Camping selvagem

Camping selvagem 

Já imaginou, alguma vez na vida, acampar em lugares paradisíacos e sem nenhuma estrutura? Estes locais são conhecidos como camping’s selvagens.

O que chama mais a atenção nestes lugares é a tranquilidade aliada com a pura sensação de liberdade. Liberdade de poder dormir e acordar, abrir a porta da barraca e sentir a brisa fria da manhã, olhar no horizonte e perceber a beleza do mundo que nos cerca sem a intromissão de carros, sons de buzina e ou barulho de pessoas conversando.

Camping’s selvagens existem e não são tão difíceis assim de encontrar, estão por toda parte. Para usufruir de locais assim é preciso analisar alguns aspectos e não infringir as leis. Há lugares que podem ser propriedade privada ou área de preservação. Contudo, nada impede que você aventureiro, converse com os proprietários e ou diretores/responsáveis pelo local, para poder ter permissão para acesso a tais locais.

Certifique-se da sua capacidade de encarar tamanho desafio, pois camping’s selvagens devem ser usados por pessoas com um certo grau de experiência. Caso você deseje acampar em lugares assim e não possui conhecimento sobre esse tipo de acampamento, leve com você uma pessoa que tenha bastante vivências em situações dessa natureza,  e o mais importante,  jamais acampe ou faça atividades ao ar-livre sozinho.

Em acampamentos deste tipo, o aventureiro deve estar munido de todos os equipamentos necessários, pois como disse anteriormente, não existe infra-estrutura nestes locais. Abaixo, listei, em ordem de prioridade, alguns itens essenciais para ter na mochila para situações assim.

O que levar:

  • Água
  • Filtro purificador/Pastilhas de cloro
  • Alimentos
  • Anzóis e linha para pesca
  • Kit básico de Primeiros Socorros
  • Bussola
  • Faca/Canivete
  • Pederneira/Isqueiro/Fósforos
  • Fogareiro
  • Panelas/Pratos/Talheres
  • Capa de chuva/Cobertor de emergência
  • Lanterna com pilhas reservas
  • Corda com aproximadamente 20 metros
  • Barraca/Rede/Isolante térmico/Saco de dormir
  • Roupas leves/Roupas para frio

Estes itens são os que entendemos ser importantes para algumas situações de emergência, uma vez que em lugares assim é extremamente fácil se desorientar, pois geralmente são locais afastados da civilização e não existem hospitais por perto.

Acreditamos sempre, que levar itens variados e saber utiliza-los, é o que fará a diferença em situações adversas.

Veja alguns locais que podem ser usados para praticar “camping selvagem”

  • Praia do Rosa Sul/SC – Brasil

A Praia do Rosa está entre os destinos mais belos do planeta, um verdadeiro paraíso natural. Descoberta nos anos 70, ela oferece a mesma tranquilidade de outras épocas, mas agora com uma sólida estrutura turística, com pousadas, bares e restaurantes; além das diversas opções de aventura, como trilhas, cavalgadas, salto de paraquedas e esportes aquáticos.

[FinalTilesGallery id=’6′]

  • Morro do Tigre/RS – Brasil

O Morro do Tigre, ou Pata da Onça, é um lugar pouco conhecido na serra gaúcha. Está localizado à 5 quilômetros do centro da pequena cidade de Alto Feliz – RS.
O local é um morro com aproximadamente 700 metros a cima do nível do mar, de onde é possível avistar ao longe cidades como Porto Alegre (Capital do RS), Bom Principio, São Sebastião do Caí e  também é possível avistar o Morro da Canastra(localizado na cidade de São Vendelino).
O topo da montanha é coberto por pedras e algumas árvores. É uma boa escolha para quem quer  admirar o pôr do sol ou acampar.

[FinalTilesGallery id=’7′]

  • Morro da Canastra/RS – Brasil

Localizado na RS – 122, entre as cidades de São Vendelino e Farroupilha, local pouco explorado, do alto é possível avistar a plataforma de vôo livre, conhecida também como Morro do Diabo e outras cidades ao longe, tais como: São Vendelino, Bom Princípio e a capital Porto alegre.

[FinalTilesGallery id=’8′]

  • Cambará do Sul/RS – Brasil

A 980 metros de altitude, Cambará do Sul destaca-se por seu valioso tesouro nacional formado pelos cânions. A cidade foi cenário de produções artísticas como as novelas da Rede Globo Esplendor e Chocolate com Pimenta, a minissérie A Casa das Sete Mulheres e o filme Anahy de las Misiones.

Cambará do Sul localiza-se na região nordeste do Rio Grande do Sul. Faz divisa com as cidades gaúchas São José dos Ausentes, Jaquirana,São Francisco de Paula e a cidade catarinense de Praia Grande. A origem do nome da cidade é tupi-guarani, e significa “folha de casca rugosa”, consiste no nome de uma árvore típica da região. É possível encontrar uma árvore destas na praça central da cidade, é popularmente conhecida pelos seus poderes medicinais.

[FinalTilesGallery id=’11’]

  • Lagoinha do Leste/SC – Brasil

Os turistas a consideram a mais bonita da Ilha de Florianópolis. Os moradores do Sul da Ilha garantem que ela é a mais misteriosa de Florianópolis. Os ecologistas a defendem como se fosse a última praia do mundo. Seja qual for a opinião sobre a Lagoinha do Leste, ela é única. A praia ainda preserva as características de quando os primeiros imigrantes aportaram nestas terras. A Lagoinha, como é carinhosamente chamada pelos ilhéus, impressiona seus visitantes com sua beleza, seu ar selvagem e seus mistérios.

[FinalTilesGallery id=’9′]

Pelas descrições feitas acima e pelas lindas fotos convoque seus amigos e vá trilhar novos caminhos, explorar novos destinos, sentir a energia,  a tranquilidade e a paz que só um acampamento selvagem pode oferecer!

Texto: Luís H. Fritsch

Isolante térmico

Isolante térmico, o diferencial para uma boa noite de sono!

Antigamente quando participava do movimento escoteiro, leia-se Grupo Escoteiro Salto Ventoso/82, Farroupilha, RS, não conhecia muito sobre isolante térmico, não sabia nem para que se utilizava, usava redes para dormir e as vezes abrigos naturais. Quando acampei pela primeira vez com barraca, estendi meu saco de dormir por cima do piso da barraca, posso dizer com todas as letras, foi a noite mais longa e estressante de todas que já tinha passado.

Você deve estar pensando o porquê. Respondo: passei frio em todas as partes do corpo, não tinha nada além do meu saco de dormir e a roupa do meu corpo para me aquecer. A umidade do solo ultrapassou o piso da barraca e passou para dentro do meu saco de dormir transformando uma bela noite de acampamento em um tormento.

A primeira coisa que pensei, foi que o saco de dormir que tinha comprado não era bom o suficiente, a temperatura era para – 8° graus, e aquele dia era verão, como eu poderia dormir tão mal. Resolvi então pesquisar para saber o porquê aquilo ocorreu comigo. Passado algum tempo, através de pesquisa sobre isolantes térmicos entendi o motivo pelo qual passei tão mal naquela noite.

Qual é a real utilidade de um isolante térmico?

Impedir a troca de calor entre o usuário e o solo, pois a temperatura do solo é bem mais baixa se compararmos com a do corpo humano.

Como utilizar?

O modo correto para o uso dos isolantes térmicos é entre o piso da barraca e o saco de dormir, este isola a temperatura corporal e mantém seu corpo seco, para assim ter uma noite sem desconfortos.

Hoje em dia existem uma infinidades de modelos no mercado, dos mais baratos até os com preços bem elevados. É importante saber qual é a diferença entre o mais barato e o mais caro.

Note-se que, todos eles tem a mesma função, proporcionar o maior conforto ao usuário. Os modelos mais baratos são aquele rolos de E.V.A, geralmente muito leves, possuem pesos entre 300 e 500 g, dependendo da espessura. Já os com preço superior, são os dobráveis, que geralmente são mais espessos e possuem gomos de amortecimento de impacto, aumentando ainda mais o conforto.  Existem ainda, os isolantes térmicos infláveis, que têm tamanhos reduzidos e geralmente são muito leves e confortáveis, mas que também possuem valores maiores.

Importante mencionar que colchões infláveis, não entram na categoria de isolantes térmicos.

Muitos dizem que o simples fato de ter um colchão de ar já o torna isolante, isso nem sempre é verdade. Assim como o vento frio te faz passar maus bocados sem um bom casaco, o ar dentro do colchão irá esfriar rapidamente em contato com o chão frio e durante a madrugada irá gelar seu corpo.

Um colchão inflável é pesado (vazio pesa em torno de 4 kg) e volumoso, além de demandar grande quantidade de ar para que seja armado, tornando-o assim inviável para ser portado em caminhadas de médias e longa duração.

Vamos apresentar alguns modelos, que  podem ser encontrados no mercado:

Isolante térmico E.V.A

A opção mais comum é o isolante de E.V.A (Espuma Vinílica Acetinada). Diferente do colchão comum de espuma de Poliuretano Expandido que tem células abertas e permite a passagem do ar, o E.V.A tem células fechadas, o que ajuda a melhorar o conforto mesmo com espessuras bem finas, mas principalmente aumenta o isolamento térmico.

Isolante térmico

Os isolantes de E.V.A possuem uma película aluminizada, como na foto acima, que refletem o calor do seu corpo de volta para você. Possuem também várias espessuras, sendo de 6, 8 e 10 mm, cada medida tem uma aplicabilidade específica, veja a seguir:

  • Isolante térmico espessura 6 e 8 mm, utilizado para temperaturas até 0° graus;
  • Isolante térmico com espessura de 10 mm, utilizado para temperaturas abaixo de 0° graus.

A sua relação peso/volume é ótima, pesando ente 300 e 500 g, aproximadamente.

Sua maior desvantagem é no transporte, eis que só pode ser enrolado, não sendo aconselhável dobrá-lo, pois  fazendo isso, reduzirá sua vida útil. Por este motivo, seu transporte deve ser feito na parte externa da mochila o que atrapalha durante a caminhada, especialmente se for em mata fechada ou lugares de difícil acesso, pois poderá entrar em contato com galhos, espinhos ocasionando rasgos.

Valor aproximado: R$ 50,00

Isolante térmico dobrável

Tem característica bem interessante, lembra uma bandeja de ovo, proporciona uma boa noite de sono, eis que aumenta bastante o poder de isolamento. É feito de vários tipos de espuma, mas a mais comum é a de Polietileno. É mais confortável e possui menor peso, cerca de 200 g a menos, em relação aos de E.V.A, pesando aproximadamente 300 g.

Seu único transtorno é o mesmo que o isolante E.V.A, o transporte deve ser feito na parte externa da mochila e mesmo dobrado, o tamanho fica igual ao do isolante de E.V.A.

Valor aproximado: R$ 160,00

Isolante térmico
Isolante térmico dobrável – Fonte: Internet

Isolante térmico inflável

É bastante procurado no mercado por quem busca praticidade, leveza e fácil transporte. Geralmente possui duas válvulas, uma para inflar e outra para desinflar.

É durável, contudo, o usuário necessita ter cuidado redobrado, pois seu material não é 100% resistente. Por isso, o maior cuidado deverá ser o de certificar-se que não existe nada pontiagudo que possa danificar o isolante antes de colocá-lo no piso da barraca.

Seu peso é um pouco maior que o isolante dobrável, mas o seu volume é muito menor, equivalente ao tamanho de uma garrafa pet 600 ml. Assim, pode ser acondicionado dentro da mochila e evitando problemas no transporte.

Para certificar-se quanto à capacidade de isolamento térmico de um inflável, existe uma qualificação específica que se chama “Valor R”. Cabe observar que os colchões infláveis encontrados em supermercados, ou aqueles que são usados para piscinas, não possuem nenhuma capacidade de isolação. Os bons isolantes térmicos tem “Valor R” acima de 4.

Valor aproximado: R$ 325,00

Isolante térmico
Isolante térmico inflável – Fonte: Internet

Curiosidades sobre isolantes infláveis 

A empresa especializada em isolantes infláveis para práticas de atividades outdoor Therm-a-rest lançou recentemente na feira de produtos outdoor, que se realizou na Alemanha, seu novo produto que parece ser muito atrativo para o público alvo.

Um isolante térmico que no mercado é o mais fácil de armar, e requer poucos “sopros” de seu usuário.

Claramente inspirado em produto similar, que foi projeto no Kickstarter (batizado à época de Windcatcher Air Pad) no qual a válvula de ar era larga e permitia que o equipamento fosse inflado quase instantaneamente.

Porém a Therm-a-Rest utilizou a válvula da Windcatcher (que é um sistema duplo)

O produto batizado de Therm-a-Rest NeoAir Camper SV, o produto pode ser inflado em segundos (isso mesmo !) utilizando a mesma válvula de inflamento considerada revolucionária. Fonte: blogdescalada.com

Isolante térmico
Isolante térmico Inflável – Fonte: Blog de Escalada
Isolante térmico
Isolante térmico Inflável – Fonte: Blog de Escalada
Isolante térmico
Isolante térmico Inflável – Fonte: Blog de Escalada

O Therm-a-Rest NeoAir Camper SV possui espessura de 7,6 cm e taxa R de perda de calor de 2.2, e pesa aproximadamente 800 gramas (quando inflado), e possui uma facilidade de ser guardado que impressiona.

O novo equipamento possui ainda um pequeno travesseiro para oferecer conforto ao campista.

O produto será vendido ao consumidor final por um preço que varia de US$ 140,00 a US$ 170,00, dependendo do tamanho.

Assista o vídeo:

Fotos: Internet

Dicas para fazer seu dinheiro render em Cusco e Machu Picchu

Dicas para fazer seu dinheiro render em Cusco e Machu Picchu

Como em todo lugar que visitamos, é sempre bom estar atento aos valores das coisas que vamos comprar, e Cusco não é diferente. Segue abaixo algumas dicas bem bacanas que vai te fazer economizar uma boa grana para investir em muito mais coisas bacanas não só em Cusco, mas em todas as cidades lindas do Peru! Quer fazer sua grana render nessa cidade encantadora e cheia dos produtos maravilhosos?! Então veja algumas dicas para se dar bem!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Loja em Cusco com milhões de Souvenires

1º Se você gostou de um produto, não compre de primeira – Anote o endereço, ou pegue a referencia da loja que tem o produto, só por precaução de caso você não achar o produto depois de uma boa caminhada, o que é praticamente impossível. Larga de preguiça, coloque essas pernas pra andar (pra já ir treinando para Machu Picchu), memorize ou anote os preços que encontrar, pois é praticamente inevitável não achar algo idêntico na próxima loja! Os  peruanos tem um feeling danado pra turistas e são espertos quanto a concorrência, então certamente você vai encontrar o que gostou em vários lugares, e por preços variados.

Dicas para fazer seu dinheiro render
Há várias opções de presente na cidade

2º Pechinche, Pechinche e Pechinche – Se tem uma dica que é garantida funcionar pra ter aquele descontinho é pechinchar, em quase todos os lugares que fomos tivemos a impressão de que os valores iniciais não eram de fato os valores dos produtos… Mas é claro que se colasse de primeiro, eles não ofereciam o desconto! Rsrs … Muitas vezes nós diziamos: –“No, no , muy caro” ( Não, não, muito caro), e virávamos as costas, e rapidamente eles faziam uma contra proposta e mudavam de ideia do valor inicial… haha, era bem assim… O segredo lá é pechinchar pelo menos umas 3 vezes no mínimo, e ter argumentos que encontrou mais em conta com a mesma qualidade tal produto ou serviço. Chore mesmo, põem esse talento brasileiro pra negociar, que você vai economizar uma boa grana.

Dicas para fazer seu dinheiro render
É comum ver artesãos criando ao ar livre. Mas não pense que seus artesanatos custam pouco. Vale a tentativa de pechinchar.

3º Se tiver que comer fora, saiba escolher o restaurante – Cusco é uma cidade de culinária muito rica, você encontra uma variedade de alimentos maravilhosos e saborosos, mas nem por isto precisa gastar muito para comer bem! Claro que se você quer passar um dia comendo num restaurante finíssimo vale muito a pena. Mas não vá gastar toda grana! Você pode economizar pra ter experiências em lugares magníficos e comer bem mesmo assim. Existe lugares no centro de Cusco (sim, não é preciso se acabar de andar pra encontrar estes lugares) que você come muito bem com muito pouco! Com direito em muitas vezes a Prato de entrada que geralmente é  sopa,  petiscos peruanos (nachos) ou batatas fritas + Prato principal que pode ser salada, arroz, frango ou carne, batata, molhinho temperado ou ainda macarronada, e pra completar você ganha a bebida  que também é a escolha,  podendo ser refrigerante ou o famoso pisco! E isto tudo por em média 8 a 12 reais. Dependendo do lugar e da quantidade de comida que vem e que você come, você ainda consegue até dividir o prato com alguém, caso não esteja fazendo a viagem sozinho. Já pensou?! Ahh e pizza lá você encontra muito barato também! É uma das opções que você come bem e é deliciosamente gratificante!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Jantar maravilhoso pagando pouco na Rua Procuradores em Cusco.

4º Acampe, Fique em quartos compartilhados, Couchsurfing ou Wwoofs  – Neste tópico disponibilizamos quatro opções que você poderá escolher conforme seu objetivo e vibe! Tá afim de curtir o país e ficar confortáveleconomizar? Então que tal ficar num hostel?! Você pode ficar em quarto privado o que será bem mais em conta que um hotel no centro de Cusco, ou se quer economizar mais ainda e não se importa, pode dividir um quarto com uma galera e ainda fazer amizades, quartos compartilhados são ótimos por isto, você conhece gente bacana e ainda segura uma graninha! Se você já tem equipamentos para acampar, vale a pena dar uma busca em lugares na internet pra isto, afinal, você só vai precisar gastar praticamente com comida, ou se optar por um camping o custo será certamente bem mais em conta que um hostel. Couchsurfing é um site onde você encontra várias pessoas que oferecem lugar pra você ficar gratuitamente, as vezes é um quarto, ou um quarto compartilhado, dependendo das condições, lá você pode combinar diretamente com a pessoa, o dia certinho que pretende ir e quanto tempo quer ficar. No próprio site você pode conhecer um pouquinho sobre a pessoa: quem ela já recebeu e a reputação dela. O que não quer dizer que todo mundo lá tem boas intenções. Por isso é preciso pesquisar muito bem! Quando for dar uma olhada dê preferência pelas pessoas que tem muitas indicações positivas e que fazem sempre isto pra não cair numa furada. E como toda casa tem leis, é preciso respeitar algumas regras, leia atentamente as condições que a pessoa exige e não vá fazer feio, afinal você é um convidado, e não vai precisar pagar nada por isto. As estadias nas casas dessas pessoas não incluem alimentação, mas geralmente algumas fazem um “almocinho” ou uma social para te conhecer melhor, afinal você ta vindo de fora, e assim como quer conhecer o país dela, ela quer conhecer o seu e o que te levou a essa aventura. Este é um meio de fazer uma bela amizade na sua viagem e ainda receber dicas bacanas de lugares que você pode visitar! Wwoof é um outro site, que conecta pessoas que querem viajar, mas ao invés de pessoas, são organizações nacionais com o objetivo bacanérrimo de ter sua ajuda com trabalhos voluntários. Neste programa você oferece seu trabalho em troca de estadia, é como se pagasse sua estadia ali, mas assim como o Couchsurfing, você precisa ler tudo direitinho e se informar sobre o tipo de trabalho, carga horária, lugares que tem essas organizações e se estão disponíveis a recebê-lo. Assim antes de ir você combina as condições e já vai ciente das suas obrigações. É uma ótima oportunidade de conhecer mais sobre as pessoas, trabalho, condições econômicas, e ainda aprender a valorizar a cultura do país!

dsc00141
Dicas para fazer seu dinheiro render

5º Faça cambio consciente – Este é um dos tópicos que você mais deve ficar atento! Nós aconselhamos trocar o dinheiro sempre com antecedência da época de alta temporada de viajar (aquela famosa pesquisa diária no jornal pra ver quando o dólar está baixo e valendo a pena), então se você está planejando viajar, faça isso! Caso por algum motivo, não foi possível você fazer um planejamento, já está em Cusco e precisa trocar seu dinheiro (seja ele em dólar pra soles, ou real pra soles), é preciso tomar cuidado pra não cair no velho truque do dinheiro falso. Vá em casas de câmbio e pesquise o preço! E quando digo: pesquise, é pra não parar na terceira casa de câmbio. Lá as coisas são muito negociáveis e até na hora de trocar seu dinheiro é possível pechinchar. Portanto pesquise em várias casas de câmbio e use o mesmo método dos produtos, anote a referência do endereço e preço que conseguiu negociando, para somente depois selecionar o lugar que vai trocar o seu dinheiro. NUNCA, JAMAIS, troque seu dinheiro com pessoas que não conhece, mesmo que a oferta seja tentadora (nunca sabemos quem tem boas ou más intenções, você não vai querer pegar um bolo de dinheiro falso e passar perrengue por alguns centavos a menos)… Previna-se sempre, utilize lugares legalizados!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Moeda peruana: soles

6º Opte por táxi – Não imaginou que ia ter um tópico deste? Pois é! Precisa dar um pulo rápido em algum lugar e além de grana quer poupar tempo, então aproveite, os táxis. No Peru não há taxímetro e o valor da corrida é acertado com o motorista antes de entrar no carro, portanto fique esperto , como em qualquer lugar do mundo, aproveite seu dom de negociante, uma choradinha aqui e outra ali, o famosos arredondamento de soles (moeda local). As tarifas são bem mais em conta do que a do nosso país, portanto pra quem está acostumado a pagar 20 a 25 reais de uma quadra a outra, em Cusco é possível pagar bem menos que a metade, em torno de 5,00 a 10,00 reais para lugares próximos. Além de agilizar alguns momentos da sua viagem, é bem divertido até pra ver como o hábito deles dirigirem nas vielas estreitas da cidade. Mas não os subestimem! Os taxistas são muito ágeis e habilidosos e não desperdiçam o tempo da profissão.

Dicas para fazer seu dinheiro render
Um dos graciosos modelos de Táxis que se pode encontrar no Peru

7º Escolha o Boleto Turístico de Cusco – Você vai comprar um. Não importa se quer economizar ou não. Este é um dos valores que vai valer a pena você investir. O boleto te da direito a 16 atrações turísticas na cidade de Cusco, e nas proximidades. Cada vez que você visita um dos lugares, eles fazem um furinho indicando que você esteve no local. Na parte da frente, ele indica os lugares cuja entrada já está paga. No verso, possui indicações dos horários de abertura e fechamento de cada lugar. No mapa é possível ver indicado onde estão os museus da cidade aos quais o boleto dá direito de entrada gratuita. É um dos valores que você vai pagar que vale muito apena, afinal é cerca de R$130 reais o boleto por 16 passeio. Ou seja, menos de 10 reais por passeio!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Boleto Turístico de Cusco. Uma ótima aquisição para ver as inúmeras atrações da cidade.

8º Você não precisa dormir em Machu Picchu para conhecer Machu Picchu! – É isso aí! Se você tem que economizar sua grana para o próximo país, mas não quer deixar passar nenhum detalhe da cidade Inca mais exuberante, pode ficar despreocupado que não é necessário se sujeitar as luxuosidades muitas vezes exorbitantes que Águas Calientes possui para hospedagem. Nossa sugestão é: pernoite em Ollantaytambo! E agende sua passagem de trem para o horário mais cedo que tiver que vai sair da cidade. Nós por exemplo: pegamos o trem as 05:30 (cá entre nós, vale a pena se dedicar um dia pelo menos da sua viagem para ver a neblina em outro país e principalmente muito agradável para se viajar de trem). Pegou o trem cedinho?!… Ahhh então ótimo! Agora é só relaxar com a vista maravilhosa que se tem até chegar a Águas Calientes (2 horas +/- de viagem)… Ao chegar em Águas Calientes você vai reparar que a cidade é totalmente voltada pro comércio (óbvio né, afinal fica a 45 minutinhos para Machu Picchu), então se quer comprar souvenirs, não vá gastar toda grana lá, há muitos lugares em Cusco que você encontra os mesmos agrados de viagens por menos da metade do preço até… Aproveite mais pra conhecer a cidade, as belezas naturais, até porque sua bagagem deve ser a menor possível pra quando for subir pra Machu Picchu. Você vai ter em média cerca de 9h pra conhecer Machu Picchu até a hora de regresso do próximo trem, e acredite apesar de estonteantemente enorme é possível ir até Huayna Picchu e voltar com essas horas! Então se o lema é economizar para  a próxima viagem, você vai conseguir fazer uma economia e tanto partindo de Ollantaytambo para Águas Calientes, até então subir pra Machu Picchu!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Vista do maravilhoso vilarejo de Ollantaytambo. É como estar submerso em montanhas.

9º É estudante?! Se deu bem! – A carteirinha de estudante internacional ISIC dá desconto em muitos passeios, como no caso do Vale Sagrado de Cusco, no Peru. Aconselhamos a sempre andar com a carteirinha, uma cópia do histórico escolar e uma foto 3×4, pois para uso de certos descontos é preciso preencher formulários e comprovar sua atividade. Se você não quer andar com os papéis, pode deixar anexado no seu e-mail, assim quando precisar é só acessar e gastar alguns centavos para imprimir. Para quem não tem privilégios de estudante, vale recorrer ao fato de ser sul-americano. Sim, ser brasileiro, por si só, pode reduzir o preço do passeio. Pergunte sempre.

Dicas para fazer seu dinheiro render
Carteira Internacional do Estudante (ISIC – Exemplo)

10º Pesquise a melhor opção de trem para ir a Machu Picchu – Sua passagem de trem pode ter variantes conforme horários e dias de semana. Se o intuito é economizar ir a Machu Picchu nos dias de semana podem valer mais a pena do que nos finais de semana, sem contar que há menos contingente de pessoas que optam por estes dias, tornando o passeio as vezes mais agradável. Há também variações de preços com as duas empresas responsáveis pelo transporte: Peru Rail e Inca Rail. Pesquise a melhor opção de horário, diaspreços, prepare a mochila e manda vê no seu passeio!

Dicas para fazer seu dinheiro render
Trem esperando pelos passageiros. E nós ansiosos para embarcar nessa viagem.
Dicas para fazer seu dinheiro render
Nós, cedo da matina, no trem partindo para Águas Calientes.
Texto e fotos: Jumpers

Seja voluntário e viaje quase de graça

Seja voluntário e viaje quase de graça

Você é aquele tipo de pessoa que adora viajar, tem vontade de conhecer outros países, mas não quer gastar quase nada? Seja voluntário em organizações ao redor do mundo, e de quebra conheça lugares incríveis.

O voluntarismo é uma maneira diferente e barata de viajar, e ao mesmo tempo fazer o bem ao próximo. Abaixo listamos oito maneiras de conseguir hospedagem e alimentação, trabalhando como voluntário nesses projetos.

1-  Turtle Teams – várias partes do mundo
São grupos que ajudam tartarugas marinhas em praias ao redor o mundo onde ocorrem desovas dos bichos. O custo varia muito, mas algumas organizações oferecem acomodações de baixo custo. Dessa forma você conhece praias paradisíacas ao redor do mundo e ao mesmo tempo ajuda a preservar as espécies.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Campamento Torutgero, Sea Turtles e Sea Turtle Conservancy

2- Voluntariado de conservação – Austrália e Nova Zelândia
São projetos de curta duração para conservação de habitats e promoção de ecoturismo. Os valores também variam bastante, e podem chegar a AUS$ 208 por uma semana de estadia, entre acampamentos ou chalés. Algumas organizações disponibilizam viagens de graça, mas por pouco tempo.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Conservation Volunteers, The Conservation Volunteering

3- Voluntariado do Sudão – Sudão, África
Este tem como objetivo ensinar inglês em escolas e universidades no país que é considerado o mais por do mundo. O voluntário  normalmente paga a passagem até o país, porém, todos os outros custos são cobertos e algumas organizações ainda dão ajuda de custo.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Sudan Volunteer Programme

4- Conservação da Trilha Apalache – Estados Unidos
A Trilha Apalache é uma trilha clássica de mais de 3 mil quilômetros de extensão, que cruza o o leste dos Estados Unidos. Lá também é o lar de mais de duas mil espécies, muitas em risco de extinção.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Appalachian Trail Conservancy

5- Trip Leader da HF Holidays – Toda a Europa
A HF Holidays é uma das mais populares companhias europeias de pacotes de viagens e feriados. O voluntário tem a oportunidade de explorar o continente europeu acompanhando os grupos de excursão. Uma uma maneira diferente de conhecer novos lugares e conhecer novas pessoas.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: HF Holidays

6- Peace Corps – várias partes do mundo
A Peace Corps consiste em projetos de saúde, desenvolvimento de negócios e conservação do meio ambiente. Este é aberto apenas para residentes nos Estados Unidos e tem o compromisso de 27 meses de trabalho.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Peace Corps e Voluntary Service Overseas.

7- Voluntário das Nações Unidas – várias partes do mundo
A Organização das Nações Unidas (ONU), oferece oportunidades de voluntariado nas áreas de ajuda médica, desenvolvimento econômico e ajuda emergencial em países afetados por desastres naturais.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: UN Volunteers

8- Voluntariado em um Kibbutz – Israel
Um kibutz é uma forma de coletividade comunitária israelita, uma espécie de cooperativa, que mistura um pouco de ideologia socialista e o sionismo no sionismo trabalhista. É o trabalho mais arriscado da lista em uma das regiões com grandes conflitos, porém com uma ande oportunidade de enxergar a realidade de Israel fora da TV.

Seja voluntário

Você pode ter mais informações sobre esse trabalho nos sites: Kibbutz Volunteer

Como se hospedar gastando pouco nas cidades de Gramado e Canela/RS

As cidades de Gramado e Canela, localizadas na Serra Gáucha/RS, já fazem parte dos destinos mais procurados para turismo no Brasil, possuem atividades para todas as idades, gostos e sabores, dentre estes atrativos podemos encontrar: museus, parques naturais, parques de aventura e parque com gelo (como é o caso do novo Parque Snowland), fábricas de chocolate, e muitos outros atrativos que fazem todo ano novas pessoas desejarem estar aqui.

Por serem muito procuradas pela grande diversidade de atrativos, em ambas as cidades,  os valores de hospedagem e o custo da viagem pode sair bastante caro dependendo do lugar que você ficará hospedado, ou dependendo dos passeios que optar por fazer.

Para aproveitar ao máximo estes lugares é recomendado passar dois ou três dias, para poder conhecer as atrações com calma, podendo apreciar cada momento. Para atender essa necessidade, as duas cidades apresentam uma enorme variedade de hospedagem com valores que podem variar de R$ 50,00 à R$ 700,00 reais à diária.

Como sempre, a nossa ideia é apresentar maneiras mais baratas para você viajar mais, sem perder a qualidade de uma boa experiencia em um lugar novo.

Vamos apresentar neste post, lugares para você se hospedar gastando relativamente pouco, fazendo com que você valorize seu dinheiro e possa usufruir melhor dos passeios nesta região tão linda, que é a Serra Gaúcha.

Hostel Briânico

Gramado/RS - Brasil
Hostel Briânico – Gramado/RS – Brasil

Oferece acomodações privativas e compartilhadas, com Wi-Fi e estacionamento privativo gratuito, distante 800 m do centro de Gramado. A famosa Rua Coberta também está a 800 m de distância.

Todos os quartos e dormitórios possuem aquecimento e refrigeração. Os quartos privativos dispõem de uma TV de tela plana a cabo, enquanto os dormitórios apresentam tomadas, iluminação e cortinas individuais.

O buffet de café da manhã é servido diariamente em sala de refeições aconchegante. Inclui uma variedade de frutas da estação, pães e frios, bem como uma seleção de bebidas quentes e geladas.

Esta propriedade fica distante  um  quilômetro da estação rodoviária da cidade. Já a cidade de Canela, está à 6 km de distância.

Média de preços por diária: R$ 52,00

Melhores informações: www.britanico.com

Gramado/RS - Brasil
Hostel Briânico – Gramado/RS – Brasil
Gramado/RS - Brasil
Hostel Briânico – Gramado/RS – Brasil

Gramado Hostel

Gramado/RS - Brasil
Gramado Hostel – Gramado/RS – Brasil

Situado em uma área agradável e arborizada, este albergue fica à 1,5 km do centro de Gramado. A propriedade oferece Wi-Fi gratuito, recepção 24 horas,  cozinha de uso comum e  sala de TV aconchegante.

Os quartos do Gramado Hostel dispõem de banheiro privativo, TV e guarda-roupa. Os dormitórios possuem um banheiro compartilhado, uma TV e armários individuais.

Média de preços por diária: R$ 51,00

Melhores informações: www.gramadohostel.com.br

Gramado/RS - Brasil
Gramado Hostel – Gramado/RS – Brasil
Gramado/RS - Brasil
Gramado Hostel – Gramado/RS – Brasil

Hostel 142

Canela/RS - Brasil
Hostel 142 – Canela/RS – Brasil

Oferece acomodação que permite animais de estimação em Canela. Possui estacionamento privativo gratuito.

O Hostel 142 disponibiliza WiFi gratuito em toda a propriedade.

Além disso, a propriedade oferece recepção 24 horas.

Você pode jogar bilhar neste albergue. A Catedral de Pedra fica a 200 metros do Hostel 142, enquanto o Mundo a Vapor está a 2,4 km da propriedade.

Média de preços por diária: R$ 55,00

Melhores informações: www.hostel142.com

Canela/RS - Brasil
Hostel 142 – Canela/RS – Brasil
Canela/RS - Brasil
Hostel 142 – Canela/RS – Brasil

Canela Hostel

Canela/RS - Brasil
Canela Hostel – Canela/RS – Brasil

Localizado em uma casa ampla e elegante, o Canela Hostel está situado em Canela, a apenas 1 km do centro da cidade. Para sua comodidade, estão disponíveis WiFi e estacionamento gratuito. Você pode usufruir de uma recepção 24 horas, jardim bem conservado e churrasqueira no local.

Os quartos e dormitórios dispõem de piso frio, roupa de cama e banheiro compartilhado. Além disso, acomodações selecionadas oferecem um banheiro privativo.

O albergue fica à 900 m da Igreja de Pedra, à 2,2 km do Mundo a Vapor e à 4,4 km do Castelinho.

Média de preços por diária: R$ 69,00

Melhores informações: www.canelahostel.com.br

Canela/RS - Brasil
Canela Hostel – Canela/RS – Brasil
Canela/RS - Brasil
Canela Hostel – Canela/RS – Brasil

Conheça também o Ecoparque Sperry, localizado na cidade de Canela/RS – Brasil.

Edição e texto: Luís H. Fritsch

Topografia Google Maps

Para entendermos o que significa a opção terreno no Google Maps, temos que compreender um pouco sobre as antigas cartas topográficas.

Carta topográfica:

É a representação sobre um plano, em escala, dos acidentes naturais e artificiais da superfície terrestre de forma mensurável, mostrando suas posições planimétricas e altimétricas. A posição altimétrica ou relevo é normalmente determinada por curvas de nível, com as cotas referidas ao nível do mar.

Topografia Google Maps

Antigamente, quando planejávamos atividades e aventuras, usávamos cartas deste tipo, assim podíamos ter a noção de elevações do terreno, conseguindo traçar uma boa rota, sem nunca ter passado pelo local.

O maior problema era adquirir esse tipo de carta, pois os valores de cada carta eram inviáveis e as áreas mapeadas eram gigantescas, o que muitas vezes atrapalhava a organização da aventura. Quem normalmente fazia essas cartas era o Exército Brasileiro, usando fotografias aéreas e depois colocando cálculos de altimetria, assim mensurando todo o mapa.

Hoje em dia, a ferramenta “Terreno”, inserida no programa Google Maps gratuitamente, faz praticamente a mesma coisa, você consegue ver o local sua altitude, pontos de maior aclive/declive e assim, programar suas aventuras sem ter que pagar por elas.

As imagens do Google Maps mostram a elevação física, como um relevo sombreado, e linhas de elevação. Também inclui nomes de ruas e outras informações.

Topografia Google Maps
Vista do Cânion Fortaleza – Ferramenta Terreno – Google Maps

Para entender melhor essas linhas (curvas de nível) e números mostrados no mapa, saiba que as linhas mais fortes são as que possuem a numeração inteira de altitude, já as linhas mais fracas, são a continuação do cálculo de altitude, podendo ser de 10 a 50 metros ou mais, cada uma delas. dependendo da  escala de altura do mapa, quanto mais “zoon” você der no mapa, menor é a diferença de altura de cada linha.

Nota-se também, que em algumas partes do mapa, as linhas ficam mais juntas, isso significa que quanto mais perto uma linha estiver da outra, mais íngreme é o terreno, e quanto mais afastadas menor é sua inclinação.

Essa nova ferramenta,  contribui para ajudar todos os aventureiros a programar suas rotas e novos caminhos, e o mais legal,  que é dada gratuitamente. Pode ser  usada em celulares e computadores, facilitando a  programação de uma aventura sem ter nunca ido ao lugar. Com um pouco de conhecimento sobre topografia essa ferramenta vai lhe ajudar muito em suas próximas aventuras.

Como reduzir espaços vazios em sua mochila!

Todo aventureiro, sempre leva vários equipamentos para manter-se confortavelmente, seja em uma pequena trilha, trekking ou viagens longas, normalmente  se faz uma lista com todas as coisas que vai levar e na hora de por na mala/mochila, isso não acontece com a mesma facilidade que planeja.

Para evitar problemas como estes, vamos apresentar algumas dicas úteis!

  • Leve apenas equipamentos essenciais, que possuam mais do que uma utilidade;
  • Ao invés de dobrar sua roupas enrole-as fazendo para cada dia um rolo (roupas intimas, calça/bermuda, camiseta e meias), isso facilita na hora de colocar na mochila, e evitando que as roupas amassem tanto, ainda, a grande diferença de fazer dessa maneira é que você tem suas roupas diárias em um único lugar;

roupas_trs

roupas2_trs

  • Panelas são equipamentos que normalmente consomem muito espaço físico dentro de nossas mochilas, você pode acoplá-las por tamanhos e no espaço que sobrar coloque alimentos dentro, (café, açúcar, e barras de cereais);

 

$_12

  • O saco de dormir, igualmente, também ocupa bastante espaço, neste caso você pode optar por sacos de dormir mais compactos ou usar sacos de compressão para deixa-lo menos volumosos;

alto-estilo-065_1

  • A barraca é um equipamento necessário para trekkers e aventureiros, aqui a dica é retirá-la da bolça original, enrolar cada parte separadamente, assim você consegue um condicionamento muito melhor dentro da mochila, isso também evita alguns problemas como rasgos e enrosco durante caminhadas em mata fechada;

barraca_nepal_2_trs

  • Outra dica interessante é usar ferramentas em um único lugar, ao invés de levar separadamente um canivete, serra de mão, lanterna, tesoura, pinça, um bom exemplo para evitar perder seus equipamentos é  usar ferramentas como alicates com multifunções, estes equipamentos possuem muitas ferramentas que talvez você nem precise, porém fica tudo preso em um só lugar;

alicatezitinhoto

  • Alimentos também dão algumas dores de cabeça na hora de acomodar na mochila, opte por comidas leves e com grande capacidade energética, uma boa dica é levar comidas liofilizadas, são leves e de fácil preparo.

sem-t_tulo-8627

  • A água é um item essencial dentro de nossas mochilas, neste caso, recomendo levar dois litros, um para você se hidratar e outro para cozinhar, uma boa dica é levar filtros purificadores, isso ajuda muito em situações onde não se tem certeza da qualidade da água, e diminui a quantidade de água dentro da mochila, mas cuidado, isso não se aplica a todos os casos, existem lugares que você terá que levar muito mais que 2 litros de água.
Texto: Luís H. Fritsch

Viajar de madrugada, é mais barato?

Viajar de madrugada, é mais barato?

Muitos amigos sempre me perguntam: Viajar de madrugada é mais barato? Buscar passagens aéreas depois da meia noite aumenta as chances de encontrar tarifas promocionais? A resposta é: sim, mas não sempre. Para voar dentro do Brasil essa lógica funciona bem, já que os voos no fim da noite/madrugada, normalmente, têm uma ocupação menor e  apresentam tarifas mais baratas, no período entre 22h e 6h. Outro bom horário para voar gastando menos é das 10h às 16h, pelo mesmo motivo.

Nos voos internacionais a lógica não é tão simples e pode ser, inclusive, inversa. Voos longos que saem a noite ou no início da madrugada são mais procurados, porque ajudam os viajantes a relaxarem – leia-se dormir, e também a aproveitar mais o tempo de viagem, chegando no destino de manhã ou no início da tarde. Os voos durante o dia nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, costumam ser mais baratos do que os que saem a noite ou de madrugada. Apesar das frequências internacionais antes das 18h serem mais raras aqui, é bem comum nos aeroportos estrangeiros, ou seja, não é difícil passagens promocionais terem voos de volta partindo no meio da tarde ou de manhã.

Mas e comprar as passagens de madrugada, é melhor? Não. Na verdade, não existe nada de especial na madrugada, exceto que o número de pessoas acessando as páginas das companhias aéreas tende a ser menor. Em dias de grandes promoções, isso pode fazer a diferença, já que muitos sites ficam instáveis e até caem por conta do tráfego intenso. Porém, foi-se  o tempo em que você precisava aguardar a madrugada de sexta para sábado, para conseguir aproveitar a Mega Promoção da TAM ou o Super Feirão da Gol, por exemplo. Hoje, quem espera um pouquinho mais e faz a sua compra no meio do final de semana consegue preços melhores, já que as companhias aéreas ficam competindo entre si e baixando ainda mais as passagens ao longo das promoções.

O que fazer para conseguir as melhores tarifas? Seguem algumas dicas:

  • Tenha em mente que preço não é tudo e que seu tempo vale dinheiro. Um voo direto um pouco mais caro, pode ser mais econômico do que um com várias conexões mais barato, já que você perderá horas preciosas da sua viagem e terá que pagar mais taxas de embarque;
  • Seja maleável quanto a data e o horário do seu voo. Sair na quinta, ao invés de sexta, e voltar na segunda, no lugar de domingo, pode garantir uma boa economia;
  • Inclua aeroportos menores ou mais distantes na sua busca. Se você voa desde São Paulo para destinos nacionais, por exemplo, pode embarcar em Guarulhos, Congonhas ou Campinas.

Agora que você já sabe como fazer, coloque a mochila nas costas e vá!

Fonte: Voopter

Ambiente selvagem, como achar água!

Ambiente selvagem, como achar água!

Perder-se ou isolar-se em um ambiente selvagem é algo que pode acontecer com qualquer pessoa. Praticantes de caminhadas, campistas, turistas e motoristas de fim-de-semana, todos estão sujeitos a circunstâncias imprevisíveis. Qualquer um deles pode acabar sozinho e perdido, confiando apenas em suas próprias habilidades de sobrevivência. A coisa mais importante que você precisa para viver é a água. Se você tiver alguns recursos e souber onde procurar, é possível encontrar ou coletar água boa para beber em qualquer ambiente da Terra.

Aviso

As informações contidas nesse artigo são direcionadas apenas para uso educacional. Use-as com responsabilidade.

Para manter a boa saúde, o corpo humano precisa de, no mínimo, 2 litros de água por dia (fonte: Manual de Campo 21-76-1). Ao se perder em um ambiente selvagem, existem chances de você estar fazendo esforço ou de o clima frio ou quente estar afetando você. Tudo isso pode significar beber mais do que a quantidade mínima necessária de água. É fácil pensar que um ambiente frio pode apresentar menos risco, mas não é isso que acontece. Você pode transpirar menos, mas acaba perdendo água através da pele devido ao ar seco. Você também irá beber mais água se enfrentar ventos fortes.

O corpo tem cerca de 2/3% de água que ele utiliza para ajudar na circulação do sangue, na digestão dos alimentos e em outros processos internos. Se você utiliza mais água do que ingere, pode ter uma desidratação. Com a desidratação grave, as células se encolhem e a circulação pára, causando uma falta de fluxo de oxigênio nos músculos. A desidratação pode começar depois de uma pessoa ficar cerca de seis horas sem ingerir água, e mais do que um dia inteiro sem beber água é motivo para muita preocupação. O corpo humano consegue sobreviver somente três dias sem água.

Agora que você compreende a importância da água, já deve estar bem claro que o seu abrigo deve estar o mais próximo possível de uma fonte de água. Se você tiver sorte o bastante para encontrar uma fonte, terá que purificá-la. Rios e lagos claros podem parecer limpos, mas existem milhões de organismos no ambiente. Se você não purificá-la, poderá ficar doente devido à bactérias ou vírus presentes na água. Nascentes de água podem ser seguras, mas o ideal é se precaver.

Nesse artigo, veremos as formas diferentes de se coletar água própria para o consumo em um ambiente selvagem, usando maneiras simples e práticas, mostraremos também alguns equipamentos para purifica-lá.

A primeira coisa que você deve fazer se estiver isolado em um ambiente selvagem é encontrar uma fonte de água potável.

As fontes mais óbvias são:

  • Córregos, rios e lagos.
  • Os animais sempre sabem onde tem água, então procure por rastros de animais.
  • Vegetação em verde vivo é também um sinal de que há água por perto.
  • Aglomeração de insetos, pode ser um incômodo, mas também é um sinal de que a fonte de água não está muito longe.
  • As rotas de vôo dos pássaros também podem apontar a direção certa.
  • Quando fizer uma pausa para descansar, use a audição para tentar descobrir sons de água corrente e lembre-se de que a água sempre desce por um fluxo, então áreas mais baixas e vales são boas apostas.

Se encontrar uma área barrenta, pode haver água disponível no solo. Faça um buraco com cerca de 30 cm de profundidade e 30 cm de diâmetro e espere. Você pode se surpreender quando o buraco se encher de água. Essa água que vem do solo é barrenta, mas se você filtrá-la com algum pedaço de pano, ela ficará mais limpa e resolverá temporariamente o problema. Mas é importante lembrar que consumir água sem que ela esteja purificada pode ser um risco.

Outras fontes de água:

  • A água da chuva em quase todas as áreas rurais normalmente pode ser consumida sem risco de doenças. Se chover, utilize quaisquer recipientes disponíveis para coletar a água.
  • Se você tiver um poncho ou puder encontrar uma folha de plástico, abra o material e amarre as extremidades em árvores, um pouco acima do chão. Ache um recipiente e amarre o poncho em uma inclinação com uma pequena curvatura para coletar e drenar a chuva. Se não puder encontrar um recipiente, amarre o poncho nivelando as quatro extremidades e faça uma curvatura maior; isso vai servir como um substituto de uma bolsa de água. Se a água da chuva estiver com um gosto um pouco diferente, é porque ela não possui certos minerais encontrados na água do solo e em córregos.
  • Se você estiver próximo de neve e de gelo, descongele-os e beba a água. Nunca coma o gelo, pois ele reduz a temperatura corporal e leva à desidratação. A neve e o gelo derretido também devem ser purificados se você possuir meios para fazer isso.
  • O orvalho também pode fornecer água potável. Antes de o sol surgir, amarre algum pedaço de pano absorvente ao redor das canelas e caminhe por alguma vegetação alta.

Mesmo em situações extremas, há alguns itens que nunca devem ser usados para se beber:

  • Sangue;
  • Urina;
  • Líquidos de peixe;
  • Água salgada;
  • Álcool;
  • Gelo fresco do mar.

O gelo fresco do mar é leitoso ou cinza, possui pontas afiadas, não se quebra facilmente e é extremamente salgado. O gelo mais velho geralmente é sem sal e você pode identificá-lo por sua coloração azulada ou escura, pelas pontas arredondadas e por serem fáceis de quebrar. Assim como a neve, você deve derreter o gelo mais velho e purificá-lo adequadamente antes de beber.

Se você estiver isolado e não houver uma fonte de água fresca por perto, então você terá que trabalhar para coletar água. Existem algumas técnicas para se fazer isso, e não custa nada aplicar mais de um sistema. Quanto mais água você coletar, melhores serão as chances de sobrevivência.

Veja algumas dessas técnicas:

Alambique subterrâneo: 

Para fazê-lo, é preciso de um pouco de folha de plástico, uma ferramenta para cavar, um recipiente, um tubo de beber e uma pedra.

  • Selecione uma área úmida que receba luz do sol durante quase todo o dia;
  • Cave um buraco em formato de tigela com 90 cm de largura e 60 cm de profundidade, com um reservatório extra cavado no centro;
  • O reservatório deve ser chato e grande o suficiente para segurar o recipiente;
  • Coloque o recipiente no reservatório;
  • Coloque o tubo de beber no recipiente e atravesse-o para cima e para fora do buraco principal;
  • Coloque o plástico sobre o buraco e cubra as laterais com pedras e terra para mantê-lo no lugar;
  • Coloque sua pedra no centro do plástico e deixe-a pendurada para baixo em cerca de 45 cm, diretamente sobre o recipiente para formar um cone invertido;
  • Acrescente mais terra nas extremidades para dar estabilidade.
Ambiente
Foto: Charles Bryant

A umidade do solo reage com o calor do sol para produzir condensação no plástico. O alambique força a condensação a descer pelo plástico até o recipiente. Você também pode acrescentar vegetação dentro do buraco para aumentar a umidade. Apenas certifique-se de que as plantas não são venenosas. Use o tubo de beber diretamente do recipiente. Se não tiver um, você pode remover o recipiente e montá-lo novamente depois. Um bom alambique consegue produzir até um litro de água potável por dia.

Para uma água com gosto melhor, deixe-a descansar durante 12 horas se for possível. Você também pode fazer um filtro para remover quaisquer partículas visíveis.

Filtro de água caseiro:

  • Encontre uma lata grande, um tronco oco ou uma sacola de plástico (bambu oco também serve);
  • Faça de 5 a 10 buracos pequenos ao redor da base do seu recipiente e suspenda-o;
  • Encha-o com camadas alternadas de pedra, areia e pano;
  • Use camadas finas e grossas (quanto mais, melhor);
  • Despeje sua água no filtro e colete-a novamente em um outro recipiente embaixo.
get-water-5
Foto: Charles Bryant

A água deverá sair quase clara, caso contrário, você pode filtrá-la novamente. Acrescente carvão de uma fogueira para remover o cheiro. Apenas certifique-se de filtrar o carvão com algum pano. Esse método remove apenas os sedimentos grandes e melhora o gosto. Você deve sempre purificar a água fazendo uma fervura.

Se sua energia estiver baixa, você vai querer evitar as escavações envolvidas no processo do alambique subterrâneo. Você pode utilizar a técnica da transpiração para coletar água. Tudo o que você precisa é de uma sacola de plástico limpa.

Técnica da transpiração:

  • De manhã, pegue uma sacola e amarre-a ao redor de um arbusto ou de um galho de árvore com folhas;
  • Faça um peso no interior com uma pedra para criar um ponto mais baixo onde a água será coletada.
Ambiente
Foto: Charles Bryant

Durante o período de um dia, a planta irá transpirar e produzir umidade que será coletada no ponto baixo. Faça um buraco para beber a água ou despeje-a em um recipiente para poder consumi-la mais tarde.

Se estiver perto da costa, um poço de praia é uma excelente maneira de conseguir água potável.

Poço de praia:

  • Cave um buraco com 90 a 150 cm na depressão atrás da primeira duna de areia. Isso é normalmente a cerca de 30 m da linha da água;
  • Coloque pedras na parte de baixo do poço para evitar que areia fique muito ativa e alinhe as laterais com madeira se for possível. Isso evita que as paredes se desmanchem;
  • Em poucas horas podem ser extraídos até 20 litros de água filtrada;
  • Se estiver muito salgada, você deve mover-se um pouco mais para trás da segunda duna de areia.
Ambiente
Foto: Charles Bryant

Essa técnica do poço funciona próxima de qualquer fonte de água. Cave poços de pântanos e lagos mais próximos da água do que na versão da praia. O mesmo método também funciona no deserto durante a estação úmida; apenas cave no ponto baixo entre as dunas, próximo da vegetação. Procure por solo úmido em leitos de rios secos e terá chances de encontrar água embaixo deles.

Não beba a água

Giardíase é a doença mais comum adquirida pela água contaminada, Giardia Lamblia é um parasita que vive no intestino dos humanos e animais. A contaminação direta se faz por transferência dos cistos atraves de mãos sujas de fezes para a boca e indiretamente pela ingestão de alimentos ou água contaminada.

Sintomas: Cólicas, náuseas e diarreia são os sintomas mais comuns de Giardíase. Os sintomas podem não se manifestar por duas semanas, mas quando presente, pode durar até seis semanas.

Criptosporidiose é uma doença adquirida pela água envolvendo parasitas encontrados nas fezes. Os mesmos sintomas são apresentados com mais gravidade. Ambos os parasitas podem ser encontrados no solo e também na vegetação, então os alimentos devem ser bem lavados antes de serem consumidos e lembre-se: você deve sempre ferver a água, mesmo se ela parecer limpa e clara. 

Purificando a água:

Se você estiver perdido em um ambiente selvagem próximo de um rio ou de um lago, metade do problema estará resolvido. Para poder beber essa água com segurança você precisa purificá-la. A fervura é a melhor opção para tornar a água fresca segura (pelo menos 10 minutos em fervura). Naturalmente, ferver a água significa que você precisa de fogo e de um recipiente. Mas, na falta de um recipiente, você pode usar um dos itens abaixo:

  • Lata de alumínio;
  • Lata de estanho;
  • Concha grande;
  • Garrafa de plástico;
  • Jarra de vidro;
  • Caixa de Leite.

Outra maneira de purificar a água é utilizar pastilhas de purificação. Muitas empresas as fabricam e elas são obrigatórias em qualquer kit de sobrevivência. As pastilhas utilizam iodo ou cloro para tratar a água. Muitas pessoas são alérgicas ao iodo, então certifique-se de que você não é alérgico antes de utilizá-las. Água turva quase sempre precisa de mais de uma pastilha para ser purificada e qualquer pastilha precisa de pelo menos 30 minutos para ser totalmente eficaz. Como a fervura, é melhor filtrar a água antes com algum pedaço de pano. Também é mais seguro beber água mais aquecida, então se ela for de um córrego, deixe que ela esquente um pouco no sol antes.

Clor-in_01_verso

Ao colocar a pastilha na garrafa, agite um pouco da água na tampa e na área onde você coloca a boca. Após ferver ou tratar a água com pastilhas, despeje a água de um recipiente para o outro várias vezes. Isso irá adicionar mais oxigênio e melhorar o sabor.

Filtros e purificadores portáteis:

Existem dezenas de filtros e purificadores de água portáteis no mercado e eles basicamente funcionam da mesma maneira: um lado recebe a água, que passa por uma série de filtros e tratamentos, e o outro lado serve para a saída da água.

Diferença entre os filtros e os purificadores:

  • Ambos eliminam as bactérias nocivas, mas os purificadores também eliminam os vírus;
  • Os purificadores utilizam agentes químicos além do sistema de filtragem comum;
  • A maioria dos filtros utiliza um núcleo feito de cerâmica, carbono e fibra de vidro;
  • Os purificadores têm uma camada química adicional de resina de iodo.

O Lifestraw é um filtro portátil que permite consumir água com segurança diretamente de qualquer fonte. Ele tem cerca de 28 cm, menos de 2,5 cm de espessura e se parece com um grande canudo. Uma ponta possui a parte que vai na boca mais estreita e a outra vai diretamente na fonte de água. Cada Lifestraw tem capacidade de filtragem de 700 litros, aproximadamente a quantidade de água necessária para uma pessoa durante um ano.

life_straw

Texto: Charles Bryant

Onde encontrar as famosas auroras boreais!

Onde encontrar as famosas auroras boreais!

Fenômeno visual que ocorre nas regiões polares, as auroras boreais encontram-se entre os maiores espetáculos da natureza, com luzes de diferentes cores que dominam o céu durante os meses do inverno. As auroras boreais são difíceis de prever, mas existem alguns lugares ideais para aumentar sua probabilidade de se encontrar com esta fascinante atração. O site Fodors listou dez destinos para avistar auroras boreais.

Noruega
Situada acima do círculo polar ártico,  no norte da Noruega, a cidade de Tromso vê com freqüência  as auroras boreais que chegam com o  fim dos longos dias de verão. O belo espetáculo de luzes coloridas é a principal atração da cidade, que também conta com a universidade mais nórdica do planeta.
auroras boreais Suécia
O vilarejo de Abisko, na região da Lapônia, tem menos de 150 habitantes, mas é muito visitado por turistas, pelo fato de ter um micro-clima único que o torna um ponto ideal para apreciar a beleza de auroras boreais.  Durante o escuro inverno, o Parque Nacional de Abisko tem atrações como o lago Tometrask, num cenário maravilhoso para curtir este impressionantes fenômeno natural.

auroras boreais Finlândia
No norte da Finlândia,  na cidade e de Luosto, o hotel Aurora Chalet entrega a seus hóspedes um “Alarme de Auroras”, que toca quando as luzes coloridas fazem sua aparição no céu, graças ao serviço do Centro de Investigação de Auroras Boreais da cidade de Sodankyla. Com o céu claro, é possível avistar o fenômeno na cidade de Nellim, com o lago Inari, um dos maiores da Finlândia, como pano de fundo.

auroras boreais

Islândia
Além de ter numerosas maravilhas naturais, como vulcões, geleiras, gêisers e fiordes, a Islândia também conta com o fenômeno de auroras boreais durante o inverno. Próximo de Reykjavik, capital do  país, o Parque Nacional de Pingvellir  tem amplas planícies, ideais para observar o espetáculo natural de luzes coloridas.

auroras boreais

Alasca
Região selvagem dos Estados Unidos, o Alasca tem entre suas numerosas atrações a aparição de auroras boreais durante o inverno. Para visualizar o fenômeno nas melhores condições, o ideal é escapar para áreas remotas como o Parque Nacional de Denali, sem esquecer de conferir a previsão de auroras boreais da Universidade do Alasca.

auroras boreais

Canadá
A imensidão das áreas naturais do Canadá oferece numerosas opções para observar a beleza das auroras boreais. As áreas em volta do lago Superior, no Ontário, a tundra do norte do país, e o território de Yukon , próximo ao Alasca, são alguns pontos ideais para a visualização do fenômeno.
auroras boreais Groenlândia
Destino visitado especialmente por pessoas em busca de aventuras, a Groenlândia tem frequentes aparições de auroras boreais. Apesar do fenômeno estar presente em praticamente todo o grande território, os lugares mais acessíveis encontram-se no sul e no leste da Groenlândia, em localidades como Kulusuk e Ammassalik.
auroras boreais Escócia
As ilhas britânicas são conhecidas por seu clima cinzento, longe das condições ideais para avistar auroras boreais. No entanto, nas raras noites de céu claro do inverno escocês, os turistas têm boas chances de poder apreciar as luzes, principalmente em localidades como Aberdeen, a Ilha de Skye e as terras altas do norte.
auroras boreais Rússia
Encarar as noites gélidas do inverno russo pode ser recompensado com um belo espetáculo com luzes coloridas de auroras boreais. A península de Kola, no noroeste do país, encontra-se situada quase inteiramente acima do Círculo Polar Ártico e é um dos pontos mais populares da Rússia para avistar o fenômeno natural.
auroras boreais Ilhas Faroe
Ao norte da Escócia, entre o Mar da Noruega e o Atlântico Norte, as Ilhas Faroe são um arquipélago dependente da Dinamarca e conhecido por suas heranças da cultura viking. Quando o clima ajuda, as ilhas são excelentes para avistar auroras boreais.

auroras boreais

Texto: Andrés Bruzzone
Fonte: Vida e Estilo