Cachoeira Princesa dos Campos

A Cachoeira Princesa dos Campos é um atrativo localizado a cerca de 20 km do centro da cidade de Jaquirana/RS.

Antes de chegar a portaria da Princesa dos campos, podemos ver ao lado da estrada um mirante, onde temos a vista de todo o vale e também da majestosa cachoeira que dá o nome ao local.

Mirante Princesa dos Campos

O local funciona como um paradouro, administrado pelos proprietários do Parque das Cascatas/RS, para os viajantes que estão percorrendo o interior do Rio Grande do Sul, é possível parar e aproveitar as paisagens.

Acomodações Princesa dos Campos

Para quem gosta de conforto e requinte, a Princesa dos Campos, possui boas instalações, uma grande cabana com vista para o vale, um bar e ofurô para seus hospedes.

Para os mais aventureiros o local dispõe de área de camping, localizado próximo da Cascata da Princesinha (uma linda e extensa cascata), as áreas de camping possui boa estrutura para receber seus visitantes, com banheiros divididos por sexo, chuveiros quente, mesas, bancos e churrasqueiras em estilo rústico.

Trilhas a percorrer

Dentro da área da Princesa dos Campos é possível conhecer 5 (cinco) quedas de água que compõem a paisagem e instigam a gente a percorrer as trilhas bem demarcadas do local.

A trilha mais desafiadora é a que leva até a base da Cachoeira Princesa dos Campos, o caminho é um tanto íngreme, mas possui uma gigante escadaria de pedra e concreto com 150 degraus que facilita o acesso com qualquer condição climática. (Não recomendamos essa caminhada para pessoas com problemas de articulações ou problemas respiratórios).

Cachoeira Princesa dos Campos
Long Exposure Princesa dos Campos

Ainda na parte de baixo da propriedade, percorremos uma pequena trilha que leva a outra cachoeira, o caminho é bem marcado, passamos por uma pequena usina de energia antiga que está abandonada no meio da mata. Dali em diante começamos a entrar em um cenário de filme, em meio a trilha há enormes xaxins centenários com mais de 5 metros de altura.

Ao chegar na cachoeira a visão é bela, a água é cristalina e não contém vestígios de poluição. Ao lado direito da queda de água tem uma trilha que parecia levar na parte de cima da cachoeira, mas como a trilha estava muito lisa e embarrada, não quisemos trilhar esse caminho. Depois de tirar algumas fotos retornamos para a parte de cima da propriedade.

Cachoeira em Jaquirana/RS

Na parte de cima da Princesa dos Campos há mais 3 (três) quedas de água, a principal delas é a Cascata da Princesinha, uma linda e grandiosa cascata.

O dia estava cinzento, mas mesmo assim conseguimos capturar belas imagens, as águas do Arroio dos Novilhos estavam baixas, dava para ir tranquilamente até a base da cascata sem ao menos molhar o joelho. Como estava frio nesse dia, não chegamos muito perto, a água estava congelante.

Cachoeira da Princesinha
Princesa dos Campos

Descendo pelo leito do arroio temos mais duas quedas de água, estas não tão grandes assim, mas fazem da Princesa dos Campos um lugar muito atraente para quem gosta de curtir a natureza e fazer boas fotografias.

Trilhas e Cachoeiras

A Princesa dos Campos é um destino que com certeza iremos aproveitar mais no verão, por ser um pouco distante da cidade de Jaquirana/RS, o movimento no local é baixo.

Para você que procura novos destinos para conhecer, viajar com os amigos, este local é perfeito para um fim de semana aconchegante, seja se hospedando ou acampando no local.

Para mais informações sobre valores e taxas de visitação ligue para o contato (54) 99625-0706 ou acesse o página no Facebook.

Se você gostou desse atrativo turístico que apresentamos neste post, deixe um comentário logo abaixo, não esqueça de compartilhar com seus amigos e siga-nos nas redes sociais – Instagram e Facebook. Até mais!

Cachoeira Maratá

Descubra Maratá

Maratá é uma cidade de origem alemã, distante cerca de 83,3 km da capital Porto Alegre/RS.

Um destino certo para quem gosta de conhecer cascatas, cachoeiras e ainda se divertir junto à natureza. Conhecida como a Capital das Belezas Naturais, a cidade oferece visitação ao Parque Municipal da Cascata Vitória, Parque da Cachoeira Maratá e Morro Ibiticã, entre outros locais que fazem referência a origem alemã.

Nós do Trekking RS, fizemos uma breve visita à cidade no último fim de semana e gostamos bastante dessa cidadezinha. Com certeza é um destino para voltar no verão para aproveitar mais.

A nossa primeira parada foi no Parque da Cachoeira Maratá, distante aproximadamente 1,5 km do centro da cidade, possui estrada pavimentada até o local.

O parque fica aberto todos os dias da semana nos horários das 8 às 22 horas na alta temporada e fora da temporada das 10 às 19 horas.

O que fazer em Maratá

No local é possível desfrutar de uma linda vista da cachoeira que leva o nome da cidade com aproximadamente 15 metros de altura, o parque conta ainda com churrasqueiras, mesas, banheiros com chuveiros quente, bar e uma enorme área de lazer.

Área de lazer
Foto: Luís H. Fritsch
Área de Lazer
Foto: Luís H. Fritsch
Parque da Cachoeira Maratá
Foto: Luís H. Fritsch
Parque da Cachoeira
Foto: Luís H. Fritsch

Além disso o parque dispõe de uma trilha que leva até a parte alta da cachoeira, uma pequena gruta e uma outra cachoeira um pouco menor, de beleza intocada.

Cachoeira em Maratá
Foto: Luís H. Fritsch
Cachoeira Maratá
Foto: Luís H. Fritsch

Para os aventureiros que gostam de acampar, o Parque da Cachoeira Maratá pode ser a oportunidade perfeita para aproveitar um fim de semana com tranquilidade e diversão junto com a família e amigos.

Tarifas

Na alta temporada os valores são de R$ 10,00 para o estacionamento, R$ 7,00 para passar o dia ou R$ 15,00 à diária no camping (já incluso estacionamento e taxa de visitação).

Mais informações

  • Parque da Cachoeira Maratá – (51) 99540-2616, falar com Dirce;
  • Prefeitura de Maratá – Site e Facebook.

Nosso passeio não parou por aí, mas isso já é assunto para outro texto.

No próximo post vou falar sobre o Parque Municipal Cascata Vitória, um lugar igualmente belo onde é possível fazer inúmeras atividades.

Cascata Vitória
Parque Municipal Cascata Vitória – Maratá/RS – Foto: Luís H. Fritsch

Explore novos destinos como cachoeiras, cascatas e lugares ainda intocados. Dentro do nosso site, temos inúmeras opções de destinos de tirar o fôlego. Descubra!

Se você gostou deste post, deixe um comentário aqui embaixo, não esqueça de compartilhar com seus amigos. Até o próximo post!

Trekking Pico do Tabuleiro

A trilha do Pico do Tabuleiro está dentro do território do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro que é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza, com território distribuído pelos municípios catarinenses de Florianópolis, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Bonifácio, São Martinho, Imaruí e Paulo Lopes.

Com uma área de 84 130 ha, Serra do Tabuleiro é a maior unidade de conservação de proteção integral do estado de Santa Catarina.

Origem: Wikipédia

As montanhas estão chamando e eu tenho que ir.

Essa foi mais uma daquelas pequenas aventuras que, de tempos em tempos, acontece de modo espontâneo. Sem grandes alardes ou planejamentos, bastando apenas um convite curto e grosso.

Durante uma tarde de trabalho no mês passado, entre uma tarefa e outra dos meus plantões, “pipocou” na minha telinha, uma notificação de mensagem.  Pensando eu que se tratava de mais alguma tarefa de trabalho, ao abrir a mensagem, fui surpreendido com um “Vamos subir o Tabuleiro?”. Era o convite do Fábio Almeida, que para quem não sabe, é o cara que faz acontecer o Pedal Nativo (site de cicloturismo e afins).

Sabendo do destino, a data e também quem estaria na empreitada, topei de imediato.

Estava formada então a trupe inédita: Fábio AlmeidaMário Nery e eu.

Sábado, dia 15 julho.

Coloquei o relógio para despertar bem mais cedo do que estou acostumando acordar. O plano era pegar o ônibus bem cedo e encontrar meus camaradinhas em Floripa e de lá, numa curta viagem de carro de pouco mais de uma hora, chegar ao ponto zero que fica junto do maneiríssimo Café do Tabuleiro.

Trilheiros no Tabuleiro

Ao chegarmos ao Café do Tabuleiro, por volta de 11 horas, sem demora, pegamos nossas mochilas cargueiras e entramos na trilha que começa ali mesmo.

A trilha e eu já éramos conhecidos. Em 2015, junto com mais dois amigos, fizemos em quatro dias a duríssima e até então quase desconhecida Travessia da Serra do Tabuleiro. (Quer saber como foi essa empreitada? clique aqui).

Uma longa subida em meio ao bambuzal

A trilha de um modo geral, não apresenta dificuldades técnicas, porém pode surpreender tornando-se um desafio bastante desgastante se a vegetação estiver alta e fechando o caminho. Daí é aquela coisa que só sabe quem já fez um clássico vara mato com uma mochila cargueira nas costas sendo agarrada quase que o tempo todo pelos bambuzinhos infernais.

O lado bom da trilha fechada é que podemos dizer que aproximadamente 80% do caminho está abrigado do sol. Isto é um grande alívio.

O tempo de caminhada varia bastante. Depende além das condições da trilha, do condicionamento físico e da carga que se está levando para o alto. Em média, a subida com cargueiras, leva algo entre quatro e seis horas. Sem carga, acredito que três horas são suficiente para alcançar o topo sem correria.

Iniciamos nossa subida tarde. Passava das onze horas, mas sabendo que tínhamos tempo de luz suficiente para chegar ao nosso objetivo, engatamos uma marcha lenta, pois apensar do inverno estar batendo na porta, o dia estava bastante quente, sendo assim, deveríamos administrar bem o consumo de água uma vez que só existem pontos de captação do precioso líquido no início da trilha.

Backpacker Tabuleiro

A alta temperatura, o peso das cargueiras e as datas de expedição das certidões de nascimento dos membros da trupe, foram as garantias da “sofrência”. Tal situação obrigava que em vários momentos déssemos pequenas paradas para tomar um ar, baixar a frequência cardíaca e beber alguns goles de água, antes que alguém tivesse um troço, ou um treco ou até mesmo um piripaque e com isto, fossemos obrigados a acionar o S.O.S no rastreador Spot. kkkk

Depois de percorrer pouco mais de seis quilômetros, em mais de cinco horas de trilha, o caminho estava abrindo e finalmente estavam superados os mais de mil e cem metros de subida.

Pico do Tabuleiro

Restava ainda por volta de uma hora de luz natural. Aproveitamos para descansar um pouco, comer algo e montarmos o nosso acampamento e logo em seguida, aproveitar um dos momentos altos de nossa pequena aventura de final de semana: um fantástico pôr do sol por detrás da Serra do Tabuleiro.

Camping Tabuleiro

Sob o céu que nos protege

Após apreciarmos uma espetacular viração do dia, a noite prometia ser boa. A ausência de vento e a temperatura agradável, foram a nossa garantia de um jantar saboroso e com um bate papo divertido sentados no chão, sob as estrelas e iluminados pela lua quase cheia.

Depois do momento relax total, e estando todos muito bem alimentodos com um saboroso prato de montanha preparado pelo chef Nery, era chegada a hora de recolher. O cansaço do dia de trilha e o friozinho ameno fizeram a turma dispersar, indo cada um para a sua barraca.

Cozinha de camping

Ainda ficamos de conversa fiada e rindo das câimbras que se manifestavam em alguns integrantes deste fabuloso time de aventureiros.

A noite foi longa, silenciosa e tranquila. Lembro-me de ter acordado algumas vezes com a claridade da lua iluminando a barraca. Nada que me impedisse de ter um bom descanso numa noite impecável no hotel um milhão de estrelas.

Camping Tabuleiro

Domingo, 16 de julho.

Pro dia nascer feliz

Por volta das seis horas, ainda bem escuro, escutei o barulho de um zíper de barraca abrindo e uma movimentação ao redor do nosso acampamento. Era o Mário que foi o primeiro corajoso a sair do conforto do saco de dormir para assistir ao sol nascer.

Após enrolar alguns minutos, e vendo um pequeno romper de claridade, também tomei coragem para sair da barraca. Não estava muito frio.

Serra do Tabuleiro

Calcei minhas botas, peguei minha câmera e fui ao encontro do Mário. Não demorou muito e o Fábio logo se juntou com ao grupo no ponto mais alto para assistirmos o espetacular show de cores que foi o nascer do sol naquela manhã de domingo.

Assim que o sol se ergueu no horizonte, dando-nos bom dia, voltamos ao acampamento para preparar o café e espantar de vez o sono e a preguiça.

Com a cafeína correndo no sangue, tratamos de desmontar o circo e pegar o rumo do nosso caminho de volta.

Pra baixo todo santo ajuda. Or not

A longa caminhada até o Café Tabuleiro, durou mais de quatro horas. O calor, a falta de água e a combinação do peso da mochila cargueira com a descida que parecia interminável, fez com que déssemos algumas paradas para descansar.

Ao chegar ao ponto de água, fizemos uma parada longa para hidratar, mastigar alguns biscoitos e dar uma refrescada. Faltava pouco agora.

Depois de matar a sede e descansar um pouco, demos jeito de fazer aquele esforço final.

Com pouco mais de meia hora, já estávamos novamente no Café Tabuleiro. Colocamos nossas mochilas no carro e fomos rapidamente saborear aquela tão sonhada Coca-Cola gelada e bater papo divertido com o pessoal do café.

Após nos despedirmos do pessoal do Café, seguimos direto para a casa do Fábio, onde ainda rolou um churrasquinho de confraternização. Mas isso já é outra história. kkk

Fim.

Dicas:

– A melhor época do ano é outono e inverno;

– O Café Tabuleiro possui estacionamento seguro ao custo de R$ 10,00;

– Use roupas compridas;

– Leve toda a água que irá precisar;

– A trilha, embora bem nítida, não possui nenhuma marcação. Tenha atenção;

– A trilha exige muito esforço. Esteja bem preparado fisicamente.

Mínimo Impacto

1 Planeje com antecedência sua aventura;

2 Caminhe na trilha;

3 Leve seu lixo embora;

4 Deixe tudo como encontrou;

5 Não faça fogueiras;

6 Respeite a vida selvagem;

7 Seja cordial com outros visitantes.

Veja também outros destinos em Santa Catarina/Brasil

Trekking no Vale da Utopia

Nossas aventuras pelo Vale da Utopia no estado de Santa Catarina – Brasil, foi uma aventura planejada de um ano para o outro, não por ser uma trilha difícil, nada disso, mas por precisar ter um tempo vago para fazer a travessia e poder aproveita-la ao máximo.

Trilhas Vale da Utopia

Existem duas trilhas para se chegar na Praia do Maço (Vale da Utopia), a mais rápida é pela praia da Pinheira e a outra um pouco mais extensa, começa pela Guarda do Embaú.

Como somos aventureiros e gostamos de desafios, resolvemos fazer a trilha mais extensa, uma aventura cercada por belas paisagens e um pouco menos visitada pela maioria das pessoas.

A travessia

Nossa caminhada começou por volta das 9:00 da manhã, quando deixamos nosso carro estacionado na Praia da Guarda do Embaú, saímos dali com nossas mochilas cargueiras nas costas e com vestimentas adequadas para o trekking, isto é, estávamos de bota, calça comprida, manga longa e bandana/chapéu.

Era feriadão de páscoa e todas as pessoas naquela praia estavam aproveitando o dia lindo de sol, lembro-me de as pessoas olharem para nós como se fossemos de outro mundo.

Guarda do Embaú
Trilha Vale da Utopia

De certa forma nós somos de outro mundo mesmo, onde não nos contentamos com a segurança, trabalhar o ano todo só para ter 30 dias de férias, somos de outro mundo, pois queremos ter o máximo de experiências em nossas vidas e chegar na velhice com mais sonhos realizados do que dinheiro no bolso.

Depois de tirar algumas fotos alí na Guarda do Embaú, seguimos a trilha a esquerda da praia até chegar em uma bifurcação, está leva para a Pedra do Urubu, trilha fácil, sem maiores dificuldades para nós, no entanto para pessoas sem preparo físico a trilha pode ser um tanto difícil e exaustiva, lembro de encontrar pessoas pelo caminho reclamando da trilha, que era difícil e íngreme.

Seguimos até o cume da Pedra do Urubu, ao chegarmos na base da pedra, tinha umas 15 pessoas em fila, esperando para capturar uma foto. Fiquei um pouco chateado por este fato, esperamos a nossa vez, tiramos umas 3 fotos e retornamos para a bifurcação no início da trilha.

Pedra do Urubu SC
Guarda do Embaú

Dali em diante tínhamos dois caminhos à seguir, um deles seria pela beira do mar e outro seria em meio mata, um caminho muito bem marcado e bonito e o mais legal, não havia ninguém indo naquela direção. Optamos por esse!

Tínhamos uma dúvida em relação a esse caminho, pois como não havia pessoas transitando por ali, pensamos por um momento que a trilha não iria nos levar a lugar nenhum, podia ser muito bem uma trilha que acabasse logo à frente. Mesmo com a dúvida seguimos por ele. depois de uns 10 minutos de caminhada, encontramos uma bifurcação, seguimos para à esquerda e essa trilha nos levou para a Prainha – Guarda do Embaú.

Seguindo pela esquerda na Prainha chegasse ao Vale da Utopia, e se seguir para a direita, chegasse nas piscinas naturais da Guarda do Embaú.

Estávamos perto das 11:00 quando chegamos nas piscinas naturais, o local ali é lindo, sentamos ao lado de uma pedra grande, que proporcionava um pouco de sombra, retirei as botas, a parte de baixo da calça bermuda e me sentei na piscina.

Vale da Utopia
piscinas Vale da Utopia

Essa piscina nada mais é que algumas pedras na beira do mar, onde as ondas quebram em uma parede rochosa, a água respinga pelas pedras e as vezes essa água toda invade a costa, transformando em um grande piscina natural. É preciso ficar atento no local, pois algumas vezes as ondas batem tão forte na parede rochosa que escutamos um grande estrondo, a onda então avança sobre os paredões rochosos e inunda as piscinas, levando tudo que encontra pela frente.

Depois de curtir por cerca de umas 2 horas o local, tirarmos inúmeras fotos, vestimos nossos trajes de “trilheiros”colocamos a mochila nas costas e seguimos pela Prainha em direção ao Vale da Utopia.

Esse trecho entre a Prainha e a Praia Solita se chama trilha Costa de Pedras, como seu próprio nome diz, são muitas pedras gigantes na beira do mar, é necessário cruzar por cima destas pedras por aproximadamente 300 metros.

Ao se chegar em terra firme já estamos praticamente no começo da Trilha do Vale da Utopia. A visão desse ponto, podemos ver ao longe o costão de pedras que cruzamos e também o local das piscinas naturais.

Trilha Vale da Utopia

Trilha do Vale da Utopia

A trilha do Vale da Utopia começa exatamente neste ponto, começamos a subir um morro gramado em uma estrada bem demarcada que atravessa alguns potreiros, onde podemos ver muitas vacas e bois.

Ao começar a descer já temos a visão da Praia do Maço, conforme vamos nos aproximando já encontramos muitas pessoas com barracas armadas e curtindo o dia ali.

Era hora de escolher um local legal para acampar, olhamos alguns locais e encontramos um onde não havia ninguém ao nosso redor. Isso possibilitaria maior tranquilidade para nós, pois sabíamos que, o Vale da Utopia em si tinha deixado de ser um local de contemplação e tinha se tornado uma grande área de festas para as pessoas.

backpacker Vale da Utopia
Vale da Utopia

Depois de montar a barraca, organizar os equipamentos dentro, resolvemos descer até a beira da Praia do Maço. Ao chegar encontramos um barzinho que oferecia lanches, pasteis, café, refrigerante, cervejas e caipirinhas.

Pedimos uma caipira e ficamos ali curtindo o pôr do sol sem nenhuma pressa, o fim de tarde estava maravilhosamente perfeito, o clima estava agradável, capturei algumas imagens e voltamos para o nosso local de acampamento.

Bar Vale da Utopia
Vale da Utopia
Sunset Vale da Utopia

Estava quase escurecendo quando começamos a fazer o jantar, eu era o cozinheiro da rodada..kkk. O cardápio era massa com molho vermelho e calabresa, depois de algum tempo o jantar estava pronto, jantamos sob um céu limpo e cheio de estrelas brilhantes. Características estas de um hotel 1 bilhão de estrelas que só quem acampa entenderá.

Logo descemos até o barzinho novamente, dessa vez apenas para lavar a louça em uma pia improvisada ao lado do bar.

A noite estava realmente especial, pois além das estrelas brilhantes, podíamos ver a lua cheia, que clareava todo o Vale da Utopia, nem precisávamos usar as lanternas para encontrar nossa barraca na volta.

barraca Vale da Utopia

Ficamos um bom tempo ali olhando as estrelas e conversando, fiz algumas imagens noturnas e fomos dormir, afinal queríamos acordar cedo para ver o nascer do sol.

Nascer do sol no Vale da Utopia

Pulei do Saco de dormir as 5:30 da manhã, abri a barraca e olhei para fora, o dia estava limpo, ainda estava um pouco escuro, estava um pouco frio, mas nada com o que se preocupar.

Conforme foi passando o tempo o céu começou a ficar muito colorido, com cores amareladas, alaranjadas e avermelhadas muito vibrantes. É difícil descrever momentos assim, mas posso dizer que foi um dos mais lindos nascer do sol que já presenciei na vida.

Sunrise Vale da Utopia
Vale da Utopia

Quando o sol realmente apareceu no horizonte estávamos felizes e agradecidos ao mesmo tempo, consegui captar algumas imagens interessantes desse nascer do sol incrível.

Vale da Utopia

Conforme o sol ia subindo, nós arrumávamos os equipamentos dentro das mochilas, desmontamos a barraca, colocamos a mochila nas costas e seguimos a trilha que leva até a Praia da Pinheira.

Vale da Utopia

No meio do caminho existe um pequeno mirante, onde podemos ver a praia de cima e boa parte da orla da pinheira, lugar muito legal, com uma bela vista.

Vale da Utopia

Dali em diante seguimos o caminho marcado e chegamos até a beira da praia da Pinheira, colocamos as mochilas na areia e ficamos ali só curtindo um pouco.

A praia da Pinheira é um local belo, mas bem movimentado, para quem gosta de nadar ou se refrescar nas águas do mar pode ser uma boa alternativa, pois não há ondas nessa praia.

Praia da Pinheira

Depois de aproximadamente umas 2 horas, colocamos a mochila nas costas e seguimos para a Guarda do Embaú, dessa vez seguindo o caminho pela estrada, basicamente caminha-se 5 km, neste caminho podemos ver inúmeras pousadas, hostels em meio a natureza.

Ao chegar no nosso carro, ficamos felizes por completar mais essa aventura, pois a melhor coisa de todas as aventuras que fazemos é poder ir e voltar em segurança.

Se curtiu esse relato, deixe um comentário, curta nossa página no Instagram e Facebook e não deixe de compartilhar essa aventura com seus amigos.

sacos de dormir

Como escolher um saco de dormir

Essa é uma pergunta que muitas pessoas me fazem e por isso resolvi criar uma postagem específica sobre sacos de dormir.

A primeira coisa que você deve levar em consideração na horas de escolher o saco de dormir ideal, é saber para qual atividade você pretende usa-lo. Geralmente todas as pessoas respondem a mesma resposta! Quero um saco de dormir que seja bom para tudo.

Sabemos que não existe produto no mundo outdoor que supra todas as nossas exigências e necessidades, seria ótimo se tivéssemos condições de ter inúmeros sacos de dormir, para diferentes aplicações. Mas geralmente não temos essa condição para tanto.

Abaixo explico as principais diferenças entre os sacos de dormir existentes no mercado, desde seus diversos formatos,materiais, temperaturas, tamanhos e medidas, tudo bem detalhado para que entenda um pouco mais sobre o assunto. Dessa forma na hora de analisar entre um modelo e outro você consiga escolher qual é o melhor para a sua aplicação!

Tipos de sacos de dormir

Dormir

Existem basicamente três tipos de sacos de dormir no mundo outdoor, sendo eles:

O Mumia (sarcófago), estes é mais leve e produz mais aquecimento, mais estreito nos pés do que nos ombros, possui capuz e cordas de ajustes, no entanto é o que mais impede o movimento corporal (mais usado hoje no mundo).

O Retangular, este não são desenhados para moldar o corpo, conservam menos calor, ocupam mais espaço dentro da mochila, pesa mais, é mais barato.

Dormir

O Semi Retangular, este é mais afunilado que o modelo retangular, mas não tão junto como o sarcófago, possui boa liberdade de movimentos, mas deixa a desejar na geração de calor.

Sintéticos ou Plumas, qual escolher?

Sacos de dormir de fibra sintéticas

  • Ideal para seu usado em lugares úmidos;
  • Ideal para uso no Brasil;
  • São mais baratos em relação aos de penas;
  • Mantém 70% do aquecimento se estiver molhado;
  • Possui secagem rápida;
  • Mais pesado e com menor taxa de compressão;
  • Leva mais tempo para aquecer o usuário;
  • Não evapora a umidade do corpo.

Sacos de dormir de plumas

  • Ideal para em regiões frias no Brasil e atividades de alta montanha;
  • Proporciona alto nível de aquecimento;
  • Baixo peso e alta compressão;
  • São mais caros;
  • Possui vida útil maior, se bem cuidado;
  • Trasporta bem a umidade do corpo para fora;
  • Não aquece bem quando molhado;

Outras considerações feitas pelo amigo Mario Nery

Mas como se dá o aquecimento? O aquecimento proporcionado pelo saco de dormir funciona através de um processo de retenção do ar quente entre os filamentos das penas – o mesmo acontece com algumas fibras sintéticas. A diferença entre o sintético e a pena de canso está no fato de que a pena tem uma capacidade de retenção maior, principalmente as penas de alta qualidade.

Os sacos tem uma porcentagem de mistura das penas, que deve ser sempre mais alta na quantidade de penas de ganso e menor na quantidade de outras penas. A porcentagem ideal desta mistura fica em 90/10, ou seja, 90% para penas de ganso e 10% para outras penas menores. Outras porcentagens como 70/30 ou 50/50 representam sacos com menor capacidade de aquecimento e custo mais baixo!

Temperaturas dos sacos de dormir

Em boa parte dos sacos de dormir você encontrará faixas de temperatura que são expressas por, temperatura de conforto, limite e extremo. Para que você entenda cada uma delas vou explicar separadamente abaixo:

Temperatura de Conforto

Temperatura de conforto nada mais é que a temperatura que você se sente confortável e dorme muito bem na sua cama em sua casa.

Temperatura Limite

Essa temperatura indica que você está em seu limite de aquecimento, isso é, que você precisará dormir com algumas roupas para se sentir aquecido.

Temperatura Extrema

O seu nome já diz tudo, é uma condição extrema de aquecimento corporal, nesses casos você precisará usar muitas camadas de roupas para se manter aquecido e assim conseguir dormir.

Quando for adquirir um saco de dormir, sempre opte por produtos que tenham as faixas de temperatura inseridas nos produtos, isto te dará uma segurança a mais.

Vale mencionar aqui também que as marcas Deuter e The North Face fazem testes em laboratório para certificar seus sacos de dormir que são seguros e atendem os requisitos e conformidade com as normas europeias.

Tamanhos e medidas

Dormir

Você sabia que existem sacos de dormir para homens e mulheres, isto porque em uma pesquisa científica já comprovada, dizem que uma mulher sente mais frio que um homem em um valor de aproximadamente 5°C.

Geralmente a principal diferença entre os sacos de dormir de homens e mulheres é o seu tamanho, isso porque os femininos precisão ser mais justos para poder oferecer um maior poder de aquecimento.

Quanto menos bolsões de ar tiver entre o corpo do usuário e o saco de dormir, mais ele manterá o aquecimento corporal.

Pensando nisso muitos fabricantes desenvolvem sacos de dormir para cada gênero, com medidas diferentes entre um e outro. Algumas marcas usam a sigla “SL” para determinar a diferença de tamanhos, sendo estes menores que os normais.

Sacos de dormir indicados

Dormir

Abaixo mostrarei alguns sacos de dormir que considero bons para usar em suas atividades.

1- Saco de dormir sintético Dream Lite 500 Deuter, um saco de dormir super pequeno e leve, perfeito para ser usado em climas amenos, com temperaturas entre 13ºC e 10ºC.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 600 gramas, sendo uns dos mais leves do mundo, possui o valor de R$ 450,00 em média

2- Saco de dormir Sintético Super Pluma Gelo Trilhas e Rumos é indicado para temperaturas de até -15ºC, construído em nylon ripstop e nylon acetinado.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 2,160 kg e possui valor aproximado de R$ 390,00.

3- Saco de dormir Astro Pro 400 Deuter, construído com plumas de ganso 90/10 com fill power de 650 cuin, sua capacidade térmica é de: conforto +2ºC, limite -4ºC e Extrema -20°C.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 1.040 gramas e possui valor aproximado de R$ 1.599,00.

4 – Saco de dormir The North Face Inferno é ideal para expedições a locais com temperaturas extremas. Ele faz parte da coleção Summit Serie.

sacos de dormir

O Inferno tem isolamento térmico em plumas de ganso 850 fill down, formato sarcófago, para proporcionar o máximo de conforto, e capacidade para suportar bem temperaturas de até -40ºC.

sacos de dormir

Pesa aproximadamente 1.758 gramas e possui valor aproximado de R$ 3.990,00.

Conclusão

O saco de dormir é um equipamento essencial para a maioria das atividades que envolve pernoite em albergues ou barracas, no caso do uso em um acampamento você deve escolher produtos de qualidade, pois são estes equipamentos que farão você ter uma boa noite de sono.

Nas regiões frias do Brasil como na Serra Catarinense e no alto da Mantiqueira é comum pegarmos temperaturas negativas nos acampamentos, invista em um bom saco de dormir, a qualidade e a segurança de bons produtos garantem que a sua aventura seja satisfatória, porque afinal, ninguém quer passar frio durante uma viagem ou qualquer perrengue em ocasião da condição climática.

Espero que este texto tenha lhe proporcionado um pouco mais de conhecimento sobre o assunto, assim na hora de escolher o seu primeiro saco de dormir ou o próximo, você escolherá pela sua especificidade e não apenas pelo seu valor monetário!

Mochila All Trail

Equipamentos outdoor

Se você está começando no mundo das aventuras e não entende muito sobre equipamentos outdoor, acha caro e as vezes desnecessário a compra de algum produto técnico, neste texto vou tentar explicar através da minha experiência e vivências de mais 19 anos praticando atividades de aventuras.

Quando comecei a percorrer as trilhas no Rio Grande do Sul eu tinha apenas 11 anos de idade, não conhecia muito sobre equipamentos outdoor, mas tinha comigo um sentimento forte de querer explorar, conhecer lugares intactos que a maioria das pessoas não conhecia.

Naquela época não havia muitos equipamentos para aventuras disponíveis, Fiz minhas aventura usando materiais simples, como mochila de escola, lonas, redes e barracas estilo canadenses.

Equipamento Outdoor
Barraca estilo Canadense

Eu estava inserido dentro do movimento escoteiro, onde sou grato até hoje por me proporcionar experiencias únicas, incontáveis perrengues e muita técnica de acampamento e orientação.

Conforme o tempo foi passando e depois de já ter feito muitos caminhos, acampamentos e jornadas de maneira “Roots”, comecei a procurar equipamentos outdoor para acampamento que me possibilitassem maior proteção e segurança nas trilhas.

As vezes o equipamento outdoor barato pode sair caro

Comecei adquirindo equipamentos básicos, de custo baixo que na minha ótica iriam ser melhores dos que usava desde então. Minha primeira bota foi uma Mac Boot, durou aproximadamente uns 6 meses.

Adquiri também um saco de dormir da marca Hummer e mais alguns equipamentos que não me recordo muito.

Assim como melhoramos nossa técnica ao percorrer trilhas, fazendo acampamentos ou jornadas, comprei inúmeros equipamentos outdoor ao longo desses 19 anos de aventuras, que me proporcionaram um certo intendimento sobre a qualidade de materiais e valores dos mesmos.

Quando digo que as vezes o barato pode sair caro, posso dizer com clareza que é um fato, sempre pensando em valores dos produtos, gastei muito dinheiro com equipamentos de baixa qualidade onde tive que comprar outro novamente depois de algum tempo. Vou citar aqui três exemplos de equipamentos.

Calçados: Minha primeira bota foi uma Mac Boot, depois uma Bull Terrier, Timberland, Nomade (Vento) e por último uma Salomon que uso desde então. Minha primeira bota Salomon tem cerca de 6 anos e está ainda boa para uso.

Equipamentos Outdoor
Bota Salomon X Ultra Trek GTX

Mochilas: Mochila de escola, Trilhas e Rumos, Kailash e por e por último uma Thule, que uso desde então a mais de 3 anos.

Barracas: Barraca estilo Canadense, Mor vendida no supermercado, Trilhas e Rumos – Bivak, Azteq – Nepal, Star River – Naturehike e por último uma Mongar 2 Ultralight da Naturehike.

equipamentos outdoor
Barraca Mongar 2 Ultralight – Naturehike

Exemplifiquei todos estes produtos para você que está lendo esse texto entenda, que na grande maioria das vezes comprar produtos baratos faram você gastar mais dinheiro do que guardar os valores e comprar algo bom logo de cara.

Conforto x Valores

Uma coisa você pode ter certeza sobre atividades ao ar livre, quanto mais conforto você quiser ter nas suas aventuras, mais dinheiro você terá que desembolsar para que isso seja possível.

Hoje faço minhas aventuras usando equipamentos de primeira linha, isso me proporciona grande conforto e satisfação ao percorrer longas travessias de trekking, por inúmeros dias.

Minha mochila atualmente é uma Thule Versant de 50 litros, ali condiciono todos meus equipamentos para minhas aventuras, mais meus equipamentos fotográficos, todo esse conjunto pesa aproximadamente 13 kg sem contar a alimentação.

Comparativos equipamentos outdoor

Um comparativo que fiz ao longo dos anos usando tudo que é tipo de equipamento outdoor disponível no mercado, descobri que:

Se você quiser abaixar cerca de 1kg de peso em equipamentos dentro da sua mochila, você gastará aproximadamente R$ 2.000,00.

Então quando você for escolher seu primeiro equipamento ou o próximo produto, escolha que este seja leve, altamente tecnológico e que lhe proporcione o máximo de conforto na sua aventura.

Os equipamentos que uso atualmente me proporcionam aproveitar todo o contexto de uma aventura, chegando em casa sempre com experiências incríveis e o melhor de tudo isso é não estar dolorido ou com bolhas nos pés por causa de algum equipamento ruim.

Mochila All Trail

Se você gostou desse artigo, deixe um comentário logo abaixo, veja também avaliações de equipamentos outdoor em nosso site. Acesse!

Tedesco Eco Park

Tedesco Eco Park

Tedesco Eco Park é a nova opção de hospedagem e lazer da cidade de São Francisco de Paula/RS – Brasil, para você, seus amigos e família desfrutar de uma experiencia incrível, longe dos centros urbanos.

O local foi pensado e construído de maneira inovadora para que seus visitantes contemplem a natureza intacta de um local selvagem, com segurança, infraestrutura  e comodidade.

O Tedesco Eco Park conta com uma ótima infraestrutura propicia para Glamping, um serviço que se assemelha aos acampamentos, porém com mais conforto e infraestrutura. O Glamping nada mais é que uma mistura das palavras “glamorous camping” ou seja Camping de Luxo.

No parque tem inúmeras tendas temáticas que podem ser escolhidas pelos hospedes, as tendas oferecem todos os mimos que um hotel oferece, como uma cama king Size, lareira, deck, chuveiro e comida pronta na mesa. Tudo isso para você ter a melhor vivência do Glamping. 

Além do Glamping o Tedesco Eco Park, oferece a seus hospedes um conceito inovador de hospedagem. Você terá a oportunidade de vivenciar uma Experiência nova aliando conforto com rusticidade ao estilo de um Refúgio de Montanha de Luxo em meio a um bosque. Ao mesmo tempo você dividirá seu quarto com seus amigos ao estilo república e terá sua individualidade preservada em nichos individualizados com Conforto e Privacidade.

Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS
Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS
Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS

Além de toda essa estrutura o parque ainda conta com restaurante, onde são servidos pratos diversos no almoço, jantar e café da manhã, bar temático e um auditório para eventos empresariais.

Em conjunto a toda a estrutura do restaurante a uma grande área de deck´s construída para você relaxar ao máximo seu corpo e mente, com vista para um grande lago azul.

Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS
Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS
Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS

Caso você esteja buscando um lugar para curtir a natureza, o Tedesco Eco Park proporciona inúmeras atividades de lazer, como cavalgadas, caminhas e trilhas, stand-up, passeios de bicicleta, de caiaque e quadriciclo, próximo do parque é possível desfrutar de banhos de rio e cachoeira.

Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS

Localização:

Distante aproximadamente 150 km da capital Porto Alegre, Gramado fica a 41 km do Tedesco Eco Park. O Aeroporto Regional Hugo Cantergiani fica a 106 km da propriedade.  Como chegar, clique aqui.

Mais de 100 hectares de experiências te esperam nos campos de cima da Serra. Você pode escolher entre fazer atividades ou simplesmente contemplar as belezas naturais. E claro, as duas coisas juntas! Venha se conectar com a natureza de uma maneira como você nunca fez antes.

Tedesco Eco Park
Crédito: Luís H. Fritsch/TrekkingRS

Consulte pacotes e tarifas no próprio site do parque, esse sem dúvidas é um dos melhores locais para relaxar e estar em contato direto com a natureza, com comodidade e segurança.

Siga as redes sociais do Tedesco Eco Park no Facebook e Instagram, para mais informações envie um e-mail para:  atendimento@tedescoecopark.com.br

How to Choose The Perfect Camping Site

Finally, he returned home and started his own academy in Dominic Republic as he wishes to nurture all local talent to this sport and help them make a mark in the world. Apart from water sports, Tim loves mountaineering, hiking and participates from time to time in biking expeditions. He is deeply committed to making every people enjoy the way to fitness and good health through water sports.

Read more “How to Choose The Perfect Camping Site”

Traveling Through America’s National Parks

Enjoy the thrill and pleasure of surfing under different winds and with large varieties of surfboards. With a large and uninterrupted coastline along with top equipment gear, above standard safety measures and top crew and guides, even an absolute beginner can bask in the thrill and excitement of beating and riding the waves as high as 20 to 30 meters.

Read more “Traveling Through America’s National Parks”