A trilha mais longa da América do Sul

Esta é a primeira trilha de longa distância na América do Sul com 1.500 quilômetros no total, leva  ao coração do lendário Andes Patagônicos. É uma trilha belíssima e diversificada que atravessa campos e rochas vulcânicas, vales andinos idílicas, cadeias de montanhas cobertas de neve, florestas verdejantes, lagos azuis profundos e alguns rios.

A trilha Greater Patagônia não é uma pista oficial que foi planejada e criada por uma agência do governo. É melhor: é uma compilação das mais belas e diversas trilhas, estradas secundárias e de sessões transversais do país através dos Andes Patagônicos selecionados por um andarilho apaixonado.

Duração:

A trilha completa pode ser caminhada em uma temporada de verão e requer aproximadamente 90 a 120 dias, se andar com um ritmo moderado. Este inclui alguns dias de descanso, reabastecimento e viagens de ônibus.

map-greater-patagonia (1)
Mapa The Greater Patagonian Trail

Melhor Temporada:

Se você pretende caminhar toda a trilha na seqüência correta e iniciar com o ponto 1 você deve ir depois no mês de Dezembro.

Nas primeiras seções vários rios e passes de alta montanha precisam ser cruzados. Cuidar o nível das águas dos rios, pois a neve está derretendo e pode fazer as travessias serem difíceis e perigosas até o início de Dezembro. Portanto sair antes de Dezembro pode colocá-lo em risco ao atravessar rios ou atravessando ainda partes cobertas de neve. Mas se deixar para depois de Dezembro você pode ser surpreendido pelos fortes ventos do inverno antes de chegar ao fim da Greater Patagonian Trail.

Licenças para a entrada e taxas:

Quase toda a trilha pode ser caminhado sem permissão de entrada ou pagar taxas de entrada. E o que é ainda melhor: muitas das pessoas humildes que vivem ao longo da trilha vai recebê-lo ou até mesmo convidá-lo a ficar.

Infelizmente, o direito do público de maneira gratuita é vago e por vezes ignorada no Chile. Por lei chilena o acesso ao litoral, lagos e rios é um direito público, mas existem inúmeros locais onde essa prática fica desconsiderada. Simplesmente não existem penalidades se alguém nega ilegalmente passagem. Eu não sou suficientemente familiarizado com a legislação chilena, mas posso afirmar que, se é um direito público semelhante desta forma aplica-se a todas as trilhas e estradas de ligação em propriedades privadas. Mas, se ela existe é ocasionalmente desconsiderado. Alguns proprietários ricos com enormes parcelas de terras, empregam guardas e instruem para negar o acesso a qualquer um.

Conclusão:

Ao serem questionados sobre a trilha explique amigávelmente que você é apenas um andarilho e que você não quer nada mais do que a passagem para a próxima estrada ou cidade. Caminhantes raramente são vistos na maior parte do percurso e algumas pessoas podem suspeitar de outros interesses, porque eles simplesmente não sabem o conceito das caminhadas. Você pode explicar o quão longe você já andou para ganhar a simpatia e o respeito do proprietário da guarda ou da terra. Garantir que você vai levar todo o lixo e que você não vai deixar qualquer vestígio.

The Greater Patagonian Trail exige resistência, não só por causa do comprimento da área total, mas as seções de trilha são grandiosas. As três primeiras seções excedem 100 km cada, sem pontos de reabastecimento regulares na rota. Se combinar secções, as distâncias tornam-se ainda maior e pode alcançar ou exceder 300 km.

Habilidades e capacidades necessárias:
Caminhantes, esta trilha requer um planejamento detalhado e preparação antes e durante a caminhada. A bagagem tem que ser reduzida para somente o que é essencial. Antes de cada seção certifique-se que tudo esta correto e a quantidade de alimentos é suficiente.
O isolamento de algumas partes da trilha vai exigir uma atitude de auto-suficiência e comportamento cauteloso. O caminhante precisa se sentir confiante e se movimentar com segurança em vários terrenos, que chegam a partir de montanhas cobertas de neve e por florestas temperadas.

Mudanças climáticas repentinas podem acontecer a qualquer momento nessa região montanhosa. O caminhante precisa estar preparado e equipado para combater as tempestade de neve e o fechamento das nuvens ao cruzar uma passagem de montanha.

Boas habilidades de navegação são essenciais, pois o percurso é bastante isolado. O caminhante precisa reconhecer e seguir as trilhas muitas vezes apenas vagamente visíveis que frequentemente se esgotam ou se dividem em diferentes ramos. Aqui o caminhante tem que seguir o seu “sexto sentido”, verificando e comparando o percurso feito com as trilhas de GPS recomendadas. Bons conhecimentos e a utilização de um GPS é obrigatória.

Esta trilha só deve ser tentada com pelo menos algum conhecimento e práticas da língua espanhola. Você precisa ser capaz de se apresentar, explicar o que está fazendo, comprar comida e outros suprimentos e organizar suas viagens de ônibus até as trilhas. Quase ninguém ao longo da trilha fala ou entende algumas palavras em Inglês.

Veja algumas fotos da trilha realizada pela aventureira Jan Dudeck 

trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
trilha
Foto: Jan Dudeck
Fonte: Wikiexplora

2 Comments

  • Gissele Serra Angeliéri,

    Como obter detalhes do percurso? Abraços

  • O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Previous reading
    As leis de Murphy no acampamento
    Next reading
    Bota Salomon Explorer GTX