A história fantásticas de Lili Barros

Uma história fantástica sobre garra e determinação de uma ciclista, Lili Barros completou a primeira etapa do Campeonato Gaúcho de Mountain Bike 2018 realizada na cidade de Nova Petrópolis/RS com a bicicleta nas costas!

No domingo dia 18 de Fevereiro, ocorreu a primeira etapa do Campeonato Gaúcho de Mountain, na cidade de Nova Petrópolis. Com um percurso de aproximadamente 42 km e 1.300 metros de altimetria acumulada.

O trajeto desafiador com declives e aclives acentuados, diversas trilhas, aliados ao forte calor exigiram muita técnica, força e resistência dos atletas presentes.

Em meio a ciclistas que tiveram problemas mecânicos, quedas… optaram por desistir da prova, houve um grande exemplo de garra e determinação da atleta Lili Barros da equipe Acinp da cidade de Nova Prata/RS.

Conheça a atleta:

À cerca de dois anos Lili inclui o ciclismo na sua rotina para ter uma vida mais saudável e por gostar da sensação de liberdade que a bicicleta proporciona. Encantou-se tanto pelo esporte que em 2017 resolveu começar a competir.

Quando questiona sobre a prova mais importante até o momento, ela é humilde e comenta, “Não tenho uma prova que considere mais importante, tenho objetivos para o futuro, mas acho que a prova que eu mais me preparei foi o Desafio da Serra do Rio do Rastro”. A atleta se consagrou Campeã Geral Feminina da prova.

Foto: Arquivo pessoal de Lili Barros

Lili sempre teve dois trabalhos um durante o dia e outro a noite, quando resolveu se dedicar aos treinos, largou o de dia e trabalha só a noite, tendo o dia todo livre para treinar.

Além da grande disponibilidade de horário, ela tem um super apoio em casa, ”Meu marido é meu maior incentivador, muitas vezes deixamos de fazer coisas que “casais normais” fazem pra ele me acompanhar em provas e/ou treinos (ele vai de moto – risos)…costumo dizer que ele acredita mais em mim do que eu mesma.”

Nova Petrópolis:

Lili não conhecia o trajeto, mas sabia que a prova seria difícil. Nervosismo à flor da pele e adrenalina a milhão, mais uma vez ela foi tranquilizada pelo seu companheiro, que dizia “Vai lá e faz o que tu sabe, só isso!”

No 6º quilômetro de prova ela teve a primeira queda, não conseguiu fazer uma curva fechada e as britas soltas fizeram a bicicleta derrapar. Prontamente levantou, olhou os braços esfolados e a bermuda rasgada e seguiu em frente, sem perder muito tempo.

Porém com a queda a gancheira da bicicleta entortou e a correia caia constantemente, Lili perdeu muito tempo até perceber que não dava para baixar marcha e ela teria que enfrentar todas as subidas pedalando pesado mesmo.

“Consegui fazer uma prova de recuperação e ficar na 3ª colocação, faltando 10 quilômetros para o fim da prova, em uma trilha tive a segunda queda. A roda pegou numa pedra e literalmente fez um oito, me jogou longe, bati forte o ombro e a cabeça (santo capacete), fiquei tonta, mas de imediato o primeiro pensamento era levantar rápido e continuar, foi quando eu olhei pra roda e nem empurrar dava.”, relembra emocionada.

Com o ombro esquerdo doendo bastante, Lili só conseguia carregar a bike no braço direito e faltavam quase dez quilômetros para concluir a prova. Chorou de raiva e dor, pensou em desistir…

Lili Barros
Foto: FGC – Federação Gaúcha de Ciclismo

“Confesso que fiquei até com raiva de Deus, (sempre que saio para pedalar faço uma oração pedindo proteção, nunca peço para ganhar, somente proteção), mas lá no meio do mato mesmo pedi perdão, afinal apesar de estar esfolada dos pés a cabeça eu não quebrei nada. Foram duas quedas feias e eu estava ali inteira, então eu vi que Deus me protegeu mesmo.” relembra a atleta.

Ao longo desses dez quilômetros Lili, recebeu muito incentivo, fez novos amigos que lhe deram forças…isso foi essencial para ela concluir a prova. Mesmo perdendo posições, acabou a prova em 5º Lugar Feminino Elite.

Lili Barros
Foto: FGC – Federação Gaúcha de Ciclismo
Lili Barros
Foto: FGC – Federação Gaúcha de Ciclismo

A atleta agradece…

“A minha família, ao meu marido Antonio e aos meu patrocinadores Cassio 12, Dika Vidros, Mix Lanches, Conffiare, Academia Clínica Fitness, Tonho Bikes, a minha equipe Acinp, ao meu treinador Gabriel Salgado (Cycle Team) e a todos que torcem por mim.

TrekkingRS:

Comentários

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *