa Mine…que os teus pedais eram mais difíceis do que isso!”, confesso que na hora até senti saudades dos pedais! (risos)

Mais trilhas, mais riachos, mais “compras” de terreno, mais puladas de cerca e mata-burros e finalmente….cruzei a linha de chegada de uma das melhores corridas que já participei!

Aguardando a premiação eu só ouvia atletas e amigos elogiando o percurso e o evento no geral. Aquele clima gostoso, sabe? De amizade, camaradagem, união e alegria que só o CTM proporciona ao final de cada etapa!

Chegado o momento da minha premiação, o Luis teve a brilhante ideia de chamar o Eduardo (meu namorado) para me entregar o trofeú e já o intimou para um “futuro pedido”! – risos. Impossível finalizar melhor essa corrida!

Parabéns à todos os atletas que se desafiaram na 6ª Etapa do Circuito Trilhas & Montanhas, independentemente da distância!

Parabéns também às equipes: L & E Eventos, Magda Chagas Enfermagem, 3C Timing Cronometragem, RP Sonorização, Youmovin, Clic Run, Loja Baú do Esporte; que fazem o CTM acontecer!

Agora é se preparar para as duas últimas etapas que ocorrem no dia 12 de outubro em Tupandi e 09 de novembro em Sério.

3 maneiras de amarrar a sua bota

Neste post vou ensinar alguns nós úteis para amarrar suas botas, para que não solte durante suas caminhadas na natureza.

Este texto é uma continuação da postagem “dicas para evitar torção no tornozelo”, caso você ainda não tenha lido, veja em primeira mão!

Os nós que irei mostrar a seguir, podem servir para uma infinidade de usos, desde uma simples amarração até diminuir os inchaços referentes as caminhadas de longo curso.

Tipos de nós para amarrar sua bota

  • Nó do Cirurgião – Simples e versátil, pode evitar que o seu calcanhar escorregue.
  • Nó da Janela – Alivia os pontos de pressão no meio/topo do seu pé.
  • Volta de Alívio – Alivia a pressão na caixa do dedo do pé, podendo ser muito útil para você voltar para a trilha

O Nó do cirurgião é muito usado por quase todos os praticantes de atividades outdoor no mundo, pois é muito fácil de fazer e eficaz no que diz respeito a afirmar o seu pé dentro do calçado.

amarrar a bota de trekking
  1. Puxe qualquer folga nos cadarços, apertando a bota por cima do seu pé.
  2. Localize os dois pares de passadores mais próximos do ponto em que a parte superior do pé começa a flexionar-se para a frente; você estará amarrando o nó do cirurgião em cada um desses pares.
  3. Enrole os laços ao redor um do outro duas vezes, depois puxe-os com força; certifique-se de passar o laço diretamente até o próximo passador para “travar” a tensão do nó.
  4. Repita o passo “3” no próximo conjunto nos restantes dos passadores.
  5. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

O Nó da Janela é muito usado quando suas botas bem amarradas começarem a criar um ponto de pressão no topo do seu pé, o nó da janela (também conhecido como “laço de caixa”) pode ajudar a aliviar o problema.

amarrar a bota
  1. Retire o cadarço até os passadores que estão logo abaixo do ponto de pressão.
  2. Repasse indo direto até o próximo passador e depois cruzando os cadarços.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

A Volta de Alívio é usada quando os dedos dos pés estiverem muito doloridos/machucados, essa medida temporária poderá ajudá-lo a voltar ao início da trilha. Esse truque funciona aliviando a pressão na caixa do dedo do pé.

amarrar a bota
  1. Retire todo o cadarço da sua bota.
  2. Amarre-o de volta – mas pule o primeiro conjunto de passadores; isso abre a caixa do dedo do pé e tira alguma pressão da parte frontal da bota.
  3. Termine de amarrar o resto da sua bota como de costume ou de uma volta a mais na hora do aperto final.

Abaixo o vídeo completo, mostrando como se faz cada nó descrito acima:

Considerações finais

  • A maioria das botas vem com cadarços longos para permitir diferentes técnicas, então você deve ser capaz de fazer qualquer um desses truques de amarração usando seus cadarços atuais.
  • Se os seus cadarços estiverem desgastados, certifique-se de substituí-los por outros que correspondam tanto à forma (redonda, oval ou plana) quanto ao comprimento do par anterior, neste caso opte pelos cordeletes Paracord

A Paracord (também conhecida como cordame de paraquedas) ganhou este nome por ter sido desenvolvida para o uso em paraquedas, como linhas de suspensão (para = paraquedas / cord = corda). De forma simples, é um cordame feito de Nylon, extremamente resistente e com bom potencial elástico. Em termos de comparação entre peso, volume  e resistência, é um equipamento fantástico.

amarrar a bota com paracord

Vale ressaltar que as técnicas de amarração de cadarço descritas aqui não são um substituto para obter o encaixe certo, ao comprar botas novas. Para isso, você precisa consultar um especialista em calçados ou o vendedor da loja.

Se você gostou deste post, deixe um comentário aqui embaixo, compartilhe com seus amigos e não esqueça de nos seguir nas mídias sociais: Instagram e Facebook, nos vemos no próximo post!

sacos de dormir

Como escolher um saco de dormir

Essa é uma pergunta que muitas pessoas me fazem e por isso resolvi criar uma postagem específica sobre sacos de dormir.

A primeira coisa que você deve levar em consideração na horas de escolher o saco de dormir ideal, é saber para qual atividade você pretende usa-lo. Geralmente todas as pessoas respondem a mesma resposta! Quero um saco de dormir que seja bom para tudo.

Sabemos que não existe produto no mundo outdoor que supra todas as nossas exigências e necessidades, seria ótimo se tivéssemos condições de ter inúmeros sacos de dormir, para diferentes aplicações. Mas geralmente não temos essa condição para tanto.

Abaixo explico as principais diferenças entre os sacos de dormir existentes no mercado, desde seus diversos formatos,materiais, temperaturas, tamanhos e medidas, tudo bem detalhado para que entenda um pouco mais sobre o assunto. Dessa forma na hora de analisar entre um modelo e outro você consiga escolher qual é o melhor para a sua aplicação!

Tipos de sacos de dormir

Dormir

Existem basicamente três tipos de sacos de dormir no mundo outdoor, sendo eles:

O Mumia (sarcófago), estes é mais leve e produz mais aquecimento, mais estreito nos pés do que nos ombros, possui capuz e cordas de ajustes, no entanto é o que mais impede o movimento corporal (mais usado hoje no mundo).

O Retangular, este não são desenhados para moldar o corpo, conservam menos calor, ocupam mais espaço dentro da mochila, pesa mais, é mais barato.

Dormir

O Semi Retangular, este é mais afunilado que o modelo retangular, mas não tão junto como o sarcófago, possui boa liberdade de movimentos, mas deixa a desejar na geração de calor.

Sintéticos ou Plumas, qual escolher?

Sacos de dormir de fibra sintéticas

  • Ideal para seu usado em lugares úmidos;
  • Ideal para uso no Brasil;
  • São mais baratos em relação aos de penas;
  • Mantém 70% do aquecimento se estiver molhado;
  • Possui secagem rápida;
  • Mais pesado e com menor taxa de compressão;
  • Leva mais tempo para aquecer o usuário;
  • Não evapora a umidade do corpo.

Sacos de dormir de plumas

  • Ideal para em regiões frias no Brasil e atividades de alta montanha;
  • Proporciona alto nível de aquecimento;
  • Baixo peso e alta compressão;
  • São mais caros;
  • Possui vida útil maior, se bem cuidado;
  • Trasporta bem a umidade do corpo para fora;
  • Não aquece bem quando molhado;

Outras considerações feitas pelo amigo Mario Nery

Mas como se dá o aquecimento? O aquecimento proporcionado pelo saco de dormir funciona através de um processo de retenção do ar quente entre os filamentos das penas – o mesmo acontece com algumas fibras sintéticas. A diferença entre o sintético e a pena de canso está no fato de que a pena tem uma capacidade de retenção maior, principalmente as penas de alta qualidade.

Os sacos tem uma porcentagem de mistura das penas, que deve ser sempre mais alta na quantidade de penas de ganso e menor na quantidade de outras penas. A porcentagem ideal desta mistura fica em 90/10, ou seja, 90% para penas de ganso e 10% para outras penas menores. Outras porcentagens como 70/30 ou 50/50 representam sacos com menor capacidade de aquecimento e custo mais baixo!

Temperaturas dos sacos de dormir

Em boa parte dos sacos de dormir você encontrará faixas de temperatura que são expressas por, temperatura de conforto, limite e extremo. Para que você entenda cada uma delas vou explicar separadamente abaixo:

Temperatura de Conforto

Temperatura de conforto nada mais é que a temperatura que você se sente confortável e dorme muito bem na sua cama em sua casa.

Temperatura Limite

Essa temperatura indica que você está em seu limite de aquecimento, isso é, que você precisará dormir com algumas roupas para se sentir aquecido.

Temperatura Extrema

O seu nome já diz tudo, é uma condição extrema de aquecimento corporal, nesses casos você precisará usar muitas camadas de roupas para se manter aquecido e assim conseguir dormir.

Quando for adquirir um saco de dormir, sempre opte por produtos que tenham as faixas de temperatura inseridas nos produtos, isto te dará uma segurança a mais.

Vale mencionar aqui também que as marcas Deuter e The North Face fazem testes em laboratório para certificar seus sacos de dormir que são seguros e atendem os requisitos e conformidade com as normas europeias.

Tamanhos e medidas

Dormir

Você sabia que existem sacos de dormir para homens e mulheres, isto porque em uma pesquisa científica já comprovada, dizem que uma mulher sente mais frio que um homem em um valor de aproximadamente 5°C.

Geralmente a principal diferença entre os sacos de dormir de homens e mulheres é o seu tamanho, isso porque os femininos precisão ser mais justos para poder oferecer um maior poder de aquecimento.

Quanto menos bolsões de ar tiver entre o corpo do usuário e o saco de dormir, mais ele manterá o aquecimento corporal.

Pensando nisso muitos fabricantes desenvolvem sacos de dormir para cada gênero, com medidas diferentes entre um e outro. Algumas marcas usam a sigla “SL” para determinar a diferença de tamanhos, sendo estes menores que os normais.

Sacos de dormir indicados

Dormir

Abaixo mostrarei alguns sacos de dormir que considero bons para usar em suas atividades.

1- Saco de dormir sintético Dream Lite 500 Deuter, um saco de dormir super pequeno e leve, perfeito para ser usado em climas amenos, com temperaturas entre 13ºC e 10ºC.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 600 gramas, sendo uns dos mais leves do mundo, possui o valor de R$ 450,00 em média

2- Saco de dormir Sintético Super Pluma Gelo Trilhas e Rumos é indicado para temperaturas de até -15ºC, construído em nylon ripstop e nylon acetinado.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 2,160 kg e possui valor aproximado de R$ 390,00.

3- Saco de dormir Astro Pro 400 Deuter, construído com plumas de ganso 90/10 com fill power de 650 cuin, sua capacidade térmica é de: conforto +2ºC, limite -4ºC e Extrema -20°C.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 1.040 gramas e possui valor aproximado de R$ 1.599,00.

4 – Saco de dormir The North Face Inferno é ideal para expedições a locais com temperaturas extremas. Ele faz parte da coleção Summit Serie.

sacos de dormir

O Inferno tem isolamento térmico em plumas de ganso 850 fill down, formato sarcófago, para proporcionar o máximo de conforto, e capacidade para suportar bem temperaturas de até -40ºC.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 1.758 gramas e possui valor aproximado de R$ 3.990,00.

Conclusão

O saco de dormir é um equipamento essencial para a maioria das atividades que envolve pernoite em albergues ou barracas, no caso do uso em um acampamento você deve escolher produtos de qualidade, pois são estes equipamentos que farão você ter uma boa noite de sono.

Nas regiões frias do Brasil como na Serra Catarinense e no alto da Mantiqueira é comum pegarmos temperaturas negativas nos acampamentos, invista em um bom saco de dormir, a qualidade e a segurança de bons produtos garantem que a sua aventura seja satisfatória, porque afinal, ninguém quer passar frio durante uma viagem ou qualquer perrengue em ocasião da condição climática.

Espero que este texto tenha lhe proporcionado um pouco mais de conhecimento sobre o assunto, assim na hora de escolher o seu primeiro saco de dormir ou o próximo, você escolherá pela sua especificidade e não apenas pelo seu valor monetário!

mochila Osprey Talon

Mochila Osprey Talon 44 L

Hoje apresento a vocês a avaliação completa da mochila Osprey Talon 44L, vou mostrar aqui todos os detalhes desse produto que é uma das mochilas mais leves do mundo em sua categoria.

A mochila Osprey Talon 44L é destinada para uma série de atividades como: trekking, hiking, escalada e montanhismo em geral.

Características da mochila

  • Medidas: S/M – 62 x 30 x 33 cm | Peso: 1,02 kg | 42L
  • Medidas: M/G – 67 x  30 x 33 | Peso: 1,105 kg | 44L
  • Material: Naylon mini shadow + 70D x 100D e Nylon 420HD
  • Barrigueira BioStrech
  • Estrutura LightWire ™, leve, confortável e resistente
  • Alças BioStrech, com ajuste de altura
  • Sistema para hidratação externa no painel traseiro
  • Bolso frontal em tecido elástico com fechamento para transporte de equipamentos extras
  • Stow-on-the-Go™ – sistema que permite retirada do bastão de caminhada sem tirar a mochila das costas
  • Bolsos para celular e pequenos objetos na barrigueira
  • Garantia vitalícia da Osprey para as mochilas

Site do fabricante: Osprey Brasil

A mochila Osprey Talon 44L foi pensada para pessoas que gostam de carregar pouco peso, é muito leve em comparação com outras mochilas, pesa um puco mais de 1kg apenas, sendo construída de maneira minimalista, ela é leve, robusta e muito confortável.

mochila Osprey Talon

Possui um ótimo espaço interno, nela conseguimos colocar todos os equipamentos para uma travessia de trekking de 1 dia, incluindo água, comida e maquina fotográfica DSLR.

Compartimentos e aberturas

A mochila conta com duas aberturas, sendo uma superior com grande abertura e uma inferior, que acomoda tranquilamente o saco de dormir.

Nas laterais a mochila Osprey Talon 44L apresenta uma fita de compressão em formato ziguezague, além disso conta com um grande bolso de cada lado, fabricado em tecido Mesh garantindo boa elasticidade para acomodar garrafas de água com capacidade de até 1 litro, vale mencionar também que estes bolsos contam com duas aberturas, uma na vertical e outra em um angulo de 45°, isso facilita muito na hora de pegar ou colocar a garrafa de água durante as trilhas.

Na parte dianteira da mochila conta com um grande bolso de tecido Mesh, ideal para colocar capa de chuva, anoraque ou qualquer outro equipamento que precise estar de fácil acesso.

mochila Osprey Talon

Também podemos ver na parte frontal da mochila presilhas e luppings (argola) para prender tanto os bastões de caminhada como piolet (piquetas de gelo). Além do mais a mochila também oferece fitas para prender algum acessório como isolante térmico ou barraca. Essas fital estão localizadas acima da abertura inferior (compartimento do saco de dormir).

mochila Osprey Talon

O capuz da mochila é telescópio isso possibilita carregar mais carga na mochila, pois podemos levantar ou abaixar o capuz conforme for a necessidade do usuário. o capuz conta com dois bolsos apenas, um grande na parte externa e um bolso telado um pouco menor na parte interna.

Estrutura e capacidade de carga

Seu sistema de suspensão, extremamente leve, possui uma estrutura periférica em alumínio que a torna muito confortável, mesmo com carga pesada.

Construído com espuma com ranhuras cortadas em malha, e área da lombar sem costuras, a mochila Osprey Talon 44L promove um melhor conforto e ventilação na região da barrigueira.

mochila Osprey Talon

E falando em carga, a estrutura da mochila Talon 44 litros da Osprey é otimizada para carregar até 18 quilos.

Barrigueira, alças e ajustes

A barrigueira também possui o sistema BioStrech molda-se de forma precisa a sua cintura, diferenciando homens de mulheres.

Na parte da barrigueira conta com dois amplos bolsos com fechamento em zíperes, onde podemos guardar alguns objetos como GPS, celular ou até barras de cereais.

As alças são construídas em espuma, anatômicas, curvadas e com regulagem de altura, inclui fita peitoral ajustável com apito embutido na presilha de fechamento, todo esse conjunto proporciona um ajuste ainda mais preciso aos usuários.

Ela possuí o sistema Stow-on-the-Go, que consiste em presilhas especiais que garantem a facilidade de acesso e de guarda dos bastões de caminhada, mesmo durante a caminhada, e sem a necessidade de retirar a mochila das costas.

mochila Osprey Talon

Acessórios da mochila

A mochila Osprey Talon 44L conta também com bolso específico para acomodar o reservatório de hidratação de até 3L (vendido separadamente), este fica localizado atrás do costado e pode ser preso através de uma pequena presilha na parte superior.

A mochila não possui capa de chuva (vendido separadamente) e nem compartimento específico para guarda-la.

Avaliação completa Osprey Talon 44 L

Já estamos avaliando esse modelo de mochila a cerca de 1 mês, usamos em atividades de trekking, hiking (caminhada) e escalada em diversos locais aqui no Rio Grande do Sul – Brasil.

O que podemos dizer sobre essa mochila é que nos agradou bastante, não apenas por ser uma das mochilas mais leves do mundo, mas por ser muito confortável, prática e resistente.

A mochila confere bastante espaço interno para acomodar os equipamentos, mesmo carregada com seus 18kg de carga conforme diz o fabricante, ela ainda continua proporcionando conforto, equilíbrio e muita praticidade ao usuário.

Acreditamos que essa mochila possui um excelente custo benefício, pois seu valor de venda gira em média a R$ 900,00 vendida aqui no Brasil, em relação aos seus concorrentes o valor está muito bom.

mochila Osprey Talon

Recomendamos você sempre investir em equipamentos de qualidade, quanto mais leves for seus equipamentos, melhor será seu desempenho na trilha!

Mas como nem tudo são flores nessa vida, encontrei um único ponto que pode ser melhorado pela marca: o que mais chama a atenção é o fato de não ter capa de chuva. Geralmente em boa parte das travessias de trekking pelo Brasil sempre nos deparamos com situações/climas adversos, não ter a capa de chuva pode ser um problema para quem está fazendo uma travessia ou qualquer outra atividade.

Tirando esse ponto, não encontramos mais detalhes na mochila, mas ainda faremos alguns testes com ela na Serra Fina, Serra dos Órgãos, Itatiaia e outras travessias no Brasil que vierem à surgir. Para assim poder passar um feedback melhor sobre a mochila Osprey Talon 44L.

Se você procura mochilas com capacidade maior, recomendamos ler nossa avaliação completa da mochila Atmos 50L AG.

Já avaliamos inúmeros produtos de aventuras, se quiser ler mais sobre eles, clique aqui!

Speedcross 5

Salomon Speedcross 5

Salomon lança a nova geração do Speedcross 5, o lendário tênis de Trail Running (corrida em trilhas).

Nesta quinta geração podemos notar uma grande inovação em design. O tênis Speedcross 5 está mais bonito, mais confortável, muito mais estável e com maior proteção para os pés do usuário.

Principais mudanças em design estre os tênis Speedcross 4 e 5:

Na parte do design, notamos que o tênis Speedcross 5 está muito mais clean do que a sua versão anterior.

O solado mudou consideravelmente em relação ao seu antecessor, agora o novo solado possui garras maiores e mais bem distribuídas, fazendo com que tenhamos maior estabilidade e aderência em terrenos macios e lamacentos.

Características

  • Usos: Treinos e competições de corrida
  • Terrenos: Macio e lamacento
  • Solado: Borracha Contagrip
  • Palmilha: Ortholite
  • Cadarço: Quicklace
  • Abraço do pé: Sensefit
  • Peso: 320 gramas

No site Francês da marca Salomon conseguimos um gráfico que mostra as principais diferenças de estabilidade, leveza, amortecimento, respirabilidade e proteção ao usuário para essa nova geração do Speedcross 5, aproveitamos também para mostrar aqui a diferença entre essa versão atualizada e a anterior.

O novo tênis Speedcross 5 – Salomon será vendido nas versões masculina e feminina, abaixo as cores disponíveis:

Tênis Speedcross 5


Tênis Speedcross 5 W

Ainda não há uma previsão exata de quando esse modelo desembarcará aqui no Brasil, também não sabemos quanto essa versão irá custar, mas já estamos empolgados para ver de perto e fazer uma avaliação completa desse modelo.

Caso você queira adquirir qualquer produto Salomon, entre em contato com a nossa loja parceira Patos do Sul, localizada na cidade de Caxias do Sul/RS – Brasil. Nosso querido público leitor tem descontos especiais na loja, para ganhar este desconto, você só precisa nos encaminhar um e-mail, que enviamos nosso cupom de descontos!

Curtlo BR